Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

domingo, 11 de janeiro de 2015

Para Amar e ser Amado é preciso crescer.


Tanta gente deseja sentir o amor e nessa ânsia disparam frases românticas aos quatro cantos, falam que amam pra qualquer pessoa com quem estejam envolvidos. Eu sei, às vezes não é maldade, é um desejo por sentir o sentimento que movimenta o mundo.
Mas então passam-se alguns dias e já não "amam" mais. Alguns continuam no relacionamento (namoro) por anos mesmo sem o amor, outros até casam-se sem ele. Têm o amor nos lábios, nos gestos românticos, são desejosos por senti-lo mas não sentem.
A lógica do amor jamais poderá ser explicada. Por que amamos alguém? (e aqui falo do amor EROS, entre homem e mulher, e não entre amigos e familiares).
Apesar de bem social nunca fui uma pessoa aberta a relacionamentos, sempre ergui muros e mais muros (involuntários, confesso). Tive algumas (poucas) paixões na vida. É um sentimento bom, nos dá coragem mas acaba, e é aí que muitos decidem ficar com o outro sem o amor, sem a paixão, mas decidem ficar por decisão mesmo. Uau! Eu não tenho essa coragem. Talvez minha forma de viver seja mais romântica. Talvez.
Mas o amor... Que sentimento absurdo, potente! O amor não acaba, te enche de paz mesmo que a circunstância não seja favorável...De repente a pessoa amada nem está mais com você mas o amor continua. A gente não deixa de senti-lo por nada. Então por decisão a gente precisa mandá-lo embora, ao menos tirá-lo do coração, do foco.

EU acredito que tem que ter algo a mais além de "ela me faz bem, ela gosta muito de mim, está na hora...". Não estamos falando de negócios mas de duas vidas que mudam a cada dia. E acompanhar essas mudanças é uma tarefa pro amor.
Amor não é pra imaturos. O amor verdadeiro necessita de maturidade.

Em 1 Coríntios 13:4-11 diz:
"O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta. O amor nunca perece... Quando eu era menino, falava como menino, pensava como menino e raciocinava como menino. Quando me tornei homem, deixei para trás as coisas de menino." 

Ou seja, o amor não é coisa para meninos. Meninos (crianças grandes, adolescentes) pensam no EGO, na Vaidade, no Orgulho.
O amor abre mão dessas coisas. Claro, o amor SE respeita. Entenda.
Mas por isso o amor anda tão deturpado, porque em nossa imaturidade dizemos amar.
Meninos podem, sim, amar mas para o amor permanecer a maturidade precisa chegar.
E o engraçado que "crescer no amor" é virar criança pequena, naquela idade em que a fé é maior que os fatos, a alegria em ver é maior que a impaciência da espera, o beijo cura um machucado, o colo não é barganhado, onde a gente pula nos braços do outro sem temer que nos deixe cair.
Crescer ao ponto de alcançarmos a inocência, ousadia e confiança de uma criança pequena.

É, a lógica do Amor é um tanto paradoxal, mas acredite, é real e milagrosa!

Um comentário: