Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

quinta-feira, 30 de abril de 2015

Não percebem?


É muito auto-retrato pra pouco autoconhecimento.
É muita teoria pra pouca prática.
É muita 'culpa do outro' e pouca responsabilidade pra nós mesmos.
É muito desejo de ser famoso mas pouco conteúdo para o ser.
É muita celebridade sem nenhum talento.
São muitos "likes" pra coisas ruins e poucos para coisas edificantes. Incrível como o podre se espalha com rapidez.
São muitas experiências mas poucos aprendizados.
Muita vivência e pouca maturidade.
É muita informação e pouca sabedoria.
É muito respeito e humildade na boca mas pouco nas atitudes.
É muito misticismo e oração pra se proteger do mal lá de fora, mas nenhum combate ao mal de dentro.
É muito corpo e pouco coração.
É muita acusação sobre o outro e pouco reconhecimento sobre si.
Muito jogo e pouca vida.

É raso, sem raiz, sem propósito.
É muita mentira e pouca verdade. Infelizmente, acho que a primeira e a última comparação resumem bem os dias de hoje.
É um mundo de faz-de-conta. O pior é que o faz-de-conta das redes sociais está invadindo a vida real. 
E pior ainda é que a maioria vai ler isso, vai concordar mas não vai se enxergar e nem querer fazer diferente.

Eu só queria um mundo de verdade. Será que a maioria não se incomoda?
Acho que não. Pois nem percebem.

segunda-feira, 27 de abril de 2015

Habite no esconderijo.

Que tal começarmos a semana DESCANSANDO?!
Não, não estou falando de férias nem de feriado.
Estou falando de um posicionamento de fé.
Há dias que a ansiedade, a preocupação com o amanhã, a angústia parecem chegar com força total.
E nesses momentos eu paro porque percebo que tem algo fora do lugar. EU estou fora do lugar.
E volto para a presença do Pai. Porque queremos muito fazer do nosso jeito, no nosso tempo e por mais que nosso discurso seja de que cremos e de que "a vida está nas mãos de Deus", os sintomas denunciam nossa fraqueza e nossa "independência" Dele.
Não estou dizendo que temos que ficar estacionados, passivos....
Sim, temos que agir mas sem sairmos da presença de Deus. Entende?!
 Não é fácil. É uma escolha a todo instante.
A Palavra de Deus diz que : "¶ Aquele que habita no esconderijo do Altíssimo, à sombra do Onipotente descansará."_Salmos 91:1-2
Por isso, se estamos cansados (falo de um estado da alma e não do físico), se o mundo está pesado, se estamos aflitos é sinal de que saímos do esconderijo do Altíssimo.
Paremos AGORA e voltemos.
De forma prática você pode estar dizendo: "Ok. Estou assim. Mas o que fazer pra ir para Ele?"
É simples. Alimente sua fé, leia a Bíblia, invista no relacionamento com Cristo...Converse com ELE (como vc conversa com um amigo).
Afinal, só descansamos quando confiamos, e só confiamos em quem conhecemos. Conheça-O.

Beijos
Com Amor...

terça-feira, 21 de abril de 2015

Escrevo pra tocar mesmo.



Há um tempo restringi minhas publicações. Aliás, mais que isso! Me proibi de escrever sobre determinados assuntos.
Busquei a razão, a superfície por alguns motivos.
Na superfície mais pessoas conseguem ser alcançadas, conseguem ver. Afinal, poucas querem mergulhar pra descobrir as riquezas do profundo. O que me leva ao segundo motivo....
Já que poucas pessoas mergulham, e eu sei exatamente quem são (quando se trata de meus queridos), preferi me manter incógnita. Não queria ninguém tentando me desvendar, tentando inventar uma história por detrás da história que conto.
Às vezes é simplesmente um Conto. Outras um Ponto.

Claro, minhas experiências, minhas histórias se cruzam com minhas escritas. É natural.
É minha mão quem escreve, meu corpo é o canal por onde passam as letras, minha alma é quem traduz. Tem minha digital. É inevitável.
Por isso a arte é algo tão belo, tão singular.
Por mais que tenhamos referências ou que sigamos regras (coisa que eu passo longe), nossa "particularidade" sempre dá um jeito de se expressar, de se mostrar.

É arte, meu povo. Arte!
É o coração que pulsa, é a alma que grita. Nada mais do que isso.
É algo tão próprio que já me pediram pra escrever sobre determinados temas. Mas se o tema não toca minha alma, se eu escrever também não tocará a sua.
E pra quê escrever se não for pra tocar?
Escrevo pra te cutucar mesmo, pra te colocar pra pensar, pra te colocar pra SENTIR.
Escrevo pra que a gente salte da árvore e voe, ao invés de ficar lá de cima olhando tudo, criticando, inventando regras, cheios de teoria mas distantes da VIDA.


segunda-feira, 20 de abril de 2015

Não é futuro, é presente. É Presente, é de graça!

Tenho que te dizer uma coisa.
Eu sei que está acostumado a ouvir "você vai vencer, vai chegar lá...e tal". Mas não...
Nós JÁ chegamos, já vencemos. Não está no futuro. Já foi feito.
Quando Jesus - o Cristo- , depois de vencer todas as coisas, disse "está consumado", ELE garantiu nossa vitória.
É meio estranho isso, né?! Mas e o que temos que fazer? Por que não temos visto os efeitos dessa vitória já conquistada então? Onde estamos errando?

1- Vamos entender que vitória não tem a ver apenas com coisas materiais, embora Deus queira que não tenhamos falta de nada.
Há pessoas RICAS mas mal sucedidas. Há pessoas com sonhos realizados mas coração vazio.
Vitória tem a ver com nosso crescimento por dentro, com nossa conquista da alma (nosso espírito guiado pelo Espírito Santo tendo domínio sobre nossa alma-emoções), com nossa consciência de quem somos em Deus.

2-Tem nos faltado Fé, fé NELE.
A incredulidade, o sistema desse mundo (onde é preciso comprar ou merecer) está enraizado em nossas mentes. É preciso uma transformação diária. É uma luta entre nossa razão doente que inventa meios de justificar (e que quer merecer) e a vitória que Cristo nos deu GRATUITAMENTE (sem campanhas, novenas, artifícios, misticismos, ...). A obra da Cruz, que inclui a Salvação, é pela graça "mediante a fé" Nele.

3-Confie. Se sua vida está nas mãos Dele...Confie e descanse.
 (Não confunda com o "destino". O destino não tem responsabilidade nenhuma).
Mas se nossa vida está nas mãos do Pai, confiemos.
Podemos não entender, mas ELE sabe o que faz.
Acredite. Você já venceu.
Viva debaixo dessa palavra! Sua vida já deu certo!
Se está tudo muito pesado pode ser um sintoma de que temos tentado carregar o mundo.
Vez ou outra me sinto assim, pesada, sobrecarregada...Aí recorro ao Pai de Amor e recoloco minha vida nos eixos, nas mãos Dele.

"Lançando sobre ele toda a vossa ansiedade, porque ele tem cuidado de vós." _1 Pedro 5:7.

"Vinde a Mim, todos os que estais cansados e sobrecarregados, e Eu vos aliviarei." _Mateus 11:28

Obs: o fato de ELE já ter feito todas as coisas não significa que temos que ser passivos. A fé é ativa. O mar vai se abrir, mas precisamos pisar sobre as águas.

Lembremos: não é futuro, é presente. É Presente! É de graça!

Beijos
Com Amor...
Boa semana.

sexta-feira, 17 de abril de 2015

Quando COISAS ganham vida...me resta ser Rê.


Há certos lugares que foram tão marcantes na vida da gente que é como se tivessem alma. E independente do tempo que se passe, ao passarmos por eles algo acontece dentro de nós.
É involuntário. É estranho.
Um Parque da cidade passa a ter gosto de champagne, passa a ter seu cheiro, passa a ter seu temperamento. E mesmo que eu tente negar, as árvores foram cúmplices e parecem gritar o que presenciaram.
É estranho pois visitar o Parque com outras pessoas é como se eu estivesse te apresentando pra elas. E se eu voltar lá com uma nova paixão fico incomodada. E como um cantor que canta música de um outro compositor; o Lugar cobra "direitos autorais".
É loucura pra você?! Pra mim é estranhamente normal.
Talvez eu não esteja sabendo me expressar.
A movimentada Avenida da cidade tem seu olhar, seu toque, seu abraço. Tem sua mão me puxando pra mais perto, tem você falando do meu batom.
É a inevitável vida que a memória dá às COISAS.
Visitar uma cidade me desperta um mix de emoções, acelera meu coração, minhas mãos suam, me causa até enjôo devido a toda essa mistura de sensações.
Depois vem a angústia de não querer ser parte daquele lugar, mas que de alguma forma me roubou um pedaço.
E a cidade que me enchia de alegria, hoje me enche de lágrimas. Me esvazia. Parece que sou apenas uma vaga lembrança.
E mesmo que você tenha dito que a lembrança pode ser melhor que a realidade....apenas lembrança eu não sei ser.
Lembrança às vezes dói. E dor não quero causar.
Nem quero que um filme de amor se transforme em terror.
Então me resta mudar a Geografia do Brasil e fingir que nele não há Capital Federal, que o amor não surgiu, que a gente nunca se uniu. Me resta fingir que você nunca mentiu.
Me resta REinventar o país para que os lugares voltem a ser inéditos, sem alma, sem histórias, vazios de sentimentos.
Ainda bem que sou boa em REcriar, REajustar, Renascer. Ainda bem.
Ainda bem que sou Rê.

domingo, 12 de abril de 2015

Só acho.

Pior que não ter, é não ter e pensar que tem. 
Pior do que NÃO SER é NÃO SER e pensar que é.
Porque quando eu não sou e sei que não sou, eu faço alguma coisa pra ser.
Agora, quando eu não sou e penso q sou...aí não tenho nenhuma reação, nenhuma ação pra mudar, pra crescer.

quinta-feira, 9 de abril de 2015

''Porque meu coração não é cemitério'', disse Sofia.





Muitos anos haviam se passado. Sofia falava daquilo tudo com certa naturalidade. Ao menos era com a naturalidade possível depois de tantos acontecimentos.
Ela nunca soube matar pessoas dentro de si e sempre achava estranho quem conseguia fazer isso.
Seria ela estranha ou o povo?
Era uma estranheza ruim? Por que as pessoas preferem "a morte" dentro do outro do que serem amadas apesar de tudo? O amor sem merecermos nos constrange tanto assim a ponto de o rejeitarmos como punição? Claro, o amor que falo não é obsessão ou algo doentio. Falo do amor raro, que muito ouvimos falar mas pouco vemos; do amor que admiramos mas hesitamos ter.

O presente é ótimo, é dádiva! Mas seu passado não foi menos bom.
Claro, decepções acontecem, tombos, machucados. Mas Sofia separava a dor de quem a causou e isso a fazia olhar pra trás com a pureza do inédito, como se ela não soubesse que dali viria mentiras.
Dentre os três que ela se apaixonou, UM ela amou. E esse foi o que mais a enganou, mais a feriu. Mas mesmo assim, Sofia o amava com amor inocente, de querer bem, de não querer viver em guerra...
"Perdão foi feito pra isso, pra ser usado"_ dizia ela. "Por isso o perdôo, me perdôo. Sei de minha pequenez, de minha fragilidade, assim como sei da dele".
Mesmo com as palavras que ele disse, que mais pareciam facas afiadas entrando em seu coração; mesmo com a indiferença e frieza que ele demonstrava, Sofia se negava a acreditar naquele monstro que ele havia se tornado. E como ela não acreditava, o monstro não existia. O que restava era sempre a memória cheia de boas recordações da pessoa doce que um dia esteve com ela.
Ele não era uma pessoa má. Não podia ser! Não cabia nele aquele tipo mau caráter.
Uns dizem que é porque Sofia se recusa a enxergar a verdade. Já ela acredita que a verdade não é aquela. A verdade foi o que ela conheceu e viveu.
Quanto ao moço...Bom, ela não o entendia, mas com o coração livre o amava. E ele não entendia aquele amor, às vezes se achava bom demais e com isso menosprezava-a; outras vezes, não se achava merecedor e ficava incomodado com a doçura que vinha dela.
Pobre rapaz, tinha tanta coisa boa dentro de si mas às vezes se perdia, e achava que o amor vinha por mérito. Ele ainda não entendia a dimensão de um amor real.
E assim Sofia vivia, com sonhos dentro dela, com pessoas vivas. Ela se recusava a transformar seu coração em cemitério, se negava a ter participação no crime de "matar" pessoas dentro de si, mesmo que essas a tivessem matado dentro delas. Sofia não se pautava nos outros pra agir.
"Meu coração pulsa, jorra amor, não cabe morte, só vida!"_dizia Sofia.
E por isso, o mundo lá fora podia estar cinza, as pessoas podiam estar frias (ou calorosas de forma seletiva), mas dentro de Sofia era quente e colorido.

terça-feira, 7 de abril de 2015

Qual caminho temos percorrido mesmo?

Como temos acesso a informações, né?!
 Mas ter acesso não nos faz sábios, ter informações não nos faz melhores que os outros. Aliás ser melhor que os outros é uma meta mesquinha.
Busquemos ser melhores que nosso ontem. O ser humano deve estar em constante mutação, crescimento.

SABER não adianta nada se não houver prática. Saber que tem comida não mata a fome. O que mata a fome é se alimentar.
Estejamos atentos. Há um caminho duvidoso que se diz ser de "conhecimento".
Se temos adquirido conhecimento e temos perdido a compaixão, há algo errado.
Se falamos que aprendemos mas julgamos e condenamos (ofendemos) constantemente os outros... sinal de alerta!
Se nossas informações têm nos enchido ainda mais de justiça própria, não entendemos absolutamente nada. Pelo contrário, nos tornamos "ignorantes cultos".
Quanto mais sabemos (de verdade), mais reconhecemos que precisamos aprender.
Se achamos que estamos crescendo mas não estamos nos tornando mais servis, mais amáveis, mais pacientes...é melhor pararmos e observarmos onde caímos. Em algum ponto nos perdemos.
O que aprendemos no íntimo (aquilo que nos transforma, que vem de Deus) gera frutos e os frutos servem pra ALIMENTAR outras pessoas.
Nosso crescimento deve ser suporte para os outros, nossa árvore deve ser sombra para que as pessoas descansem. E não peso!
Se temos nos tornado pesados aos demais (mesmo que esse peso seja disfarçado de piada), há um equívoco aí.

Clarooooo, não estou entrando na questão de gente que não quer se enfrentar e tal. Pq gente que não quer ouvir a verdade e se enfrentar acha a verdade pesada. Mas não é esse o caso. Por favor, entendam.

Que Deus tenha misericórdia de nós e que possamos voltar onde caímos e mudar esse trajeto.

"¶ Quem dentre vós é sábio e entendido? Mostre pelo seu bom trato as suas obras em mansidão de sabedoria. Mas, se tendes amarga inveja, e sentimento faccioso em vosso coração, não vos glorieis, nem mintais contra a verdade. Essa não é a sabedoria que vem do alto, mas é terrena, animal e diabólica. Porque onde há inveja e espírito faccioso aí há perturbação e toda a obra perversa. Mas a sabedoria que do alto vem é, primeiramente pura, depois pacífica, moderada, tratável, cheia de misericórdia e de bons frutos, sem parcialidade, e sem hipocrisia. Ora, o fruto da justiça semeia-se na paz, para os que exercitam a paz." _Tiago 3:13-18

Com Amor...

segunda-feira, 6 de abril de 2015

Valores.

Duas mães orgulhosamente conversando sobre seus filhos.

-Minha filha está com 5 anos e já sabe mexer direitinho no Ipad. Ela gosta tanto que agora já demos até um celular pra ela! Ah! E já está aprendendo inglês! Ela é toda desenvolta!

-Nossa, que gracinha, hein! Meu filho com 7 anos já tem Deus como seu amigo; e no meio da agitação sabe parar um pouco e contemplar as estrelas. Ele fica maravilhado com a criação de seu amigo (Deus). Ele tem poucos amigos, já que a maioria de seus coleguinhas não aprenderam a olhar para o lado e só ficam no celular também. Alguns até sabem inglês, mas não aprenderam a CONVERSAR uns com os outros.

As duas mães estavam orgulhosas pois cada uma ensinou aos seus filhos aquilo que lhes era importante.
Nem é uma questão de certo ou errado. É uma questão de valores. Cada um tem os seus.