Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Cuide de suas atitudes. Você pode escolher.

Agir ao invés de simplesmente reagir é um grande desafio.
Mas essa é a proposta para que exerçamos o Amor.
Pois se o amor for apenas uma reação aos "bons comportamentos", não é amor, é bônus!

Devemos agir pelo que somos e não pelo que o outro é ou faz.
Nossas ações devem ser pautadas não pelo que o outro jogou contra nós, e sim pelo que temos dentro de nós. Por isso é importante cuidar de nosso coração.
Portanto, se alguém te decepcionou, ao invés de tratá-lo com indiferença, frieza ou raiva, decida tratar com graça.
É o que busco fazer quando alguém me fere: converso, resolvo e mantenho o carinho e disposição em servir.
Não porque ele merece, mas para quebrar o ciclo. E também porque cada um oferece o que tem.
E digo mais! Quem nunca decepcionou ou feriu alguém (mesmo sem querer)?

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

Como faz isso?


Eu não queria ter que confessar isso.
Dói enxergar que certas coisas ainda estão dentro de nós. Nesse caso, dentro de mim.
Seria tão mais fácil se as emoções obedecessem a razão.
Aí eu diria: "ok, mais uma vez você se enganou a respeito de alguém. Fez papel de otária? Fez, mas passou. Agora bola pra frente e pare de defende-lo pra você mesma".
Mas não é assim.
E pra quê essa mania que tenho de ME culpar ? "Eu devo ter interpretado errado". Não, não interpretei. Dessa vez não! Qualquer pessoa que tenha coração ficaria balançado.
Aí é que está: as pessoas não têm mais coração. Ficam sempre à margem, no raso.
Aí trocam de parceiros, pretendentes, namorados (as) como trocam de roupa!
Por que? Porque, assim como a roupa, esse parceiros são meros "tapa buracos" e ficam na superfície apenas.
Afinal, não é possível criar raízes em alguém, se aprofundar, entregar o coração e sair ileso!
Quando a gente arranca uma planta pela raiz, sempre sai um pouco de terra junto.
 Dói, caramba! Não é possível que só eu sinta!
Que tipo de gente é esse que não sente falta, que apaga pessoas do nada como se apagasse um rabisco?!

Os amigos me dizem: "é difícil você gostar de alguém, né?"
Respondo: é, é difícil porque quando gosto vou até o fim, aí quando chega o fim, leva tempo pra eu me reconstruir. Não gosto no meio termo, não fico no morno, no raso, no "talvez". É ou não é. Gosto ou não gosto (estou falando de paixão, amor...). E se gosto, ahhhh meu jovem, encaro tudo e gosto com defeitos e tudo o mais! 

Eu tenho evitado falar sobre isso, mas tem me esgotado. Sucumbiu!
Evitar falar não está amenizando a dor, a falta.
Não queria encarar o fato de que fui apenas um "teste de limite" emocional e carnal.
Não queria quebrar a imagem carinhosa que tenho de tudo.
Mas é pra desconstruir alguém??? Ok, vamos lá!
Mas espere! Como faz isso?

quarta-feira, 24 de fevereiro de 2016

O mundo está do avesso, e sim, eu sei que você viu!

O mundo está do avesso e todo mundo reparou isso.
Isso é que é o pior!
Todo mundo repara mas ninguém rompe o paradigma, ninguém sai do molde.
Aliás, poucos, pouquíssimos.
Eu bato tanto nessa tecla, mas sabe o que nos falta? Consciência, autoconhecimento.
É muita gente ofendida com qualquer coisa, mas isso é consequência da falta de identidade, ou melhor, não conhecer sua própria identidade.
É muito "movimento isso ou aquilo", mas pouquíssimo movimento INTERNO.
Quando é que vão entender que a árvore simplesmente dá o fruto segundo sua espécie?
Quando é que vão entender que a verdadeira revolução deve acontecer por dentro?
Quando essa revolução, transformação interna acontecer, o mundo aqui fora transforma também.
Pro coletivo mudar é preciso mudar o indivíduo.
Pra darmos novos frutos precisamos mudar as sementes. É tão óbvio...

Jesus já disse sobre isso: é preciso uma nova natureza, uma que nasça Dele. A violência está absurda? Sim. Mas e o desrespeito com o outro, com as leis, com o sentimento do outro...também não são violências?
O problema é que ao invés de solucionarmos, justificamos.
Se arranjarmos sempre justificativas pra os erros e atitudes ruins, não haverá arrependimento, e assim não há mudança.
Justificamos dizendo que "é normal hoje em dia".
Boa parte dos comportamentos doentios que toleramos, o toleramos porque consideramos normal. Mas deixe eu te falar: NÃO, muita coisa não é normal!
Saibamos diferenciar COMUM de normal.
É COMUM brincarem com os sentimentos uns dos outros, tratar o outro como se fizesse parte de um catálogo, fazer o outro se abrir e depois dizer "não, obrigado".
É lamentavelmente comum, mas jamais será normal.
São os detalhes que mudam um dia, uma vida, o mundo.
O mundo está do avesso e todo mundo viu! E ficou nisso. Todo mundo só assistiu.

Mas o MEU mundo vou tratar de mudar, ou melhor, permitir que Deus o mude, dê vida a partir do caos. 

Eu sempre me questiono : será que estou colaborando para o mundo permanecer do avesso ? Questione-se.

Repartir o Pão.

"Então os dois contaram o que tinha acontecido no caminho, e como Jesus fora reconhecido por eles quando partia o pão." _Lucas 24:35

Vou explanar do que se trata esse versículo.
Ao terceiro dia Jesus ressuscitou. Até mesmo os discípulos, ao ficarem sabendo da ressurreição, não acreditaram completamente. Duvidaram.
Então Jesus encontra dois discípulos no caminho para uma cidade e começa a conversar com eles. Eles estavam tão focados em seus problemas, na tristeza de perder o Mestre (Jesus) que nem perceberam que era ELE quem estava ali diante deles. Só perceberam quando Jesus foi comer com eles e REPARTIU o pão.
Quantas vezes estamos tão focados em nós mesmos, em nossos "monstros" internos que nem percebemos que a solução está ao lado?!
Mas não é sobre isso que quero falar.

Há outras passagens na Bíblia que dizem que seríamos (os que crêem) conhecidos pelo AMOR.
Jesus foi reconhecido quando expressou seu amor.
Repartir, olhar para o outro, ouvir, se interessar pelo outro...podem ser encaradas como GENTILEZAS e até são. Mas gentilezas, quando genuínas (desinteressadas), existem por causa do AMOR. Por isso bato tanto na tecla da gentileza, de olhar pro lado (além do próprio umbigo).
E é interessante que estamos tão desacostumados com gentilezas sinceras que estranhamos quando alguém é. Estranhamos quando alguém se interessa por aquilo que nos interessa.
Exemplo: se conheço alguém que gosta de viajar, cada vez que vejo algo interessante da área quero compartilhar com ele. Simplesmente porque sei que isso é importante pra ele. Entendem?!

Muito falamos de Deus, mas pouco temos Dele. Talvez por termos conhecimento mas não convivência. E é a convivência que nos influencia, que nos ensina, que nos molda.
Vamos além no relacionamento com Cristo e assim iremos além no relacionamento com as pessoas.
E o "além" que falo não tem a ver com nível de intimidade apenas, e sim com nível de comprometimento com o que é importante para o outro. Porque às vezes até temos intimidade com os outros, mas nenhum comprometimento em participar da felicidade e construção dele.

"Repartir o pão" não diz respeito apenas a alimento, mas repartir conhecimento, graça, amor, alegria...compartilhar na profundidade e intimidade.

Beijos
Com Amor...

quinta-feira, 11 de fevereiro de 2016

Não perca a admiração!



Como é importante não perdermos nosso poder de admiração.
Pare e observe.
Não precisa de mais nada. Admirar não custa dinheiro. Mas perder a admiração pode nos custar caro. Sim, tem um monte de coisas erradas, bagunçadas, mas foque nas coisas boas. Isso ajuda até a perdoar.
Alguém te feriu? Dói, eu sei. Mas foque nas virtudes. Deus foca em nossas virtudes (que aliás, vem da "semelhança" com ELE).
 Não estou falando para fecharmos os olhos para a realidade, apenas peço para que limpe a poeira dos olhos pra enxergar as coisas de uma forma menos nublada, menos tenebrosa...
Limpe a poeira do coração para enxergar a doçura oculta, e se não enxergá-la no outro, semeie!

Das belezas vividas e vistas por mim, citarei algumas pra te estimular:
1- Eu, com medo de descer uma pedra pra chegar à praia, um desconhecido me deu a mão.
2- Eu, com frio nos pés, e um "conhecido" colocou meias em meus pés.
3- Vi um senhorzinho carregando as malas de sua senhorinha.
 4- No avião, ao ser perguntado se queria algo do cardápio, o passageiro ao meu lado antes de responder o que ele queria, me ofereceu : "quer alguma coisa?". (não, eu não o conhecia).
5- No aeroporto, uma criança de 4 anos veio em minha direção. Eu estava lendo, de cabeça baixa e percebi alguém parado na minha frente. Levantei os olhos, sorri e ele me deu um abraço.

Gentileza e educação não têm idade nem fim. E o melhor, podem ser adquiridas (aprendidas)!
Acho que a gentileza está bem ligada ao "saber admirar o outro".
A gentileza vem de um coração servil e consciente, pois não tem "medo de ser usado" ou ser "mal interpretado" ("o que vão pensar?!)".

Bom, das belezas, nem vou falar da natureza... Mas não permita que você se acomode ou se acostume com o amanhecer, o pôr-do-Sol, a chuva, as flores...
Renove-se. Pare e admire. Conecte-se ao eterno.
Olhe ao redor, olhe as pessoas, enxergue-as por detrás das máscaras. Enxergue-se.
Se está acostumado com determinado padrão de comportamento e que não te acrescenta ou que fere as pessoas (e você mesmo), MUDE.
 Mudanças de comportamentos não são fáceis, eu sei, mas também não é a coisa mais difícil do mundo. É decidir pensar antes de cada reação pra não repetir erros, defeitos. É ter humildade pra reconhecer que aquele "padrão de comportamento" não está legal!
Melhor ser humilde e ficar leve do que não abrir mão de "meu jeito" e ser pesado (a).