Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

sexta-feira, 8 de maio de 2015

Dessa vez eu estraguei tudo.


Eu estraguei tudo.
Propositalmente, eu estraguei tudo.
E olha, não foi fácil. Cada vez que eu "agia" de forma anti-natural com você me doía.
Me machucava cada vez que eu tinha que ser fria ao responder uma mensagem.
Me machucava quando eu tinha que gritar um único defeito seu para que eu pudesse me convencer de que você não era pra mim.
Me desumanizava! E a coisa mais forte em mim é ser humana da forma mais sobrenatural que possa pensar!
E eu fiz isso pra não ter que sentir essa dor de agora. Eu queria evitá-la.
Foi tudo em vão.
Eu apenas queria ser a pessoa que não foi passada pra trás dessa vez! Queria ser a pessoa que teve tudo sob controle, incluindo emoções. Queria ser quem dizia "adeus", mas tentando ao menos não te machucar, como muitas vezes fizeram comigo.
Contudo, a dor é inevitável quando a gente se permite fazer parte do outro. E depois de tanto tempo você já fazia parte de mim. E cada vez que eu te negava um beijo, eu ME negava um beijo. Cada vez que eu era dura com você, eu era mais ainda comigo. Porque eu não sou assim, não sei ser tão severa de forma natural.
E agir de forma "insensível" me desestrutura!
E foi isso que aconteceu. Por tentar ser superficial acabei me desestruturando, fiquei sem chão, sem saber o que fazer. Me restou estragar tudo de uma só vez!
Por quê? Não, não foi por causa de UM erro seu, afinal, eu sempre te achei doce, responsável, carinhoso, quente, cuidadoso, sensível....e ainda será um ótimo pai (tenho certeza!). Ou seja, todas as virtudes que eu aprecio!
Por que então ESTRAGAR TUDO ASSIM?
Oras, porque a incerteza me torturava. A espera me deixava sem raiz.
Minha paciência fez a espera durar mais do que eu conseguia suportar. [é, minha paciência às vezes me trai].
Sua dúvida colocava meu valor em xeque-mate. E se tem uma coisa que sei é de meu valor.
Eu não estava conseguindo mais viver assim...de esperança.
Então eu tinha que destruir as possibilidades, eu tinha que fazer você ter raiva de mim e não me procurar mais.
É, eu consegui.
O ruim é que fiz tudo isso pra evitar a dor que estou sentindo agora. Ou seja, nada adiantou. Sua falta veio bater na minha porta. E mesmo que eu não a deixe entrar, ela já fez o serviço dela e me lembrou que você não está aqui dentro.
E agora do outro lado da história - que já vivi outras vezes- percebo que às vezes quem estraga tudo não se ausenta por orgulho ou por vaidade (por se achar demais). Às vezes a gente se ausenta por vergonha de ter estragado tudo.
Eu só queria acabar com a dúvida...


Obs: claro, há pessoas que mesmo assim não tem humildade de reconhecer o erro e pedir perdão. Preferem continuar envergonhadas mas disfarçar isso fingindo que são esnobes e estúpidas. Às vezes é só falta de humildade e aí um erro leva ao outro e constrói-se um mundo em cima de bases erradas e cedo ou tarde pode desmoronar.
Eu escolho reconhecer minha pequenez, meu momento de estupidez esperando que eu não o repita.

Nenhum comentário:

Postar um comentário