Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

quarta-feira, 29 de outubro de 2014

Detalhes do amor...


Tem dia que bate aquela saudade de quem você era
De quem eu era com você
Bate saudade de quem somos juntos.
"Somos", no presente mesmo, porque quando estamos juntos é só apertar o play, tudo continua intacto desde a última vez. Todo sentimento preservado.
E ela (a saudade) realmente bate, porque sinto a trombada e, às vezes, até dói.

E fico vendo aqui dentro de mim nossas risadas com besteiras, com as brincadeiras em comum...Fico me lembrando de como era leve estarmos juntos, apesar de termos um grande cuidado por saber a preciosidade que havíamos descoberto um com o outro. O amor nessa dimensão parece loucura, imerecido e até pesado (se pensarmos que não merecemos)... Fico vendo seu cuidado, seu amor... Ah! Era real sim! Não posso acreditar que eu tenha me enganado tanto, muito menos que você tenha me enganado tanto!
E mesmo depois de tudo, todo "mistério" revelado, toda farsa descoberta, todo tempo... Eu continuo olhando pra você e TE VENDO. Vendo o mesmo cara de coração bom.
Já pensei na "psicologia das coisas" e posso estar na fase de "negação". Mas acredito que não.
Eu sei, você errou. E muito! Mas por isso, precisa do perdão. Só quem reconhece que errou é capaz de ser perdoado por si  e sentir-se perdoado por outros. 
Perdoe-se. Eu já te perdoei. Vamos seguir a vida da nossa forma!
Não quero que carregue o peso de "eu poderia ter tido coragem". 
Sim, em determinado momento você não teve. Mas hoje pode ter!
Sim, você errou. Mas quem não erra?!
Eu também erro. Apenas tento fazer com que meus erros não atinjam de forma tão drástica a vida de outros. Mas às vezes também não consigo.
Quando eu falo que você me despertou o Amor genuíno, não estou mentindo. Deus te usou pra me ensinar a amar. 
Amar  não só a delicia que você é, não só as virtudes....Amar o que me confronta, o que me afronta, o que me decepciona às vezes. Porque o amor não é essa coisa de querer o outro perfeito, isso é idealização, é pesado com os dois lados.
Mas nesse aprendizado de "o que é amor",  JAMAIS tirei a poesia do amor. Jamais tirei ou vou tirar o coração acelerado, o pensamento que descansa no amado sem percebermos, a lembrança da pessoa ao ouvir uma música...Jamais vou tirar a respiração ofegante tendo que ser controlada por toneladas de razão, jamais vou tirar a naturalidade com que uma mão busca a outra, com que um corpo pede pelo outro.
Porque o amor entre homem e mulher, o amor EROS precisa do lirismo, da delicadeza, da poesia...dos detalhes.
No meu caso, o amor precisa de um detalhe: você.




Nenhum comentário:

Postar um comentário