Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

quarta-feira, 30 de dezembro de 2015

Cadê o humor? Por uma vida leve.

Perderam o senso de humor. Que horror!
Pra cada espaço entre as palavras dão um jeito de acrescentar uma vírgula.
Acho que é por isso que estamos na "era da hashtag", porque a gente ‪#‎escreveTudoJuntoeNinguémPodeAcrescentarMais‬!
Qualquer piada é preconceito.
Qualquer feito é mal feito.
Será que se julgam perfeitos?
Opiniões divergentes? É praticamente proibido (não pelo discurso, óbvio! O discurso é bonitoooo, a prática que é insana).
Um jornal publica uma foto incrível do entardecer e, ao invés de admirarem, as pessoas vão lá e falam "MAS a cidade...".
Que povo cheio de "mas, poréns"! Perderam a admiração! E perder a admiração é lamentável, é um passo para a infelicidade, para a depressão, pra viver 'de-pressão'. ‪#‎QueDeusNãoMeDeixePerderANoção‬!

Se elogia o corpo de alguém, dizem que é preconceito com as gordinhas. Aliás, falar "gordinha" é tido como preconceito. Não se pode dizer mais nada. Vivem submersos em tanta mentira que dizer a verdade virou crime. (entenda!)
Se alguém elogia o sorriso, é preconceito com quem não tem dente.
Se fala a verdade, é preconceito com quem mente.
Que mente doente é essa? A maioria está tão cheia de si (de opiniões) que não "se cabe" mais e transborda com altas doses de revolta.
Gente, cadê o humor? Será que ele volta?
Que mundo chato. Perderam o tato, o contato. Contato uns com os outros e consigo.
Parece contraditório isso, mas quem está cheio de si demais não se enxerga. Afinal, quem tem consciência de si não se sustenta em afirmações alheias.
Claro, respeito é bom e todo mundo gosta. Mas não confunda as coisas.
 Vamos viver leves! E pra isso precisamos nos esvaziar.

Obrigada. De nada. ‪
#‎SereiEternamenteGrataSeNãoAcrescentaremCoisasNADAaVerAoQueEUacabeiDeDizer‬.

terça-feira, 29 de dezembro de 2015

Aqueles olhos!


Aquele olhar que busca o que não estou falando, que desnuda minha alma mas mesmo assim, às vezes, fica sem entender. E por não entender tenta deduzir. Às vezes acerta, outras não. Mas e daí? Apenas o desejo por entender já é bom o bastante!
Quando acerta me alegra e quando erra me encanta, mesmo que me "irrite" um pouco uma vez ou outra. Porque gosto da força e da fraqueza, gosto dessa nossa "humanidade". Gosto de vê-lo sem defesas, com as armas da "perfeição" no chão. Porque essa fragilidade nos aproxima. E eu? Ah, eu gosto de estar perto.
Aquele olhar que tenta decifrar, que enxerga além, bem além...
Aquele olhar que vê! Isso é tão raro!
E enxerga porque não há cortinas sobre aquelas 'janelas', e por não haver cortinas, é um olhar que se mostra também, fala.
Um olhar que, muitas vezes, o trai e me atrai.
Um olhar que, muitas vezes, não acompanha o que a boca diz. Porque sua boca, às vezes, é dura, mas o olhar é doce. E a doçura....Ahhh, a doçura toca meu coração.

Mas por serem olhos que não mentem, se esquiva do contato visual, se esvai, se vai...
Se foi.
Mas quero que saiba que quando escrevi "cuide de você"- e deixei o bilhetinho no meio de suas roupas- eu queria ter dito isso olhando pra você.
Mas não podia, não dava, pois havia UM primeiro bilhete, uma primeira parte que não foi exposta mas que meu olhar me denunciaria.
Pois é, eu tinha feito um "quebra-cabeça". Aquele (que você viu) era o apenas o final. A primeira parte eu, covardemente, joguei fora.
E mesmo sem papel nenhum, se eu te falasse apenas aquele bilhete que leu, você leria a primeira parte dentro dos meus olhos : "permita que eu...". 
E como seu olhar mergulha e ao mesmo tempo evita, engoli a primeira parte (a que era tarefa minha) e passei o resto dos dias engasgada, buscando fôlego cada vez que a gente conversava.
O meu olhar que você tentava decifrar só dizia : "permita que eu cuide de você".


Lembrete.

Lembre-se: se não formos em frente com Deus, estaremos regredindo.
Só se caminha pra frente quando se olha pro Alto.
Qualquer "avanço" que esteja firmado apenas em nós mesmos pode desmoronar a qualquer momento. Se crescemos sem raízes eternas o crescimento se torna pura vaidade.
Como diz C.S.Lewis : "tudo que não é eterno, é eternamente inútil." 
E como diz Marcos (no capítulo 8): " do que adianta ganhar o mundo inteiro e perder sua alma?"
Que possamos avançar sempre mas com raízes em Deus, com os olhos em Cristo, com frutos eternos. É pra frente que se anda, mas é pro Alto que se olha.
E, às vezes, andar pra frente é se prostrar e esperar, ou até mesmo voltar (se em algo momento pegamos a rota errada).
Não há regra, tudo depende do que Deus falou com VOCÊ. Por isso, a importância de O conhecermos e termos um relacionamento com Jesus.

Beijos
Com Amor...

sexta-feira, 18 de dezembro de 2015

Não confunda!

Três coisas que não podemos confundir: misticismo, religião e relacionamento com Deus.
1- Misticismo: quando você decide acreditar que COISAS têm poder.
2- Religião: quando você decide acreditar que o homem tem poder (entenda!), assim sendo, pode chegar a Deus por esforço próprio, por mérito. E também, é quando você acha que SABER de uma "filosofia de vida" ajuda alguma coisa.
3- Relacionamento com Deus: é o mais simples e o ÚNICO que nos transforma e nos completa. É quando você se rende, abre mão de suas opiniões e decide conhecer Jesus Cristo. Porque ELE não é um "amuleto", não é uma religião, é uma pessoa. E qualquer um que tente "vendê-Lo" é anátema!

Então, se sua vida não tem sido transformada, se seu caráter não tem sido aperfeiçoado, se não está mais parecido com Jesus a cada dia; se do seu interior não tem fluído da Água VIVA...OBSERVE-SE, você pode ter feito de Deus uma religião ou apenas um ritual místico.
Disse Jesus: "Quem crer em Mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva". _João 7:38
Se estamos secos, voltemos onde caímos, onde nos perdemos.
Não compliquemos. É simples. É relacionamento, é troca de intimidade, conversa, bate papo, conhecimento de um sobre o outro.
E assim como na vida natural nos tornamos parecidos com quem andamos, assim é na vida espiritual também. E relacionamento com Jesus implica, muitas vezes, em "Cruz" (negar sua carne, sua vontade que pode resultar em "morte"). Mas, sinceramente, confiar Nele é bem melhor! Ele é uma pessoa mas também é Deus. E um Deus que nos ama! Você não confia em alguém PERFEITO que te ama absurdamente?!
Não negligencie seu espírito, vivifique-O (crendo em Jesus). É a nossa parte mais importante! É nosso espírito submetido ao guiar do Espírito Santo que deve nos direcionar.

Beijos
Com Amor...

segunda-feira, 14 de dezembro de 2015

No game.

Eu não costumo ser uma pessoa "reativa" e, normalmente, as pessoas estranham isso.
Mas eu não vou agir com indiferença e frieza só porque alguém age assim comigo.
Continuo agindo em amor. Aquele é ele, essa sou eu. Óbvio, não?
Aí tem uns que dizem "é o jogo da vida".
Ok. No jogo da vida, eu já dei "game over" há muito tempo! Foi tipo "Fatality. JOGO wins" (quem joga videogame sabe do que estou falando). Já quem não joga (no jogo que propõem) acaba perdendo - na cabeça do povo, porque na minha saio ganhando.
O que quero que enxergue é que ninguém pode determinar como você age.
Às vezes é um desafio e tanto! Há quem diga que oferecer doçura pra quem oferece indiferença é burrice ou falta de amor próprio. Mas eu acredito que cada um oferece o que tem. E, pra mim, falta de amor próprio seria eu me violar só pra me "vingar", pra reagir, pra destratar alguém. Eu estaria ferindo não só a mim como o Espírito Santo que habita em mim, que diz "se o seu inimigo tiver fome, dê-lhe de comer". E olha que nem estou falando de inimigos!

Obs: claro, não estou falando de casos extremos onde um fulano agride o outro e a pessoa vai ficar lá ouvindo, sendo machucado... Tudo é posicionamento! Mas posicione-se sempre em amor e levando em conta o amor próprio, não se violar, não se ferir, não se permitir ser ferido.

Beijos
Com Amor..

sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

Eis que se fará nova todas as coisas.

Todo final de ano é a mesma coisa, né?!
A gente faz aquela retrospectiva, lamenta pelas coisas que programamos fazer mas não fizemos e refazemos a promessa para o próximo ano.
Prometemos nunca mais sermos trouxas, nunca mais sermos enganadas (pra quem foi). Prometemos agir diferente.
Mas sabe, só agiremos diferente se rompermos com a pessoa que sempre fomos. Como assim? Ora, nossas ações fazem parte de nós. Só vamos agir de forma diferente se nos permitirmos mudar, crescer, avançar. E pra isso temos que abandonar o que passou, o velho homem...eu diria até "a velha natureza".
Deus tem novidade de vida para nós e isso está dentro da nova natureza, a natureza que nasce Dele (que é o que acontece quando temos intimidade com Jesus).
Mudar por mudar? Se for pra mudar que seja para melhor, pra mais perto da Vontade de Deus, pois é a única mudança que vale a pena!
Qualquer mudança que nos afaste do Deus Vivo nos levará à morte (espiritual).
Nenhuma revolta com quem quer que seja justifica mudanças 'para pior'.
Como eu tenho visto pessoas revoltadas que, pra justificarem suas escolhas, acusam "o outro" de qualquer coisa, de hipócrita, de extremista, de egoísta... Aí se tornam exatamente como aqueles que eles "acusam" de serem os responsáveis por suas revoltas.
Não permita que a semente da rebeldia cresça dentro de você.
Sim, desejo que seu próximo ano seja incrível e que você mude (no sentido de CRESCER e não retroceder). Mas vamos romper com o que passou, com as dores, com os traumas....Pra quê carregar isso? Sei que não é fácil PERDOAR (e não simplesmente esquecer) algumas atitudes, mas decida.
Se sua vida é direcionada pelo Pai, CONFIE Nele. Ele fará tudo novo, colocará um caminho no nosso deserto... Esvazie-se para que seja cheio Dele.

Assim diz o Senhor: "Não vos lembreis das coisas passadas, nem considereis as antigas. Eis que faço uma coisa nova, agora sairá à luz; porventura não a percebeis? Eis que porei um caminho no deserto, e rios no ermo."_ Isaías 43:18,19

Beijos
Com Amor...
<3 p="">

quinta-feira, 10 de dezembro de 2015

QUERIDO PAPAI NOEL,


Não é nada pessoal, mas acho que a gente nunca se deu muito bem, né?!
Foi mal. Mas é que minha sensibilidade exacerbada não me permitia ver graça em você enquanto havia para um menino meio "revoltado" por perto e ele sabia que não receberia nenhum presente devido ao mau comportamento.
[As pessoas diziam que "tinha que ser bom menino" pra ganhar presente do "papai Noel".]
Eu sempre fui menina quieta (meus irmãos e eu) e tinha Natal que não tinha presente. E sabe o que é mais engraçado? Pra mim, não fazia diferença. De verdade!
Claro, quem não gosta de ganhar presente? Mas eu já era tão satisfeita por dentro. Não, não me basto. Estou longe disso. Mas é que a graça que eu não via em você, eu encontrei em Jesus. E a graça Dele me basta e sabe por que? Porque "o Seu poder se aperfeiçoa na minha fraqueza".
Aí, mesmo que eu não ganhasse presente (físico) algum, eu me sentia amada. Porque essa é a verdadeira Graça.
Olha, eu nunca quis ofendê-lo. Acho legal você querer dar presentes para os que merecem. Mas e você, merece? Afinal de contas, quem merece? Não somos todos carentes de perdão e graça? Não somos todos falhos?! E o menino "revoltado" que você negou um presente? Não seria justamente ele quem precisaria de mais amor?
Esse saco cheio de presentes que você carrega, esvazia. E aí, o que fazer? O cara em quem ME encontrei, o cara quem me fez conhecer a Graça e o verdadeiro Amor... Sabe, o cara que te falei?! Pois é, "as misericórdias Dele se renovam a cada manhã". Portanto, junte-se a mim. Vamos entregar presentes reais, que deixam as pessoas felizes mesmo quando estão passando por momentos tristes! Sua iniciativa foi válida. Acredito que sua intenção era ajudar, mas permita-me TE ajudar!
Você não consegue carregar o peso do mundo. Eu sei porque eu também já tentei. Mas além de não conseguirmos, não precisamos, pois isso já foi feito.
Jesus, o Cristo - o cara que é o motivo do natal - fez isso por nós. Aceite esse amor de bom grado, é de graça, é pela Graça.
Se você for um bom menino ou um mau menino, tanto faz para Ele, o Amor Dele por você não muda. Mas como ELE é perfeito e também é Deus, quer ver-nos em nossa melhor forma, usando nosso potencial ao máximo...
Esse ano, papai noel, largue esse saco de brinquedos, estacione esse seu "carrinho" porque o Papai do Céu é Rei e ELE virá com toda sua majestade.

Beijos, com muito amor
De sua, agora irmã, Renata.

Obs: meu nome explica bem o que Ele me fez. Meu nome significa RENASCIDA.

quarta-feira, 9 de dezembro de 2015

Às vezes o fôlego foge pra nos salvar.

Eles estavam se conhecendo. Havia uma curiosidade pairando.
Um querendo saber do outro.
Ele se mostrava diferente de tudo que ela já tinha conhecido, parecia um terreno nunca pisado.
Clara ouvia mais do que falava. E quando pensava em falar, puxava o fôlego mas parava antes que qualquer letra saísse de sua boca.
Atento como ele é, cada vez que ela puxava a respiração para falar, ele percebia e olhava, esperando um mínimo de coragem dela pra expressar-se.
Os dias foram passando e ela ainda se calava diante dos impulsos do pensamento.
-Pode falar.
-Quem disse que quero falar?
-Você respirou pra isso...
Eles riam da situação. Mas era mais forte que Clara. Parece até que ela previa...

-Fale, Clara. _ele disse com uma voz agradável e um sorriso no rosto.
-Eu tenho medo. 
-Medo? De quê?
-Medo de você me julgar, me destratar, ser grosseiro, sei lá... Eu conheço minha sensibilidade irritante._ela disse com leveza e apreensão.
-Nossa, você está mal acostumada...
-Pelo contrário, sou bem acostumada demais, e justamente por isso qualquer intenção de frieza me dói.
-Eu não vou fazer isso com você
-Eu não sei quando vou te ver de novo, eu não tenho essa segurança pra me abrir.
-Eu não vou sumir. Pode confiar em mim.

Clara confiou, abaixou as defesas, expôs a alma e, claro, se encantou com a fluidez com que tudo acontecia.
Um dia ele sumiu, do nada. Pegou toda intimidade que Clara o deu e abandonou pelo caminho, sem nenhum cuidado.
Do dia para a noite tratou-a como uma "passante" da rua, com formalidade, frieza e distância.
No outro dia, mais distância...até que Clara o perdeu de vista. Sumiu exatamente como prometera que não faria.

Como era apegada às palavras, de vez em quando, ela ainda deságua quando a tal frase ecoa em sua memória: "eu não vou fazer isso com você. Não vou sumir. Pode confiar em mim".

Ela não devia ter interrompido a respiração, era seu fôlego que fugia pois já previa tal decepção.

O que vou ser quando crescer?


-O que você quer ser quando crescer?!
- O Sol._ respondi pensando que essa era a forma mais óbvia de aquecer corações. 
- O Sol? Por que?!
- Porque é uma forma de amar sem que as pessoas se assustem com o amor. 

Mas eu não sabia que sempre há aqueles que preferem a sombra.
Eu era ingênua. Era?! Cresci?!

Liz não queira ser diferente apenas, queria fazer a diferença na vida das pessoas!

domingo, 6 de dezembro de 2015

Não justifique, cresça.




Se quisermos, sempre encontraremos "explicações" para nossas falhas.
Inventar teorias (até "fundamentadas") para nos "absolver" é só mais uma maquiagem na alma e espírito. E maquiagem, vocês sabem, é só um disfarce, não é a realidade.
Tenho inúmeras explicações para meus erros, mas nenhuma delas justifica. Por que? Porque eu sempre VOU PODER ESCOLHER.
A grande questão é: só mudamos se pararmos de "justificar", assumirmos o erro, a falha, o pecado. Exemplificando: quando a mulher samaritana se deparou com Jesus e Ele lhe disse a Verdade, ela não ficou justificando, ela simplesmente se rendeu, OLHOU PARA JESUS e abandonou a vida que ela levava. (essa história está em João 4 )
É preciso olharmos para ELE ao invés de ficarmos ensimesmados.

É, amadurecer é um desafio e tanto! Mas só voamos quando crescemos. E essa é a verdadeira liberdade, a liberdade que existe na maturidade!
Quando não há maturidade nossas justificativas não passam de "birra de menino mimado".

Que tal voarmos?

quarta-feira, 2 de dezembro de 2015

Porque o coração deve ter acesso restrito, mas jamais proibido.




Dos lugares que avistei, o melhor foi seu coração. Porque seu coração é "mata virgem", praia inabitada, ilha deserta. Há cantos desconhecidos, há doçura escondida, há romantismo disfarçado, há bondade na raiz, há singularidade, segredos... Mas como toda "mata virgem" há um desejo e um medo de ser descoberto, há 'selvageria', há cautela excessiva no olhar, há contradições. E também como toda praia inabitada é de difícil acesso, mas sempre vale à pena. Eu sei que vale. Eu não gastaria meu tempo pra chegar num lugar sem vida. Porque, entenda a diferença, praia inabitada não significa que seja inabitável; é apenas um paraíso restrito, muito restrito.
Talvez eu veja poesia demais em rochas, talvez eu viaje demais por dentro.
Sim, essa é uma possibilidade. Mas talvez meu olhar esteja certo. E eu prefiro te enxergar com o filtro da bondade e amor do que olhar para essa "mata virgem" e achar que é tudo escuro e desconhecido.
Um coração assim, feito ilha deserta, não me assusta, me desperta.  Talvez porque quando eu falo de você, também falo de mim; quando olho pra você, também olho pra mim.
Dos lugares que você me levou, o melhor foi entre os seus braços.
Das viagens que fiz, a melhor foi quando eu estava deitada em seu peito.
Das coisas que você falou, a melhor foi : "vem mais pra perto".
De tudo o que você fez, a melhor parte foi quando você estava sem defesas, foi você sendo você.
Porque o que me encanta não é sua "utilidade"- entenda, admiro tudo o que faz- mas o que me encanta é o que você é.
O que me encanta é eu te fazendo cafuné de longe e você me puxando pra me deitar ao seu lado, agindo com naturalidade, naturalidade de quem quer estar junto. E mais junto.
Eu sei que seu coração tem acesso restrito, eu entendo bem disso, também sou assim. Mas cuide para que seja apenas restrito e não proibido.

terça-feira, 1 de dezembro de 2015

Buscai-O agora.

"Buscai ao Senhor enquanto se pode achar, invocai-o enquanto está perto. Deixe o perverso o seu caminho, e o homem maligno os seus pensamentos, e se converta ao Senhor, que se compadecerá dele; volte-se para o nosso Deus, porque rico é em perdoar. Porque os meus pensamentos não são os vossos pensamentos, nem os vossos caminhos os meus caminhos, diz o Senhor. Porque assim como os céus são mais altos do que a terra, assim são os meus caminhos mais altos do que os vossos caminhos, e os meus pensamentos mais altos do que os vossos pensamentos." 
_ Isaías 55:6-9

Engraçado que a segunda parte do versículo é bem conhecida, muita gente diz que os pensamentos de Deus são mais altos e tal. Mas antes ELE nos diz para deixarmos o nosso caminho, para então seguir o Dele.
Busquemos ao Pai hoje. Não espere "se consertar", pois se fosse por isso nunca estaríamos aptos para nos achegarmos diante de Deus.
Somos imperfeitos, MAS fomos aperfeiçoados em Cristo. Somos injustos, mas justificados em Cristo. Somos sujos (pelo pecado), mas lavados no Sangue. É por causa da Cruz vazia, do sacrifício de Jesus que temos acesso a Deus. Nada do que a gente faça adianta.
Apenas UMA coisa é necessária: ESCOLHER crer em Jesus. E toda crença vem acompanhada de ações condizentes. Porque a fé é prática.
E daí que vc faz isso ou aquilo? E daí que vc não se perdoa? Deus já nos perdoou e quando você entender isso, vai SE perdoar também. E se fazemos coisas que nos incomodam, ou coisas que sabemos que não são "corretas", aí é que precisamos andar com Aquele que é perfeito.

Não quero te desanimar, mas a tendência do mundo é piorar. MAS, "aquele que habita no esconderijo do Altíssimo à sombra do onipotente descansará". Ou seja, o lugar de descanso não é físico, é uma Pessoa (Jesus), e podemos habitar Nele pois ELE habita nos que crêem Nele. Assim, o mundo aqui fora pode desmoronar, o nosso mundo interior é renovado e isso nos mantém de pé.
Cada vez mais precisaremos estar firmes, alicerçados Nele, alimentando diariamente da Palavra, da Presença do Pai.

Beijos Boa noite de alguém que acabou de ser renovada. Porque isso é andar com Deus, quando eu estou fraca, Ele me faz forte!

segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Pra mim, é nutrição de alma.


Eu sei que a maioria tem facilidade em desfazer, desconhecer pessoas e tal.
Talvez porque cria uma perfeição pra alguém e quando percebe que a pessoa não é aquilo, quando percebe que a pessoa não segue o roteiro criado na cabeça dela para a tal, a pessoa já não serve mais. Então desfazem os laços criados juntamente com as expectativas, e jogam as pessoas num cesto como se fossem rascunhos amassados.
Será que estou sendo muito extremista? Talvez. Mas é o que faço quando escrevo. Amplio detalhes para que a gente enxergue.
Eu sempre tive certa dificuldade em fazer esse retrocesso. Fingir que não conheço alguém, fingir que alguém não me desperta alegria em ver, fingir que sei apenas seu nome. Aliás, fingir não é minha praia.
[Me falam constantemente que esse é o "Jogo da Vida" e que todo mundo faz esse jogo: fingir. Mas não dá, não é a minha praia mesmo! Nessa hora eu acredito quando minha mãe dizia "você não é todo mundo". É, ela estava certa.]
Meu processo é inverso ( e in-verso), eu conheço alguém e dou um papel em branco (na minha imaginação), e cada gesto vai construindo a pessoa dentro de mim. Conforme o tempo passa e eu tenho afinidade com aquilo que está sendo desenhado, eu vou sendo conquistada cada dia mais.
Enquanto as pessoas "desgostam" com o passar do tempo, eu faço é gostar mais! Porque, pra mim, não há nada mais encantador do que ver a nudez de alma do outro, a "HUMANIDADE" (o outro que é tão imperfeito quanto a mim). Sinto que entrei numa área restrita, e essa área me atrai profundamente.
Entenda. Não estou dizendo que gosto de alguém porque me sinto bem ao ver os defeitos do outro. Não, não busco algo pra justificar minhas próprias falhas. Estou apenas dizendo que meu processo de conquista é gradativo, é crescente. Talvez porque eu me entregue mais a medida que crio mais raízes na pessoa, porque eu gosto de raízes, de constância.
Aliás, acho que é por isso também que seja tão complicado pra mim entender o raso, o superficial, o inconstante. Porque não sou planta rasteira, me nutro na profundidade.

Não é o tempo que apaga a pessoa da sua memória, nem o tempo que grava a pessoa na minha.
Não é uma questão de tempo, é questão de profundidade.
Isso não significa que seja melhor ou que você seja melhor. É apenas uma diferença. Há pessoas que ficam na superfície e outras criam raízes.
Quem fica na superfície sofre menos, mas quem cria raízes é mais nutrido. Tudo tem vantagem e desvantagem.
Eu prefiro uma boa nutrição de alma. É uma questão de escolha.

sexta-feira, 27 de novembro de 2015

Uma questão de disposição.


É quase o mesmo gesto pra pedir silêncio e pra mandar um beijo. A diferença está no coração, na intenção... Se a gente se dispõe a amar, o ódio se cala, nem precisa mandar.

quinta-feira, 26 de novembro de 2015

Uma conversa de Adulto entre Flor e seu avô.



Flor estava sentada naquelas cadeiras de corda ao lado de seu avô.
Estavam apreciando o jardim e conversando.
-Flor, cadê aquele seu amigo? Vocês estavam tão próximos e parece que não ouço mais falar dele.
-É, nem eu, 'Vôzinho'. Ele desapareceu do nada.
-Do nada? Mas vocês pareciam se dar tão bem!
-Eu também não entendo, Vô. Ele parecia diferente dos demais. Me parece que ele não sabe ser amigo de meninas...
-Que coisa triste, minha filha, não saber ser amigo é algo muito triste...
-É, mas mais triste é que ele feriu meu coração.
-Feriu? Mas ele te respeitava tanto...
-Ele respeitava meu corpo, mas minha alma... Ele permitiu que eu abrisse minhas emoções, abaixasse a guarda, expusesse emoções, fraquezas, forças e, de repente, sumiu e agora finge que nem me conhece. Me trata com formalidade. O corpo é mais importante que a alma, Vô?
-Lamentável, meu bem, pelo jeito ele foi contaminado pelo mundo adulto. Não, não...o corpo também é importante, mas o coração é mais precioso, Flor.
-Mas vô, ele é tão inteligente, sensato, ...por que ele foi embora?
-Minha filha, esse é o mundo dos adultos, as explicações são ilógicas!
-Vocês chamam isso de 'adulto'? Ser adulto é agir assim? Eu não quero ser assim! Quer dizer que eu sou criança quando falo que sinto saudade quando a sinto, abraçando quando o toque é chamado, amando de graça, me interessando por seres humanos...? 
-Flor, minha querida, por mais que sua idade avance, você - graças a Deus- cresce pra dentro! Você jamais será assim, mas tem que entender e aceitar que a maioria perde essa simplicidade pois confunde maturidade com dureza. O seu significado de "ser adulto" é diferente. Mas tenha paciência com quem se perdeu pelo caminho... Não permita que essas "atitudes adultas" te machuquem tanto. Você tem uma sensibilidade peculiar, use-a em seu favor. E esse moço, provavelmente, não te feriu de propósito, ele apenas é "adulto".
-Humm...



sábado, 21 de novembro de 2015

Aprendi pelo caminho que...


Mesmo que já exista uma trilha, o caminho é novo e diferente pra cada um que o percorre. Porque não somos COISAS, estáticos, sem vida (óbvio, não?!).
Cada um possui uma bagagem emocional e espiritual, cada um enxerga de um jeito. E tenho percebido que cada olhar é complementar. A visão completa nunca é solitária.

Porque eu preciso do Pai pra ser.


Eu O adoro porque preciso.
Porque quando sou fraca, ELE me faz forte Nele.
Porque quando reconheço Quem Ele é, enxergo minha própria identidade de FILHA.
Porque quando estou aos pés Dele, essa á a posição mais alta que alcanço.
Porque quando me prostro diante de Jesus, ELE me ergue diante das circunstâncias.
Eu fico conectada 24 horas por dia a ELE porque é assim que funciono. Sem ELE não há vida. É como uma TV, só funciona se estiver ligada na tomada.
Eu O busco, O encontro e nessa comunhão me encontro, me descubro. E quanto mais me vejo, mais percebo que preciso Dele, do Amor de Deus, da Graça, da Salvação, da sabedoria, do perdão...
Se eu olhar para o mundo, me perco, porque não sou daqui. Não encontro identificação. Me desespero.
Por isso, minha maior batalha é olhar pra ELE apenas, só pra ELE, pra mais ninguém. Porque todos nós (que acreditamos Nele ou não) erramos, machucamos pessoas (mesmo que sem intenção) e somos machucados.
Não nos apeguemos às dores, aos fracassos, aos "nãos".
Lembremos que em Jesus somos justificados e aperfeiçoados. Nele JÁ somos justos! Mas só Nele. Por isso, permaneçamos Nele, porque não há outro caminho. Todos as outras estradas são pesadas, são por esforço próprio, são pela Lei.
Quando o mundo parece pesado demais, percebo que estou querendo carregá-lo nas costas. Não tenho esse poder. Isso é sufocante. Então, me jogo no colo do Pai, me desarmo, desabo, e ELE me faz voar novamente. Porque no colo Dele minha identidade de FILHA é relembrada, e sendo filha amada de Deus, posso todas as coisas.

Adore-O. Busque-O. Submeta sua alma ao seu espírito que foi ressuscitado pelo Espírito Santo, à sua nova natureza.

"Bendize, ó minha alma, ao SENHOR, e tudo o que há em mim bendiga o seu santo nome. Bendize, ó minha alma, ao Senhor, e não te esqueças de nenhum de seus benefícios. Ele é o que perdoa todas as tuas iniqüidades, que sara todas as tuas enfermidades, Que redime a tua vida da perdição; que te coroa de benignidade e de misericórdia,"_ Salmos 103:1-4

<3 p="">

Sobre as mínimas diferenças.


Às vezes fico pensando quão desafiador é lidar com as diferenças, nas mínimas coisas.
Como uma pessoa espontânea deve lidar com uma pessoa formal?
Acredito que cada uma deva ser fiel a sua natureza, ninguém precisa SE atropelar pra entrar no "jogo"(forma de relacionar) do outro.
(Claro, depende do nível de relacionamento. )
E agir naturalmente não é desrespeito com o outro, embora eu acredite que, nesse caso, por serem opostos, a forma de agir de um pode acabar ferindo o outro.
Lidar com essa diferença é que são elas ! Quando o natural de um soa como indiferença ou frieza do outro.
Aí se houver dor, que haja perdão e compreensão, entendendo que não é uma guerra, não te feriram intencionalmente; às vezes, nos sentimos feridos simplesmente porque a pessoa agiu de uma forma diferente do que acreditamos ser cordial.
Mas esse é o mundo, essa é a riqueza, esse é o aprendizado: estimular a singularidade das pessoas mesmo quando "essa" singularidade confronta.
Mas entenda, não estou falando de atropelar o outro. É preciso tato, amor e graça sempre, independente de seu temperamento.
Singularidade não é desculpa pra ser grosseiro com ninguém . Grosseria não é "seu jeito", é falta de jeito.

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

Dia da Consciência Negra?!


Fala que respeita o negro mas desrespeita o branco, fala que respeita o homossexual mas desrespeita o hetero, fala que respeita o que pensa diferente, o rebelde, mas desrespeita quem crê em Deus...?! Quanta discrepância, não?
Dia da consciência negra?!
Bom seria se todos os dias tivéssemos consciência de que não se separa SERES HUMANOS por cor de pele, opção sexual, religião...
Que todos os dias sejam de consciência e respeito ao ser humano, a começar pelos de nossas família. Respeitar os pais já é um começo.
Tudo começa em casa. Ser cordial com os de fora é fácil, a realidade a gente mostra em casa. Respeite simplesmente.

quinta-feira, 19 de novembro de 2015

Mude o jogo.

Se permitirmos que a raiva, o ódio e a amargura tomem conta de nosso coração, os terroristas - ou seja lá quem for (alguns políticos, por exemplo, no caso do Brasil)- terão vencido.
Certas situações causam indignação?? Sim. Doem? Demais!
Afinal, é nosso semelhante tendo seu fôlego de vida roubado.
Mas se retrucamos com as mesmas armas nos tornamos semelhantes daqueles que nos aterrorizam. Assim sendo, perdemos a razão.
Não estou falando para sermos passivos, e sim, PACÍFICOS.
Divulgar desgraças, fotos de crianças machucadas, disseminar essas coisas nos aprisiona. E quando percebemos, o "mau" venceu dentro de nós, pois já não temos paz, não temos bons assuntos pra compartilhar, não temos mais amor para dar... Quando percebemos estamos tão cheios de nós mesmos, tão cheios de justiça própria que não há espaço para Deus.
Essa é a estratégia maligna: ir nos roubando aos poucos.
Quando o mau vence do lado de fora é porque por dentro ele já é rei.
Claro, não concordo nem apoio nenhuma falcatrua política ou de quem quer que seja, e ver a morte de tantos me dói. Mas permitir que isso me domine seria dar a vitória às trevas. E eu? Ahhh eu sou luz!
Jesus pagou um altíssimo preço por mim e por você para agora, depois de tudo, nos submetermos novamente a jugo de escravidão?! Não. Te convido pra ser Luz. Não adianta reclamar que o mundo está difícil se você é mais um que o torna pesado.
Seja luz, seja sal. Seja leve. Seja paz. E pra ser tudo isso, esteja conectado com Aquele que é o Amor: Deus.
A decisão de como vai se sentir é sua, é minha. Vai alimentar o ódio ou o amor? O medo ou a paz?

Obs: sobre o terrorismo, não tem nada a ver com Deus; tem a ver com religião, poder... Jamais permita que isso te cegue e mude sua forma de ver Deus.

Boa noite.
Beijos
Com Amor...

sábado, 14 de novembro de 2015

Seja verbo.

Acalme-se.
Vai passar. É só um temporal.
Quando? Isso não cabe a mim responder.
Assusta? Sim, ainda mais se tirarmos nossos olhos do Alto.
Respire fundo. Sente o ar, o fôlego de vida? É seu. Foi dado à você.
E se a tempestade estiver dentro de você, permita que haja Sol. Descortine-se.
Clame a Deus, chame por ELE, e Ele fará separação entre luz e trevas, assim como no princípio de tudo.
E peço mais uma coisa: que essa luz que nascer aí dentro ilumine quem cruzar seu caminho.
Não seja mais uma teoria, mais alguém cheio de opinião e vazio de coração, não seja mais uma "prece", seja VERBO. Porque é o verbo que age, que transforma.
Mais amor? Não, acredito que não seja tão urgente assim. O que falta mesmo é AMAR.

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

Seja sua melhor versão.



Constantemente estão querendo nos padronizar (e nós fazemos isso com os outros também, muitas vezes, sem percebermos). A padronização facilita o entendimento, exige menos de nós, menos mergulhos, menos conhecimento do outro e de nós mesmos. A padronização facilita o controle também (para aqueles que usam disso pra se beneficiarem).
Mas eu vim aqui mais uma vez NOS DESPERTAR.
Cultive sua singularidade. Encontre sua identidade.
Te acham fora da casinha ?! Continue do lado de fora.
Não conseguem te categorizar?? Está no caminho certo!
Se mudarmos pra ficarmos "normais" (iguais a todo mundo) , se nossa referência é a pessoa ao lado corremos o grande risco de boicotarmos nosso próprio crescimento ou aceitarmos a ideia de que não podemos avançar para não sairmos do "alinhamento". Corremos o risco de sermos um "bando" de águias vivendo como galinhas: podendo voar, acabamos ciscando.
Se decidimos nos alinhar viramos massa, coletivo, nos tornamos apenas números. Entenda.
Não se torne comum apenas pra se encaixar. Isso é engano. O melhor encaixe está na riqueza de sermos indivíduos.
Nossa única referência, nosso único alinhamento deve ser com o Pai (Deus), pois foi Ele quem nos criou, Ele sabe de nossos potenciais. E se você, assim como eu, nunca se encaixou em prateleira alguma, devemos tomar cuidado para não ficarmos arrogantes só porque o paradigma do mundo não nos moldou, não nos venceu.
Cada e toda função é especial, independente da projeção que isso traz.
O êxito está em cumprir a função e não na "glória" que isso traz.
Há funções que são fundamentos, ninguém verá, mas são essenciais. Da mesma forma que alguém pode estar alcançando uma projeção social (sendo conhecido) mas pode não estar tendo êxito, porque o coração está contaminado ou porque está fora da função.
Não menospreze sua função, aquilo pelo qual seu coração queima, aquilo que você faz sem esforço algum. Nossa "função" é rio, flui naturalmente.
Lute para que sua essência ressuscite. E mais do que isso, busque QUEM criou você: Deus (Jesus). Ninguém melhor do que ELE para nos guiar para a nossa melhor versão.
Seja sua melhor versão.

terça-feira, 10 de novembro de 2015

Até o final.

Não podemos fugir das coisas, não podemos evitar as coisas esperando que elas desapareçam. Temos que passar!
Não se liberta das coisas correndo delas. Porque se você correr delas, elas te encontrarão em algum lugar.
Ninguém pode conquistar vitórias fugindo. Cedo ou tarde você vai ter que se posicionar e passar por isso. (Is 43:2) .
Sempre queremos que Deus nos livre de alguma coisa, mas muitas vezes ELE "quer" que passemos para vencermos, para nos aproximarmos Dele.
Geralmente, toda sabedoria que adquirimos, a conseguimos quando passamos por coisas não muito fáceis. Muitas vezes, nosso compromisso dura até que a dor chegue. Então quando a dor chega, nós queremos correr dela ao invés de recebermos uma força maior de Deus para passarmos por aquilo. Quando chegamos nesse momento mais difícil é quando devemos nos achegar ainda mais a Deus.
Muitas pessoas param quando sentem-se desconfortáveis, param quando requer delas sacrifício ou custar algo.
Não podemos correr das coisas difíceis, temos que aprender a prosseguir. Se não ficaremos na mesma montanha, vagando, vagando...
Às vezes tomamos uma decisão certa e parece que os problemas se multiplicam, mas...Prossiga até o final com Deus.

sábado, 7 de novembro de 2015

Seria melhor não poetizar tanto a vida. É, seria...


Lá estavam sob a luz da televisão, assistindo a mais um filme juntos.
Um pote de sorvete compartilhado. Esse foi o máximo que ela sentiu do gosto dele, através da colher também compartilhada. Tinha gosto de mistério. Indecifrável.
Estavam lado a lado mas com um espaço entre eles. O espaço do "território desconhecido", da dúvida, do receio.
Entre uma risada e outra foram se aproximando instintivamente.
Ele passou o braço por detrás do pescoço dela amparando-a. Logo, ela se aconchegou.
-Posso?_ perguntou referindo-se a deitar no peito dele.
-Claro._ respondeu puxando-a pra mais perto.

A atenção dela ficou dividida, não sabia se prestava atenção no filme ou se controlava-se. Sim, controlava-se, porque aquela situação toda era digna de intimidade, muita intimidade. Coisa que eles não tinham. Pelo menos, não fisicamente.
Mas tinham uma intimidade de alma, dessas que a gente não escolhe com quem tem, a gente simplesmente reconhece.
O sono chegou. Pra ele.
Ana não conseguia nem respirar tamanho auto-controle ela estava 'gastando'. Não, não estou falando de desejos carnais (apenas). Estou falando PRINCIPALMENTE de controlar emoções, porque, embora ela não quisesse admitir, ele tinha tudo que ela admirava, até as diferenças, até os pensamentos contrários aos dela Ana via como aprendizado.
Era difícil contrariar Ana, pois ela via tudo como aprendizado, como meio de melhorar-se, crescer.
O filme acabou. Ela ou ele teria que ir pro outro cômodo, afinal de contas, não eram nada um do outro pra dormirem juntos. Sim, simplesmente dormirem.
Enfim, nenhum dos dois teve a iniciativa de mudar de lugar. Aquele ambiente estava bom, a companhia, o calor, a cama, o toque...Ahh o toque!
Ele com os olhos fechados, fingindo que estava dormindo, ela o olhava sem pensar em muita coisa. Simplesmente o olhava e acariciava os cabelos dele. Ela estava tão presente ali que não conseguia divagar sobre mais nada, a mente dela achou sossego. Algo raro, diga-se de passagem.
Depois de um tempo, ela parou de lhe acarinhar. "Dormiu"_pensou. Deu-lhe um beijo na bochecha, outro no queixo e virou-se pro outro lado.
Em seguida, ele envolveu-a de costas, abraçou-a, entrelaçando a mão dele na dela.
Ele levantou os cabelos dela e deu-lhe um beijo no pescoço.
Suspiraram fundo. Juntos.
Nenhuma palavra. Nenhuma explicação daquilo que estava acontecendo.
Adormeceram enlaçados. 
Acordaram ressabiados. Ana, sem entender muito bem, tentava não romantizar tudo aquilo, pois pra ele poderia ser apenas uma noite como outra qualquer. Não que ele fosse daquele tipo de homem que usa mulheres para satisfazer-se, mas ele poderia ser mais um que vivia essas coisas sem tirar o coração do cofre. 
Seria melhor não poetizar tanto a vida. É, seria...






sexta-feira, 6 de novembro de 2015

É real.


Tanto tempo sem sentir o coração "ficar sem jeito", que todo jeito que ela dava era em vão.
Se apegou ao NÃO que ele verbalizou. Pisou no chão. Mas nada adiantou, ela ainda procurava por sua mão.
Ela achava que nunca mais iria sentir essa "agonia gostosa de querer" alguém e, de repente, o conheceu.
Se alguém contasse, não acreditaria. Mas eu vi, ela estava novamente sensível ao nascimento de um sentimento. Por tanto tempo ela ficou congelada, trancada, que era até estranho vê-la daquele jeito novamente.
De repente, ela estava ali o observando, olhando através dele, imaginando...
-Olhe ele...tão despretensioso e ao mesmo tempo tão cuidadoso, tão carinhoso e ao mesmo tempo tão ausente. Tão engraçado mas ao mesmo tempo tão sério que assusta. Parece tão receptível mas é tão fechado. Tão inteligente, maduro, ... fala a minha língua! Tão preciso nas palavras, nas carícias, sabe exatamente o que falar e onde tocar. [...]Olhe lá! Mas calma, não olhe agora, ele tá olhando.

Tentei disfarçar e olhei. Ele não estava mais lá. Ou será que nunca esteve? Confesso que cheguei a duvidar que ele existisse. Tão superlativo nas qualidades que ele se bastava ou talvez tenha sido apenas uma projeção, mais um sonho de Liz. Talvez tenha sido apenas porque Liz estava sem defesas quando o conheceu e acabou o considerando mais do que devia. 
Os dois formariam um belo par, eram equivalentes em praticamente tudo. Por que ele foi embora? Por que ele sumiu assim? Fuga, mania, pouco caso, ...são tantos motivos! Ele parecia estar tão interessado nela quanto ela nele. Será que ele mentiu com palavras ou com atitudes? O que seria menos dolorido pra eu tentar consolá-la?
Lá estava eu tentando achar uma explicação pra aquela "quase-história-de-amor" que eu tinha acabado de presenciar.
-Olhe! Pode olhar!_disse-me Liz novamente.
Quando olhei de novo, ele estava lá, olhando-a com um sorriso lindo no rosto, de peito aberto e dizendo: "venha".

Ele era real. Tão real e humano que voltou atrás e se arriscou no amor.
Afinal de contas, só humanos abandonam o orgulho e o medo e voltam atrás.
Só humanos em sua plenitude divina dispõem-se a amar.

terça-feira, 3 de novembro de 2015

Quando amar parece a única opção.


O dia estava só começando. O Sol mostrava toda sua graça.
A praia cheia era diferente do que ela estava acostumada na companhia dele.
Ela estava bem. Parecia um dia como os outros na companhia dele: excelente, mas,...sempre com um "mas".
Estava calor. Enquanto ele foi dar uma volta pela praia, ela resolveu entrar na água tentando afogar qualquer pensamento ou sentimento que estivesse querendo nascer. Nada adiantou, pois aquele ambiente solar era não só dela, mas também o habitat dele. Ou seja, era como se aquilo tudo o carregasse na memória. Entende?!
Clara voltou pra areia, relaxou diante do Sol. Corpo quente, cabeça fria.
De volta de seu passeio, Gael a convidou para um mergulho na água. [Claro que era na água, ele não estava pronto para mergulho em pessoas].
Ele mantinha uma distância um tanto indigesta pra ela. Isso fez com que a água parecesse mais fria do que realmente estava.
-Vou voltar pra areia. A água está ficando perigosa. _disse Clara indo em direção à praia. Mas nem era só o mar, era aquela distância toda que a incomodava
- Fica. _disse ele sem maiores explicações.
Ela virou pra trás e o olhou. Foram 10 longos segundos onde o "nada" não dito gritava dentro deles.
Ele foi em direção à ela e a abraçou. Mais uma vez, ela não sabia o q fazer. Ele a deixava embaraçada. Ficaram embaraçados, abraçados por um tempo. Água fria, cabeça fervendo e o corpo...o corpo era mantido sob absoluto controle por ambos. Por uma questão de necessidade [...]
Saíram do mar e sentaram-se na beira. Um ao lado do outro.
Ela temia encostar nele, qualquer esbarrão parecia dar choque. A praia já estava bem mais vazia, como ambos apreciavam.
- Posso?_ disse ele referindo-se a sentar-se atrás dela envolvendo-a com as pernas.
- Claro. _respondeu, surpresa. Era o que ela queria: um contato que fosse! Mas, ao mesmo tempo, ela mantinha-se atenta pra não deixar nenhuma emoção a mais se manifestar. Pois ela sabia que a qualquer momento aquilo tudo que estava acontecendo ali poderia se desfazer como uma nuvem, sem aviso prévio.
O Sol cobriu o mar de dourado. Amar...parecia simples naquele momento, parecia a única opção. E que bela opção!!!!
A noite chegou e nada mudou. Continuavam ali, juntos.
O vento frio na beira-mar os unia ainda mais.
Tudo tão perfeito: a noite, a luz da lua, o barulho do mar, ninguém mais por perto, o carinho trocado.
Não faltava nada. Aliás, faltou. Faltou o beijo que ainda não chegou.
Por incrível que pareça, todo esse ambiente, toda essa intimidade, todo esse carinho foi gerado sem nenhum beijo trocado.

Pra ele, um desafio, uma brincadeira pra conhecer seus próprios limites.
Pra ela, um sonho inacabado, uma brincadeira de mau gosto.
Mas como Clara tinha mania de sempre defender o indefensável, ela ainda se lembrava daqueles dias com muita alegria. E todas as vezes que fechava os olhos e esse dia a visitava, ela conseguia sentir toda a emoção daquele momento. E ela sorria.
Ela sorria mesmo depois de ele dizer friamente que tudo aquilo não passou de um "mero interesse" em conhecer, e que não houve absolutamente nenhum tipo de sentimento ou envolvimento.
Não sei se Clara sorria por não enxergar a realidade ou se era justamente por enxergar a verdade oculta. Porque nem toda realidade é carregada de verdade.




quinta-feira, 29 de outubro de 2015

Claridades de Clara.




Tão acostumada a ser amada que estranhava ações "frias".

-Por que me trata assim?
-Assim como?
-Parece frio, distante. 
-Não fale assim, esse termo "frio" tem uma má conotação.
-Ok. Perdão, mas sua ação é que sugere... 
-Não é frieza. Te trato normal. Trato todo mundo da mesma forma.
-Então! Esse é o problema. 
-Problema?
-Sim. Porque somos todos diferentes. Cada um tem um jeito único. Se você trata todo mundo igual, você nos faz coletivo. Faz da singularidade algo inútil, nos "massifica". E Deus nos fez tão diferentes! Você agir assim me parece que ignora os detalhes da criação, e eu sei que não ignora, mas parece.
-Desculpe, mas não era essa minha intenção.
-Tudo bem, eu sei que não, por isso estou te dando um "feedback". [...] Olha, você pode tratar todo mundo bem, mas não todo mundo da mesma forma. Por exemplo, eu te trato bem, mas não é do mesmo jeito que trato outra pessoa. Com você tenho outro grau de identificação, de intimidade física, emocional e espiritual, ... Se você trata todo mundo igual você exclui a maior riqueza do ser humano: nossa singularidade, nossa profundidade...
-É, talvez você esteja certa. TALVEZ.
Clara apenas sorriu porque ela sabia que ele não assumiria seu "erro" assim tão prontamente, assim como ela também sabia que ele poderia simplesmente dizer : "não, não é erro. É apenas MINHA singularidade".
E talvez ele estivesse certo. Talvez.
Mas será que tudo pode mesmo ser relativizado assim?
Se tudo pode ser relativizado, quando vamos assumir erros, ações precipitadas e mudar?
Se tudo é aceitável, quando iremos melhorar, amadurecer, crescer ?




sábado, 24 de outubro de 2015

Novos sapatos.



Às vezes, passamos por situações que nos privam completamente de tudo, e é nesse momento de privação que nosso interior se aflora, se expressa.
É no momento de deserto, onde estamos sozinhos, isolados de qualquer conforto externo, longe de pessoas que nos amam...é nesse momento que vemos se nossas raízes estão firmes ou não. É nesse momento que percebemos nossa fragilidade, e também descobrimos nossa força por trás de tanto choro. É nesse momento que vemos nossas
debilidades, vemos o quanto ainda precisamos aprender.
São momentos necessários, fazem parte do processo de amadurecimento pra quem busca sabedoria.
[Pra quem não busca crescimento, os momentos se tornam apenas dores inúteis].
Falando de forma pessoal, nesse momento, vi a fé que parecia tão forte "querendo" fraquejar mas, ao mesmo tempo, percebi que ela está com raízes profundas (não tanto quanto eu gostaria, mas mais do que eu imaginava) ; vi minhas crenças pessoais sendo questionadas; determinadas posturas que tive por anos sendo colocadas contra a parede.
Tudo parecia funcionar tão bem! E realmente, funcionava! Mas funcionava para aquele tempo, para aquela idade emocional e espiritual.
Nossas atitudes, assim como sapatos, quando crescemos não servem mais. E dói ter que jogar fora aquele sapato que foi útil durante tanto tempo. A gente se apega facilmente, e chama algumas coisas, erroneamente, de "meu jeito".
Mas "meu jeito", às vezes, precisa mudar.
Não estou falando de perder a essência, estou falando exatamente do contrário: guardar a pureza da essência. E para guardá-la no percorrer da caminhada, como as adversidades mudam, nossas "armas" precisam mudar também.
A gente se protege do vento dentro da caverna, mas quando vem o frio precisa do fogo.
De repente, fogo vem e se alastra e a gente precisa da água para apagá-lo. E o fogo apaga, vem uma chuva forte e inunda tudo. A caverna não resolve, o fogo muito menos, é preciso um barco.
Assim somos nós. Para cada passo novo, pra cada degrau mais alto, um novo "sapato", um novo recurso.
O pé continua sendo seu (a essência continua sendo sua) mas agora com nova roupagem. Mas falo de nova "roupagem" e não uma armadura que nos blinda de tudo e todos. E saber manter esse equilíbrio, discernir roupa de armadura é o desafio.

terça-feira, 20 de outubro de 2015

Saia da margem.

Olha-se tanto pra si mas não olha-se pra dentro.
Estão tão atarefadas com seu próprio benefício que nem percebem que quando somos importantes pra alguém e fazemos alguém feliz - com um "Oi" que seja - somos mais felizes.
Às vezes somos cordiais com quem está longe, ajudamos e tal, mas negligenciamos quem está ao lado.
Claro, podemos e devemos ser felizes com nossa própria companhia mas jamais cair no abismo de ficarmos "ensimesmados".
A imprevisibilidade anda tão previsível.
É tanto remédio contra os sintomas mas nenhum contra a causa.
Estou me sentindo de determinado modo? Faço mil coisas, encho meu dia de tarefas, compromissos, ao invés de buscar a origem do "sentimento" e tratá-la juntamente com Deus.
Tanto conhecimento técnico, científico, cultural, e quase sempre muito bem aplicados quando aconselhamos amigos, mas quando é em nós...
Essa incoerência me tortura! E o fato de eu tentar se coerente assusta alguns.
É tanto "conte comigo" falado, mas na hora da prática...são tantas ausências.
É tanto altruísmo discursado e egoísmo praticado.
É tanta "ajuda" em forma de mercado, companhia em forma de tratado.
É muita "bondade" planejada: "te faço isso pra você ter uma boa impressão sobre mim, pra ganhar sua admiração. Eu preciso de pessoas me admirando...".
Claro, isso tudo é inconsciente. Mas o inconsciente pra você, às vezes, grita para o outro.
O obscuro pra você é claro pra o outro. Por isso, às vezes, é importante ouvirmos o que o outro tem a nos dizer. Ouvir com discernimento, pois pode ser verdade o que o outro vê, mas pode não ser.
Mas esse "ouvir" gera crescimento.
O envolvimento gera o desenvolvimento.
Se não nos envolvemos, não enfrentamos o medo e as demais coisas que nos assustam.
Se não nos envolvemos, vivemos na margem do rio ao invés de mergulharmos; vivemos "mais seguros" mas completamente aquém do que poderíamos viver.

Saia da margem, do discurso, da janela. Entre no rio, ouse praticar, enxergue-se. 

"Quem se isola, busca interesses egoístas, e se rebela contra a verdadeira sabedoria"_Pv 18:1.

sexta-feira, 16 de outubro de 2015

Calma de Deus.


Não sei o que acontece mas diante do mar o silêncio me inunda.
Tudo para.
As perguntas cessam.
E uma enorme e completa reticência se estabelece.
Não há dúvidas.
Não há planos.
Não há nada.
Só Ele e eu.
Pra mim, o mar é a calma de Deus.
E a calma Dele me transborda.

terça-feira, 13 de outubro de 2015

Ser cristã e atriz.

Sempre me perguntam: "como é ser atriz e cristã? "
Ué, da mesma forma que ser qualquer outra coisa! Deus não muda por causa da profissão. O que muda é o julgamento do POVO.
O que me limita não é meu Pai (Deus), o que me causa certa agonia é o olho mau da maioria religiosa que assiste tudo quanto é coisa, mas se a atriz for cristã já julga. Isso que dá confundir RELACIONAMENTO com DEUS com religião! tsc tsc tsc...
Sou FILHA, essa é minha identidade, esse é meu DNA.
O dom vem do Alto, foi ELE quem me deu e colocou arte no lugar de meu sangue.
O grande "problema" de minha profissão é que me expõe mais; supostamente, fico mais sujeita ao julgamento das pessoas. Falei "problema" -entre aspas- porque, na verdade, isso não é problema meu. Busco ser guiada pelo Espírito Santo.
O que assusta as pessoas é que a arte não pode ser engaiolada, não cabe dentro da religião, e esse "não poder padronizar" desperta a ira dos encarcerados. A liberdade desajeita a organização.
Por favor, entenda. Acho que você tem maturidade pra entender o que digo e não ficar buscando entrelinhas.
Minha profissão não limita minha intimidade com o Pai. Mas meu amor por ELE pode limitar com relação a determinados personagens e histórias. Isso, sim, é complicado pra mim, pois meu perfil se encaixa em "determinados" personagens, e o fato de eu não aceitar "algum" me exige viver ainda mais pela Fé; afinal, vivo (financeiramente) do meu trabalho.
Minha bandeira é ELE, e não faria algo que O ofendesse.

Trazendo pra sua realidade... Você que é médico, só atende cristãos? Você só assiste filme cristão? Você que é administrador, a empresa que você trabalha é cristã? Você que é qualquer coisa...
Não é o lugar ou pra quem você trabalha, é quem você é Nele que importa.
Levante a bunda da cadeira e vá ser luz onde você está agora.
É disso que o mundo precisa: sal e luz.
É isso que precisamos ser: expressão do Amor Dele na Terra, e cada um é essa expressão dentro de sua vocação.

=)
Obs: sempre quis falar sobre isso. Tá aí! Beijosssssss

sábado, 26 de setembro de 2015

Sobre a distância.

Sinceramente, eu não sei como cabe tanto amor dentro de mim!
Talvez porque o próprio Amor (Deus) habite aqui dentro.
Mas há momentos que parece que meu corpo e alma ficam pequenos pra tanta graça e sentimento!
Aí eu preciso gritar, me expressar! Mas por eu estar longe não posso me expressar de outra forma que não seja por palavras.
E mesmo que meu corpo pareça pequeno pro tamanho do amor, eu consigo carregar, porque o Amor é grande mas é leve!
O grande problema é a saudade que vem em estado líquido e quando me enche, transbordo e ela escapa pelos olhos.

terça-feira, 22 de setembro de 2015

Prudência ou receio?


Me sinto transbordar. Preciso falar.
Mas, ao mesmo tempo, parece que eu já disse tanto que me calo por um tempo.
É engraçado, porque eu não disse! E alguém espera que eu diga, que você diga.
O óbvio precisa ser dito, pois carrega com ele uma incerteza por ser tão claro.
Eu sei, parece contraditório.
Vamos tentar entender isso. Juntos.
O que é óbvio pra mim pode soar completamente inusitado pra alguém.
Há um caminho que a expressão- seja ela qual for, corporal, verbal - passa. E nesse caminho algumas coisas podem não ser notadas, podem ser perdidas, podem ser PEDIDAS.
Eu sei, está muito subjetivo tudo isso. É que estou em conflito, não quero ME repetir, dizer de novo, e de novo e de novo....
Mas aí me lembro que eu não disse. Isso mesmo, eu não disse ainda. Tudo não passou de um conflito e um diálogo interno. O outro não ouviu, aliás, sequer percebeu.
O outro. Ele ainda espera por uma manifestação.
Mas como jogar tudo em cima da mesa se ele pode simplesmente tirar a mesa?
Como contar tudo que se passa aqui dentro se do lado de fora ele pode ir embora ainda?
É isso mesmo, EU, logo EU, estou com receio de me abrir?
Até onde é receio e até onde é prudência? Uau, que linha tênue!
Não quero ser encarada como maluca, e infelizmente, quem expressa sentimentos de forma clara e sem jogos é visto assim.
Expressar interesse, curiosidade, qualquer coisa rasa...tudo bem pra maioria. Mas expressar emoções?
Falar "você desperta meu interesse" é tranquilo, agora falar "eu gosto de você e estou disposto a caminhar com você e te conhecer"?! Ahhh aí é que são elas!
E ouvir algo que não passa pelo caminho da emoção soa frágil demais para que eu possa me sentir segura pra GRITAR o que se passa aqui dentro.
Por isso, fico em silêncio, porque por dentro há um alvoroço.
Me calo, pois não conseguiria falar algo sem denunciar a emoção.
E eu não me denunciaria, afinal, a gente sabe que nesse mundo, quando o coração se denuncia ele pode ser preso.






segunda-feira, 14 de setembro de 2015

Não deveria ser tão complicado.


Enquanto muita gente gostava de conhecer novas pessoas "interessantes", tudo que Ana queria era que alguém a salvasse desse mundo cheio de possibilidades interesseiras.
Ela só queria uma certeza, alguém que a tirasse daquele mar de convites incessantes, que para a maioria era sinal de sucesso, mas pra ela era desgastante.
Ela só queria sentir-se segura, saber que ele não iria embora caso percebesse que ela já era sua.
Ana só queria que alguém pegasse em sua mão e não soltasse mais.
Ela só queria alguém que a entendesse sem ela ter explicar,
alguém que soubesse lê-la mesmo sem ela pontuar.
Alguém que entendesse vírgulas, parênteses e reticências.
Ela só queria conversar à toa, ver sem motivos.
Ela só queria tratá-lo com sua doçura que lhe era peculiar ao invés de tratá-lo como um amigo sem intimidade ou pretensão.
Ela só queria abraça-lo toda vez que sentisse vontade.
Ela só queria não ser vista como "maluca, insensata" simplesmente porque se permite SENTIR.
Não seria um pedido tão difícil se o mundo fosse um pouco mais leve e as pessoas não complicassem tanto.

domingo, 13 de setembro de 2015

Não deduza.


Como é importante largarmos as deduções e buscarmos clareza!
Como é bom estarmos errados quando interpretamos alguém de forma equivocada. E como é bom podermos voltar atrás, corrigirmos, mudarmos ao invés de nos apegarmos a uma opinião só pra não "darmos o braço a torcer".
Como é bom tentar olhar com os olhos do outro. Porque, algumas vezes, o que pra gente é normal, habitual, pro outro é uma grande demonstração de afeto. E se não soubermos disso podemos achar que o outro "faz pouco caso" ou não te trata de forma "especial" (quando é isso que se espera!).
Por exemplo, sou acostumada com um nível alto de gentilezas entre amigos, então não é qualquer gesto que me faz perceber algum carinho a mais. Mas aí alguém que não tem esse costume, alguém que não tem a prática da gentileza gratuita, age exercendo sua doçura e, por ser comum pra mim, não percebo. Se não conversarmos, não expormos fatos, pontos de vista, ele pode ficar decepcionado por eu não perceber, e eu ficar decepcionada por ele "não fazer nada", sendo que ele estava dando seu "tudo".
Entende?!
Às vezes, o meu tudo é óbvio pra alguém, então preciso aprender o que o toca.
Precisamos ouvir e aceitar essas diferenças pra não julgarmos de forma errada o que o outro nos oferece, para não menosprezarmos o esforço do outro.
O que pra você é fácil, pode ser difícil pra alguém.
"Colocar-se no lugar do outro" é "ser o outro" nas condições dele.
Pensemos nisso.
Não deduza, pergunte, converse, aprofunde.

Beijos
Com Amor...

quarta-feira, 2 de setembro de 2015

Permaneça.


"E respondeu-lhe Pedro, e disse: Senhor, se és tu, manda-me ir ter contigo por cima das águas. E ele disse: Vem. E Pedro, descendo do barco, andou sobre as águas para ir ter com Jesus. Mas, sentindo o vento forte, teve medo; e, começando a ir para o fundo, clamou, dizendo: Senhor, salva-me! E logo Jesus, estendendo a mão, segurou-o, e disse-lhe: Homem de pouca fé, por que duvidaste? "
_Mateus 14:28-31

Acho que muitos conhecem essa história, mas resumindo, Jesus andou sobre as águas para encontrar os discípulos que estavam no barco. No início eles assustaram, mas depois Pedro teve a reação descrita acima.
Sabe, viver por fé é um convite a todos nós.
Parece loucura? Parece. Mas loucura mesmo é viver sem a Fé em Cristo.
Claro, é um desafio para nós: negar as circunstâncias, o "óbvio", o visível para se apegar ao invisível. Mas não é um invisível apenas, é a Palavra de Quem Criou o mundo. É ELE quem sustenta todas as coisas.
Muitas vezes, até damos o primeiro passo de fé. Pisamos sobre as águas. Mas aí as circunstâncias não mudam. E quem disse que é pra mudar? Quem disse que as águas ficariam firmes para que Pedro continuasse caminhar? O firmamento não é onde pisamos, é onde focamos nosso coração e Fé: Cristo.
Claro, às vezes as circunstâncias mudam. Mas às vezes, nossa tarefa é continuar andando sobre as águas.
O nosso maior desafio nem é tanto dar o primeiro passo, e sim, continuar a caminhada "até que"... Até que cheguemos ao destino desejado.
 Pedro começou a afundar porque duvidou, porque olhou ao redor, olhou Brasil quebrando, olhou empresas fechando, olhou o amor esfriando...ESSAS são as circunstâncias que nos cercam atualmente. MAS a verdade é o que Deus diz a nosso respeito. A Verdade é que ELE é nosso sustento, ELE é nosso ajudador, ELE é nosso Norte. Firmemos NISSO.
Não tire os olhos de Cristo.
E daí que o mundo está desabando? Creia e PERMANEÇA CRENDO, assim andará acima das circunstâncias, alcançará o impossível.
E se te chamarem de louco? Oras, as coisas de Deus são loucura para os homens de pouca fé mesmo.

Beijos de alguém tão humana quanto você mas que DECIDIU crer (de verdade).
Com Amor...

quarta-feira, 26 de agosto de 2015

Procurando por palavras.



Clara ainda estava lá procurando palavras.
Não sei o que acontece para elas fugirem assim (as palavras).
Ela ainda não sabia dar nomes.
Era estranho, inesperado.
Tão simples que ficou complexo.
"É só um sentimento querendo brotar", ela pensou.
"Só?", ela mesma questionou, "como se o despertar de um sentimento fosse a coisa mais tranquila do mundo".
Clara era dada a monólogos.
É, ela estava com um certo receio.
Já não aguentaria passar pelas mesmas dores.
"Por favor, dores diferentes pra agora", era só o que ela pedia.
Não que ela desejasse a dor, mas sabia que em alguns momentos são inevitáveis, já que ela tinha uma sensibilidade gritante.
Não tinha palavras. Não tinha lógica. Não tinha tempo o suficiente.
"Eu sei, o tempo não diz nada", ela já SE explicava.
Depois de anos, pela primeira vez alguém tocou seu coração. E sem pretensão!
Esse era o medo dela, ele não ter pretensão alguma.
"Ahh como as pessoas andam desumanas, me sinto tão humana por SENTIR. Parece que só eu sinto o mundo inteiro!", ela refletia.
Não, ele não fez nada grandioso.
Clara sempre se apegou aos detalhes, ao abstrato, ao invisível. E era isso que a traía, pois era sem perceber que ela era atraída.
"Ele é tão diferente, me parece frio, distante, inconstante....Estou tão acostumada a pessoas que se expressam, que ligam sempre, mandam mensagem, se fazem presentes", mais uma vez Clara tentava entender tudo aquilo, pois ela gosta de PRESENÇA constante (física ou não).
"Ele é educado mas parece que, às vezes, não quer ser pra não parecer tão doce...Mas eu sei, eu seiiiii, a natureza dele é gentil e tomara que seja doce!", a discussão interna continuava.
E, sem entender, sua mente apenas pensava na praia durante a noite, no cuidado despretensioso dele (ele parecia não querer demonstrar sensibilidade)...
Ela fechava os olhos e toda sua memória se enchia de QUATRO DIAS!
Como alguém enche toda memória da gente com quatro dias?
A despreocupação com as horas.
As carícias trocadas.
O barulho da respiração.
A melodia do coração que ela ouviu enquanto estava deitada no peito dele.
O sorvete dividido.
E os pés gelados sendo aquecidos ora por pele, ora por meias colocadas por ele.
E pra completar, ele tinha algo que ela sempre pediu ao Pai (Deus): ele amava a Deus sobre todas as coisas (de verdade!), algo que ela achou que não fosse encontrar.
Que grata e temível surpresa essa aproximação!


quinta-feira, 20 de agosto de 2015

Vença por dentro primeiro.


Cada dia que passa eu tenho mais certeza que o mundo interno governa o externo. Às vezes não percebemos porque não é simultâneo, algumas coisas levam um tempo pra florescer dentro de nós mesmo que a semente já tenha sido lançada.
Explico.
Nossa maior vitória não é conseguir uma ascensão financeira ou vencer alguma batalha da vida. Nossa maior vitória é vencer os monstros do lado de dentro, é vencer o medo, o orgulho, a arrogância, a escravidão de algumas coisas...e vencer, principalmente, a incredulidade - que é a raiz de inúmeros outros males.
Quando a gente SE vence, as circunstâncias pouco importam.
Claro, teremos batalhas internas sempre, mas que sejam novas batalhas e não as mesmas.

Não cheguei a essa conclusão por "idealismo", mas por ver isso na Palavra do Pai.
Talvez você não conheça a história de Davi, mas antes dele ser rei, ele passou um bom tempo sendo "formado". Enquanto ninguém o via, ele lutava contra a rejeição, contra leões e ursos (literalmente)... E quando ele - adolescente, de pequena estatura (externa)- foi o único que teve coragem de ir contra Golias (o gigante), ele não o fez por coragem, ele venceu o gigante por causa da confiança.
Isso mesmo, ele conhecia o Deus vivo que ele servia, e também, por dentro ele já tinha vencido.
Que a gente chegue nesse lugar, onde o que está construído por dentro tenha alicerces tão profundos que os gigantes de fora não nos assustem mais.
Quando estiver diante de uma situação embaraçosa, que te induza ao erro, ao pecado, a desistência, lembre-se: a guerra é interna. Liberte-se por dentro, e então do lado de fora você irá voar!
E essa vitória é possível com a ajuda do Espírito Santo e Ele está disponível para todos.
Creia, e as circunstâncias não determinarão onde nem como você agirá. Beijos Com Amor... Boa noite.

Sede sóbrios.

"¶ E já está próximo o fim de todas as coisas; portanto sede sóbrios e vigiai em oração. Mas, sobretudo, tende ardente amor uns para com os outros; porque o amor cobrirá a multidão de pecados." _1 Pedro 4:7-8

Sim, é importante ser sóbrio e vigiar EM ORAÇÃO (deixando claro que o VIGIAR aqui não é a vida alheia, é a si mesmo). MAS SOBRETUDO vamos EXERCER o amor, e não apenas dizer que ama. Qual é a diferença? O amor (prático, de verdade)cobre multidão de pecados, perdoa.
Se você está expondo os outros, criticando sempre, cobrando apenas, você não está praticando o amor. E aqui não falo apenas de conhecidos ou amigos.
"Se achar" cristão ou santo é muito fácil. Olhar o cisco no olho do outro mais ainda. Mas ser um pequeno Cristo (cristão), ser expressão Dele nesse mundo é AMAR. Claro, não confunda cobrir pecados com ENCOBRIR pecados. O amor confronta, exorta sim, mas tudo com graça e sabedoria.
E quando falo PECADO, falo de falhas, defeitos nossos.
E como exercer esse amor? Basta olhar seus próprios defeitos, reconhecê-los...Basta se olhar no espelho e ver que VOCÊ também precisa da graça e misericórdia! Você, assim como eu, também precisa do Amor e Perdão de Cristo. E só quando recebemos esse AMOR podemos dar a outros.

Beijos
Com Amor..

sexta-feira, 14 de agosto de 2015

Na intimidade tudo se revela.

Quanto mais a gente encontra com Deus(JESUS) e se torna íntimo Dele, mais a gente conhece a nossa própria realidade.
Quando vemos a Glória Dele, falamos: "ai de mim". E quando isso acontece, não devemos nos assustar. Porque quando nós reconhecemos nossa fraqueza, ELE nos faz fortes Nele.
Ele não nos recrimina por causa de nossas falhas, mas ELE quer nos aperfeiçoar.
Não devemos temer nossas sombras quando a LUZ (Jesus) é nossa companhia.
ELE nos ama apesar de nós, apesar de nossas limitações.

Quem não reconhece seu pecado, sua debilidade, quem se acha bom demais não valoriza a Cruz de Cristo.
Fiquemos atentos.
Só dá valor à Misericórdia quem precisa Dela. E só precisa Dela quem se enxerga!
E aí, como andam seus olhos a respeito de você mesmo? Você tem SE enxergado?

Obs: encontrar com Deus é buscá-lo, conversar com Jesus, ler a Palavra, se alimentar Dele...entrar pro quarto e abrir o coração. Por Fé.
Chega uma hora que a Fé é a coisa mais lógica que existe. Acredite em mim.

Beijos
Com Amor

A importância de Conhecer a Deus.

Mas, ainda que nós mesmos ou um anjo do céu vos anuncie outro evangelho além do que já vos tenho anunciado, seja anátema. _Gálatas 1:8

Cuidado com o "evangelho" que tem ouvido.
É muito importante conhecer a Palavra porque nos alimenta, nos edifica, e também, para não sermos enganados.
Qualquer líder religioso que queira vender a Graça ou a obra da Cruz (salvação, paz, prosperidade, saúde, alegria...) está fora do Cristianismo! Fuja desses!
Afinal, se tivéssemos que pagar, Jesus não precisava ter vindo e ter passado por tudo que passou.
Beijos!
Subamos o nível de intimidade com o Pai( Deus).

Eu sei, intimidade nos leva a liberdade. E liberdade nos leva a responsabilidade. E pra ser responsável é preciso coragem. Mas, pensando bem, você é o único responsável pelas suas escolhas (querendo ou não).

terça-feira, 4 de agosto de 2015

Relacionamento com Deus.

Mas quando você orar, vá para seu quarto, feche a porta e ore a seu Pai, que está no secreto. Então seu Pai, que vê no secreto, o recompensará." _Mateus 6:6

Por que Jesus nos ensina entrar no quarto, fechar a porta e ir orar?!
Claro, a Bíblia também nos ensina a orar em todo tempo, a vigiarmos, ficarmos atentos. Mas ele enfatiza aqui nesse versículo o "entrar para o quarto, fechar a porta..."
Primeiro, nos versículos anteriores ele estava dizendo que muitos, publicamente, se faziam de santos, eram cheios de palavras "de Deus", queriam mostrar para os outros quão bons eles eram, e falavam no nome de Deus por pura vaidade (para serem vistos como BONS, o que acontece bastante até hoje), mas na vida deles não havia muita prática ou coração. O coração deles não estava em Deus.
MAS, O FOCO QUE QUERO DAR É: É NO QUARTO QUE TEMOS INTIMIDADE, QUE SOMOS O QUE SOMOS, QUE ABANDONAMOS NOSSOS DISFARCES...É ali que precisamos nos abrir ao Pai. É no tempo a sós com ELE que O conhecemos.
Fazendo uma analogia, é no quarto que temos INTIMIDADE, que conhecemos mais um ao outro. E é na intimidade que geramos VIDA, não é?! Então, com Deus é a mesma coisa.
Ele está focado em nosso coração, ELE gosta de profundidade de relacionamento. Porque é na entrega que somos moldados. É diante da Luz Dele que podemos enxergar quem somos, nossas dores, fraquezas, e também nosso potencial e nossa identidade de FILHOS de Deus.
A RELIGIÃO pode, sim, construir obras, fazer grandes coisas no nome de Deus. Mas acontecerá como está escrito, Jesus disse: "NÃO vos conheço" (Mateus 7:22, 23).
Por que? Porque, apesar de eles fazerem coisas no nome Dele, eles não tinham INTIMIDADE com Jesus. A religião pode ter obras, mas VIDA?! Ahhh VIDAAAA só é gerada num RELACIONAMENTO.
Invista no seu relacionamento com Jesus Cristo, vc só tem a ganhar!

Beijos
Boa semana!
Com Amor...

obs: escrito em 2014.

segunda-feira, 3 de agosto de 2015

DNA corrupto.

Tenho 'pena' do povo da Odebrecht e tal.
Calma, não tire conclusões precipitadas.
Explico.
Isso que temos assistido há alguns meses sobre a "nojeira" que acontece na Petrobrás, acontece há anos no Brasil inteiro, desde as menores prefeituras e empresas às maiores.
Ou você acha que isso não acontece?
Sério que você acha que isso é um caso isolado?
Nas mínimas coisas vemos isso acontecer.
É a corrupção que se tornou parte do DNA do brasileiro. Lamentável.
Há em outros meios. No meio artístico, por exemplo, existem outras formas de se cobrar por uma indicação. E quem não paga, percorre um caminho bem maior.
Ainda no meio artístico, o que têm de produtoras que "pegam" mais de 50% do cachê dos atores não é brincadeira! Passam para as agências um orçamento de 5X e quando vão pagar os atores pagam 1X, e olhe lá!
E patrocínio de Programas de TV ou filmes e tal? O responsável por fechar o negócio, só fecha se ganhar por fora! E ainda têm a coragem de dizer que isso faz parte!
No meio de grandes construções civis e tal, está tudo dentro da lei, tudo certo, mas o prefeito não libera a autorização se ele não ganhar por fora. É isso ou você está fora.
Ou seja, a coisa chegou num nível tão absurdo que precisa-se pagar para trabalhar. 
E mais, se você for do tipo certinho (como eu e alguns) te criticam, te tiram da jogada e ainda dão um jeito de deturpar tudo pois sabem que não podem contar com você pra encobertar as podridões. Aí ficam com medo, pensam que se você não é como eles, é inimigo deles.

Falei que tenho pena porque os maiores culpados são os que detêm o poder de aprovar ou não.
Se esse povo - do caso citado, Odebrecht - não pagasse a propina, eles não trabalhariam.
Entenda. Falei "maiores culpados", porque quem se sujeita à corrupção, também colabora com ela. Tenho "pena" pois esses foram apenas "bodes expiatórios".
Quem dera se isso tivesse servido de exemplo e nossos políticos tivessem parado com a prática de "ganhar" além do que lhes é pago.

Só Deus! LITERALMENTE. Só Deus pra mudar esse DNA, para transformar água em vinho, para mudar o caráter... Mas sujeitar-se a Deus é complicado para a maioria, afinal, exige abrir mão de si.
O mundo está do avesso e ao invés de o ajustarmos, estão se moldando de acordo com o mundo. Triste e medonho isso! ‪

#‎ProntoFalei‬

O Bom Samaritano.

Ontem assisti a uma situação que explica bem como temos vivido.
Falo da enorme distância entre o que falamos e o que praticamos.
Ontem à noite, o culto acabou. Foi ótimo, como sempre! Deus usou pessoas para falar conosco. MAS, muitas vezes, a semente cai em terra dura e acaba por não florescer.
Como percebemos se nosso coração recebeu a palavra ou não? Na hora da prática. Porque a mente, nossa razão recebe fácil.
Mas, sinceramente, o mundo não precisa de mais conhecimento, mais teoria sobre o amor, mais informações que parecem sensatas. O mundo e nós precisamos da vida, de todo esse conhecimento em ação!
Quer ser expressão de Deus falando sobre Deus? Chega a ser cômico isso!
Ser expressão do Pai é FAZER o que ELE faz.
Mas voltando a situação que vivi e assisti... O culto acabou e uma senhora pobre que mora muito longe teria que voltar pra casa dela de ônibus junto com dois netinhos.
Eu estava sem carro, então minha mama e eu saímos perguntando para as pessoas se elas podiam levá-los.
Pasmem! A resposta de TODOS foi "não posso", pois ela morava longe. Mas é justamente por isso que precisava de "carona", oras! E se fosse uma pessoa rica, influente que precisasse? Será que seria tão difícil achar alguém disposto? Que tipo de amor é esse que dizem e pregam, que se não tiver interesse (algum retorno), não servem uns aos outros?
Uns nem paravam pra ouvir, como se não fosse da "conta deles".
Outros fingiam comoção.
Ok. Alguns, realmente estavam com o carro cheio e tal. Mas outros... Um que é "líder" respondeu : "não posso, vou sair pra comer pizza". WHAT???? Ficamos chocadas! Assisti a parábola do "bom samaritano" na minha frente! (leia Lucas 10:25-37). Os entendedores da "lei", da religião tirando o corpo fora da situação.
Mas aí me lembrei de um amigo que tem um coração como o de Jesus, um amigo que não apenas sabe sobre o Pai (Deus) como também O expressa : Hugo Santos (tenho que citá-lo, honrá-lo ).
Ele disse: "vou sair também, mas levo-a em casa antes".
Viram? Simples! O amor sendo expressado.
Falar "mais amor, por favor" é fácil demais! Escrever nas redes sociais criticando os outros consegue ser ainda mais fácil para a maioria. Mas na hora que nos é dada a oportunidade de fazermos a diferença fingimos que não é com a gente.
É, é da nossa conta sim!
Essa história foi apenas UM exemplo do que acontece corriqueiramente em nossas vidas.
Será que somos um bando de gente "pregando" gentileza, simplicidade, mas na prática somos arrogantes, egoístas...
Aos que, como eu, acreditam na Bíblia e seguem Cristo, lembrem-se: na Palavra diz que os FILHOS (aqueles que têm Deus como Pai) seriam conhecidos pelo AMOR.
Está passando da hora de alinharmos o que falamos, o que dizemos crer com o que praticamos.

Beijos
Boa semana!
Com Amor...

sexta-feira, 31 de julho de 2015

Não passe.



Coragem é indispensável pra se VIVER. Caso contrário, a gente apenas passa pela vida.
Se não tem coragem, passa pelo amor de sua vida, passa pelo emprego dos sonhos,.... Passa, inclusive, pelo SONHO.
É sua vez de agir, de ser feliz e o que você faz ? Passa?
"Passa a vez" como num jogo? E joga a responsabilidade para um, para o outro.
Desculpe, mas preciso fazê-lo enxergar.
Não vai ser fácil escolher agir pela coragem e não pela covardia de "deixo a vida me levar", mas é difícil só no início.
Enquanto que se você apenas passar pela vida - por mais cômodo que seja - uma hora isso vai incomodar, se você PARAR e pensar.
Enfrentar-se é dolorido mesmo, reconhecer defeitos, mudar. Mas é melhor enfrentar-se agora do que com uma bagagem cheia de covardia no peito.
Eu insisto nisso porque me dói ver o que perdi sendo covarde. Algumas coisas a gente recupera, outras não.
Eu insisto nisso porque desejo muito que a gente viva a plenitude que Deus nos disponibilizou.
Mas jamais, JAMAIS, confunda coragem com insensatez.
Coragem é pra viver lúcido, viver livre de amarra- seja ela qual for -, coragem pra lutar por quem se ama ao invés de ficar com quem convém, .... Coragem para acreditar no seu sonho, pra descobrir-se por dentro. Coragem para fazer escolhas e arcar com as consequências. Coragem pra voar e também pra saber pousar quando necessário.
Por favor, não passe pela vida. Dê significado a ela. Tenha coragem!

quarta-feira, 29 de julho de 2015

O desafio de Amar ao próximo.

O desafio de praticar o amor ao próximo (principalmente por aquele que é tão diferente de nós ou, muitas vezes, doente emocionalnente)....
Isso só é possível quando Cristo vai sendo construído dentro de nós. E também quando percebemo-nos por dentro, tão falhos, e ainda assim Ele nos ama. Mas falo do Amor genuíno e não esse sentimento, muitas vezes, doente que chamamos de amor.
E a construção de Cristo em nós só é possível quando ESCOLHEMOS nos alimentar Dele, de sua Palavra, ter intimidade com Ele e, muitas vezes, dizer "não" a nossas vontades egoístas e rebeldes.
O Amor Dele nos cura, nos liberta, nos constrange, nos ensina.
Se você não sentiu esses efeitos em sua vida, provavelmente o Amor Dele ainda é uma teoria ou frase pronta que alcançou apenas sua mente, pois é impossível nos encontrarmos com o Amor Dele e não termos nenhuma alteração em nossas vidas.
Permita-se sentir-se amado e viverá uma transformação dia após dia.

segunda-feira, 20 de julho de 2015

Sacie sua sede.

E aí, como está seu coração? Como está sua mente? Está ansioso (a)?
O final de semana foi bom? Agitado? Entre amigos? Se sim, que coisa boa!
 Mas e depois? Quando você chegou em casa, faltou alguma coisa?
Quando você deita a cabeça no travesseiro, há um ponto de interrogação?
Você é hiperativo? Não para? Evita parar pra não ter que pensar, refletir, ...enfrentar?
Claro, isso é feito de forma inconsciente, na maioria das vezes.
PARE. RESPIRE.
Assim como nosso corpo precisa de água pra sobreviver, nosso espírito precisa Da Água para reviver e se manter vivo.
O que seria essa água? Como matar a sede do espírito, da alma?
Se você é do tipo que citei acima, vive ansioso, e há uma incógnita que te persegue, um vazio...Calma, é normal. Sim, normal pois sua alma e espírito estão com sede.
A alma (emoções) só se aquieta quando está sob o domínio de um espírito saciado.
Você deve estar se perguntando "ok, e aí, o que eu faço?"
É bem mais simples do que imagina!
Não precisamos pagar promessa, nem dízimo, nem comprar "paradas" místicas. Não são necessários rituais, campanhas, sal grosso...
UMA COISA SÓ é necessária para saciar a sede: conhecer e se relacionar com o Autor da Vida.
Onde quer que você esteja agora, vá até Jesus e diga: "Senhor, sacie minha sede. Eu preciso de Ti. Quero te conhecer". E relacione-se com Ele diariamente, não apenas num domingo.
E não estou falando de saber sobre ELE e sim ser amigo Dele.

Sinceramente, EU não sobreviveria sem ELE (literalmente!). O mundo é pesado demais quando ELE não está dentro de nós.
E pra ELE participar de nossas vidas basta termos Fé e o convidarmos.
Não complique.
E quando bebemos Dele, além de saciarmos nossa sede, acalmarmos a alma, também passamos a ser fonte dessa água para outros.

"Jesus levantou-se e disse em alta voz: "Se alguém tem sede, venha a mim e beba. Quem crer em mim, como diz a Escritura, do seu interior fluirão rios de água viva"."_João 7:37,38 

Beijos
Com Amor...

sexta-feira, 17 de julho de 2015

O mundo gira, meu amigo, ....Ahhh ele gira!


Não importa quão lento seja
Não importa se, às vezes, pareça até estar parado
Não depende da gente querer ou não
Não é vingança do universo contra você ou contra mim.
Não é pessoal.
O mundo gira, meu amigo,... Ahhh ele gira!
É a lei da vida. É a lei da semeadura.
Por isso, atente-se sempre ao que você dá valor, a QUEM você dá valor.
Se dá valor aos que aplaudem suas idiotices ou os que te fazem ser melhor... Atente-se! ESCOLHA! Atente-se sempre ao VALOR das coisas e pessoas. Às vezes invertemos e nem percebemos.
E não ache você que COISA é algo material, falo de tudo que não é gente!
Se damos mais valor à nossa "fome" por sucesso, fama, ao EGO... Podemos morrer inchados e sozinhos. Porque não se passa por cima de princípios, não se relativiza Verdades para chegar onde se quer. Isso é corrupção !

E o mundo gira não por maldade, mas nos dando a oportunidade de agirmos de forma diferente, de reagirmos de forma mais amável, mais doce, mais sábia....
O mundo gira nos dando a oportunidade de agir diferente, ensinando quem agiu mal conosco.
O mundo gira não é pra agirmos como "olho por olho". Porque como diz o sábio "olho por olho e o mundo acabará cego".
O mundo gira porque as misericórdias de Deus se renovam a cada manhã.
O giro do mundo é uma nova chance, agarre-a!

quarta-feira, 15 de julho de 2015

Cuide do que fala.

Não saia da vossa boca nenhuma palavra torpe, mas só a que for boa para promover a edificação, para que dê graça aos que a ouvem. _Efésios 4:29

Pare e pense um pouco. Avalie-se.
Quais têm sido as palavras que saem de sua boca?! O que temos falado ao outros?! O que temos semeado?!
Eu sei, no mundo virtual é quase regra ser "deus" e julgar e condenar a tudo e todos. Mas ...você não vai continuar seguindo essa regra estúpida, ne?!
Isso só espalha revolta, amargura, ira, desesperança, espalha, inclusive, dentro de você.
Não estou dizendo que temos que ignorar a política, por exemplo. Mas nos alimentarmos das injustiças que vemos nos rouba a paz, a fé...
Nem estou dizendo pra você sair falando coisas "bonitinhas" mas que não têm vida nenhuma em você (pois se você não pratica o que diz, isso soaria como o tão conhecido HIPÓCRITA. O que dizemos precisa antes ser dito com atitudes).
Mas apenas....se não tiver algo edificante, que vá acrescentar na vida dos outros e na sua, melhor ficar em silêncio. É pro seu bem! Para que não se torne uma pessoa amarga, revoltada... O mundo já faz esse papel (de querer nos desanimar).
Mude o ângulo que vc vê as coisas, assim as palavras vão mudar e CONSEQUENTEMENTE, SUA VIDA.
Cuidemos para que nossas "sementes" sejam boas.
Você vai ver como é gratificante ser LUZ na vida dos outros! É uma alegria incrível poder alegrar alguém !
O mundo é muito maior que seu umbigo, acredite!

Beijos
Com Amor..

segunda-feira, 6 de julho de 2015

Vamos pra Luz.

Às vezes ficava me perguntando: por que o podre atrai tanto o ser humano? Por que o medíocre, o raso, o que difama, o que agride, o que incita justiça própria, raiva, inveja, ira, entre outras coisas, atrai tantos leitores, espectadores, voluntários...?
Eu já tinha chegado à conclusão que era por identificação mesmo, o podre de dentro com o de fora. Mas, claro, uma identificação de uma forma inconsciente.
Aí relendo uma "passagem" me deparei com a explicação que reforça o que o Pai (Deus) tinha me falado.
Eu me perguntava : por que as pessoas não querem vir pra Luz, não querem o que é VISIVELMENTE melhor?
Ora, porque na Luz somos obrigados a enxergar nossas trevas, nossas más obras, nossas más intenções disfarçadas, nossa eterna VAIDADE. No final das contas, "tudo é vaidade" mesmo!
Afinal, por que não enxergar? Porque exige humildade, entrega ao Pai, reconhecer nossa pequenez ...e porque nossas obras tão cheias de aplausos, fãs, "curtidas" viram pó pois seriam reprovadas por Quem realmente importa. Pois se a intenção é meramente vaidade, a Luz não aprova. E com nossa "audiência" virando pó, nossa sensação de importância diminui, porque a maioria baseia seu valor nos outros e não em Deus. Aí tudo oscila.
Mas a boa parte é: se ESCOLHERMOS praticar a Verdade e formos pra Luz (Cristo), as obras construídas por ELE são manifestas, são frutos naturais, saudáveis!
E obras boas e más não tem nada a ver com "religião". Tem muita gente que "serve a Deus" mas não O conhece. Isso é pra NÓS.

Agora, leia você e observe o que está em "caixa alta" (caps lock):

"Porque Deus enviou o seu Filho ao mundo, não para que condenasse o mundo, mas para que o mundo fosse salvo por ele. Quem crê nele não é condenado; mas quem não crê já está condenado, porquanto não crê no nome do unigênito Filho de Deus.
E a condenação é esta: Que a luz veio ao mundo, e OS HOMENS AMARAM MAIS AS TREVAS DO QUE A LUZ, (por que?)porque as suas obras eram más.
Porque todo aquele que faz o mal odeia a luz, E NÃO VEM PRA LUZ, PARA QUE AS SUAS OBRAS NÃO SEJAM REPROVADAS.
Mas quem pratica a verdade vem para a luz, a fim de que as suas obras sejam manifestas, porque são feitas em Deus."_ João 3:17-21

Boa noite.
Com Amor e um eterno convite pra Luz...
Beijos

sábado, 4 de julho de 2015

Liz mudou de fase.


Liz cresceu.
Cresceu mas não endureceu, fiquem tranquilos!
Continua sensível, atenta ao abstrato, ao não revelado; apenas aprendeu a lidar com tudo isso.
-Vou-me embora.
-Pra Pasárgada?_perguntou um querido, sabendo que ela era dada a falar de poesias, esperou uma continuação do poeta.
-Não, não. Dessa vez vou mesmo. Preciso ir._ respondeu Liz.

É...ela precisava ir. Há tempos - isso, no plural - que ela precisava ir.
Seu tempo aqui já tinha se esgotado. Não tinha mais razão. Mas calma, ela só estava mudando de nação. Não vamos dramatizar tanto!
De amor, por aqui, ela não se permitia mais falar. Sabia que era lida, relida, avaliada e talvez até zombada. Não se ama como Liz, assim gratuito e sem fim. Mas assim ela aprendeu, e assim ela acreditava ser o Amor Perfeito, um amor que cobre o defeito.
Alguns, poucos, a entendiam. A maioria chamava-na de "trouxa" assim que ela se virava de costas.
Mas ela não ligava. Nunca foi errado amar, nem nunca será. Mas falo do Amor mesmo, saudável, bonito, nascido de Deus.
Amor genuíno traz coisas boas, gera coisas boas. Aquele cara que despertou isso tudo nela já havia desaparecido, mas ela ainda orava por ele, pedindo que Deus o cuidasse. Isso é amor.
Mas não vamos falar disso hoje. Agora a história é outra. Liz está indo embora!
-Pra sempre? _ele perguntou.
-Que pergunta difícil! Não sei. Estou indo apenas.
-Não volta pra mim, pra gente?
-Pra gente? Nunca teve "a gente".
-Você não pode ir e me deixar.
-Por favor, essa cena é desnecessária. Você nunca me deu terra pra criar raízes. O vento agora soprou pra outro lado.

Rafael não entendia. Mas Liz também nunca o entendeu, pois dizia amar mas nunca quis segurar na mão dela, nunca pediu a mão dela.
Ele dramatizou mas, como eu disse, Liz cresceu. Drama não a sensibilizava mais, pelo contrário, a irritava. Ela só era tocada pela verdade agora. Nenhuma lágrima solta - sem estar de mãos dadas com atitudes - mexia com ela a ponto de mudar seus planos.
Mas mais do que isso, hoje Liz entendeu que se tivesse firmado essa relação, ela não iria embora.
E ela precisava ir!
Havia um mistério pra desvendar longe daquele lugar que ela estava agora.

-Você vai morar onde? Com quem? Quando volta?
Ela não tinha aquelas respostas, e sabia que responder "não sei" soaria loucura pra ele e pra maioria.
-Vai se casar lá?
-Talvez. Não sei! E não faz diferença você saber disso!
-Claro que faz.
-Pra quê?! Você vai reagir depois de anos?! Por mais carinho que eu tenha por você, eu sei que Deus tem o melhor pra nós dois. Eu sei que ELE vai me dar alguém no qual eu não seja o "plano B", nem o "plano A", mas seja o único plano!
-Não fale assim...Você sabe que...
-Pare. Você nunca permitiu que existisse "nós", não venha me falar disso agora. O assunto aqui é outro. Estou te contando que vou embora porque somos amigos.

Rafael se calou. Não sabia o que dizer, como sempre. Parecia que algo dentro dele havia sido acionado, o botão "perdeu, playboy".
A maioria chega nesse ponto só depois que não tem mais jeito. Só acordam depois que caem da cama!
-Fique feliz por mim! Vou viver tantas coisas legais!
-Você é corajosa.
Mal sabia que Liz não tinha essa coragem toda, mas decidia ter. Decidia agir apesar do medo do novo, da incerteza...
-Não é coragem. É Fé.
Ela sabia bem a diferença das duas coisas. A fé pode nos levar a ter coragem, mas a coragem não é fé.
Ela tinha Fé em Deus, pois tinha um bom relacionamento com ELE. Liz sabia que podia confiar Nele e foi ELE quem mandou ela arrumar as malas e ir. Mas como ela diria isso? Como explicaria isso?
No seu íntimo, Liz sabia que Deus havia direcionado-a.
Sua alma queria inquietar-se, buscava lógica, sentia-se insegura, mas o espírito dela estava convicto, firme.
Deus disse "vá", e ela, CONFIANDO NO AMOR DELE, decidiu crer.
É, no final das contas, realmente pra ter Fé é preciso coragem, coragem de se relacionar com Deus.

-Como assim? _indagou Rafael.
-Coragem seria se eu estivesse indo sem ter uma palavra de Deus, sem ter uma direção Dele. Aliás, isso seria loucura! Mas como sei que ELE direcionou...estou indo firmada na Fé.
-Mas a fé é abstrata demais pra você ir assim...
-Minha Fé é Naquele que é perfeito, que nunca muda, que me ama...Eu sei em quem tenho crido._ finalizou Liz demonstrando intimidade e confiança no Pai.

Chega um ponto na vida, no Caminhar com Deus, que loucura é viver naturalmente; é o sobrenatural que nos deixa à vontade.