Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

quarta-feira, 31 de maio de 2017

Sobre honrar pessoas... Sobre o amá-las

A glória é e sempre será de Deus, mas a honra... devemos "usa-la" com pessoas. 
A honra faz parte do amor. 
Jesus honrou todas as pessoas que cruzavam seu caminho. 
Jesus honrou, serviu seus discípulos. 
E você aí preocupado(a) em elogiar pessoas com medo delas "se acharem" ou delas "tomarem a glória de Deus"? tsc tsc tsc... 
Ninguém toma a glória de Deus! Jesus, quando fez um dos milagres disse à mulher : "grande é a tua Fé". (Mateus 15:28) 
Outra vez disse: "Tua Fé te salvou." (Lucas 7:50) 
Ao centurião disse: "Nem em Israel eu achei fé como essa". (Mateus 8:10) 

O que é isso? Elogio, honra, valorizar o coração do outro, valorizar o outro com emoção, e não simplesmente fazer uma lista "pra constar" virtudes. 
Somos gente. O coração é necessário! As emoções fazem parte! 

Você acha que Ele tinha medo de falar essas coisas e as pessoas acharem que a glória era delas? Não! E ele sabia que mesmo ELE sendo Deus e homem, ele também precisava de um coração disponível. O milagre tem a mão de Deus agindo num coração com Fé. 
Deus trabalha em conjunto conosco! Não porque Ele precisa, mas porque Ele quer nos fazer participantes de todas as coisas. 
Por que? Porque o Amor é assim, envolve o outro sempre. 
A nós cabe honra-las e amá-las, aos que recebem cabe saber que "toda boa dádiva, todo dom perfeito vem do Alto". 

Beijos 
Com Amor...

sábado, 27 de maio de 2017

A Liberdade é possível.

Geralmente falamos de liberdade como se fosse algo utópico, algo que nunca será alcançado mas que deve ser sempre buscado. 
Não são necessárias coisas externas pra sermos livre. 
Não precisamos de bebidas, drogas, leis, religiões, "modinhas". 
Liberdade não tem nada a ver com uma vida desequilibrada, desregrada. Isso é escravidão! 
Quem precisa dessas coisas pra "provar que é livre", só prova quão escravo ainda é. 
Liberdade não tem a ver com o lugar externo onde você está agora, tem a ver com o lugar interno em que você vive. 
Todas essas coisas que citei acima nos dão a "falsa sensação de liberdade". 
Sim, incluí a religião. Pois há muita gente que segue religiões e é preso, é escravo da culpa, da justiça própria, do "merecimento",... 

A grande questão é que há, SIM, uma forma de ser liberto: conhecendo A Verdade. 
 A Verdade está em maiúsculo porque é sujeito próprio. 
Disse Jesus: "EU sou O Caminho, A Verdade e A Vida". 
Liberdade não é um lugar físico, é um lugar no espírito. 
"Onde o Espírito de Deus está, ali há liberdade." 
E onde Ele habita? Dentro de nós. Dentro de quem crê Nele. 
Ou seja, pra ser livre só é necessária uma coisa: CONHECER A VERDADE. Conhecer Jesus. Num papo reto mesmo! Conversar com ELE, alimentar-se Dele. Abrir mão de ensinamentos errados e abrir-se para o que ELE diz em Sua Palavra. 

Muitaaaaaa gente me diz: "você é tão livre e expressa tanto Deus, é interessante isso!"
Sim, porque prisão não representa Deus. Jesus veio pra nos libertar mesmo. Libertar do pecado, da morte, do Ego... 
Luto pra manter-me livre através da renovação da mente (lendo a Bíblia). Porque permanecer livre num mundo que tenta nos escravizar o tempo inteiro através da relativização (entre outras coisas) é desafiador! 
 Liberdade não tem a ver com a roupa que você usa, com a maquiagem, com o cabelo, ... Essas coisas são rótulos. E rótulos são rasos, são apenas máscaras...E eu falo de profundidade. 
Ser livre é um estado de espírito conquistado através de Jesus, por permanecermos Nele. É uma forma de viver que mesmo que você esteja no fundo do poço, estará livre. 

Obs: me uso como exemplo não porque "me acho", e sim porque "O achei". E é preferível falar de mim, pois só sei de mim. Cada um sabe de si.

Sobre a escrita do Rei...

Deus não escreve certo por linhas tortas. 
 Ele escreve certo por linhas certas. 
Torto é nosso jeito de pensar, às vezes.

quarta-feira, 24 de maio de 2017

Sobre a Arte...

Ninguém escolhe ser artista. 
Artista é uma questão de DNA- você nasce assim. 
É sobre olhar e ver além. 
É sobre ser o olhar do outro. 
É sobre ser voz do outro. 
É sobre si, sim, sobre expressar-se, mas sempre envolve o outro. 
O artista não se preocupa com "glória", ele quer apenas tocar pessoas. Uma que seja! 
Porque a arte precisa comunicar. Se não comunica, é uma "arte falha". Ou seria, ato falho?! 

Sim, há músicos excelentes, atores bons, pintores legais e que não são artistas. 
Ser engraçado, ter "likes" não faz de alguém um artista. É preciso pontuar, pois nossa geração relativizou tanto que já não sabe o que é o quê. 
Não desvalorize a arte. 
Entenda. Não se apegue tanto ao dicionário, estou indo mais fundo. 
Mas não se engane, artistas não são melhores que ninguém. 
Somos apenas mais sensíveis justamente para servirmos os que não enxergam, os que não conseguem se expressar, os que não ouvem. Somos apenas a extensão aos que faltam algo. 
Se sua arte não serve à ninguém. Sorry, você é apenas um "técnico". 
Artista é ponte e não troféu.

Quando a única regra é o Amor (Deus), a vida fica mais leve!

Sábado eu estava num aniversário e, de repente, chegou uma pessoa toda feliz que eu não conhecia. 
-Eu não acredito que estou te vendo! Eu te acompanho de longe há muito tempo! Vejo seus vídeos, seus textos, suas fotos...Você não sabe o quanto me faz bem suas coisas! A gente olha pra você e vê Deus de uma forma tão simples, tão livre ! Você transmite uma liberdade e leveza! Deus parece tão leve! 

Bom, esse é um discurso que ouço com frequência. E por que estou compartilhando?! Pra entendermos o quanto nossa visão sobre Deus pode estar distorcida. E pior, com nossa visão distorcida, repassamos essa mesma imagem para as pessoas.
Frequentemente tentamos encaixar Deus (JESUS) em nossos padrões humanos, em nosso senso de justiça (limitado) e acabamos vendo um Deus pesado e lançamos peso sobre as pessoas. 
A Palavra de Deus diz que o "fardo de Jesus é leve". Se está pesado é porque misturamos religiosidade, humanismos, LEI (e não Graça) ao que Deus é. E algo "sujo", seja 10 % ou 90% contamina tudo. 
'Não existe' essa de querer "equilibrar" Deus com NOSSA opinião. 
Não dá pra ser humanista e teocêntrico ao mesmo tempo. 
Não dá pra misturar a LEI com a Graça. O tempo da Lei passou.

 [Aos meus amigos que não entendem sobre "lei X graça"... Lei é no Velho Testamento da Bíblia, onde o homem precisava cumprir regras e mais regras, fazer sacrifícios e tal para se achegar a Deus. Graça começa no Novo Testamento, porque Jesus veio, cumpriu toda a Lei, e fez o sacrifício único. Ou seja, temos acesso ao Pai (Deus) por causa de Jesus e não por nada que a gente faça ou deixa de fazer.] 

Eu sei, não é fácil permanecer na Graça pois queremos merecer, queremos "pagar" por algo, queremos ser "justos" por nós mesmos... Mas esse é um "evangelho distorcido" onde o homem está no centro, tudo gira em torno do Homem, do que fazemos e tal. 
E Deus não nos propõe isso. Ele nos propõe um RELACIONAMENTO leve baseado no Amor. 
A única "regra" é o amor. Esse é nosso parâmetro : AMOR A DEUS E PELAS PESSOAS. 
Quando amamos a Deus e as pessoas, nossos valores mudam e consequentemente nossos atos/comportamentos também mudam. 

Pensemos nisso. 

Obs: tudo que fazemos e falamos tem alcance e "peso" (importância) pra alguém, mesmo que de forma indireta ou inconsciente. 
Cuidemos disso. 

Beijos

terça-feira, 2 de maio de 2017

Flor e seu jardim secreto.



Flor, que sempre soube traduzir em palavras o que sentia, dessa vez sentia-se perdida.
Parecia que sua própria existência a denunciava. 
Bom, era como ela se sentia. Ela achava que seu nome a representava bem, afinal, basta olhar pra uma flor que todos sabemos do que se trata. É amor, é leve, é doce, é presente!
E Flor achava que seria muita exposição falar algo além de simplesmente SER ESSE ALGO.
Eu sei, tá confuso.
Mas toda essa confusão é apenas uma confissão assinada por ela.
Explico.
Um amor nasceu no coração dela sem porquê, sem ser regado, sem ser cuidado.
Do nada, quando ela olhou pra seu jardim (interno), lá estava ele.
Eu sei, pra uma planta nascer tem que ter semente.
Bom, semente teve. Deus falou, e como sabem, a palavra que Deus diz é semente, tem poder de criação e se cai em terra fértil, logo cresce. E o coração de Flor era fértil simplesmente porque ela desejava a vontade do Criador.
Mas e o moço, destinatário do amor?
Ah o moço... Tem coração grande, mas é como aquelas casas bonitas, admiráveis, mas com cerca elétrica. E ele não desligava a cerca. Uma (ou mais vezes) ela tentou se aproximar e levou um choque.
Choque assusta! E no caso de Flor, dói também. 
Mas Flor sabia florescer mesmo no meio de pedras, e aquela semente do amor florescia junto mesmo sem o moço cuidar.

Hoje o amor, que antes era semente, virou uma planta saudável mas cada vez mais ansiava pelo destinatário. Não era amor sem propósito, sem dono. Era amor específico com nome próprio e com endereço.
Era amor gerado no espírito, era semente do Reino de Deus. Não era um filho sem pai.
Existia um DNA. Não é amor que pode ser passado pra outra pessoa. 
Era amor verdadeiro, e que cresceu nas circunstâncias mais improváveis.
Improváveis para homens cheios de planos matematicamente calculados. Para Flor, improvável era a circunstância ideal para algo verdadeiro brotar. Não foi gerado por favores, circunstâncias,  galanteios...
E agora ela estava ali, olhando pra dentro de si, vendo aquela planta do amor crescer e sem saber o que fazer com aquilo tudo.
Parece óbvio, eu sei. É só entregar o amor para o dono. Mas Flor nem sabia por onde o moço andava... E ela ficava com o jardim dentro de si todo florido, cheio de cor, mas que ninguém podia saber.  Era seu jardim secreto.