Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

sexta-feira, 1 de maio de 2015

Das coisas da vida.



Eu acordo com sua mensagem de "bom dia".
Acho que você não sabe mas age como se soubesse.
Soubesse de quê? Das oscilações, do invisível, das coisas que tocam o coração sem nos esforçarmos.
Sua vida é quase toda no escuro e eu faço questão de iluminar.
Eu sei que às vezes sou chata querendo fazer você enxergar, SE enxergar, dizer, dar nomes, se enfrentar.
Mas é que precisamos ter consciência, seja ela leve ou pesada. Claro, melhor que seja leve. Mas o primeiro passo é que ela exista.
Ainda é menino em um monte de coisas mas pode aprender se quiser.
Tá, você tem gosto duvidoso pra arte. Mas entendo, você não entende de arte. Não entende de filme, de música. Nem todo mundo entende, eu sei. Confesso que isso me desanimou um bocado porque minha vida é toda disso, é toda de sutilezas.
Mas aí você me ensinou que não ter gosto refinado pela arte era o de menos quando saiu do trabalho -com tempo contado pra uma reunião - pra me buscar no banco e deixar em casa porque eu estava com dor de cabeça. Talvez seja sua falta de consciência que te impeça de ver os detalhes, de captar essências.
Mas o que você fez ao cuidar...Ah! Isso foi arte. Arte em ação, sem meios de comunicação.
Me irritava também o fato de você querer ficar no raso, porque no raso não sei viver. Gosto de me aprofundar. Mas, assim como a arte, você pode aprender, evoluir, se sensibilizar. Aliás as duas coisas estão ligadas. Só gosta de arte quem aprende a aprofundar. Essas coisas a gente aprende.(tomara!)
Você nem sabe que escrevo, já dei entrevistas em outros estados por conta do Blog e talvez se me lesse não entenderia. E olha que nem escrevo "difícil". rs
Porém quer saber o que eu fiz durante o dia, não sei se por ciúme ou por cumplicidade mesmo. Sei que acerta de uma forma ou de outra.
Você é doce. Tem um coração grande como poucos. É servil, gentil. Seu carinho me envolve, seu cuidado...
A gente se abraça e o corpo já começa a trabalhar. E onde quer que esteja, a gente dá um jeito de 'se amar'.
É verdade que você me empurra da cama quando dorme, mas é porque quer ficar perto. Então tá tudo certo!
Você era melindroso, não entendia piadas, vivia falando que eu estava "te tirando".
Te tirando de onde, meu doce homem? Você nunca quis entrar de verdade na minha vida.

É...a gente podia ter dado certo.

Nenhum comentário:

Postar um comentário