Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

terça-feira, 26 de abril de 2016

Arrisca?

Vou ME usar pra ilustrar. Ok. Vamos lá! 
Embora eu seja atriz na profissão, minha espontaneidade grita na "vida real".  Às vezes até consigo me conter, mas se a pessoa souber ler a alma e olhar nos meus olhos... me pega "no pulo" em 10 segundos! Principalmente quando o assunto vem de dentro, vem do coração.
Dizem que não sei mentir. Ainda bem! E também nunca quis aprender. Acho feio e baixo.
Vocês sabem, gosto da transparência de alma, da exposição do sentimento, do SIM e do NÃO (mais do SIM do que do "não", confesso). Mas aí, chega uma hora na vida que pra sobreviver e não ganhar o troféu de "trouxa do ano" - DE NOVO, diga-se de passagem - a gente aprende a OMITIR. Afinal, não vai adiantar falar. [Aiiii que péssimo, nunca me imaginei dizendo isso. Mas calma, minha gente, é só hoje. Amanhã a exposição de meu coração continua. Ah, a entrada é gratuita, mas a aproximação é protegida.] 
Um cara - não sei como - conseguiu alcançar meus pensamentos. Sim, meus pensamentos!  Sabe aquela pessoa que, de repente, você se percebe pensando nela? Imaginando mil conversas, mil coisas que você queria dizer, fazendo roteiros e mais roteiros dentro de sua cabeça... Então! Quando alguém atinge esse estágio fica complicado disfarçar. Se está nos pensamentos com tanta frequência é porque o coração foi atingido. 
E, embora poucos confessem, isso dá um "medinho". Parece que o outro se torna essencial. E a gente se sente "meio refém" daquilo tudo. Porque a presença do outro se torna quase vital, e a falta dói. E ninguém quer sentir dor, né?! Alguns por sentirem-se assim, logo dão um jeito de se afastar, e matar qualquer resquício daquela sensação.  Estranho, né?! Estão matando o amor! O sentimento que inspira música, filme, arte, ...que inspira a vida e é tão desejado acaba sendo sufocado porque não sabem o que fazer. Afinal, de certa forma, o amor nos tira do centro, e a direção da vida passa a ser compartilhada. E a maioria é egoísta demais pra isso. Querem controlar tudo. [claro, tudo isso acontece de uma forma que a gente não percebe, lááá no inconsciente ]
Bom, eu prefiro ir administrando isso, embora não seja a saída mais fácil. 
Se o cara admitisse (no caso de ele sentir o mesmo que eu), eu me jogaria lá de cima. Já fiz isso e me "estabaquei" no chão. Mas não faz mal, me jogaria de novo, e de novo, e de novo...uma hora aprendo a voar.
O que acontece, meu povo, é que o vôo do amor acontece em dupla. Se um não pula, não dá...
Como do 'lado de lá' não sei o que se passa... Na verdade, acredito que NADA PASSA. Ele é meio pedra, meio racional demais...daqueles que planeja até se vai se permitir amar ou não. Se ele achar que não é uma boa ideia, aborta o sentimento sem dó nem piedade.
Enfim, como não sei "qual é a dele" fui desafiada a me tornar colega. SIM, colega. Amiga eu sei ser, mas colega??????? É muita distância pra quem quer estar perto! Um dos meus maiores desafios é dizer "tchau" quando queria dizer "fica". Ser extremamente formal, quase técnica, enquanto queria falar um monte de coisas, contar a vida, compartilhar...
Chamá-lo pelo nome ao invés de qualquer outra palavra carinhosa (que brota naturalmente na boca)... Falar "você escreve bem" quando na verdade queria dizer "você é foda". Desviar o olhar num encontro com amigos quando na verdade queria estar deitada no peito dele e olhando cada detalhe. Controlar uma conversa, medir, amarrar a espontaneidade, ...Uau! Como isso é surreal e dolorido!
Como as pessoas conseguem viver assim? Por que a gente se presta a isso? Você já pensou na possibilidade de o outro lado estar exatamente do mesmo jeito? Você já pensou se o cara também está esperando um sinal mais seguro para que ele possa se entregar?
E aí, quem vai ceder primeiro? Quem vai se render? Quem vai arriscar?
Mas e se o outro não corresponder? Ué, amor dado não é desperdiçado. Uma hora esse amor volta. Talvez de uma outra pessoa...
Aí é estarmos abertos para nos arriscarmos mais uma vez.
A vida é assim: ou arrisca ou ela te risca, e você se torna apenas mais um sobrevivente, mais um "morto-vivo" que perambula por aí sem usufruir da coisa mais linda que Deus criou, o Amor.


domingo, 24 de abril de 2016

Conheça-O.

¶ Nem todo o que me diz: Senhor, Senhor! entrará no reino dos céus, mas aquele que faz a vontade de meu Pai, que está nos céus. _Mateus 7:21. 

É importante, muito importante conhecermos o Pai, conhecermos Jesus. E isso só é possível na intimidade. Porque há muitos que falam de Deus, muitos que pregam sobre Ele mas nada têm com ELE. 
Se eu falar de vc - vc mesmo que está lendo - significa que te conheço? Não. Claro que não. Posso inventar coisas (aliás é o que os de mente pequena fazem). 
E o mesmo acontece sobre as coisas do Pai. Há muitos líderes religiosos que pregam um deus absurdo. Tenhamos cuidado. 
"A intimidade do Senhor é com aqueles que o temem;"_Salmos 25:14 

Há uma certa "moda" de falar de Deus pois isso passa a imagem de sermos BOAS pessoas. Mas não é assim. 
Primeiro porque BOM é ELE. "Toda boa dádiva e todo dom perfeito vem do Pai". Somos todos carentes da graça Dele. 
E outra coisa, nem todos que falam "bonito" ou com "frases de efeito" falam da parte de Deus. 
Aliás, o Amor de Deus é tão grande que ELE nos alerta, nos confronta, nos leva ao crescimento. Nem sempre o que Ele nos diz nos agrada. 
Ele não quer alimentar nosso Ego, ELE quer que a gente descanse Nele e para descansarmos Nele nosso ego precisa estar submetido a Ele. Um ego inflado não deixa espaço para que ELE seja Deus em nossas vidas. 
Busquemos a intimidade TODOS OS DIAS porque o alimento de hoje não serve pra amanhã. 
Aliás, isso serve também para quem admiramos ou ouvimos. O fato de alguém ter tido intimidade com Deus um dia não significa que ele continua sendo voz de Deus. Há muitos que se perdem. 

Cuide de seu relacionamento com Deus pois é esse que te dará sustento nos dias maus. E os dias maus sempre chegam pra todos. 
Crie raízes profundas para que nos momentos de sequidão você continue exalando a vida do Pai e sendo alimentado por Ele. 
Não crie artifícios (a rosa ungida, lenço, sal grosso, pimenta...sei lá o quê), pretextos para se achegar a Deus. 
Busque-O AGORA. Não amanhã. Não daqui a pouco. Fale com ELE agora. 
Não dependa de "terceiros", ainda que terceiros sejam usados por ELE pra nos alimentar. Mas crie seu próprio relacionamento. Ele te espera de braços abertos, do jeito que você está, do jeito que você é. 

Como ter intimidade? Converse com Jesus, creia Nele, leia a Palavra Dele. 


Beijos 
Com Amor... 

Obs: tentei falar de muita coisa em pouco espaço, não sei se ficou compreensível o suficiente. Qq coisa, grite! 🙌

quarta-feira, 20 de abril de 2016

Tenho que te dizer uma coisa.

Eu sei que está acostumado a ouvir "você vai vencer, vai chegar lá...e tal". 
Mas não... Nós JÁ chegamos, já vencemos. Não está no futuro. Já foi feito. 
Quando Jesus - o Cristo- , depois de vencer todas as coisas, disse "está consumado", ELE garantiu nossa vitória. 
É meio estranho isso, ne?! Mas e o que temos que fazer? Por que não temos visto os efeitos dessa vitória já conquistada então? 

1- Vamos entender que vitória não tem a ver apenas com coisas materiais, embora Deus queira que não tenhamos falta de nada. Há pessoas RICAS mas mal sucedidas. Há pessoas com sonhos realizados mas coração vazio. Vitória tem a ver com nosso crescimento por dentro, com nossa conquista da alma (nosso espírito guiado pelo Espírito Santo tendo domínio sobre nossa alma-emoções), com nossa consciência de quem somos em Deus. 

2-Tem nos faltado Fé, fé NELE. A incredulidade, o sistema desse mundo (onde é preciso comprar ou merecer) está enraizado em nossas mentes. É preciso uma transformação diária. É uma luta entre nossa razão doente que inventa meios de justificar (e que quer merecer) e a vitória que Cristo nos deu GRATUITAMENTE (sem campanhas, novenas, artifícios, misticismos, ...). A obra da Cruz, que inclui a Salvação, é pela graça "mediante a fé" Nele. 

3-Confie. Se sua vida está nas mãos Dele. (não confunda com o "destino". O destino não tem responsabilidade nenhuma). Mas se nossa vida está nas mãos do Pai, confiemos. Podemos não entender, mas ELE sabe o que faz. Acredite. Você já venceu. 

Viva debaixo dessa palavra! Sua vida já deu certo! Se está tudo muito pesado pode ser um sintoma de que temos tentado carregar o mundo. 
 Vez ou outra me sinto assim, pesada, sobrecarregada...Aí recorro ao Pai de Amor e recoloco minha vida nos eixos, nas Mãos Dele. 

"Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós." _1 Pedro 5:7. 
"Vinde a Mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e Eu vos aliviarei." _Mateus 11:28 

Obs: o fato de ELE já ter feito todas as coisas não significa que temos que ser passivos. A fé é ativa. O mar vai se abrir, mas precisamos pisar sobre as águas. 
Lembremos: não é futuro, é presente. É Presente! É de graça! 

Beijos 
Com Amor... 
Boa semana.

segunda-feira, 18 de abril de 2016

Saia dessa armadilha!

Não deixemos que discordâncias políticas azedem nosso dia, amarguem nosso coração. 
Coração amargo só gera morte. 
Essa armadilha do mundo pra roubar nossa pureza e nossa fé é antigaaaaaa! 
Fique atento! 
Segure a vontade de julgar alguém por sua opção política. Eu sei, é difícil. Eu também acho!!! 
MAS, a maioria erra querendo acertar, a maioria erra por ignorância - com raras exceções. 

"Sobre tudo que se deve guardar, guarde o teu coração porque dele procedem as fontes de vida". 

Não estou pedindo pra justificarmos más atitudes, agressões...Essas não justificam. Sempre temos a escolha! 
Estou apenas NOS alertando (me incluo) para o que tanto "pregamos" nas redes sociais : "mais amor, por favor". 
O amor anda junto com o perdão. E essa é a hora de praticá-lo. 
Amar o que é igual a nós é fácil, mas eu acredito no seu potencial, acredito que podemos conseguir praticar o que dizemos. 
E por que acredito? Porque Deus habita em nós, e é por causa da natureza DELE morando em nós que isso é possível. 

Beijos 
Com Amor...

sábado, 16 de abril de 2016

Ah que sorte!



Apenas por sentir-se viva, ela já estava feliz.
Saber que seu coração não havia endurecido como ela temia, como aconteceu com muitos, lhe bastava para aliviar a dor.
Porque só sente dor quem está vivo.
E estar vivo já era uma dádiva!

Mas doía.
Era inevitável.
E no meio da alegria por sentir-se humana, ela chorava por ser.
Talvez a alegria e gratidão fossem apenas um jeito de tentar arrancar alguma coisa
boa daquela situação . Ela sempre fazia isso.
Por mais escura que fosse a noite, ela encontrava beleza.

Foi um caso. Agora puro descaso.
É, que chato, o príncipe virou sapo!
E sapo não pode morar mais no coração da gente.
Sapo é frio, não é gente. E o coração precisa continuar quente.

E assim os dias iam passando.
E a tristeza ia se esgotando pelas lágrimas.
E a alegria, que era uma constante, ia se tornando mais forte.
Ah que sorte!

quinta-feira, 14 de abril de 2016

Sobre o Amor e a Cruz.

Se nosso intelecto ou qualquer outra coisa se sobressair ao amor, é porque a Cruz (a obra de Jesus) foi esquecida em algum momento .
Pois quando o Amor reina é sinal de que nossa carne também foi pra cruz.
O Amor e a Cruz (de Cristo e a nossa) andam juntos.


Ame o outro na falha dele também.

Os anos vão passando e lemos muito, ouvimos muito, aprendemos muita teoria sobre viver de forma saudável, sobre amar a Deus e ao próximo. 
 Nosso discurso é perfeito, mas e quando chega a hora de praticar? Como tem sido nossas ações?? Você ama apenas quando concorda? Então seu "amor" é falso e narciso. 
NA verdade, você SE AMA, você ama o que é igual a você no outro. 
Se nosso amor existe apenas quando está confortável, lamento, mas isso não é amor. 
A gente ama verdadeiramente quando o outro nos confronta com a verdade, ou nos afronta por ser diferente do que achamos que ele deveria ser. 
Há uma condição para que você ame alguém? Uau! Então você ainda não sabe o que é amor. 

Respeitemos a singularidade do outro. 
Cada um age de um jeito, cada um tem uma reação, cada um tem uma história. Não desprezemos isso. 
Saiamos do pedestal imaginário que temos criado pra nós mesmos. Há um só DEUS e um só mediador (Cristo). 
"Há apenas um Legislador e Juiz (Deus), aquele que pode salvar e destruir. Mas quem é você para julgar o seu próximo?" _Tiago 4:12 

No mais, somos iguais. O que nos difere são nossas escolhas. 
E independente das escolhas dos outros, precisamos EXERCER o amor. 
Não sejamos como crianças mimadas! 
Ame o outro na falta dele. Você não precisa concordar pra amar. Não estamos falando de negócios onde é preciso um acordo. Estamos falando de VIDAS. 
Vamos parar de julgar os outros (e condená-los) porque isso tá feio. 

Beijos 
Com Amor...

Eu gosto mesmo é do Céu!

Paga-se um preço por ser autêntica.
Mas quer saber?!
O preço por não ser é muito mais alto!
Para ilustrar melhor... Paga-se um preço por ser livre. É caro!
Mas o custo de ficar na gaiola é muito mais caro!

Há quem goste de gaiolas. Eu gosto mesmo é do céu.

terça-feira, 12 de abril de 2016

O problema não é do lado de fora.

Aí a gente lê as notícias sobre política : "Fulano de tal partido roubou nisso, beltrano de tal partido fraudou..."
E o povo fica "numa" de defender partido como se fizesse alguma diferença...tsc tsc tsc...

O problema, meu povo, não é o partido; é o inteiro!
É a mentalidade apodrecida - onde tudo é normal- que está generalizada.
E essa mentalidade só é renovada em Deus. Inclusive a minha e a sua mentalidade!

Aí vem uma criatura e diz "ah mas o Cunha diz que é evangélico"!
Esse é o problema. É disso que tô falando.
É muito "dizer" pra pouca vida!
Nos partidos temos ideologias sem nenhuma prática.
Nas religiões temos muito discurso sem nenhuma vida.

Sobre a política, independente do partido, se infringiu a lei tem que ser preso, punido. Essa é a lei dos homens, não é?!
Sobre a "religião", saia dela e entre num relacionamento com Cristo!
Só há transformação de vida quando convivemos com ELE. Nada adianta saber sobre Ele.
É relacionamento, e não regras. E a partir desse RELACIONAMENTO, inclusive a política pode mudar.

Beijos
Com Amor...

terça-feira, 5 de abril de 2016

Do lado de fora agora.



Te condenei dentro de mim. Escancarei seus defeitos pra minha própria alma [para os outros, jamais! Sei bem de seu valor!]
Justifiquei de todas as formas pra ver se doía menos.
Eu sei, é feio fazer isso, mas era necessário.
Não se pode viver dentro de alguém assim, ocupando o "cômodo" principal sem nem mesmo fazer as "honras da casa".
Eu precisava tirá-lo dali. Aliás, como foi parar lá?
Como diria Selton Mello num filme: "não sei, só sei que foi assim".
Isso é invasão de domicílio! E se você não sabe, invasão é ilegal.
Talvez, se você cuidasse da terra (no caso, meu coração), eu poderia deixa-lo lá e com o tempo a própria lei estaria do seu lado. É a lei do "usucapião". Resumindo a lei: "ficou tanto tempo e cuidou, que se tornou o dono". 
Mas, você não quis ser o dono. Queria apenas alugar... E aqui, meu caro, não há espaço para esse tipo de negócio.
Aliás, nem o cômodo tinha aqui dentro!  Foi você quem o construiu ? Ou será que fui eu sem perceber?
Bom, na dúvida, o melhor que eu podia fazer era 'desconstruir'. 
Não você. Apenas o lugar em que você habitava dentro de mim, o lugar que você morou tão rapidamente. Por isso, a frieza, racionalidade com que eu tentava o enxergar... Era pra desconstruir o lugar que você morava dentro de mim. Me perdoe por isso. Doeu mais em mim, acredite.
Mas você continua sendo olhado com carinho por mim. Continuo vendo suas virtudes, torcendo por você, orando por você, querendo participar, porque eu sou assim gosto de mãos dadas, olhos em contato, gosto de expandir o amor...e agora faço essas coisas sem que perceba.
Hoje, com você do lado de fora, fico ME observando e penso: será que a falta era real? Será que a dor  da rejeição era por gostar de você ou era por gostar de mim mesma? 
Entenda. 
Será que chorei por paixão, amor ou por 'ego ferido'?
Talvez a mistura deles. Por isso a decepção e a raiva. 
A decepção vem do sentimento. A raiva vem do ego.
Quanto ao ego, é bom que ele coloque-se no lugar dele.
Quanto ao sentimento...Apesar dos pesares, foi bom.
Hoje só agradeço pela estadia, pelo tempo que morou aqui dentro. Era gostoso ter esse lugar ocupado. Mas vá com Deus e volte se quiser morar; e se ainda estiver espaço aqui. 
Caso não volte, estará em minhas preces mesmo de longe.

Oooh "diferentão" !

Por puro orgulho, vaidade e egos não tratados, muitas vezes não reconhecemos nossa tolice e escolhas erradas.
Para não parecermos estúpidos, agimos com estupidez.
É aquele velho dilema do "parecer" e "ser"...
Quando precisamos provar, é porque não somos.
Escolheu errado? Conserte, oras! Todo mundo erra, ohhhh diferentão!

sábado, 2 de abril de 2016

Faz sentido o sentir de Liz.



Era impressionante a capacidade que Liz tinha de apagar "desfeitas" e se apegar ao mínimo detalhe de carinho ou virtude que ela enxergava em alguém.
Meses de desinteresse se desfaziam através de um simples olhar um pouco mais profundo trocado com ele por 10 segundos.
E toda a indiferença de tempos era quebrada por risadas trocadas em UMA única madrugada.
E aquela decepção toda que ela sentiu ao ver-se sendo parte dos galanteios dele? Ahhhh....isso virava nada diante das boas lembranças que ela guardava.
E os "descasos" dele por não atender uma ligação dela (mesmo sabendo que ela sempre o atendera)? Ué, ela sentia dó por vê-lo agir assim.
Às vezes não sei se essa coisa que ela faz é boa... Isso de apagar as dores.
Mas ela dizia : - Ah, é preciso separar o pecado do pecador, entende?
- Não, não entendo._ disse sua amiga que assistiu toda história.
- Oras, separar a atitude do autor. Às vezes o cara é boa pessoa, mas teve atitudes ruins. Aí, a gente perdoa a atitude, sendo assim, a essência da pessoa dentro da gente permanece intacta. Afinal, a gente também tem atitudes ruins e...você não se considera uma boa pessoa?
- É, faz sentido. Pensar assim fica até mais fácil perdoar. E perdoando fica mais leve viver.
- Então! Se a gente não consegue mudar determinadas atitudes, se a gente não consegue entender,...que a gente mude nossa forma de enxergar!
-É, seu modo de sentir faz sentido._ concluiu sua amiga.

sexta-feira, 1 de abril de 2016

Poderia ter sido melhor!



Depois de anos adormecida, um homem conseguiu despertar o coração de Liz.
O nome dele era Guto.
Ele era um homem muito cativante, inteligente e seguro.
Bom, nesse momento terei que explicar melhor.
É que a segurança dele era um pouco limitada, ou melhor dizendo, condicionada. Era seguro até que achasse uma mulher que não o "idolatrasse". Sim, como era um cara cheio de virtudes, era muito acostumado a ser admirado. E Liz, ao contrário da maioria, não se deslumbrava. Sim, ela o admirava, mas gostava mais da conversa franca, transparente, HUMANA... e isso o deixou sem saber o que fazer. Ela enxergava os defeitos dele, mas isso não mudava nada pra ela. Afinal, era a "humanidade" do outro que a encantava.
Mas pra ele isso soou um pouco estranho.
Não era uma insegurança com relação a dinheiro ou status, pelo contrário, isso o agradava muito (sucesso pra ele era definido por cursos e dinheiro).
Era simples perceber o limite da segurança dele, bastava observar as mulheres com quem ele se relacionou. Geralmente, mulheres intelectualmente e emocionalmente "menores". Entenda.
Ele gostava de mulheres 'relativamente inteligentes' e até bonitinhas, mas nada que se sobressaísse a ele.
Isso pra Liz era "bobeira", ela não era nem um pouco competitiva. Talvez porque ela admire o SER e não o "ter". E quando "se é", os títulos, as competições, o "ser melhor que o outro" (outro título, ne), ...essas coisas não fazem a mínima diferença.
Ok. Dadas as devidas explicações, prossigamos com a história.
Guto despertou Liz. Algo no coração dele chamou a atenção dela.
E coração, a gente percebe nos detalhes, no subtexto, nas entrelinhas, nos bastidores... no espontâneo.
Mas despertou e foi embora. [Acontece, acontece...]
Tempos depois eles se reencontraram. Ela estava ansiosa pra saber como seria aquilo.
Liz tinha falado dele para uma colega, pois a colega precisava de informações que ele poderia dar, poderia ajudar e tal.  E nesse reencontro, entre tantas pessoas, a colega também estava.
"Que surpresa! Eles nem se conheciam! Por que ela estava lá?" _pensou ela.
Liz não soube como agir.
"Será que eles estavam se aproximando (ele e a menina)?
Melhor eu ficar na minha", pensou Liz.
E nisso, ela amarrou sua naturalidade com ele.
Como foi difícil aquela noite! Ela tinha mil coisas pra contar, dizer, mas não podia agir espontaneamente. E isso pra ela era uma tortura! Liz não sabia ser outra pessoa além dela mesma!
Ao ver toda aquela situação, uma amiga de Liz disse: "ignore-o. Deixe-o ir..."
Mas Liz não conseguia tratar ninguém com indiferença, muito menos alguém que no passado havia despertado-a.
-Ele não te prioriza. Ele não tá nem aí pra você.
-Olha, amiga, antes que você ache que é falta de amor próprio, vou tentar explicar. É muito amor próprio pra eu "me matar", matar quem eu sou, deixar de ser atenciosa e tal, só pra ele não "se achar". Eu sei, é estranho. Às vezes nem eu entendo meu nível de "nem sei o quê"... Mas tratá-lo bem é algo que faz parte de mim. Mas, sim, concordo com você, e apesar de tratá-lo bem, minha disponibilidade para ele fechou. Porque uma coisa é não permitir que os outros determinem minhas atitudes, outra coisa é ser feita de boba. E meu coração não é chão de ninguém.