Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

segunda-feira, 2 de janeiro de 2017

Duas visões. Duas versões. Qual é a verdadeira?

Amizade boa é aquela que as verdades são expostas, os medos são enfrentados, não há disfarces.
E assim era a amizade delas. 

-Terminamos. Não dava pra mim. Ele estava me sufocando.
-Como assim? Eu o conheço muito bem! Ele não é de sufocar, é equilibrado.
-Ah! Ele ficava querendo fazer minhas vontades, me tratava bem demais...
-Oi?! Isso é ruim?
-Ah! Ele não sabe o jogo da conquista?
-JOGO? É, realmente ele não joga. Ele é honesto, mas isso é uma virtude e não defeito.
-Ah, mas parecia que eu não precisava fazer nada para conquista-lo... Ele gostava de mim de uma forma tão gratuita...
-Você não se acha merecedora?
-Claro que me acho!
-Sério? Então por que alguém que cuida bem de você te afronta?
-Não é isso! Ele estava me sufocando! Ele não tem maturidade emocional, não sabe quem ele é... E ele é um cara e tanto sim!
-"Me sufocando"... Frase feita. Todo mundo usa ela.[...] Mas, aprofunde um pouco mais. Sabe, de fato, há pessoas que nos sufocam. Mas há pessoas que nos obrigam a tomar uma atitude mesmo que elas não façam nada. E isso não é sufocar. Não era ele quem estava te sufocando, era você mesma, pois sabia que algum passo precisava ser dado; era a circunstância que estava te obrigando se enfrentar.  Era porque ele mexia com você demais e não dava pra você leva-lo "empurrando com a barriga" por muito tempo. Você sabia que com ele não ia ter como fugir. Ou você se enfrentava e "perdia o controle" da situação, se permitindo amar. Ou teria que parar ali. Você sabia que só existia UMA saída para a relação de vocês, mas seu medo falou mais alto e você começou a inverter as coisas, inventar defeitos...Olhar para as falhas com lente de aumento e ignorar as qualidades. [...] Desculpe, amiga, por mais que você me diga que ele não tem maturidade emocional, que ele não saiba quem ele é... Eu acho que ele sabe, sim, quem é, tanto é que não se propõe jogar. Acho que é você quem ainda está ferida e com medo do amor, devido ao seu passado. Eu sei do que estou falando! Já passei por isso e assumo. Eu sei reconhecer esse caminho, esses sintomas... Mas tudo bem, se você se sente melhor com "sua versão", tá tudo bem. Uma hora você vai enxergar. É preciso tempo, e eu respeito o seu.
- Não! Você está viajando...
- Ok. Tá tudo bem...


Nenhum comentário:

Postar um comentário