Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

sábado, 2 de abril de 2016

Faz sentido o sentir de Liz.



Era impressionante a capacidade que Liz tinha de apagar "desfeitas" e se apegar ao mínimo detalhe de carinho ou virtude que ela enxergava em alguém.
Meses de desinteresse se desfaziam através de um simples olhar um pouco mais profundo trocado com ele por 10 segundos.
E toda a indiferença de tempos era quebrada por risadas trocadas em UMA única madrugada.
E aquela decepção toda que ela sentiu ao ver-se sendo parte dos galanteios dele? Ahhhh....isso virava nada diante das boas lembranças que ela guardava.
E os "descasos" dele por não atender uma ligação dela (mesmo sabendo que ela sempre o atendera)? Ué, ela sentia dó por vê-lo agir assim.
Às vezes não sei se essa coisa que ela faz é boa... Isso de apagar as dores.
Mas ela dizia : - Ah, é preciso separar o pecado do pecador, entende?
- Não, não entendo._ disse sua amiga que assistiu toda história.
- Oras, separar a atitude do autor. Às vezes o cara é boa pessoa, mas teve atitudes ruins. Aí, a gente perdoa a atitude, sendo assim, a essência da pessoa dentro da gente permanece intacta. Afinal, a gente também tem atitudes ruins e...você não se considera uma boa pessoa?
- É, faz sentido. Pensar assim fica até mais fácil perdoar. E perdoando fica mais leve viver.
- Então! Se a gente não consegue mudar determinadas atitudes, se a gente não consegue entender,...que a gente mude nossa forma de enxergar!
-É, seu modo de sentir faz sentido._ concluiu sua amiga.

Nenhum comentário:

Postar um comentário