Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

sábado, 7 de outubro de 2017

Sobre a "Arte" nos dias de hoje.

Diante do que que estamos vivendo e como perdura a discussão sobre a "Arte" apresentada no MAM (Museu de Artes Modernas de São Paulo) em sequência daquela lástima do Santander....vamos lá! 

[Antes de mais nada, não tenho objetivo de criar polêmicas ou criar discussões aqui, portanto, segure os dedos aí. Desde já, OBRIGADA. ]

Sou atriz por profissão e sou artista em suas mais variadas formas de expressão, e não me acho melhor que ninguém por isso. E como tal, me dou o direito de discordar completamente de alguns da classe artística, onde dizem que uma criança tocar um homem nu é arte. 
E não venha me falar que depende dos olhos de quem vê. Não, nesse caso não! Porque isso não é arte! Isso é ultraje, afronta! 

Vamos estudar um pouco?! 
Vocês já ouviram falar de DADAÍSMO? Pois é, foi um movimento que ocorreu em 1916. Eles faziam qualquer "merda" (com o perdão da palavra) e diziam que era arte. Aproveitavam a subjetividade da Arte pra tentar semear suas revoltas, apresentavam suas podridões internas e queriam "vendê-las" como belas. A intenção deles era afrontar as ideias consideradas "burguesas" ou tradicionais, não se importando com o que o público entendia. Eles queriam implantar a anarquia, e diziam isso ser "liberdade de expressão". 
Se fosse liberdade de expressão, não ficariam tão revoltados com as respostas negativas às suas supostas artes. 

Sim, a arte é pra comunicar, pra expressar o ser humano. Mas pera lá! Nem toda expressão ou comunicação é arte. Ou é? 
Se pensarmos assim, um psicopata que mata mulheres é artista. Afinal, ele está expressando sua alma. Um pedófilo que usa seus desejos obscuros pra tentar "embelezar" ou tornar aceitável sua doença é artista?! Já ouviram a frase "nem tudo que reluz é ouro". Então, não desmereça a arte. 

Não é porque faço parte da classe artística que sou obrigada a defender o indefensável. Mesma coisa de um político defender a roubalheira porque ele também é político. 
Acima das classes, das profissões, do que fazemos, está o SER, o que SOMOS. Antes de ser artista, sou GENTE, feita à imagem e semelhança do Criador e, sinceramente, dentro de mim não há nenhuma identificação com essa podridão disseminada. E espero que dentro de você também não! 

Ao que parece, estamos vivendo novamente a "Idade das Trevas" (me refiro a História). Mas enquanto ainda há algumas luzes entre nós...Que brilhem! 

Quem pode dizer o que é ou não arte? Bom, isso ninguém. Mas podemos, sim, dizer o que viola o básico das relações humanas. Não dá pra relativizar princípios vitais. 
E se sua "Arte" não é pra acrescentar, se é pra promover o caos, as trevas...desculpe, você não é artista, é um fanfarrão. 

Obrigada. De nada. 

Com todo amor do mundo...

Nenhum comentário:

Postar um comentário