Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

sábado, 24 de outubro de 2015

Novos sapatos.



Às vezes, passamos por situações que nos privam completamente de tudo, e é nesse momento de privação que nosso interior se aflora, se expressa.
É no momento de deserto, onde estamos sozinhos, isolados de qualquer conforto externo, longe de pessoas que nos amam...é nesse momento que vemos se nossas raízes estão firmes ou não. É nesse momento que percebemos nossa fragilidade, e também descobrimos nossa força por trás de tanto choro. É nesse momento que vemos nossas
debilidades, vemos o quanto ainda precisamos aprender.
São momentos necessários, fazem parte do processo de amadurecimento pra quem busca sabedoria.
[Pra quem não busca crescimento, os momentos se tornam apenas dores inúteis].
Falando de forma pessoal, nesse momento, vi a fé que parecia tão forte "querendo" fraquejar mas, ao mesmo tempo, percebi que ela está com raízes profundas (não tanto quanto eu gostaria, mas mais do que eu imaginava) ; vi minhas crenças pessoais sendo questionadas; determinadas posturas que tive por anos sendo colocadas contra a parede.
Tudo parecia funcionar tão bem! E realmente, funcionava! Mas funcionava para aquele tempo, para aquela idade emocional e espiritual.
Nossas atitudes, assim como sapatos, quando crescemos não servem mais. E dói ter que jogar fora aquele sapato que foi útil durante tanto tempo. A gente se apega facilmente, e chama algumas coisas, erroneamente, de "meu jeito".
Mas "meu jeito", às vezes, precisa mudar.
Não estou falando de perder a essência, estou falando exatamente do contrário: guardar a pureza da essência. E para guardá-la no percorrer da caminhada, como as adversidades mudam, nossas "armas" precisam mudar também.
A gente se protege do vento dentro da caverna, mas quando vem o frio precisa do fogo.
De repente, fogo vem e se alastra e a gente precisa da água para apagá-lo. E o fogo apaga, vem uma chuva forte e inunda tudo. A caverna não resolve, o fogo muito menos, é preciso um barco.
Assim somos nós. Para cada passo novo, pra cada degrau mais alto, um novo "sapato", um novo recurso.
O pé continua sendo seu (a essência continua sendo sua) mas agora com nova roupagem. Mas falo de nova "roupagem" e não uma armadura que nos blinda de tudo e todos. E saber manter esse equilíbrio, discernir roupa de armadura é o desafio.

2 comentários:

  1. Parabéns pelo novo visual do nosso blog! A inteligência de sempre, agora com mais beleza...

    ResponderExcluir