domingo, 31 de dezembro de 2017

Quando o "game over" não funciona...



Dois anos se passaram. Dois longos anos pra ela.
E em alguns momentos, os dias pareciam ter mais horas do que o suportável.
Sim, a vida pra ela sempre foi leve! Mas assistir a pessoa amada tentar se relacionar com outras pessoas, lhe esmagava a alma de vez em quando.
Clara ficava perplexa com isso. 
A relação de Gael com ela sempre existia um "porém"; com as outras, não.
Tentava com uma, terminava; depois procurava Clara pra contar os últimos acontecimentos.
Cada decisão importante, ele perguntava a opinião dela, gostava de compartilhar, mas depois desaparecia. Quando a aproximação parecia estabelecer laços, ele se afastava.
Clara o entendia, ou ao menos, tentava.

Ele, um homem sempre tão seguro, quando estava perto de Clara virava garoto. Como bem diz a música "garotos sempre tão espertos mas perto de uma mulher são só garotos".
E acho que era dessa sensação que ele fugia. Essa sensação de ficar sem reação ou ter que pensar para agir e/ou reagir. E com isso, buscou namoros onde ele sentia-se no controle de sua própria alma. Por favor, me entenda quando falo isso.  

[Quando nos relacionamos com quem não mexe tanto com a gente fica fácil, "confortável", qualquer coisa a gente "pula fora". Mas, quando nos relacionamos com quem tem nosso coração, a gente fica meio sem chão.
É estranho isso, essa visão que temos do "desconfortável". O fato de nos tirar o chão não deveria nos deixar assim, com medo. Deveria nos inspirar, afinal, agora podemos voar!
O Amor é desconfortável no início, até que a covardia passe, o medo morra, o autocontrole seja equilibrado.]

E lá estava Gael, diante do que ele temia, diante de Clara.
Clara, apesar de ser como o nome, para ele era uma incógnita. Ele tentava a decifrar a cada instante.
Pra ela não havia o que decifrar em si, ela colocava as cartas na mesa, não sabia jogar.
E ele, como bom jogador que é, achava que as cartas expostas eram alguma tática de jogo.
Aí entrava o desencontro. Cada vez que ele jogava, ela dava "game over" por dentro.
Mas ele apertava o "continue", sendo gentil uma vez ou outra.
[eu sei que a vida não é um videogame mas fica mais fácil se entendermos assim].

Em dois anos muita coisa acontece. Inclusive o nascimento do amor.
No início, ela só tinha uma 'direção' em relação a ele. Hoje, ela tem amor.
Ela tinha plena convicção da agenda de Deus com a união dos dois. Clara sabia que ele era seu marido, o homem que Deus escolheu.
Você deve estar se perguntando: "mas Deus escolhe um para o outro?"
Bom, Deus é um Deus criativo, de ineditismo, não há regras. Às vezes escolhe, outras não. Depende do propósito de cada um. E sobre Gael, bom...ele tinha sido escolhido.

Nesses dois anos, ela descobriu que o 'encaixe' entre eles era surreal (de BOM). E isso era muito importante pra ela!
Sim, o amor nasceu. Puro como tem que ser. Incondicional.
Mas às vezes para o expressarmos a reciprocidade se faz necessária. Caso não haja, o amor se silencia, ama escondido, como se fosse vergonha ou proibido amar alguém.

Depois de tanto tempo - dois anos parece uma eternidade quando se espera- eles se encontraram.
Clara estava tensa, tinha medo de ele aproximar como sempre, a envolver e depois sumir novamente. Afinal, esse era um costume dele com ela.
Refém de si, do medo que sentia, Clara travou. O recebeu em sua casa, assistiram filme - como sempre- mas dessa vez o filme de romance parecia terror. Cada um num canto da cama. Tão perto e tão longe. 
Ele tinha as mãos inquietas. Ela, os pensamentos.
O filme acabou, mas o terror não. Ele foi embora dando um abraço "meia boca" e, como sempre, desapareceu.

Clara se cansou da repetição das atitudes covardes. Amor precisa de cuidados, mesmo quando é puro como era o de Clara. 
Amor envolve o outro e a gente mesmo.
Se o outro não nos cuida, o amor próprio clama por cuidado.



quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Um dilema sem fim.

"Respire fundo, Liz,...Calma, não tão fundo senão ele percebe. Ele é um bom leitor de alma...Cada movimento ele capta..."
Esse era o pensamento de Liz, ela falando consigo mesma num momento de leve "enfrentamento".
Não, não era uma guerra, não era entrevista de emprego, não era uma apresentação, era simplesmente o encontro com aquele que passeava em seus pensamentos de vez em quando.
"Parece que tenho 15 anos! Não deveria ser assim! Porque complicaram tanto o amor?! Porque a gente não pode demonstrar?!"_ ela continuava seu diálogo interno.

Liz sempre foi muita espontânea e natural, e por isso, sua grande dificuldade era travar a naturalidade. Parece que Liz nasceu sem fechadura pra essas coisas, e toda vez que tentava disfarçar algo assim ficava mais ridículo ainda.
Medo ou prudência? Às vezes o medo se disfarça de prudência. Ela dizia que era sensatez, mas acho que era medo mesmo. Tá, talvez um pouco de sensatez, já que o histórico com ele não era dos melhores. Ele sempre sumia, não tinha constância, por isso, nesse caso é compreensível o disfarce todo pra não demonstrar. 
Compreensível não quer dizer que seja o melhor. E Liz sabia disso.
Nada era tão difícil pra Liz do que ela não levar a mão nos cabelos dele durante o filme, ou não querer abraçá-lo. Ela não conseguia travar só essa parte da "Afetividade", ela se travava inteira. Parecia que os pensamentos e gestos passavam por uma peneira. E "peneirada" Liz não sabia ser.
"Será que terei que aprender ou digo logo tudo?"_Ela não conseguia concluir o raciocínio.
Ela só queria estar perto e contar tudo pra ele. Mas pra contar, ela tinha que ser natural, e se fosse natural, seria carinhosa e...bom, carinhosa ela não podia ser. Ele não reagia com certezas, era sempre uma incógnita.

Era um dilema sem fim. Mas ela desejava ardentemente por uma resposta ou, quem sabe, uma pergunta dele.

Não há alternativas mais.

Às vezes o caminho parece mais complicado do que gostaria, mais cheio de mistérios. 
O Caminho com Deus é uma garantia, mas é uma garantia que muitas vezes desafia nossa razão. Porque é feito pela Fé. 
Deus nos revela o destino, mas não o processo. 
E sabendo o destino, sei, por exemplo, que tenho que "virar à direita". E muitos questionam: "e se você virar à esquerda?" 
Acontece que não há mais "esquerda" pra mim. 
Quanto mais conheço Aquele que é o Amor (Jesus), mais me apego e confio. E só consigo pensar: "Senhor, para onde iremos nós? Só Tu tens as palavras da vida eterna. "_ João 6:68 

Não há alternativas. 
Não existe mais "minha vontade". Existe NOSSA (Dele e minha). 
Quanto mais PRATICAMOS o que cremos, mais nossa vontade se difunde à Dele. 
Quanto mais mergulhamos Nele, mais o raso fica pra trás. E as demais opções vão sendo extinguidas. E a única coisa que podemos fazer é "prosseguir, olhando firmemente para o Autor e Consumador de nossa Fé." 
Se você também caminha com Deus e se encontra "sem opção", pode ser um bom sinal. Sinal de que ELE está realmente no comando de sua vida. Portanto, confie e descanse. 
Onde quer que esteja, independente da circunstância, sua identidade de FILHO do Rei não muda. Então...REINE. 
Onde estiver, GOVERNE. 

Beijos 
Com Amor...

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Que o trauma não nos guie...

Dias atrás eu estava pensando sobre minha reação sobre determinada situação. 
 [Nem falo da reação externa, mas do tumulto causado aqui dentro de mim.] 
Era uma situação "boba" mas que me provocou uma sensação ruim, um medo de estar sendo enganada mais uma vez... 
Sim, "mais uma vez", porque eu sempre escolhi acreditar nas pessoas, e sou duramente criticada por isso. 

Enfim, a questão é que percebi que minha reação não era referente ao acontecimento recente; era por causa do passado. 
E é assim que os "traumas", feridas, sei lá o nome que você queira dar, nos atormentam. 
Se permitirmos eles -os traumas- governam nossas ações (elas passam a ser reações apenas), e diante de coisas aparentemente normais temos reações que nos estremecem, nos tiram a paz... 
Todos nós já passamos por situações que mexeram conosco de alguma forma, que nos feriram... Acontece. Ferimos pessoas e somos feridos mesmo sem querer. 
Mas que isso, esse trauma, jamais seja nosso guia. 
Que o medo não vire orgulho, muito menos referência. 
Que nossa referência seja Cristo sempre! 
Que ELE nos direcione, que nossos pensamentos estejam alinhados com os Dele. 

 "Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai." _Filipenses 4:8 

Beijos 
Com Amor...

sexta-feira, 15 de dezembro de 2017

Como vamos terminar é que importa.

‎"A demasiada atenção que se dedica a observar os defeitos alheios, faz com que se morra sem ter tido tempo para conhecer os próprios. " 

Que a mudança comece a partir de nós. 
Sabe o que acho engraçado? Muita gente busca a mudança, mas não acredita na mudança do outro. 
Falam: "Ah, mas você viu o que fulano disse 20 anos atrás?" 
SENHORRRRRRR!!!!! Se você é pautado pelo que fez 20 anos atrás, é muito triste ! 
Pessoas mudam, amadurecem. Pelo menos, deveriam. 
Sejamos pessoas ensináveis. Que possamos mudar para melhor! 
Amadurecer sem "amargurecer". 
Não é feio mudar de ideia quando essa ideia é ruim. Feio é não pensar, não refletir, não assumir erros, equívocos. 
Imagine só se fôssemos avaliar o grande apóstolo Paulo por seu passado! Deixaríamos de aprender com ele porque no passado ele perseguia e matava cristãos. 
Não importa como você começou ou de onde saiu, importa é pra onde está indo e como irá concluir. Não importa se começou como Maria (virgem, pura) ou como o ladrão ao lado de Jesus na Cruz. Importa é como estamos AGORA e iremos terminar. 
Judas começou bem, era discípulo de Jesus, mas terminou o traindo. 
A mulher de Samaria (Jo 4) começou mal, e terminou muito bem! 

Que possamos dizer: "combati o bom combate, completei minha carreira e guardei a Fé". 
Busquemos ser melhores do que ontem. E aceitemos a mudança dos outros. 
Mas, repito, desde que a mudança seja para melhor. Mudar pra pior é retrocesso. 
Se antes você era maleável e hoje tem o coração duro, melhor rever seu caminhar. 

Beijos 
Com Amor...

segunda-feira, 11 de dezembro de 2017

Afaste-se um pouco e observe.

Às vezes, precisamos nos afastar um pouco do quadro para ver o todo. 
A proximidade pode nos impedir de ter uma visão mais ampla. 
Sim, tenhamos foco, observemos os detalhes da "pintura" mas não percamos todo o desenho ou mesmo o local da exposição. 
Ter foco é diferente de andar com aquelas "viseiras de cavalo". 
Observemos ao redor para que não sejamos surpreendidos.

domingo, 26 de novembro de 2017

Sobre incentivar e apoiar os outros.

-Renata, você sempre interage com as pessoas nas redes sociais, ne?! Curte, comenta, sempre incentiva...
-Sim. 
-Mas você faz isso até com aqueles que não estão nem aí, não correspondem...
-Ué, eu faço porque faz parte de mim. Acredito que palavras boas devem ser expressadas e também é porque tenho pra oferecer. 
-Mas você não acha ruim porque muitos querem ser apoiados mas não apoiam e tal...?
-Olha, às vezes, acho estranho, confesso. Mas aí penso que não posso exigir que uma pessoa pobre dê dinheiro à alguém. Da mesma forma, não posso exigir do outro que ele ofereça algo que não tenha. Não posso exigir leveza de alguém que está pesado; não posso exigir doçura de alguém que está amargo; nem posso exigir que alguém seja livre pra se expressar publicamente se está preso à opinião dos outros. [...] É uma questão de tentar entender em que lugar a pessoa está. E assim como sou falha em outras áreas, se a pessoa não tem pra dar, eu tento cobrir isso. É aquilo "o amor cobre multidão de pecados". 
-Hummm... Mas não tem hora que dá vontade de "chutar o pau da barraca"?
-Tem sim. Mas aí eu penso: se eu fizer isso estarei agindo como eles, estarei fazendo o que reprovo no outro, e isso pra mim é incoerência. Enfim...

Sobre olhar para o outro.

Anos atrás eu escrevi e gravei sobre Suicídio. E ontem, depois de eu ver uma notícia sobre mais um, decidi contar uma história. 
Esse é um assunto que quase ninguém gosta, mas acontece muito mais do que você imagina. 
Sabe, há muita gente morrendo calada ao seu lado e você nem percebe. Esse Amor que tanto falam nas redes sociais e na vida precisa ser praticado. É URGENTE! 
Olhe pro lado! Saiamos um pouco de nós mesmos. 
Há anos eu ouço e acompanho pessoas por intermédio das redes sociais. 
Elas simplesmente vêm. Por que? Não sei. Sei que estou "plantada junto a ribeiros de águas" (Deus), e por isso, do meu interior fluem rios de água viva", como está escrito; e por causa disso, o Amor do Pai se manifesta. 
Eu escolhi enxerga-las, porque escolhi expressar o Amor de Deus. Porque nada pode ser mais precioso que uma vida. 
Meu tempo, meu sono, minha fome, minha disposição, meu humor... nada disso pode ser mais importante que UMA pessoa. 
[Claro, é bom nos cuidarmos, respeitarmos nosso tempo. O equilíbrio faz parte. ] 
Mas às vezes, uma hora de seu tempo muda uma vida. O que mata é a indiferença, a falta de importância... 

10 anos atrás (eu tinha 22 anos), um colega veio conversar comigo (ele tinha quase 40). Eu simplesmente perguntei como ele estava ( o que sempre faço. E não é por educação, é por interesse mesmo). 
A conversa foi acontecendo, e ali, guiada pelo Espírito Santo, fui conversando naturalmente, coisas que vivo e sempre vivi. Inevitavelmente, falei de Deus. E inevitavelmente também, Deus se fez presente naquele momento de uma forma mais intensa. 
Enfim...isso aconteceu com esse colega e mais váriossssssssss outros que nunca nem conheci pessoalmente. E eles sempre vêm, do nada, me contar algo. 
Por que estou contando? Pra que isso TE ESTIMULE a praticar o amor, a olhar para o outro e o enxergar além da aparência. 
Não há nada mais gratificante do que você ser instrumento de transformação na vida dos outros. Testemunhos são importantes. 
A Bíblia é feita deles. Mais do que letra, é preciso VIDA. Testemunhos são letras praticadas. 
Conte bons testemunhos. 
E pra finalizar, deixo o depoimento que esse cara me mandou (na época do orkut).



sexta-feira, 17 de novembro de 2017

O que motiva nossas decisões?

Por que nós deixamos de fazer algo errado? Por medo da consequência ou por termos um caráter íntegro formado? 
Escolhemos NÃO PECAR porque temos medo disso nos trazer consequências sofríveis ou por Amor à Deus? 
O que motiva nossas decisões? Medo ou Amor? 

Você é fiel porque tem medo que alguém descubra ou porque não faria isso com quem ama? 
Filhos, vocês obedecem aos pais porque têm medo deles ou porque os amam? 

Percebe que nossas motivações precisam ser verificadas?! 
Percebe que a atitude correta com uma motivação errada quase invalida a atitude correta? 
Percebe que o Amor e o Medo se opõem? 

Nosso alicerce não pode ser o medo, porque o medo escraviza, e se uma hora você tiver coragem, o caráter vai pro ralo. 
MAS se nossas atitudes são firmadas e motivadas pelo Amor, faça chuva ou faça Sol, concordando ou não, vamos honrar a Deus e cuidar de pessoas. 

Sabe quando você está chateado com alguém, mas ainda assim você serve, ajuda, cuida? Então, isso acontece quando nossa motivação é o Amor. 

Como transformar nossas motivações? A Palavra de Deus diz que : "O Verdadeiro Amor lança fora todo medo"
Quem é o Verdadeiro Amor? Jesus!!! Deus é Amor. Prossigamos em conhece-Lo. 

Obs: vocês sabem que sempre que falo de Amor, falo DO AMOR Perfeito que é ensinado (Corintios 13) e personificado em Jesus, ne?! Não comparemos esse amor tão profundo com o "amor" banalizado que inventaram. 

Beijos 
Com Amor...

quarta-feira, 15 de novembro de 2017

Vivo por Fé porque não há outro meio.

Eu falo muito sobre viver por Fé, e tenho que ser honesta. 
Não dá pra viver por fé e ficar na zona de conforto ao mesmo tempo. 
Não dá pra viver por Fé e não tomar a nossa cruz. 
Porque viver por Fé não é viver com esperança (ou ser positivo) simplesmente. Não é disso que falo, não é isso que Deus fala em Sua Palavra. 
É bem mais profundo, bem mais radical. 

É, muitas vezes, você SABER fazer e escolher não saber. 
Como foi com Moisés que era super estudado nas leis do Egito mas teve que abrir mão de tudo que sabia para seguir a coluna de fogo à noite e a nuvem de dia. 
Viver por Fé é você PODER fazer, mas decidir não fazer. Porque "tudo me é lícito, mas nem tudo me convém". 
Viver por Fé é pegar o caminho contrário, na maioria das vezes. Outras vezes, é criar um caminho que até então não existia. 
É você gerar um filho sozinha (Maria) porque José ainda não "despertou" em seu espírito. 
É você ser estéril (Sara) e ouvir de Deus que "de ti sairá muitos descendentes". 

É impressionante como Deus nos dá uma palavra exatamente na situação mais inusitada. 
É Davi, esquecido por todos, ser escolhido Rei. 
É Abraão sair de onde ele estava e ir pra uma terra onde Deus AINDA IRIA mostrar. 
Muitas vezes a gente quer uma resposta se algo "é de Deus", e procuramos "lógica", ao invés de confiar no que Deus disse. 
Não há como esperar "nossa" lógica no caminho proposto por Deus. 
Viver por Fé é literalmente sair do controle de nossa própria vida e deixar que Deus direcione cada passo, cada detalhe. 

Aí alguém diz: "mas por que então viver por Fé, se parece tão difícil?" 
Oras, porque não há outro meio de viver, pelo menos não pra mim. Porque confio muito mais em Deus e em Seu Amor do que em mim. ELE é infinitamente mais apto pra me guiar do que meu próprio entendimento. 

O "viver por fé" é andar sob uma palavra que Deus te deu. 
Não é simplesmente "acreditar em Deus". É fazer do "Acreditar" uma prática a cada instante.
E pode ter certeza, muitas coisas aparecerão pra "provar" sua Fé. E ainda assim, com esse tanto de "desafio", é bem melhor viver por fé do que por vista. 

Só louco pra viver assim? Talvez... É por isso está escrito : "Deus escolheu as coisas loucas desse mundo, para confundir as sábias". 

"Bem-aventurados os que não viram e creram." 

Que a gente siga no caminho da Fé porque é Nele que está a plenitude do propósito de Deus pra nós. 

Beijos 
Com Amor...

sexta-feira, 3 de novembro de 2017

Quando Deus promove alguém...

Falando de Davi (Bíblia) e de nós... 

Deus promove o que promove Seu Reino. 

Sim, existe a promoção humana, o fruto de nosso trabalho, e é muito bom! 
É fruto da respeitada lei da semeadura. 
Mas quando Deus promove, mesmo a contragosto de alguns que se acham mais merecedores, ELE decreta (afinal, ELE é O Rei). 
Ser promovido pelo Rei é muito melhor do que aplausos do povo, acredite! 

Deus opera em outras Leis, leis espirituais, leis de Seu próprio governo: da Graça...da Fé. 
[lembrando que "a fé atua pelo amor"]. 
Sim, semeie sob a lei da semeadura. É importante. Mas JAMAIS coloquemos-a acima da lei do Rei (Jesus). Busquemos primeiro o reino Dele.

Minha vida é feita de "de repentes".

Minha vida é feita de "de repentes". 
Porque Deus sabe que eu funciono assim com algumas coisas (no susto!).rs 

*Abre parênteses. 
Todo mundo sabe que sou atriz e que escrevo. Ok. Mas poucos sabem que canto. Comecei a cantar antes mesmo de começar a atuar. Sim, eu era criança. Fazia o "clubinho" na casa da minha amiga e vizinha na época, Lídia Barros. Cantávamos, falávamos de Deus e COM Deus. [eu tinha uns 7 anos!] Depois comecei a cantar na igreja. Cantei dos 12 anos até...sei lá! rs. Aí resolvi dar um tempo, pois eu não tinha tempo nem grana pra estudar música. Sempre me cobrei muito, e o que era qualidade (gostar de excelência) virou um fardo e um impedimento para o fluir de Deus NESSA área da minha vida. 
*Fecha parênteses. 

Eu fugi (MESMO!!!) desse ministério (música) por um tempo, apesar de amar. Até que... Até que quando vamos nos alinhando com o Pai (Deus), somos literalmente guiados pelo Vento (por ELE). E Ele sopra aonde quer. E eu? Eu simplesmente sigo a agenda que ELE me propõe. Por isso, os "de repentes". 
É tão surpreendente a agenda Dele! 
O que eu faço? Simplesmente O Busco em secreto, tenho ânsia por conhecê-LO. E NO DEVIDO TEMPO, Ele faz. 
Eu apresento meus pães e peixes e ELE faz o milagre. 
No meio de um monte de gente mais capacitada aos olhos humanos, mais preparado, Deus escolheu Davi (leia a história em 1 Samuel).

Sabe, eu sempre me identifiquei muito com Davi, aquele mesmo da Bíblia. 
Enquanto tem um monte de gente "se matando" por um lugar ao Sol, eu estava lá O adorando (e continuo fazendo isso), cuidando das ovelhas, matando ursos e leões sem ninguém ver. 
Aí, tinha um monte de gente mais capacitada do que eu, cantores que dariam um show, mas Deus procura ADORADORES. 

Resumindo, semana passada fui convidada para participar da gravação de um DVD da Alda Celia com convidados que aconteceu HOJE. 
No caso, euzinha, aquela esquecida pelas pessoas, mas nunca por Deus, aquela lá detrás das malhadas (referência a história de Davi), estava entre os convidados. E eu fiquei: "e agora, Deus?" 
Mas aí me lembrei que "Ele escolhe as coisas loucas desse mundo", e que quando ELE nos chama, ELE também nos capacita. A unção capacita. 

Estou muito feliz com esse marco na minha vida, com mais esse "de repente". E quero te encorajar a aceitar os "de repentes" de Deus. 
Se ELE confia em você, por que você não confia? 
Ele só precisa de nosso coração disposto, de nossa obediência em qualquer circunstância. 
Quero te incentivar a SE vencer, matar o medo da exposição, vergonha, orgulho... Tudo isso nos impede de viver o MAIS da vida que Deus tem pra nós. 

Beijos 
Com Amor...

terça-feira, 31 de outubro de 2017

Ela acreditava em milagres.




Era um final de tarde lindo, como quase sempre é.
Como sempre fez, Liz foi à praia conversar com Deus. 
Ela gostava daquele momento, daquele espetáculo do Sol, da luz dourada cobrindo o mar.
As águas do mar em constante devoção a Deus mexiam com o espírito de Liz. 
As águas subiam até onde conseguiam como se exultassem diante do Criador e, de repente, justamente por estarem diante de tamanha Majestade, as águas se prostravam. Assim, formaram-se as ondas do mar. Pelo menos, era assim que Liz enxergava.
Eu sei, parece um mundo particular, e era. No mundo dela, tudo tinha uma conexão com Deus, a quem ela chamava carinhosamente de Pai.
Liz tinha boa aparência, muitos não a entendiam. Achavam que ela poderia estar fazendo outras coisas, usando sua beleza. Coisas normais, ir à festas, conhecer pessoas... Mas ela sempre preferiu a companhia de seu Pai ou de pessoas que estivessem no convívio Dele.
E alguns, por não a entenderem, ficavam imaginando coisas e inventando histórias sobre ela.
Ela ria da imaginação alheia. Nunca foi tirar satisfação com ninguém. Liz sabia bem quem ela era.

E naquele final de tarde ela estava lá, sozinha, numa praia onde não tinha mais ninguém, sentada na areia, pés descalços, olhos fixos no horizonte. 
De repente, alguém veio do mar. Não, não era fantasma ou nada assim! Era apenas um cara que estava surfando.
A praia é grande, mas o cara quis ir bem onde ela estava. De longe, educadamente, já a cumprimentou. Ela só levantou os olhos e deu um meio sorriso, pra não dar muita abertura pra conversa.
Ele passou por ela. Ela respirou aliviada, pois ninguém iria "perturba-la" naquele momento.
Ilusão. Ele só foi pegar uma toalha, uma maçã (porque estava com fome) e sentou-se ao lado dela.

- O mar estava incrível hoje._ ele disse.
- É. _Liz respondeu o olhando, sendo um pouco mais receptiva.  

Ele continuou o papo, contando várias histórias, e ela o ouvia.
Com o tempo, ela foi se desarmando, ria de algumas coisas. Ele parecia boa pessoa, mas algo a incomodava, a alertava.

- Você chegou, sentou-se aqui, veio conversando... Não me disse seu nome.
- Ah, desculpe. Gael, muito prazer.
- Liz.

Apertaram a mão um do outro. Apesar de ter sido um simples aperto de mão, Liz sentiu todo seu corpo se movimentar por dentro. E ele também. Mas não falaram nada. 
Essas coisas estranhas que acontecem são ainda mais estranhas quando tentamos explicar. Não se explicaram, mas sentiram. 
[O que não cabe em nosso entendimento desperta "certa desconfiança" ou desconforto. Mas quem foi que disse que tudo cabe dentro da caixa premeditada? 
Sinceramente, descobrir e aceitar o que foge de nosso controle pode ser um desafio mas, muitas vezes, é um desafio recompensador.]
Enfim, apesar de toda estranheza de ambos, algo dentro deles foi conectado.

Ficaram lá até tarde da noite. Às vezes conversando com palavras, outras com o silêncio.
No outro dia, tudo normal. Como se nada tivesse acontecido, Gael seguiu a vida.
Ele não se atentava aos acasos, preferia seguir seu planejamento habitual, conhecer pessoas que seguissem seus roteiros, que preenchessem seus pré-requisitos muito bem pensados para que não houvesse "falhas". 
Como se relacionamentos fossem empresas, como se não houvesse a beleza da vulnerabilidade, das diferenças... 
Mas Liz o entendia, ela sabia que algo o assustava. E gente assustada não enxerga as coisas com nitidez, tudo parece tenebroso, qualquer sombra vira monstro e o desconhecido vira uma ameaça. 

Depois desse dia, eles se viram ou se falaram algumas vezes no decorrer de alguns anos, mas sempre com um hiato de tempo para garantir a distância emocional que supostamente traria segurança.
Em pouco tempo de conversa ela percebeu toda rede de segurança que ele criava para não sofrer. Na verdade, ele era sensível, embora não quisesse ser. Ele era doce, embora parecesse áspero vez ou outra. 
Vez ou outra ele a feria sem saber mas parecia de propósito. Parecia que a feria pra aniquilar qualquer resquício de sentimento. Era estranho. [ A "Estranheza" sempre estava entre eles]
Era estranho porque com todos ele era amável, mas com ela era 'limitado'.
Ela sempre tentava o enxergar pela lente do Amor (falo do Amor Divino). Tentava justificar as ações "feias" feitas gratuitamente. 
Nos últimos dias, ao mesmo tempo em que as coisas pareciam melhorar  entre eles, pioraram.
E enquanto todos a queriam por perto, ele se esquivava. 
Enquanto todos a admiravam, ele parecia querer colocá-la pra baixo. E Liz vivia num mundo muito bom para se submeter ao mundo que ele estava naquele momento. Era muito bem tratada e cuidada para, de repente, aceitar ser "descuidada".
Ela sabia que Gael era um homem bom. Foi a essência dele que a encantou. Foi o "não dito"... Ela sabia da conexão que acontecera anos atrás e ela sabia que isso tinha nascido de Deus, mas já estava esgotada. 
Liz acreditava que um dia ele perceberia as grosserias cometidas. Acreditava. Agora não mais.
Como aquele ditado "água mole em pedra dura, tanto bate até que fura"
Sim, viveram dias lindos, dias que pra ela pareciam a eternidade. Breves momentos mas tão cheios de ternura que....
Mas agora...a pedra foi furada e dói. Dentro dela dói.
Todo amor e admiração que ela tinha por ele congelaram. [Não, não desapareceram, mas congelaram]
Liz nunca teve esse olhar por alguém. Esse olhar de NADA. Agora, toda estranheza que ela sentia voltou-se contra ela mesma. E ela se estranhava.
O fogo pode descongelar isso? Pode. Mas de onde viria esse fogo?
Um milagre? Talvez. 
Um milagre iniciou essa história, e um milagre poderia conclui-la como deveria ser, como estava escrita bem antes de acontecer.


Ela acreditava em milagres pois eles eram constantes em sua vida.







domingo, 22 de outubro de 2017

Jornada da Fé.

É tão maravilhoso, tão surpreendente quando, de repente, você SE PERCEBE alinhado com o Pai, e aquilo que você queria, você não quer mais. 
De repente, aquilo que tinha valor, não tem mais. E Deus, de forma natural, à medida que nos entregamos à ELE, vai nos contando Seus segredos, muda nossos valores. 
E como diz C.S.Lewis : "tudo que não é eterno, se torna eternamente inútil"

E em alguns pontos onde vocês "discutiam" (Deus e você), vocês não discutem mais porque se tornaram UM naquele aspecto. Vocês querem a mesma coisa! A natureza Dele passou a ser a sua. 
E à medida que vamos avançando com ELE, algumas coisas que fazíamos, pensávamos ou desejávamos não fazem mais parte de nós. Não porque aquelas coisas eram erradas, mas porque você cresceu e aquelas coisas não lhe servem mais. 
"Quando eu era menino, falava como menino, pensava como menino e raciocinava como menino. Quando me tornei homem, deixei para trás as coisas de menino." E quando nos tornamos homens (maduros), aí sim podemos reinar com o Pai. 
"Porque o filho imaturo de nada se difere do escravo." 

E esse é o desejo de Deus, que nos tornemos UM com ELE em todas as áreas de nossas vidas, em cada detalhe. 
Pra quê? Para que ELE se manifeste através de nós e para que possamos viver a plenitude que ELE tem para nós. 

"E não rogo somente por estes, mas também por aqueles que pela tua palavra hão de crer em mim; Para que todos sejam um, como tu, ó Pai, o és em mim, e eu em ti; que também eles sejam um em nós,..."_ João 17:20,21. 

Sabe, nossa jornada com Deus (no relacionamento com ELE) é sempre progressiva. Não dá pra ficarmos parados, no mesmo nível ou intensidade. Ele sempre nos levará a um lugar mais profundo Nele, de maior conhecimento e dependência Dele , afinal, "o justo vive por fé"
Se ainda estamos vivendo com as coisas sob nosso controle e construídas por nossas próprias mãos, ainda não chegamos ao objetivo do Pai. 

Nossas qualificações são bênçãos, mas elas não podem ser nosso sustento, entende?! O que conquistamos ajudou a nos construir, faz parte de nossa história, mas não pode ser nosso guia. 
A jornada de Fé é uma aventura e tanto, e qualquer um é chamado para ela! Inclusive você e eu! 
Essa jornada não exige currículos, cursos teológicos, graduações, títulos, histórico "santo"... Ela exige renúncia e coragem! Na verdade, coragem pra, muitas vezes, renunciar o que sabemos, e escolher o SABER de Deus. 

Se você está do mesmo jeito, ATENTE-SE, pode ser que você tenha saído do caminho. Sim, as mudanças vêm, e que bom por elas! O único imutável, que não precisa de mudar, é DEUS. Quanto a nos...prossigamos em conhece-Lo.

Beijos
Com Amor...

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

A liberdade é incompreensível para muitos.

Eu estava lendo Mateus 23 e...UAU! Como é forte! Como nos confronta, nos desperta. 
Sim, falo de nós (você e eu). 
Vou colocar um trechinho do que está escrito para ter uma ideia, mas depois leia todo o capítulo se lhe interessar. 
"Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas, porque percorrem terra e mar para fazer um convertido e, quando conseguem, vocês o tornam duas vezes mais filho do inferno do que vocês."_Mateus 23:15 

Os fariseus, naquela época, eram conhecedores da Palavra de Deus, sabiam manuseá-la, eram religiosos admiráveis (aos olhos de muitos) mas Jesus os confrontou. 
Todos nós temos resquícios desse farisaísmo em nós, mas alguns não percebem em si, somente nos outros. E ficam como aquela parábola do Fariseu e Publicano : "Ainda bem que não sou como esse pecador, publicano...."_dizia o fariseu. 

Sabe, é preciso Graça pra lidar com isso. Combater o farisaísmo sem agredir o fariseu. Embora, o fariseu (em nós) sinta-se ofendido de qualquer maneira por se achar muito apto para tudo. 
Sim, precisamos de graça, mas JAMAIS devemos entrar novamente sob jugo de escravidão, porque foi pra liberdade que Cristo nos libertou. 
[Por favor, entenda liberdade. Liberdade é não ser escravo de nada, nem de si, nem de desejos, ....enfim, isso é outro assunto]. 

Eles não entendiam Jesus, que era santo e livre. Pois a concepção deles de santidade ou devoção estava ligada à prisão. Viviam engaiolados dentro de regras, sob leis. Até a graça lhes parecia "comprável". 

É...que Deus nos revele a nós mesmos. 
Que possamos NOS enxergar e sermos realmente livres. 
E caso você já esteja voando, saiba, quem não sabe voar não consegue admirar seu voo. Quem vive preso, por não entender sua liberdade, transforma em defeito a sua virtude em saber voar. 
Mas não nos deixemos intimidar, oremos para que as correntes que prendem os que criticam sejam arrebentadas para que eles experimentem a leveza de uma vida guiada pelo Vento. 

Beijos 
Com Amor...

Desarme-se.

É muito interessante como lemos ou enxergamos as coisas de acordo com nosso pré-julgamento. Muitas vezes, interpretamos de acordo com o que somos ou como estamos (no inconsciente) e não de acordo com o outro que escreveu. 
E a maioria de nós faz isso sem perceber. 
Você fala A, a pessoa entende Z. 

O que me deixa mais triste é perceber que as pessoas sempre estão buscando o "algo a mais" que acham que está escondido na frase. Acham que profundidade de visão é deduzir o que não foi dito. 
A maioria de nós quer achar a falha no que foi dito ou escrito, ao invés de achar o acerto; quer deturpar ao invés de facilitar a comunicação e simplesmente entender o que foi escrito. 
Se alguém escreve "FOLHA", leia FOLHA, não deduza floresta (coisa boa) nem queimada (coisa ruim). 
Às vezes vejo algumas coisas nas páginas de notícias, por exemplo. A matéria diz que a água é importante, aí vem uma criatura e diz que ele não falou do SOL, pq o Sol também é importante. E começa-se uma discussão baseada em NADA. 

Cada dia mais eu entendo pq Jesus falava por parábolas com a multidão. Porque a clareza assusta e/ou torna-se ineficiente pra quem simplesmente não quer entender. 
É cansativo, desgastante demais ter que explicar tudo simplesmente porque nossa alma doente/ferida enxerga as coisas de forma distorcida, desconfiada. 
É desanimador ter que viver, conversar, escrever pisando em ovos só porque cada um entende o que quer. 
Vamos facilitar a vida (dos outros e a nossa)! 
E uma das formas de facilitar é apenas LER, OUVIR sem nenhuma pré-disposição para o ruim. Tentemos ver pelo ângulo bom. 
Eu busco fazer isso. Sempre que alguém faz alguma coisa que eu discordo, eu paro e penso "não, não deve ser isso. Fulano não pode ser tão ruim"
E quando não conseguirmos isso, se formos alvos de leituras equivocadas, a gente tem que entender que cada um entende as coisas do lugar em que vive (emocionalmente e espiritualmente)
Não tem como exigirmos uma visão ampla de alguém que está no pé do morro. Só quem escalou a montanha é que conseguirá enxergar além. 

Paciência é a palavra de sobrevivência pra nós, seja para sermos lidos ou para lermos. 
Vamos nos desarmar.

sábado, 7 de outubro de 2017

Sobre a "Arte" nos dias de hoje.

Diante do que que estamos vivendo e como perdura a discussão sobre a "Arte" apresentada no MAM (Museu de Artes Modernas de São Paulo) em sequência daquela lástima do Santander....vamos lá! 

[Antes de mais nada, não tenho objetivo de criar polêmicas ou criar discussões aqui, portanto, segure os dedos aí. Desde já, OBRIGADA. ]

Sou atriz por profissão e sou artista em suas mais variadas formas de expressão, e não me acho melhor que ninguém por isso. E como tal, me dou o direito de discordar completamente de alguns da classe artística, onde dizem que uma criança tocar um homem nu é arte. 
E não venha me falar que depende dos olhos de quem vê. Não, nesse caso não! Porque isso não é arte! Isso é ultraje, afronta! 

Vamos estudar um pouco?! 
Vocês já ouviram falar de DADAÍSMO? Pois é, foi um movimento que ocorreu em 1916. Eles faziam qualquer "merda" (com o perdão da palavra) e diziam que era arte. Aproveitavam a subjetividade da Arte pra tentar semear suas revoltas, apresentavam suas podridões internas e queriam "vendê-las" como belas. A intenção deles era afrontar as ideias consideradas "burguesas" ou tradicionais, não se importando com o que o público entendia. Eles queriam implantar a anarquia, e diziam isso ser "liberdade de expressão". 
Se fosse liberdade de expressão, não ficariam tão revoltados com as respostas negativas às suas supostas artes. 

Sim, a arte é pra comunicar, pra expressar o ser humano. Mas pera lá! Nem toda expressão ou comunicação é arte. Ou é? 
Se pensarmos assim, um psicopata que mata mulheres é artista. Afinal, ele está expressando sua alma. Um pedófilo que usa seus desejos obscuros pra tentar "embelezar" ou tornar aceitável sua doença é artista?! Já ouviram a frase "nem tudo que reluz é ouro". Então, não desmereça a arte. 

Não é porque faço parte da classe artística que sou obrigada a defender o indefensável. Mesma coisa de um político defender a roubalheira porque ele também é político. 
Acima das classes, das profissões, do que fazemos, está o SER, o que SOMOS. Antes de ser artista, sou GENTE, feita à imagem e semelhança do Criador e, sinceramente, dentro de mim não há nenhuma identificação com essa podridão disseminada. E espero que dentro de você também não! 

Ao que parece, estamos vivendo novamente a "Idade das Trevas" (me refiro a História). Mas enquanto ainda há algumas luzes entre nós...Que brilhem! 

Quem pode dizer o que é ou não arte? Bom, isso ninguém. Mas podemos, sim, dizer o que viola o básico das relações humanas. Não dá pra relativizar princípios vitais. 
E se sua "Arte" não é pra acrescentar, se é pra promover o caos, as trevas...desculpe, você não é artista, é um fanfarrão. 

Obrigada. De nada. 

Com todo amor do mundo...

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Não siga a procissão!

Não é porque algo se torna comum que deixa de ser um "desvio". 
Não é porque se tornou comum que passou a ser normal. As consequências são as mesmas. 
Não é porque 90% está doente que a doença se torna um padrão de normalidade. 
Não! Foquemos nos sãos! 
Nossa opinião por achar algo normal ou aceitável não retira a gravidade das coisas e nem anula as consequências. 
Tapar o Sol com a peneira não elimina os raios solares. 
Acordemos enquanto é tempo. 
Não usemos de nossas doenças emocionais como padrões.

Meu mundo ideal é uma dança a dois!

Depois de ver um vídeo de uma galera dançando, eu achei massa mas fiquei pensando : "poxa, é tão mais legal dançar a dois". 
E não estou falando de danças românticas nesse contexto de festa, amigos e tal. 
[Claro que se for com o namorado ou marido é mil vezes melhor!] 

Aí continuei minha divagação, eu e eu mesma...rs... 
Sempre fiz dança, de tudo um pouco. Aí quando cheguei na dança de salão me identifiquei ainda mais. 
Por quê? Porque a dança de salão não é simplesmente uma dança, tem todo um universo que a envolve e deve ser respeitado. 
Por exemplo: 

1-O homem é quem deve convidar a moça, e ao retira-la pra dançar, deve leva-la pelas mãos até o salão onde irão dançar. E ao término da dança leva-la de volta onde a buscou. 

*OBRIGADA, DEUS! COISA LINDA! 

[Isso mostra todo o cuidado do homem com a mulher, como DEVE SER! ] 

2- A condução dos passos é toda do homem. 
É claro que podem combinar previamente o que um mais gosta e tal. Mas se o cara não for um bom condutor, mesmo que seja um excelente dançarino, a dança não sai, ou se sai, não fica tão bonita nem agradável para a mulher, que fica perdida. 
E confesso que aqui, no início, eu tinha dificuldade quando eu sabia mais que o cara, tentava "ajudá-lo" (conduzindo). Mas depois aprendi a dançar conforme o "saber" do outro. Foi bom pra mim isso! 
E também, há caras que não sabem tanto, mas sabem conduzir, tem a mão firme pra direcionar e isso bastava (na dança!). Melhor "dois-pra-lá e dois-pra-cá" bem conduzido do que mil passos soltos, sem a mínima condução. 

[Isso remete a como tem que ser numa relação interpessoal para que haja harmonia: estando os dois de acordo, UM conduz. Imagine se um quer girar e o outro quer fazer cambré, não sai nem um passo nem o outro]. 

3-Você dança COM o outro, extremamente sincronizado e ligado. Se um erra, o outro erra junto. 
Não é uma dança PARA os outros, não é uma apresentação (mesmo que se trate de uma, no caso de dançarinos profissionais)


É isso, PRA MIM, a dança de salão representa MEU MUNDO ideal: homens e mulheres com seus direitos iguais, essências preservadas e cada qual em seu papel.


sábado, 30 de setembro de 2017

Uma BOA "loucura"!

Eu sempre tive essa mania de ter a cabeça no chão e os pés nas nuvens. 

Porque pra escolher andar por Fé tem que saber que a mente fica firmada (em Deus) e os pés seguem caminhos nunca feitos. 
Andar por fé é uma proposta baseada num relacionamento de CONFIANÇA, mesmo que a gente não entenda ou pareça loucura. 
"Porque a sabedoria de Deus é loucura para os homens". 

Mas é a melhor loucura que podemos escolher fazer!

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Não banalize a intimidade.

Ter intimidade com alguém não significa que podemos "colocar palavras na boca da pessoa". 
É a mesma coisa com Deus. 
Ter intimidade com ELE não nos dá o direito de dizer que "ELE falou algo" que contradiz Sua própria Palavra. 
Não usemos da "intimidade", ou do termo "revelação" para justificar nossas falhas de caráter ou doenças da alma. 
Muitos desentendimentos no mundo acontecem porque pessoas usam o nome de Deus sem conhecê-LO. Nem estou falando só das guerras, estou falando do nascimento de sofismas, mentiras "justificadas como santas". 
Deus continua sendo Deus, continua sendo Amor, continua sendo o Justo, continua soberano, continua sendo a Verdade. Ele JAMAIS fala algo que vai contra Seu próprio caráter. 
Fiquemos atentos com o que ouvimos. 
Como diz o apóstolo Paulo : "Examinai tudo. Retende o bem." _1 Tessalonicenses 5:21 

A HISTÓRIA JÁ FOI ESCRITA. LEIA. 
Vamos ler mais a Bíblia. 

Beijos 
Com e em Amor...

Viva na Luz.

Quem é você quando ninguém está olhando?
E se seu marido, esposa, pastor, namorado(a), amigo, sócio...sei lá...pedisse pra ter acesso às suas redes sociais? 
Seu 'whatsapp' , suas conversas ocultas (arquivadas), suas conversas por mensagem no Instagram, Facebook são dignas de confiança? Poderiam ser vistas pelos SEUS queridos? 

Não viva nas trevas. 
Quem vive nas trevas se torna escravo. Quem faz coisas em oculto passa a viver em função de "amarrar as tramas que fez escondido" e isso gera tensão, desencontro, confusão mental e emocional, pois cria-se um personagem, e não dá pra ser personagem e GENTE ao mesmo tempo. Uma hora as cortinas se abrem e o teatro é exposto. [Ainda bem!

O sistema desse mundo tem favorecido essa "dupla personalidade", entenda, esse mundo de máscaras. Criam até senhas, leis e frases bonitas como se estivessem preservando sua privacidade. Tudo que construímos, seja bom ou ruim, uma hora aparece. 
Mesmo que nosso discurso seja lindo, se a raiz for podre, a podridão vai se manifestar. 
Porque "as obras da carne são manifestas" (leia Gálatas 5)
Vá pra luz! Faça apenas aquilo que possa ser contado. Não estou falando que temos que expor nossas vidas, fazer dela um livro aberto. Não é isso! É apenas para vivermos na LUZ, porque mesmo que você faça algo escondido, esse algo dá frutos e é revelado. 
Existe uma grande diferença entre "ser discreto" e "fazer em oculto"
Viver na Luz nos traz leveza! 

Com Amor...

Não duvide do caráter de Deus.

Todos conhecemos a história de Adão e Eva em Gênesis, mas agora vamos trazer essa história pra nós, pra nosso cotidiano. 
Sabe qual a origem do problema de Eva? Ela desobedeceu ao que Deus falou e deu ouvidos à serpente, e com isso começou a negociar o que havia sido dito por Deus. 
 [Não vou entrar na questão de Adão que deveria ter cuidado de Eva, isso é outra pauta. A discussão aqui não é "de quem é a culpa "] 

Eva colocou em dúvida o caráter de Deus por causa do que seus olhos viram (o fruto era agradável aos olhos). E, colocando em dúvida o caráter de Deus, ela quis ser igual a Deus (o mesmo problema de Lúcifer, o anjo caído). E quis ser "senhora de si". 

Enfim, muitas vezes (no meu caso, TODOS OS DIAS) as circunstâncias ao nosso redor são como a serpente e tentam nos convencer de que "não é bem assim, como Deus disse". 
O mundo, nossa própria alma(emoções) nos momentos de aflição, pessoas, questionam o caráter de Deus e se não fecharmos a porta de comunicação com essas coisas, "a serpente" seja lá na figura de quê ela apareça, começa a semear dúvida e discórdia em nós, tentando abalar nossa Fé e, assim, nosso relacionamento com Deus. 
Se escolhermos esse caminho de lógica humana, movidos por aparências, "facilidades", ou por nossos "achismos", a queda é quase certa. São os frutos da carne. É inevitável. "Quem semeia na carne, colhe corrupção." Queda aqui não falo de fracasso aos olhos naturais, falo de um DESALINHAMENTO com a Vontade BOA, AGRADÁVEL e Perfeita do Pai. 

O que fazer então? Escolher sempre ficar com o que Deus diz, com algo que ELE te direcionou (e claro, sempre baseado na Palavra Dele). 
O povo não vai entender, afinal, "o fruto é tão bonito, parece tão gostoso,...por que não pegar? É bobagem! ". Enquanto que o que Deus diz parece ter todo um processo ainda pela frente. 
Decida crer. O processo faz parte, é por nós, pro nosso bem. 
Deus não precisa de processos, Deus é completo e perfeito. 
Acredite, mesmo que pareça estranho aos nossos olhos, o caminho de Deus é perfeito. 
Não coloquemos em dúvida o caráter e Amor do Pai que tanto fez e faz por nós. 

"Melhor obedecer do que sacrificar". 

Beijos 
Com Amor...

terça-feira, 19 de setembro de 2017

Não se ofenda com a luz, submeta-se a ela.

É impressionante como uma ação de humildade afronta os orgulhosos; como uma resposta em amor irrita aos carregados de fúria... 
É impressionante como os que vivem dentro da tempestade se incomodam quando decidimos não entrar na tempestade deles. 
É como se os humilhasse, sentem-se expostos em suas fraquezas e 'escuridões' internas. 

Na verdade, não é impressionante, é triste. 
Porque bom seria se todos saíssem da tempestade, e ao invés de medir forças e lutar por "estou certo"...simplesmente escolhessem o "lado bom da força".rs. 
Qual é o lado bom? A Cruz. † 
A vida de Deus se manifesta após a Cruz. 
Ou seja: Quando alguém agir assim com você de forma contrária a sua guerra, ao invés de jogar mais pedras, PARE e aprenda. Ouça. Acalme sua tempestade interna. 
Eu sei, muitas vezes, a luz do outro revela nossas trevas e isso nos constrange, expõe nossa nudez. 
Mas usemos isso para que haja crescimento, limpeza e transformação. 

Beijos 
Com Amor..

terça-feira, 12 de setembro de 2017

Cadê a realidade da vida real?

Antigamente a gente via ficção apenas na TV, cinema, teatro... Agora é venerada, buscada e aplaudida na vida real. 
Estranhamente, a vida real da maioria não tem mais muita coisa REAL.

sábado, 9 de setembro de 2017

Entre no Reino e desfrute.

Às vezes as pessoas não entendem algumas honras que recebo (eu e outras pessoas que conheço). Não entendem o porquê de tantos agrados de Deus. Ouço sempre que sou "queridinha de Deus". 
Ou alguns por não receberem honra, ainda tentam nos tirá-la. 

Mas entenda... " o herdeiro, enquanto menino, em nada difere de um escravo, embora seja senhor de tudo"_ Gálatas 4:1. 
Quando assumimos a posição de FILHOS de Deus MADUROS, passamos a desfrutar de algumas coisas (conquistadas por JESUS) naturalmente. 
Mérito? Não, Graça. 

[Porém, é bom sempre lembramos que a Graça existe porque antes existiu uma cruz. Ou seja, a graça jamais anulou a cruz. Pelo contrário, a cruz é o caminho para a Graça plena, consciente e madura.] 

Mas, vamos lá! Assim como desfrutamos, também temos nossas responsabilidades como FILHOS do Rei. 
Há a "lei da semeadura": o que plantamos, colhemos. Essa lei não falha. Newton - o físico e matemático- chamaria de sua "terceira lei": a Lei da Ação e Reação. É praticamente a mesma coisa mas em palavras diferentes. 
Mas que tipo de semeadura é necessária? Ora, depende do tipo de colheita que queremos. 
Bom, como filho maduro que ama seu Pai: 
-"Aquele que me ama obedece meus mandamentos". 
-"O filho faz o que vê o Pai fazendo". 
O que o Pai faz? Ama pessoas, cuida de pessoas, honra, se preocupa com o outro, busca o Reino de Deus e Sua justiça primeiramente ... Tudo isso é semeadura, quando feitas de coração. (porque Deus vê o coração, a intenção). 

Queridos, eu quero muito que todos usufruam da mesa do Rei, mas só usufrui da mesa quem se assenta com ELE. Entende? 
Quando nos colocamos inseridos no Reino, o Reino nos serve em amor. 
É uma questão de SER PARTE DO CORPO. Se você é uma mão mas não está ligada ao corpo (e aqui falo muito mais do que instituições ), se não está ligado nas direções do Cabeça (Cristo), acaba não desfrutando de tudo que os outros "órgãos" têm. Somos complementares. 

Lembre-se: Deus nos ama de forma individual, mas ELE age pelo coletivo. O propósito é para que TODOS CHEGUEM AO PLENO CONHECIMENTO DA VERDADE. TODOS. 

Quer desfrutar do Reino em sua plenitude? Submeta-se ao Rei, entre no palácio. A porta está aberta, é só entrar. 

Submeter ao Rei está incluída a CRUZ. É, muitas vezes, negar uma vontade nossa que não condiz com o Pai, ser amável ao invés de ser cheio de si e de justiça própria, honrar pai e mãe (na prática e não apenas com discursos), enfim...

Beijos 
Com Amor...

sexta-feira, 8 de setembro de 2017

Ah, nossas boas obras...

Como está nosso comportamento? Como estão nossos atos de justiça? Estamos aptos para julgar ou condenar? Somos aptos para sermos salvos por nós mesmos? 
Lamento te decepcionar, mas a Palavra de Deus diz que "nossos atos de justiça são como trapos de imundice" .

"Somos nós mais excelentes? De maneira nenhuma, pois já dantes demonstramos que, tanto judeus como gregos, todos estão debaixo do pecado; Como está escrito:Não há um justo, nem um sequer."_ Romanos 3:9,10 

Claro, não estou anulando comportamentos exemplares, aliás, como o apóstolo Paulo (o mesmo que escreveu a frase acima) disse: "sede meus imitadores como eu sou de Cristo". 
E aí, podemos dizer o mesmo? 

A grande questão é que nosso comportamento deve ser reflexo da fé em Cristo, reflexo de nossa crença Nele que traz transformação em nós. E não para nos vangloriarmos em nossas próprias obras. 
Veja a história do publicano e o fariseu: 
"Dois homens subiram ao templo, para orar; um, fariseu, e o outro, publicano. O fariseu, estando em pé, orava consigo desta maneira: Ó Deus, graças te dou porque não sou como os demais homens, roubadores, injustos e adúlteros; nem ainda como este publicano. Jejuo duas vezes na semana, e dou os dízimos de tudo quanto possuo. O publicano, porém, estando em pé, de longe, nem ainda queria levantar os olhos ao céu, mas batia no peito, dizendo: Ó Deus, tem misericórdia de mim, pecador! Digo-vos que este desceu justificado para sua casa, e não aquele; porque qualquer que a si mesmo se exalta será humilhado, e qualquer que a si mesmo se humilha será exaltado." Lucas 18:10-14 

O comportamento é fruto (consequência) e não origem, entende?! 

Ou seja, amados, sejamos, sim, representantes de Deus (semelhantes a Jesus), porque o "filho faz o que vê o Pai fazer". E também "Porque a ardente expectação da criatura espera a manifestação dos filhos de Deus."_Romanos 8:19 
O mundo aguarda ansiosamente a manifestação dos FILHOS. 

MAS lembrando sempre que somos justos porque fomos justificados pelo Sangue de Jesus. Nossas boas obras - por mais incríveis que sejam, por mais aplausos que tenham - jamais nos salvariam. 

"Porque pela graça sois salvos, por meio da fé; e isto não vem de vós, é dom de Deus."_Ef 2:8 

Manifestemos o Pai. Sejamos semelhantes ao Filho. E lembremos sempre que isso não nos torna juízes ou não nos dá o poder de salvar-nos, isso revela nossa salvação por meio da Fé em Cristo. 

Beijos 
Com Amor...

quinta-feira, 31 de agosto de 2017

Transforme a preocupação em adoração.

"Transforme sua preocupação em adoração e assista Deus transformar suas batalhas em bençãos". 

É bemmm verdade que a adoração ao Senhor "desmotiva" as batalhas, sejam elas internas ou externas. 
O Inimigo - seja ele qual for- fica sem meios de nos tocar, sem estratégias. 
Adoração entroniza Deus em nosso coração, ao invés de colocarmos os problemas no foco. 
Ele é o Senhor dos Exércitos! 
Por isso, às vezes, a forma mais agressiva de lutar é adorar. 

Na Bíblia vemos vários relatos onde, nos momentos de guerra, os "levitas" (adoradores) iam à frente.
Davi, o homem segundo o coração de Deus, venceu todas as batalhas (exceto uma). O segredo? Era um adorador atento às instruções do Pai (Deus). 
Quando o povo estava guerreando, Moises já estava cansado, mas se ele abaixasse as mãos (parasse de adorar), o povo perdia. Por isso, Arão e Ur sustentaram as mãos dele para que não perdessem a guerra. 
Adoração não tem a ver com a circunstância que estamos vivendo, tem a ver com nosso coração diante do Rei (Jesus); tem a ver com a confiança e conhecimento de Quem Ele é. 

E não, Ele nãoooo precisa de nosso adoração. Nós é que somos fortalecidos quando reconhecemos Quem Ele é. 
Adoração nos leva à um novo entendimento de Fé, e nesse entendimento, descobrimos quem somos em Deus. E descobrimos que "se Deus é por nós, QUEM SERÁ CONTRA NÓS?"

quarta-feira, 30 de agosto de 2017

A Cruz é necessária.

Não tem mistério nem atalho, pra manifestar Deus nesse mundo tem que "matar o ego". 
Não adianta ter muito conhecimento sobre Deus, filosofia, teologia.... A manifestação Dele através de nós se dá depois da Cruz. 
A Vida Dele se manifesta depois da "morte", entende?! 
Não sou eu quem está dizendo. Está escrito, Jesus disse "quem QUISER ser meu discípulo, (1)negue-se a si mesmo, (2)tome a tua cruz e (3)siga -me". 
Há um processo. Etapas. 
E tudo isso vai contra os "ensinamentos da vida moderna" onde dizem "se não te faz feliz, abandone". "Se não te faz bem..." 

O problema é que essas frase são rasas. Um remédio pode ser amargo (não é agradável), mas te cura.
Um confronto quando se está no caminho errado não te faz feliz, mas te liberta! 
A "psicologia" de Jesus é firmada no Amor Perfeito (Deus). 
Jesus diz: te deram um tapa? Dê a outra face. 

MASSSSSSSS só fazemos isso quando temos consciência de QUEM somos em Deus, e de que somos profundamente AMADOS. Porque quando sabemos quem somos, um tapa pode até doer, mas não altera nossa personalidade, não tira nosso eixo. 
E a "cruz" por mais que pareça dolorida, o objetivo é válido, é REALMENTE PARA O NOSSO BEM. É para NOS libertar, curar, nos fazer crescer e nos tornarmos filhos maduros. 
Porque só os filhos maduros "gerenciam" a herança do Pai. 
"O filho criança de nada se difere do escravo". 
Jesus não pede a cruz por Ele, é por amor a nós, é pro nosso bem, é para o nosso amadurecimento. 
A Cruz não é por ELE. Foi por você e por mim. E nossa "cruz diária" também é por nós. Por amor à nós. 

Enfim... 

Que possamos manifestar Cristo muito além de discursos... 

Beijos 
Com Amor

quinta-feira, 24 de agosto de 2017

Qual é o seu propósito?

De vez em quando algumas pessoas me questionam sobre algumas escolhas que fiz. Sobre o porquê de negar pedidos de casamento ou "o emprego dos sonhos de muitos". 
Tem UM motivo: eu sei do meu propósito. =) 

Quando a gente sabe de nosso propósito, é inevitável dizer não e/ou "selecionar" os caminhos e até pessoas que CAMINHAM junto com a gente. 
 Não é acepção de pessoas. É lógica! Não tem como andar junto com alguém que vai pro SUL se você vai pro NORTE. 
Não existe essa de "deixo a vida me levar". 

Descubra seu propósito. E para isso, saiba quem você é. 
Deus criou a cada um de nós com um propósito único de agregar à sociedade e expressá-LO de alguma forma. 
Qual é a sua forma? Ninguém nasce sem propósito. 
Conheça QUEM te criou (Deus) e se conheça. 
Quais suas habilidades, seus dons,...? O que flui naturalmente de você? Canalize isso ao PAI. 
Enraíze-se em Deus. Porque toda "árvore" plantada Nele, NO DEVIDO TEMPO, dá o seu fruto. 

Beijos 
Com Amor...

quarta-feira, 23 de agosto de 2017

A estranheza e beleza da transição.

É bonito esse encontro do fim e do começo, mas é estranho porque não é tão nítido. 
É tipo pôr-do-Sol, a luz é incrível, o momento é mágico mas a gente não enxerga com tanta clareza. 
Há um mistério que se instala. 
Pareço solta na órbita. Girando, girando... 
Mas sempre girando em torno do Sol (Aquele que é o Sol da Justiça). 
As perguntas não cessam. 
As respostas não aparecem. 
Mas é mudança de estação, de ciclo. 
É tipo aquele momento de transformação da água líquida pro estado sólido (gelo). É aquele momento que ainda não é líquido mas também não é sólido. 
Há de se respeitar o tempo e acalmar a alma. 
E pra isso, é necessário ter o espírito fortalecido e guiado pelo Pai. 
Porque no final das contas, o período de transição é apenas uma expressão máxima da verdade de que "o justo viverá por fé".

domingo, 13 de agosto de 2017

Não há pontos desconexos.

Cada decisão nossa reflete em muita gente. 
Toda escolha individual tem consequências no coletivo. 
Nosso "sim" para uma direção de Deus, vai alcançar muita gente. Assim como nosso "não" (nossa desobediência) pode ferir muita gente. 
Acredite! Não há pontos desconexos. Não existem pessoas "soltas". 
Por isso, quando for tomar uma decisão peça sabedoria e direção a Deus. Não olhe pra você apenas. 
Você e eu fazemos parte de UM TODO. 
Não se paute no que vê AGORA. Não se paute no que é aparentemente agradável ou confortável. 
A morte de Jesus não foi algo confortável, mas foi necessária para que houvesse salvação para nós.
Ele precisava morrer para que a gente ressuscitasse com ELE. 
Da mesma forma, às vezes, precisamos "morrer" (matar EGO, orgulho, desejos contrários ao que Deus diz...), para que a vida Dele seja ativada e expressada em nós. 
Paute-se Naquele que é perfeito, imutável e eterno: Deus (o Cristo).

sábado, 12 de agosto de 2017

Quem quer abençoar, simplesmente abençoa.

Quem quer abençoar, simplesmente abençoa. Não coloca condições, como "a pessoa tem que ser grata, fazer algo para merecer, ..."
Esse pensamento para abençoar/ajudar alguém é completamente mesquinho, baseado em "troca, barganha" e distante do que Jesus ensina.
Quando as pessoas chegavam para pedir cura pra Jesus, por exemplo, Ele não condicionava a nada. Ele jamais disse: "se você for santo, agir assim ou assado..., se você voltar pra me agradecer". Não!!!!
Quando havia uma multidão com fome, Jesus não perguntou "quem andava corretamente, quem trabalhava, quem era santo, ou qualquer coisa".
Porque Jesus fazia puramente PELO outro (por amor) e não para ser reconhecido, porque ELE sabia quem era e não precisava de reconhecimento alheio. 
A única coisa que precisava era ter Fé. Ele disse : "seja feito conforme sua Fé". 
E "a Fé atua pelo Amor".
O Amor deve ser a origem e destino de nossas ações. Sempre. 
Porque Deus é Amor, e ELE é o Alfa e o Ômega, o princípio e o fim. 
Quando entramos nesse caminhar, a vida passa a ter o ritmo e sentido pelo que fomos criados. 

Obs: Se ser reconhecido ainda é sua motivação para fazer algo, repense, talvez precise saber de sua verdadeira identidade em Deus. Você já é amado. Lembre-se disso. Plenamente amado.
Quem quer abençoar, abençoa porque sabe que é já é uma benção pelo que JESUS fez.
"Sê tu uma benção".


Obs2: o que falei não tem nada a ver com comunismo, socialismo ou qualquer coisa assim. "Digno é o trabalhador de seu salário". Não é uma questão de alimentar mentalidades doentes, é expressar o amor. E Amor cuida, exorta, e deixa o outro livre, não faz de ninguém seu dependente.

sexta-feira, 4 de agosto de 2017

Era tão óbvio! E o óbvio parecia tão assustador...


Clara faz jus ao seu nome, busca clareza sempre.
Nem sempre consegue, mas tenta. Tenta com o máximo de suas forças.
Se enfrenta.
E por causa disso, as pessoas acham-na forte.
Sim, até é, mas mal sabem de quantas vezes ela chora em secreto.
É imperfeita, mas leve. Enxerga a vida com simplicidade. É cheia de perguntas, mas não se preocupa tanto com as respostas. Não quer ter razão, quer ver o coração. Não busca lógica e, por isso, lida muito bem com os "de repentes" da vida.

Certo dia ela conheceu Gabriel. Tem nome de anjo, celestial, mas usa uma armadura terrena demais. Era dotado de conhecimento, disciplina, lógica. Sim, são virtudes, mas virtudes que não podem ser chão de ninguém. Muito menos de alguém com um nome tão pronto pra voar, com tanto potencial pra ir além!
Diferente de Clara, com tanta racionalidade tinha dificuldade com os "de repentes". Porque não podem ser explicados, não seguem roteiros...
Fala em tom menor, mais grave, sem modulações. Absolutamente controlado.
[Não, autocontrole não é domínio próprio. Ele controla emoções. E todo controle é resultado de inseguranças. ]

E Clara, em sua simplicidade profunda, o enxergava por detrás de tudo aquilo.
E ela repetia pra si, parecendo tentar se convencer: "ele é doce e gentil; ele não é egoísta ou indiferente....Eu sei que não é. Ele é artista, e artista não pode ser tão calculista assim... "

Nas pausas entre frases, no silêncio dele...em alguns poucos momentos, ela o enxergava por entre as brechas da máscara. [Porque as máscaras que usamos sempre têm buracos por onde escapam as verdades. ]Só precisamos olhar para o outro com amor e gentileza. Olhar demoradamente pra dentro do outro.

Eles eram tão parecidos e tão diferentes. Na verdade, a essência era parecida, mas a forma de expressar era diferente, porque Gabriel não expressava muito. 
E com isso, Clara, que sempre foi clara, já não o era com ele. Não sentia-se segura pra demonstrar afeições pois Gabriel era inconstante no "querer".
E com o "de repente" Clara sabia lidar, já com as inconstâncias.... 
Aí, logo ela que era tão verdadeira, começou a usar máscara pra tentar esconder suas afeições por ele, mesmo achando isso ridículo e tendo que fazer um esforço danado pra se manter "fria"!

Sim, ele conversava, expressava-se verbalmente contando coisas, mas era um verbal sem vulnerabilidade, sem acessibilidade. E nesse contexto impessoal, Clara não sabia falar. Porque ela não gosta do raso, e profundidades só são expressadas de forma pessoal, onde há cumplicidade, quase uma aliança de confiança e aceitação. 
E nesse desencontro de profundidades, parecia complicado estabelecer algo entre eles apesar do desejo de ambos.
É como se ambos estivesse no mar, mas enquanto Clara mergulhava, Gabriel surfava sobre as ondas.
Enquanto que, dentro da água, Clara não ouvia nada além do coração, não tinha controle sobre nada e nadava sem um caminho traçado; Gabriel com todo o seu controle, não tirava os pés "do chão" e podia ouvir vários "sons ambiente".

Mas um dia eles se deram conta de que ambos estavam no MAR. Ambos eram movidos pelas águas (Deus). Tinham apenas visões diferentes e bastava um pegar na mão do outro para que andassem juntos. Afinal, o ambiente era o mesmo. Bastava a disposição em mergulharem juntos e/ou "surfarem" juntos.
Não era tão difícil assim. Era só abandonarem o medo do novo. Era só Gabriel largar a armadura, e Clara se desfazer da máscara.
Eles se gostavam. Vez ou outra o corpo dele o traía e a puxava pra mais perto, e Clara facilmente correspondia.
A comunicação corporal gritava, mas tinham receio de verbalizar. Parecia forte demais pra ter que dar um nome pra aquilo tudo.
Ainda mais porque os dois já sabiam que Deus os queria juntos. 

Clara já tinha exposto toda a situação e esperava por uma iniciativa dele. Porque ela era mulher de princípios conservadores e achava que o homem que deveria dar o primeiro passo.
Finalmente, Gabriel despertou por dentro. O gelo da alma se derreteu e ele foi ao encontro dela.
Ele já sabia que teria o SIM dela, e acho que era isso que o assustava tanto...
Se uniram como Deus queria há tempos. O amor floresceu rapidamente. Afinal, ele já existia, era só uma questão de manifestá-lo.
O relacionamento deles fluía com tanta naturalidade!
Era tão óbvio! E o óbvio parecia tão assustador...

O simples, às vezes, nos deixa sem reação. E essa falta de reação nos faz perder tempo.
Mas, graças a Deus, o Amor resgata o tempo e o eterniza.



quinta-feira, 3 de agosto de 2017

Nem todo "sim" abre portas...

Nem todo "sim" abre portas, assim como nem todo "não" as fecha. 
Há "concordâncias" que destroem, e "discordâncias" que ajustam. 
É preciso discernimento e visão completa. Atente-se. 
E quando não temos visão completa (o que geralmente acontece...rs), DEUS tem; aí é preciso confiança no Amor e Cuidado Dele por nós. 

Pedro, o discípulo de Jesus, ao pensar na morte de Jesus, tentou impedi-lo, porque ele tinha a visão limitada, apenas daquele momento. E Jesus vira pra ele e fala: "Para trás de mim, Satanás, que me serves de escândalo; porque não compreendes as coisas que são de Deus, mas só as que são dos homens."_ Mateus 16:23 
Enquanto isso Jesus, sabia do TODO, tinha visão completa e total confiança no Amor de seu Pai. 
A exortação de Jesus para Pedro não foi um "não", foi um alinhamento de pensamentos. Era necessário. 
Não desista. Não confie em seus próprios sentidos. Não se firme no que vê ou ouve. 
"Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento." Provérbios 3:5 
 Peça a Deus a visão que ELE tem. 
"E, se algum de vós tem falta de sabedoria, peça-a a Deus, que a todos dá liberalmente,"_ Tiago 1:5. 

Beijos 
Com Amor...

terça-feira, 1 de agosto de 2017

Enquanto dorme...

"...aos seus amados Ele dá enquanto dormem."_Salmos 127:2 

Isso NÃO fala de passividade ou preguiça. Isso fala de DESCANSO na soberania do Pai, confiança no Amor Dele. 
Isso fala de tirarmos os problemas do centro de nosso coração.
Ter o problema como ponto principal de nossos pensamentos, suga nossa energia, maltrata a alma, enfraquece o espírito. 
Mas não só os problemas! É importante tirarmos os sonhos e promessas do nosso altar particular e descansar. 
No Altar de nossas vidas só cabe UM. 
Os sonhos, as promessas de Deus são maravilhosas! Mas o sonho de Deus não pode ser maior que o Deus do sonho. 
A promessa de Deus não pode ter mais tempo que o Deus da promessa. 

[E não é porque ELE precisa de nosso tempo ou adoração, afinal, ELE é Deus e não precisa de nada. Mas nós precisamos, funcionamos melhor quando estamos ligados a ELE e todas as coisas estão nos seus devidos lugares] 

Sim, caminhamos rumo ao Alvo, não ficaremos na inércia, mas "alcançar o alvo" é com ELE.
Jogamos a pedra, mas acertar a cabeça de Golias é "tarefa" Dele. 
"Buscai primeiro o Reino dos Céus e Sua Justiça e as demais coisas vos serão acrescentadas"

Ele dar enquanto dormimos diz sobre não ser por esforço próprio ou mérito. 
Quando dormimos não temos controle sobre nada, nem sobre o que sonhamos. E nesse momento de total entrega a Ele, recebemos. 

Tenham uma semana de DESCANSO... 
Beijos 
Com Amor...

domingo, 30 de julho de 2017

É um estilo de vida.

Vocês conhecem a história das "muralhas de Jericó" (Josué 6) , ne? 
 Primeiro Deus falou : "Entreguei na tua mão" (já foi feito), depois ELE fala pro povo rodear a cidade por 6 dias e no sétimo dia dar 7 voltas. 
ELE entregou, mas o povo teve que fazer o que ELE falou e perseverar até o último dia para que "concretizasse" o que ELE disse. 
 [Tipo, o dinheiro tá na conta, mas você tem que ir lá sacar..rs] 

Já imaginou percorrer por 6 dias as muralhas (é grandeeee, gente!) , não ver NADA acontecendo e ainda assim continuar?! Já pensou como o povo estava se sentindo? 
Alguns devem ter se cansado, questionado, mas ainda assim, ESCOLHERAM PERMANECER CRENDO. 
Então no sétimo dia, ao final de tudo, as muralhas caíram!!!! UFA! 
O tempo é completo, exato. O caminho determinado precisa ser cumprido, não tem jeito. 

Maria teve que esperar nove meses para que o Filho prometido nascesse. E depois teve que continuar crendo até que Jesus se manifestasse como filho de Deus, até que os frutos aparecessem. 
Sim, ela já tinha visto o milagre do nascimento, mas e depois?! Já parou pra pensar no depois?! 

Fico pensando o quanto é interessante a forma de Deus agir! Foge de nossas regras, de nossa lógica, é totalmente firmada na Fé (na decisão de CRER). Ele não segue tutorias, ou caminhos humanos. 
Ele não mandou o povo ir abrindo brechas nos muros (o que seria mais lógico para que 'enfraquecesse' o muro e ele caísse). 
E em todo o percurso de Jesus também foi assim, ELE criava novos caminhos. 
Às vezes ELE pode mandar fazer algo simples, outras vezes algo inusitado. Ele pode te mandar jogar a rede e pescar, assim como fez com Pedro e os discípulos. Ou Ele pode te orientar a rodear a cidade. 
A grande questão é OUVI-LO, OBEDECÊ-LO e PERMANECER CRENDO. Porque Deus é BOM em todo o tempo (TODO TEMPO!), e a SUA Palavra não volta vazia. 

E como é um caminho de Fé, exige um CAMINHAR de Fé. Nosso "agir segundo o que ELE diz" deve ser contínuo até que...Até que aconteça ou ELE dê novas direções! 
Nosso "CRER" exige um POSICIONAMENTO. 

Não estou falando de uma filosofia, é um estilo de vida. 

Beijos 
Com Amor...

terça-feira, 25 de julho de 2017

Meu mundo de "serás".

Às vezes me acho estranha, muito estranha.
Fico pensando: será que sou eu ou é o mundo?
Será que 'essa' intimidade (física e emocional) é rotineira para as pessoas? 
As pessoas são assim com qualquer um(a) e, na verdade, eu é que sou reservada demais?
Será que dá pra ter intimidade sem envolvimento? 
Será que eu é que sou leal e fiel demais? Mas aí questiono novamente: há excesso para lealdade?
Será que tudo pode mesmo ser justificado pela relativização?  Será que não há parâmetros?

De repente, meu mundo se enche de "serás"
Pareço ser um ponto de exclamação (!) cercado de interrogações (?).
Me sinto certeira num mundo de reticências, parênteses abertos, onde se relativiza tudo. E sendo assim, tudo é absolvido, não há culpados, são todos inocentes reféns de si.
Não, não quero condenar ninguém. Pelo contrário. Quero libertar.
Mas só há libertação se enxergarem-se presos.

Não, também não sou a única livre. Tenho minhas limitações.
Mas só sei que as tenho porque no meu mundo há valores (esquecido por muitos), no meu mundo há UM norte, um parâmetro: Cristo.
E ELE jamais usou de sua santidade, seu poder, seu amor, seu entendimento para justificar comportamentos equivocados. Aliás, Ele nunca precisou justificar nada. Foi homem e perfeito.
Eu sei, perfeitos não somos. Mas podemos melhorar, crescer, avançar sempre.
Mas só avançamos se pararmos de relativizar, justificar, e passarmos a reconhecer nossas falhas e MUDARMOS.
O apego ao orgulho, ao "meu jeito" não ajuda.
Nosso jeito, nossa singularidade é respeitada, mas seremos melhores se formos alinhados ao Pai (Deus).
Aumentemos nossa comunhão com o Pai, porque "o filho faz o que vê o Pai fazendo".
Veja-O.








segunda-feira, 24 de julho de 2017

Se as estações estão mudando, agradeça.

De vez em quando minha alma se cansa (de mim mesma e dos outros). 
De vez em quando as pessoas e suas reações contraditórias me assustam. 
A incoerência me atormenta. Porque uma coisa que sempre busquei foi ser coerente. 
Eu sei, ninguém tem poder sobre nós. 
Eu também sei que cada um é de um jeito, e respeito isso. Mas não quer dizer que saber das diferenças me torne insensível à elas. 
Mas aí, depois de alguns minutos de reflexão, tiro os olhos de mim (ainda bem!) e olho para o Autor e Consumador da Fé. Olho pra Aquele que é o Alfa e o Ômega, o Princípio e o Fim. E me lembro que quando estamos firmados Nele, somos "como árvores plantadas junto a ribeiros de águas e NO DEVIDO TEMPO dá o seu fruto"
 Não dá pra adiantar as estações, mas podemos manter as folhagens alimentadas (assim não murcham), e ainda podemos cumprir as estações. 
Não, nem todo mundo muda de estação. Um galho seco, sem raiz, não cumpre propósitos, o tempo ou estação não faz diferença. 
Então, se ainda vivemos as estações já é um bom motivo para agradecermos. 
Independente de ser primavera, verão, outono ou inverno, agradeça. Você ainda está conectado.
Apenas cuidemos da raiz. Firmemos em Cristo, que é a manifestação VIVA da Palavra. 
Há um percurso para que se cumpra o que foi "escrito" desde o princípio. 
Porque "a palavra não volta vazia, ...prosperará naquilo a que foi enviada"
O tempo não é determinado pela árvore (você e eu), mas por Aquele que rege os mares, por Aquele que habita fora do tempo. 

Pense nisso.

quinta-feira, 6 de julho de 2017

O propósito é sempre coletivo.

Quando Deus nos dá uma palavra (direção), nos chama para algo, nos dá um propósito, esse propósito sempre envolve outras pessoas. Nunca será um propósito egoísta. 
Sim, ele respeita e ama nossa singularidade mas o propósito é para o coletivo. 
Foi assim com Abraão, chamado para alargar as fronteiras, "sair de sua parentela" mas levando sua esposa (família-base), e o resultado da promessa: ser Pai de nações. 
Foi assim com Noé, que teve uma palavra de Deus e construiu a arca para ele e sua família. 
Foi assim com José (do Egito), levantado pra governar PARA servir um povo, inclusive sua família. Foi assim com Maria, escolhida para gerar Jesus PARA servir-nos. 
Foi assim com Jesus! Sim, com Deus que se fez homem PARA salvar a humanidade. 

Sempre, sempre, sempre será assim. Nossos dons, nossos propósitos, nossos sonhos são presentes pra nós e, claro, para servir outros. 
Jamais pense que Deus daria um propósito de forma egoísta, para alimentar seu ego ou qualquer coisa mesquinha assim. 
Deus é grande, Ele pensa grande. Os pensamentos Dele são muito mais altos que os nossos. 
Sim, corra atrás de seus sonhos, e quando alcançá-los, sirva as pessoas. 

Beijos 
Com Amor...

sábado, 24 de junho de 2017

Há perdas que viram sementes de vitória.

Sabe, podemos nos tornar muito mais nobres depois de algumas "derrotas, perdas". 
[Está entre aspas porque toda perda traz consigo um ensinamento, logo deixa de ser perda]. 

Quando vejo minhas cicatrizes de "guerra", e percebo que ainda assim estou viva, isso me traz uma sensação de vitória, mesmo que aparentemente eu tenha perdido. Entende? A batalha não me venceu! Permaneço viva, prossegui! Isso não é maravilhoso? Meu coração não esfriou. Não me tornei uma pessoa mais dura, embora mais resistente. Essa é a grande vitória! 
Imagine só que derrota seria vencer uma batalha e ter um coração indiferente, arrogante, autossuficiente? 
Há vitórias que nos esfriam e derrotas que nos ressuscitam. 
Use a circunstância que for em seu favor. 
Desafie-se a amar mais, crer mais...se aproximar mais de Deus (Jesus). 

Abraão "creu contra a esperança". Escolheu crer mais, desapegar-se de fatores externos (e até internos: sua própria alma, emoções) e se tornou o "pai da Fé"

E mais uma vez entro no que venho falando: observe, entenda os processos, discirna os tempos...GOVERNE. 

Beijos 
Com Amor...

Pare e olhe sem pressa.

Olhe. Pare e olhe de novo. 
Demore-se no olhar. Isso é contemplação. 
Observe os processos por detrás de cada coisa. 
Faça isso diante da natureza, há muito o que aprender com ela. 

É isso que costumo fazer com pessoas também: olhar além. 
Quando alguém age de uma forma que eu não esperava, procuro não condena-la dentro de mim. 
Tento enxergar qual foi o caminho que ela percorreu pra chegar a agir daquela forma. 
Não estou falando pra justificar erros, apenas pra olhar com mais leveza e profundidade. 

Quando alguém age com "certa frieza", às vezes percebo quanto receio ele(a) tem de ser visto, enxergado, desvendado...Quanto receio tem de ser amado (ainda que esse seja seu maior desejo)! 
Às vezes percebo que todo aquele distanciamento que é visto como grosseria por mim, é uma forma "sensata" pra ele, naquele momento. Sim, NAQUELE MOMENTO, pois as coisas mudam (graças a Deus!). 
E é bom acompanharmos as mudanças dentro de nós. 
Por um período o mais sensato a se fazer é manter-se distante (pois o processo de cura interna está no início). Mas depois, pra a nova fase que estamos passando, outro tipo de postura é necessária. 

"Quando eu era menino, falava como menino, sentia como menino, discorria como menino, mas, logo que cheguei a ser homem, acabei com as coisas de menino." 

Aceite sua transformação e a transformação do outro (se for pra melhor, claro). 
Estimule-se sempre a ir contra o tempo. Pare e observe o outro. 
Mas observe com a lente do amor. 
Não se apresse em "matar" pessoas dentro de si. Seu coração não é cemitério pra guardar gente morta. 
Não nos apressemos em condena-las dentro de nós. Nosso coração precisa estar livre de condenações para ser leve, ser livre! 

Beijos 
Com Amor...

sexta-feira, 23 de junho de 2017

Sonhos que unem.

Era um dia normal, Guto deitou-se para dormir no mesmo horário de sempre.
Adormeceu e sonhou com ela. Justo com ela, que o intrigava tanto, que despertava um mix de coisas boas e ao mesmo tempo, essas coisas boas lembravam alguém do passado, e essas coisas do passado despertavam algo ruim nele. Parece confuso? Bom, isso é o que chamamos de "trauma". 
Mas, apesar de toda inteligência e capacidade dele, isso habitava em seu inconsciente. Mas Deus trouxe à tona no sonho, explicou o caminho. Detalhou o passado que o atormentava e o futuro planejado por Ele.
No sonho, eles estavam em casa ( na casa deles), ela estava radiante, pele bronzeada, cabelos mais claros, vestido branco. Ele entrou no quarto e eles beijaram-se, tocaram-se, usufruíram de toda a intimidade que um casamento proporciona. 
Depois, quando eles saíam do quarto, ele já a via de outro jeito, um jeito que remetia a seu passado.

Guto acordou e ficou pensando no sonho. Ela não era nada dele, nem namorada! Que sonho "do nada" foi esse?
Mas no seu espírito ele sabia que Deus havia lhe falado algo. Ele entendeu o porquê a via diferente depois de sair do quarto; ele entendeu que ele fazia uma associação... "Freud explica". Ele entendeu que era um lugar de alma dele. Mas e a parte do quarto?

Na "dúvida" ligou pra Clara e contou do sonho. Ela ficou sem reação. Estática. 
Sim, ela ficou feliz, pois há um ano ela já sabia de tudo isso. Mas ele demorou tanto que ela teve medo de demonstrar felicidade e ele desaparecer...
- E aí, o que você entende desse sonho?
- Como assim? É um sonho tão óbvio? Você não entendeu? Bom, se não entendeu, não sou eu quem vai lhe falar.

Ele que sempre foi mais frio, estranhou a frieza dela (que nunca tinha sido fria).
E ficaram assim, cada um pro seu lado. 


Meses depois, pra ser mais precisa 3 dias atrás, foi a vez de Clara sonhar novamente com ele. Sim, novamente, pois ela já tinha sonhado outras vezes.
No sonho dela, ela estava dentro de um ônibus e não sabia onde descer, mas o motorista que era super amável e a conhecia muito bem, sempre a avisava. Ele fez isso duas vezes, até que na terceira vez, o ônibus para e Guto entra. Ele estava normal, bem, parecia feliz. Ela o cumprimentou de longe, ele veio abraça-la e no abraço ele finalmente ficou vulnerável, desarmado. Chorou. Ela não disse nada, apenas o deitou em seu colo e ficou cantando enquanto passava a mão nos cabelos dele.
De repente, ele "surtou", levantou rapidamente, falando "não, isso é coisa de sua religião".
Ela ficou sem entender, apenas orava. E acordou assim, assustada, orando por ele.

Dessa vez Clara não contou o sonho à ele. Mas entendeu.
Era uma nova roupagem do sonho dele. Existia um lugar "no espírito" onde ele a aceitava, mas sua alma ainda machucada, se assustava e a rejeitava.
Eram duas reações distintas que ele tinha, duas visões diferentes da mesma pessoa. Mas não era Clara que mudava, era o lugar de onde ele via. Se ele saísse da Fé, suas emoções o traíam e ele não usufruía do que era dele.

Clara refletia se deveria contar o sonho à Guto ou não . Ela temia que ele não entendesse.
Dizia pra si: "bom,  Deus já nos uniu, nos deu sonhos óbvios... Ele é um cara inteligente e que busca direção de Deus. Não posso fazer mais nada,..."

E orou : Pai, não aguento mais. Mas que seja feita a Tua Vontade.


quarta-feira, 21 de junho de 2017

Conecte-se.

De vez em quando converso com algumas pessoas, e elas dizem sentir-se "perdidas", "sem rumo", não sabem o que fazer da vida; a vida parece "inútil", um mero entretenimento. 
Acredite, ninguém está nesse mundo à toa. Você não está, nem eu. 
Então pra quê estamos aqui? 

"O Espírito do Senhor está sobre mim porque o Senhor ungiu-me para levar boas notícias aos pobres. Enviou-me para cuidar dos que estão com o coração quebrantado, anunciar liberdade aos cativos e libertação das trevas aos prisioneiros, para proclamar o ano da bondade do Senhor [...]; para consolar todos os que andam tristes,..."_Isaías 61:1,2 

Sim, esse versículo diz respeito a você e a mim também! 
Se cremos que o Espírito de Deus está em nós, tudo muda. 
Ele transforma-nos e então transformamos outros. Ele nos cura e, então, levamos cura aos outros. Ele nos liberta e então levamos libertação aos outros. Perceba no versículo que ELE nos ungiu PARA. Nos ungiu PARA o outro. E depois, no Novo Testamento, Jesus nos deixa apenas DOIS mandamentos: AMAR A DEUS sobre todas as coisas e ao próximo. 
Percebe? Estão ligados, os mandamentos e nossa "função". 
Quando nos ligamos ao Pai, nos ligamos aos filhos. 

Aí alguém diz: "ah, mas eu sou quem está precisando de boas novas". 
Ok. Sem problemas. Eu tenho uma pra você. Jesus disse : "vinde a Mim todos vós que estais cansados e sobrecarregados e EU vos aliviarei"
Vá para Ele, inicie um relacionamento livre com Ele. Sem formalidades, sem medos, ... Exponha-se para ELE. 
Nascemos para estarmos conectados com ELE. É como um celular que se não conectar-se com a fonte de energia...simplesmente não funciona, vira mera decoração. 
Agora, se você já o conhece, inicie o processo: dê boas novas aos outros, cuide dos que estão com o coração quebrantado, anuncie libertação,... Saia um pouco de si. Não fique ensimesmado, girando em torno de si. Você vai ver, quando colocamos essas coisas em prática (o amor ao próximo e a Deus), nossa vida passa a ter sentido, a alegria nos enche, nos fortalece... 
E você não precisa de cargos, títulos religiosos ou qualquer coisa não! Só precisa se encher Dele e então de você jorrará água viva! 
Exerça isso em qualquer lugar! Sem microfones, sem câmeras, sem "glórias". 

Você pode SER um "iPhone de última geração", se não estiver conectado (se não tiver bateria), é vazio, é só um status. 

Beijos 
Com Amor..

terça-feira, 20 de junho de 2017

Quando você descobre seu propósito, você entende seu caminho.

Desde pequena me identificava com Davi (aquele da Bíblia). E aos poucos fui entendendo o porquê.
Eu sempre fui "queridinha" pelos líderes, professores, pastores, diretores (trabalho), ... E, sabe por quê? Nunca "puxei saco". Simplesmente amava-os, respeitava-os, como fazia com todos os outros. Assim fui ensinada por Deus e meus pais.
Deus sempre me fez ser "achada com graça diante dos olhos deles", mesmo eu não fazendo nada pra isso. Nunca quis ser o centro das atenções (daquelas que faz macaquices..rs), mas acabava sendo, justamente por isso. Mas eu ignorava essa questão. O tal do ego inflado não me atiçava.

Na escola, eu era aquela menina que as pessoas gostavam, que tinha acesso à todas as tribos, mas andava com aqueles "desacreditados", aqueles que as pessoas não davam bola, achavam "problemáticos". Eu sempre encontrava doçura por detrás daquelas cascas.
Mas eu sei, era Deus me formando.
Na igreja, a mesma coisa. Me lembro quando uma amiga de infância ficou grávida (inesperadamente) na adolescência, após cometer erros "condenáveis" pela maioria. Minha primeira reação foi ir até ela na igreja (nessa época estávamos em igrejas diferentes) e amá-la como ela era, não pelo que fazia ou deixava de fazer. Falei: "eu te amo do mesmo jeito. Estou ao seu lado".
E eu sabia que essa minha atitude influenciaria os demais. Por quê? Porque, lembra, Deus me deu graça diante dos líderes.
E assim eu agi minha vida toda, na "Caverna de Adulão" (referência a vida de Davi, Bíblia). Eu nunca estava naqueles lugares onde a maioria estava. 
Enquanto ninguém via, eu estava ali, cuidando e amando pessoas. Sem alardes, sem palcos.
Meu pai diz que meu gosto por pessoas é "exótico", rsrsrs, eu gosto dos "maluquinhos". Mas na verdade, gosto dos DE VERDADE. Enfim, isso é um outro assunto.
Então, chega uma hora que a gente sai da Caverna e tudo aquilo que foi construído em anos se torna público, visível. E as pessoas comentam :"nossa, como você mudou".
Mas não, você não mudou. Tiveram as mudanças naturais, claro, mas não como as pessoas imaginam. 
O que aconteceu é que aquele prédio todo que eu estava construindo saiu do alicerce, passou do térreo e começou a ganhar andares, porque eu não parei de construir independente da circunstância.
Enquanto eu matava leões e ursos, ninguém via. Enquanto eu adorava sozinha ao Pai (Deus) ninguém via, e nem precisa ver. Mas chega uma hora que Deus move e te leva para novos lugares, lugares mais altos. Porque "ninguém acende uma candeia e a coloca debaixo de uma vasilha. Pelo contrário, coloca-a no lugar apropriado, e assim ilumina a todos os que estão na casa._ Mateus 5:15 
E muita gente estranha, pois não sabia de nada do que acontecia, e você aparece sendo uma "cidade edificada".
E "não se pode esconder uma cidade edificada sobre um monte"_Mateus 5:14.

Deus faz isso para que: "Assim brilhe a luz de vocês diante dos homens, para que vejam as suas boas obras e glorifiquem ao Pai de vocês, que está nos céus"_Mateus 5:16. 
Tudo é sobre ELE, por ELE e para Ele.

Enfim, por que estou contando tudo isso? 
Conto pra te dizer que Deus nos mostra pessoas na Bíblia (ou alguém que lhe cause identificação), às vezes, pra nos revelar nosso caminho. Esteja atento pelo que seu coração pulsa.
Quando você descobre seu propósito, você entende seu caminho, e os questionamentos diminuem.