Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

sexta-feira, 29 de agosto de 2014

Impossível?!

"Mas ele (Jesus) respondeu: As coisas que são impossíveis aos homens são possíveis a Deus." _Lucas 18:27

Eu sei que é difícil crer em algumas situações. E como sei! Mas eu também sei em quem tenho crido. Conheço o Deus a quem sirvo.
Se o Pai (Deus) te deu uma palavra, algo no seu íntimo, creia! Nossa fé é necessária para aguentarmos o dia escuro.
E também sei que no dia mais escuro, aquele que dói mais, parece que não nos resta nem fé. Mas aí já é uma escolha que precisamos fazer: nos entregarmos OU REAGIRMOS e lutarmos pela fé.
Como lutar?! A Bíblia diz que "a fé vem pelo ouvir, e ouvir da Palavra de Deus". Leia a Bíblia, ignore as notícias desse mundo, DECIDA CRER.
 Não ache que para CRER você precisa sentir. Fé não é sentimento, não é algo que acontece em nossa alma, é algo que vem no nosso espírito.
Conheça mais Dele, tenha um relacionamento com Jesus, isso vai aumentar sua confiança e te ajudar a permanecer.

Beijos
Com Amor..

quinta-feira, 28 de agosto de 2014

Ipê Amarelo.


Clara ainda era criança e estava viajando com sua mãe. De longe, algo chamou sua atenção no meio daquela estrada deserta, e toda animada ela disse: "Olhe, mãe! Aquela sou eu! Eu sou aquele Ipê Amarelo".
Sua mãe entrou na brincadeira e ficaram conversando sobre ser um Ipê Amarelo.

O tempo passou. Muito tempo. Clara já adulta, novamente viajava com sua mãe, quando avistou de longe sua árvore predileta, e disse: "olhe que lindo, mãe! Você se lembra?! Eu sou o Ipê Amarelo!"

No início, quando Clara se declarou um Ipê, a mãe achava que isso era coisa de criança. Mas agora ela sabia que não, não era coisa de criança.
Era assim que Clara era. Assim que ela é.
Uma árvore, muitas vezes, no meio do nada. Uma árvore que floresce no meio do deserto.
O tempo pode estar seco, ela pode estar sozinha contra tudo, mesmo assim floresce.
Uma árvore que causa admiração em quem passa, mas ninguém imagina como é ser "descanso, alívio, alegria" pra tanta gente. Apesar de que isso não era um peso pra ela, fluía de forma natural, porque essa é a natureza do Ipê Amarelo.
E Clara estava plantada junto a "ribeiros de águas", assim são os que se relacionam com Deus, a Água VIVA.

Mais tarde sua mãe descobriu mais uma característica de sua filha-árvore:  "Ipê é uma palavra de origem tupi, que significa árvore cascuda".
Assim é Clara, de coração doador, alma exposta, toca os sensíveis, mas de casca grossa para aturar os desertos.



Obs: foto de minha autoria. De Ipê para Ipê.

sábado, 23 de agosto de 2014

Sobre sucesso e fracasso.

Fracasso ou sucesso não é onde você está, o que alcançou, nem sua fama, nem status. É quem você se tornou.

sexta-feira, 22 de agosto de 2014

Falta demais.


Quantas vezes eu gritei seus defeitos mesmo que eles fossem mínimos! Não gritei pra você ou pra qualquer outra pessoa, gritava pra mim.
Quantas vezes tentei mentir pra mim mesma a seu respeito...como se eu acreditasse em mentiras...
Não adiantou. Eu não sei mentir, nem sei acreditar em mentiras.
Algo tão comum nesse mundo de inverdades indigestas, de meias verdades, de conveniências: viver cheio de orgulho e saudade, viver se enganando... Coisas comuns, apesar de doentias, e eu não aprendi. Talvez porque realmente acredito no amor, na verdade,  e tantas outras coisas que viraram apenas temas de músicas, filmes, viraram apenas inspirações, projeções mas sem realidade nenhuma.
Por que julgo assim? Algumas coisas quando olhadas de perto e de forma mais profunda são óbvias. Outras, quando não temos respostas precisamos deduzir baseando no melhor do outro. "Melhor?" Alguém pode questionar. Sim. Quando digo que a maioria vive mentiras, digo porquê eu algum momento ouvi a VERDADE. Por exemplo, se alguém diz que AMA uma mulher mas não está com ela, HOJE ele vive uma mentira. Estou sendo muito rígida?! Nem tanto. Apenas clara e sem desculpas.

Mas voltando a você...Tentei, sim, te ver como um monstro insensível, grosso, mercenário! Ampliei cada gesto duro, inventei outros na minha mente. Mas você sabe, só invento isso pra mim. Quando falo de você para os outros (sem querer, eu juro!), nem preciso dizer muita coisa, meus olhos sempre denunciam que, sim, você é o grande amor da minha vida.
Por que fiz isso então? Porque era menos dolorido pensar que me livrei do monstro insensível do que perceber que o cara mais incrível do mundo passou por mim, me amou mas, porque não estava pronto, não ficou. Pensar que ele passou porque achava que "quem merece, merece tudo", e naquele momento ele não podia me dar O TUDO que imaginava.
Eu sempre me perguntei que TUDO era esse? Meu tudo era só tê-lo, e eu esperaria com tranquilidade aquela tempestade passar. Medo de não me fazer feliz? Coisa mais absurda que já ouvi vindo de você, já que ao seu lado era meu melhor momento! E, de repente, por medo de não me fazer feliz, você vai embora, acabando com todo medo e fazendo a infelicidade como parte de mim.
Entenda. Sou feliz, sou inteira. Mas falta você. Falta sua doçura, sua preocupação com detalhes, falta sua voz, seu som, sua música, seu encaixe, falta sua disposição, falta dormir e acordar na mesma posição só porque não queríamos desgrudar nossos lábios. Falta você me contar de seu dia, falar comigo durante uma aula sua...Falta você me desejar bom dia e boa noite. Falta seu nome na mensagem, seu remetente na carta... Falta minha ligação pra você, falta compartilhar coisas bobas, falta aprender com você, falta seu carinho pra me fazer parar de tremer (e eu ter que mentir dizendo que é frio)....Falta, falta demais.
Falta "eu" ao seu lado. Falta você no meu mundo real.
Falta A GENTE formando o plural.




quarta-feira, 20 de agosto de 2014

Conhecimento.


Se você adquire conhecimento (informações) e acha que por isso pode julgar, criticar os outros, se acha melhor...Desculpe mas seu conhecimento é inútil.
Se nosso conhecimento não nos torna pessoas melhores não vale muita coisa.
E o "tornar melhor" não é melhor QUE O OUTRO, é MELHOR PARA O OUTRO, e melhor do que éramos antes.
Conhecimento é pra criar novos caminhos e não para destruir os caminhos alheios. É pra desenhar o Sol onde tudo é cinza.
Conhecimento sem amor vira motivo de soberba.
Conhecimento não é pra mostrar para os outros, é para SERVIR os outros.
E outra, não adianta sabermos de algo que devemos fazer, se não fazemos. Saber, falar pra os outros fazerem enquanto nós mesmos não fazemos nos transforma na pior raça que tem: os hipócritas. Pior raça porque o hipócrita não muda, não cresce, afinal ele SABE de tudo (apesar de não praticar).

Que Deus nos livre da hipocrisia, da soberba, do orgulho...e nos dê um coração quebrantado, humilde.
Conhecimento é uma maravilha, é ótimo! Gente inteligente é a coisa mais gostosa de se ter por perto mas desde que caminhe junto com humildade e respeito. Lembremos sempre disso.
O mundo não precisa de mais pessoas inteligentes, precisa de mais GENTE que ensine com a vida, de mais doçura e gentileza. O mundo precisa é de menos "EGOS inflados", e mais mãos dadas.

Tire esse fardo!

Disse Jesus: "Tomai sobre vós o meu jugo, e aprendei de mim, que sou manso e humilde de coração; e encontrareis descanso para as vossas almas." _Mateus 11:29

Como temos mania de ir carregando pesos inúteis, ne?! Bom, eu pelo menos.
Às vezes parece que a vida vai ficando pesada demais e sabe por quê? Porque sem vermos vamos acumulando pesos, culpas, fracassos, responsabilidades que não são nossas, ...acumulamos até uma exigência de perfeição e santidade.
Assim, a vida que deveria ser um presente passa a ser um fardo!
Tire esse peso de suas costas. Vamos aprender com Jesus, que era guiado e sustentado (na força e tudo) pelo Pai. O fardo Dele é leve, só precisamos crer.
A questão é que uma vida de FÉ prática é muito na contramão do mundo cheio de 'ativismo' onde o EU faz tudo, por isso, o CRER de verdade passa a ser um desafio.
Claro, a Fé precisa de nosso passo mas a guerra não é nossa, é de Deus. E se a nossa guerra está nas mãos Dele, confie e descanse. O melhor será feito.
 E jamais confunda o fardo da religião com o de Jesus. O da religião pesa, mata aos poucos. O de Jesus restaura, é leve, porque ELE carrega conosco.

Beijos

Com Amor...

AINDA não entendo.

Eu ainda não entendo as pessoas que querem combater um preconceito com outro, que não sabem expor opinião sem desrespeitar quem pensa diferente....
Ainda não entendo pessoas que só querem criticar os outros (ao invés de se olharem no ESPELHO). Não, isso não é engraçado.
Ainda não entendo gente que acha que ser inteligente é ser do contra. Tolice!
Ainda não entendo gente que usa as redes sociais para disseminar mais ódio, desrespeito e um tanto de coisa ruim, usando a desculpa de que está apenas dando sua opinião. Não, você está apenas expressando o que tem dentro de você.
Continuo sem entender esses que vão nas redes sociais de artistas (ou não) para xingar ou desrespeitar. E o mais incrível é que esses mesmos são os que querem ser respeitados.
Engraçado, nunca (que eu me lembre) sofri desrespeito. Talvez porque procuro respeitar o espaço do outro. Claro, há aqueles malucos que desrespeitam qualquer um...
Mas bora mudar minha gente. Isso já deu. Está ultrapassado. Rotular pessoas é coisa ultrapassada e pequena.

Resumindo...Não entendo gente que se esquece que é GENTE e não Deus.

domingo, 17 de agosto de 2014

Que confuso!


Depois de um bom tempo, Paula e Junior ainda eram amigos, apesar de todo sentimento guardado (ou seria escondido?) entre eles.
Aí o cara faz a declaração mais linda (e verdadeira) e termina dizendo: "Depois de muito tempo você foi a única mulher que despertou isso em mim. Eu nem acreditava mais... Eu nunca vou me esquecer de você, NUNCA!"
E a gente se pergunta: "mas por que isso então? Por que ele está se despedindo?'
Essa é a questão. Inclusive a mesma pergunta de Paula para ele:
-Mas por que você está indo? Aliás, por que se foi mas sempre me diz isso?
-Por segurança, como você mesma me disse e eu percebi que estava certa.
-Eu não te deixo seguro?
-Não é isso. É que...é muito forte isso que você desperta em mim.
-E então você me pune? Se pune?
-Nossa, eu te falei tanta coisa, parece que você não ouviu nada.
-Eu ouvi, achei incrível você assumir tudo isso, mas sinceramente...a frase "nunca vou me esquecer de você" me soa tão estúpida. Porque você prefere ficar comigo na sua imaginação e lembrança do que simplesmente ficar comigo.
-Não é isso..
-Então o que é?! Me diga! Se você não me diz eu sou obrigada a deduzir e ter a minha própria dedução como verdade.
-Eu amo você.
-Para! Por que você se engana?
-Exatamente. Eu me engano tentando não te amar...
-Ai que confuso...Eu que sou complicada ou o mundo? Se uma pessoa gosta da outra, por que não ficam juntos?! As pessoas complicam demais, abrem parênteses demais... [...]Desculpe, não posso mais esperar.
-Eu sei. O dia que eu tiver coragem e terminar esse meu relacionamento, você vai ser a primeira pessoa a saber...e talvez será minha vez de esperar, ne?!
-Você não sabe ficar sozinho. Nós dois sabemos disso. Tanto é que você namorou 3 anos com uma e depois 2 anos com outra MESMO ELAS NÃO TENDO DESPERTADO seu amor. Que mundo confuso! Ando tão cansada... Me sinto tão estranha nesse mundo que a maioria criou.

sexta-feira, 15 de agosto de 2014

Chega de dias pálidos!


Era um dia pálido.
Nuvens que antes brincavam de se esconder e exibiam o Céu azul, agora parecia que tinham dado as mãos, cobriam o Sol. E o cinza das construções da cidade se misturava com o do Céu e com o do coração de Juan.
Ele, que antes era Sol por dentro, agora era noite. Mas ainda havia estrelas prometendo um próximo dia e o lembrando de sua essência solar, quente, envolvente.


Mas hoje ele era guiado, inconscientemente, pelo medo. Medo que algo ou alguém atrapalhasse seus planos tão bem traçados para que não houvesse dor em sua jornada.
Mal sabia ele que a dor do crescimento é inevitável, e a maturidade não tem nada a ver com ignorar as batidas do coração.
Apesar de negar, no fundo, no fundo ele achava que ouvir o coração era coisa de adolescente. Achava que adulto determina o que quer sentir. Nem tanta racionalidade, Juan... Adultos que abandonam-se não são adultos, são apenas crianças grandes.
Abandonar-se é mais comum do que imaginamos, e as razões são inúmeras.

  • Medo: "e se não der certo? Ela mexe tanto comigo que tenho medo de sofrer"
  • Conveniência: "ahhh já conheço toda a família dele, conheço os defeitos, ....ter que passar por tudo de novo?! Não, não"_diz a Conveniência.
  • Ignorância: "preciso focar no trabalho, essa é a hora". Não que o trabalho seja ruim, claro que não. Mas o foco nele de forma muito absurda nos faz inverter os valores da vida sem percebermos.
  • Orgulho...sim, orgulho. Quantas vezes abandonamos o que nos faz feliz por puro orgulho, por não querer dar o braço a torcer, por não querermos voltar atrás?!


Como perceberam o foco aqui é o amor. Por que? Porque o mais importante vem primeiro, sempre!

Voltando a Juan...Ele tem um coração incrível, tão bom que não viu maldade quando o fizeram ser uma outra pessoa. Na verdade, nem percebeu. Nem percebeu que seu coração, apesar de continuar sendo incrível, estava sob uma capa de dureza. Nem notou que havia sobre ele tantas justificativas inventadas por outros que ele já não era o mesmo.
Quando alguém é convencido (por si ou por outros)de que ignorar sentimentos é o melhor, no final até parece fazer sentido e ser algo "normal".
Explico: quando ignoramos alguém (ou um sentimento) que nos sacode, no início é tão difícil, dói fazer aquilo contra a pessoa (e contra a gente mesmo). Depois, dia após dia, vamos ignorando e isso passa a ser uma prática. E quando vira prática passa a ser indiferente. E sem perceber matamos alguém (juntamente com o sentimento) dentro de nós. E, enganados, achamos que ignorar emoções funciona, já que não sentimos mais a dor inicial (ao ignorarmos).
Tolice! Agora, no lugar do amor, da pessoa amada que foi ignorada, há uma morte dentro de nós. E morte não é boa coisa. As emoções ficam ali anestesiadas. Você não sente mais dor, mas você também não sente mais nada em sua plenitude.
Cuidado com a indiferença. O desprezo por outra pessoa quase sempre vem junto com o desprezo e  com a falta de respeito com o que VOCÊ sente.

Enfim, por tudo isso dentro de Juan o Céu estava cinza.
Por isso, as nuvens de mãos dadas! Elas estavam fazendo uma oração para que houvesse uma tempestade que o despertasse e o Sol de dentro dele voltasse a refletir no céu.
É porque há muito tempo ele era todo sol, calor, doçura...E todos os dias pedia pra Deus pintar um no céu para a moça dos seus sonhos.
-Viu o Solzão que mandei pintar pra você? _disse pra ela, pois sabia que ela também era solar e apreciadora da natureza.
-Vi sim, é lindo, baby....Lindo! E lindo você me dar isso de presente! _se derretia ela.
-Quem merece, merece tudo.
-Mais tarde mando a Lua pra você_ correspondia a moça.

Eles moravam longe um do outro, fisicamente falando. Mas eram de um universo tão semelhante que a distância parecia não os separar. Parecia.
A vontade de tê-la por perto foi incomodando-o, e ele não sabia o que fazer.
Não fez. E desde então o tempo fechou dentro dele. Continua sendo um homem bom, mas perdeu a doçura. Continua fazendo surpresas (para outra), mas perdeu o coração. Continua vivendo, mas perdeu-se.
Mas até hoje, ao olhar pra Lua enxergava além. Quando alguém mostrou a Lua pra ele, em voz baixa  disse : "a Lua...ela tem esse nome pra você. Pra mim é outro nome, mas não a chamo mais. Agora só olho de longe"_disse ele denunciando seu íntimo.


Vez ou outra ele se pegava lendo uma escritora, meio sem querer... Ele até gostava das obras dela, mas ao mesmo tempo, ficava irritado, parecia pessoal demais. Mas mesmo assim lia.
Conseguiu um contato com ela e foi tirar satisfações:
-Por que você faz isso?
-O quê?
-Escreve pra mim.
-Não, eu não escrevo...
-Escreve sobre mim!
-Desculpe-me, senhor, mas também não. Escrevo, sim, sobre a matéria-prima das pessoas, talvez por isso você SE encontre nos escritos. Ei! Mas isso é ótimo! _disse Clara, a escritora, toda otimista.
-Isso o quê?
-Você se encontrar, ue!
-Não, não é. Você me deixa confuso, e fica parecendo que eu não sei o que eu sinto. E eu...eu sempre sei o que sinto!_disse ele todo cheio de certezas...
-Fica parecendo? Parecendo pra quem? Com quem você se preocupa se a conversa é só entre você e as letras que lê?! Acho que está equivocado em algum momento. Talvez sobre você mesmo... Letras não julgam, livros apenas nos refletem. Apenas apontam o caminho. E se meus textos te deixam confuso, eu desconfio que isso seja bom! Só tolos são cheios de certezas... A sabedoria questiona...
-Me deixar confuso é bom? Pra quem? É incrível, basta eu não te ler que fico com a alma sossegada..._disse querendo ofendê-la. Em vão, Clara jamais se ofendia com essas coisas. Pelo contrário, ela se enchia de amor e compaixão pela pessoa. Loucura? Talvez?! Ou talvez ela apenas enxergasse com mais nitidez o que o mundo tentava desfocar (a verdade).
-Você quis dizer que " é só você SE ler", ne, meu caro?! A luz ofusca mesmo, não se assuste. No início parece que a gente não enxerga direito, parece que está bagunçando tudo, mas não está. Está apenas mostrando a bagunça que já existia mas você não via. A luz apenas mostra as máscaras que usamos há tanto tempo que quase se confunde com nosso rosto, quase se confundem com nossa essência. Tenha calma comigo e com você. Isso é apenas um DESPERTAR.
-Acho que me expressei mal. Não fico confuso, me sinto confrontado. Mas ao mesmo tempo...quando estou com você me dá uma paz, me faz bem... Vamos nos ver de novo?
-Desculpe, agora quem não está entendendo sou eu. A gente se conhece?
-Sim, de muitos anos atrás. Vivíamos no mesmo mundo, depois eu acabei mudando, sem perceber. [...] Eu sei, eu sou o cara por quem você escreve.
-Minhas histórias são ficções, amigo, e falam do coração de forma geral. Quem é você?
-Bebê, eu sou o que habita em cada frase, cada palavra, cada letra...

Esse vocativo gritou dentro dela. Agora, sim, Clara sabia quem era que estava falando com ela pela internet...mas o corrigiu rapidamente.
-Não, você não habita em minhas letras. Você habita em mim, em cada batida do meu coração, em cada boa música que ouço, em cada flor que vejo, em cada aparição do Sol (seja no amanhecer, seja no entardecer). Você quer me encontrar?!
-Não, eu quero te ver. Te encontrar eu já encontrei desde o primeiro dia.
-Até aceito, mas desde que eu te veja pelo resto dos meus dias.


Nesse momento começou a chover dentro de Juan, veio a tempestade. As nuvens foram se dissipando. Soltaram as mãos. Parecia que o Céu tinha ouvido a oração delas.
Era uma tempestade de sentimentos que pareciam sem rumo. Mas aos poucos a chuva diminuiu, ele parou de chorar. Agora já tinha colocado pra fora tudo que tinha guardado...Estava mais leve. O Sol dentro dele ressurgiu e agora sua Lua, aquela que tinha outro nome, poderia voltar a ser chamada.












terça-feira, 12 de agosto de 2014

Robin Williams, personificação de nossa alma.


Ainda estou chocada com a morte do incrível ator Robin Williams. Ator sensível, que gritava com os olhos!
Dois dos filmes que mais amo tem ele: "Patch Adams" e "Som do Coração" (tenho os dois, inclusive!).
É sabido que há anos ele lutava contra dependência química (essa parece ter vencido), alcoolismo e depressão.
Que triste perda tivemos! Eu fico pensando "o que eu poderia ter feito por ele e não fiz?".
Meu coração realmente dói como se fosse parte de mim. E era. Era parte da minha história, e parte da minha família, era HUMANO.
Por que todo mundo lamenta?! Porque artista é como se fosse alguém da família, já que a gente quase sempre encontra com eles em nossa própria casa (na TV). E é assim que temos que vê-los, e apenas assim.
Vale admirarmos, claro. Mas elevá-los a um nível de perfeição?! Nem um ser humano suporta o peso da glória, o peso do personagem público perfeito, que tem tudo e tem que pensar em cada vírgula que diz porque tudo vira manchete em jornais... Cria-se um personagem para eles, por um tempo eles acreditam, mas aos poucos vão percebendo que há uma distância entre o que dizem e o que a realidade mostra. Então tentam não frustrar os fãs e vivem numa luta deprimente para serem perfeitos e agradarem a todos.
Quantos e quantos artistas (e não artistas, mas o foco aqui são eles) lutam contra todos esses males que atormentava nosso querido ator!
Não podemos julgá-lo....Não sabemos do tamanho da dor que ele sentia, a dor da incapacidade por não ter controle sobre si, a dor do vazio "tendo tudo, não tendo nada"...
Se você encontrar alguém assim (que seja alvo da mídia), seja amigo e não um servo. Amigos admiram, mas confrontam, sacodem, AMAM...
E acorde! Tem um monte de gente querendo ser famoso nas redes sociais achando que isso é alguma coisa, querendo participar do BBB pra ser amado por um monte de gente! Uau!
Cito um exemplo simples, a velha história da águia criada como galinha. A essência da águia gritava que ela podia ir mais alto, que faltava algo, mas ela insistia em conviver com as galinhas, já que tinha sido criada assim. Assim é a gente. Fomos criados para voarmos alto, criados para nos relacionarmos com Jesus Cristo, e aqui não falo de religião. Não estou falando de saber sobre ELE, estou falando de ANDAR COM ELE. E se a gente não tem essa conexão, FALTA.
Você pode ter tudo: dinheiro, fama, e até seguir uma religião (evangélico, católico, espírita, e mais um monte q inventaram), mas se não tem essa conexão você está vivendo fora do que foi criado. Entende?
Quando sua felicidade depende de "curtidas", de fama, de elogios, de glória, de dinheiro, de bebidas (já viu gente que só sai se tiver bebida e só acha graça assim?!)... Ainda dá tempo pra vc. Volte atrás e mude.
Lembre-se, nossa imperfeição não suporta o peso da Glória. Glória é uma roupa que só cabe em quem é perfeito, e isso só tem um: DEUS.
Que Deus nos mostre nossa realidade, nos molde, nos cure, e que possamos ser LUZ e AMOR na vida das pessoas.

Beijos
Com Amor no coração e lágrimas nos olhos me despeço desse grande cara que personifica milhares de nós.

segunda-feira, 11 de agosto de 2014

Um parêntese no blog para meu Pai.


Ontem foi do dia dos PAIS, mas hoje é o dia do MEU pai!
Ele, que é um dos responsáveis por quem sou hoje.
Se hoje tenho um Blog super acessado e um monte de gente que "se encontra" nele, é graças ao meu Pai. Pois ele sempre me ensinou a olhar pra dentro, identificar sentimentos, ir na raiz das emoções. Desde qd eu era criança ele me mostrava que conversar, se expressar era sempre o melhor caminho; e que o que eu sentia era importante pra ele, por isso não tinha que fugir, tapar o sol com a peneira, fingir que nada estava acontecendo.
Ele que sempre confiou em nós, nos dando liberdade para sermos quem somos, nos ensinando desde crianças a arcarmos com nossos atos. Por isso falo que liberdade é o que mais prende alguém, porque a gente não quer decepcionar quem confiou em nós.
Ele que não é um herói perfeito, tem seus defeitos, comete suas falhas. Mas até nisso nos ensinou que ter defeito não é um problema, o problema é quando não assumimos um defeito. Ele não! Sempre teve a humildade de assumir um erro, pedir perdão e tentar mudar. Porque só assim crescemos, amadurecemos, ao invés de vivermos escondidos debaixo de uma capa de perfeição que esconde muito orgulho e tantas outras coisas.
Obrigada Pai, porque o senhor me ensinou o que é TER COMUNHÃO com Deus de verdade, e não sobre uma religião. Desde pequenos nos ensinando (através do EXEMPLO) a entrarmos pro nosso quarto e colocarmos nossas aflições, desejos e qualquer coisa na presença de Deus. Nos apresentou um Deus REAL E VIVO. E é esse Deus, JESUS CRISTO, que o senhor me apresentou que sempre me sustentou e me sustenta!
Se hoje eu vivo NELE é graças ao seu EXEMPLO de ter intimidade com Jesus, graças a sua fome Dele, é porque o senhor me mostrava que ELE é um Deus amoroso e que não esperava perfeição de mim. Obrigada por tudo que o senhor me ensinou.
Sim, você não é perfeito, mas quem é?! E até nisso me ensinou. Deus, através de nossas falhas, me ensinou a amar um amor que cobre os erros, um amor que não depende de acertos, um amor puro como deve ser.

FELIZ ANIVERSÁRIO e FELIZ DIA DOS PAIS!
Que seus próximos anos sejam de realizações do propósito Dele pra sua vida.
Te amo muito!
Beijos
De sua filha...

quarta-feira, 6 de agosto de 2014

Quebra-cabeça.


Mesma galáxia. Dois mundos tão semelhantes que, de longe, poderíamos dizer que eram iguais ou até o mesmo,  se não fossem os centímetros que os separavam.
Mas quando olhados mais de perto percebíamos singelas diferenças que os faziam únicos e complementares.
Um não era completamente redondo, havia umas quinas onde podiam ser escondidas algumas questões, emoções. De lá era Juan. Nascido e criado em um belo mundo mas que com a influência de alguns acontecimentos, às vezes, esquecia de sua origem.

O outro mundo era meio sem formas exatas, parecia ter sido desenhado de forma livre, sabe?! Esse era o mundo de Liz. Também nascida e criada nesse mundo e que sempre lutava para tentar não se contaminar com as racionalidades absurdas ou ceticismo do mundo que vivia atualmente.

Esses mundos descritos acima são os mundos internos de ambos, mas o externo era sim o mesmo. O mesmo, inclusive, do seu (leitor).

Certo dia Juan a viu numa foto da cidade. Liz era artista. E durante um ano planejou na sua cabeça como faria para encontrá-la. Deus com toda sua sutileza providenciou o encontro.
Esbarraram-se e no primeiro encontro já se viram. Entende?! Eles se ACHARAM um no outro.
Parecia surreal. Perceberam que o mundo deles se encaixava com perfeição.
Explico. É como um quebra-cabeça, há UMA PEÇA que se encaixa perfeitamente, e um era a peça do outro.
Juan era tão entregue, tão doce, tão...Por um tempo ele agiu com o coração.
Quando estavam juntos, o resto do mundo era secundário. Tudo ele queria dividir com Liz, até o guardanapo na hora do jantar. Ele não queria dar um só pra ela, queria ser parte dela, e mostrava isso com detalhes.
Cada surpresa que ele fazia nascia instintivamente, era o coração falando. A flor colhida na rua, a ligação no meio da estrada quando estava voltando pra casa só pra dizer que tinha visto um bar com um dos nomes que ela o chamava. A música feita por ele, mas que nunca foi mostrada (não deu tempo).
Não deu tempo porque ele temeu e correu. Ela era bonita, e querida pelas pessoas e tinha uma profissão que dava visibilidade. Mas isso nunca a alterou, nunca mudou seu caráter e ela nunca pensou que ser querida seria motivo de insegurança.
Com lágrimas nos olhos e coração sangrando ele foi embora.
"Você é a mulher da minha vida. A gente ainda vai ficar junto...talvez lá na frente"_disse ele tirando de si a responsabilidade e colocando a vida nas mãos do destino. (como se o destino pudesse ter essa responsabilidade...)

Liz que já tinha o assumido pra si ficou sem reação. Não conseguia pedi-lo pra ficar. Ela sabia que no quebra-cabeça da vida só há uma peça de encaixe perfeito e não tinha ideia de como faria pra viver sem ele. Não que ela não fosse inteira, mas era ele quem a deixava na forma como deveria.
Pela primeira e única vez Liz AMOU alguém. Logo ela que nunca foi dada a se entregar tão facilmente, que sempre se trancou...hoje se via trancada novamente, mas dessa vez com um amor vivo por dentro.

Liz, cheia de sonhos.
Juan, cheio de metas.
Para os sonhos inventamos caminhos, caso pareça mais complicado chegar lá.
Para as metas arranjamos desculpas para os sonhos que atrapalham a chegada até lá.
Entende a diferença? Liz achou a solução para permanecerem como deveriam...juntos.
Juan, apesar de sonhar também, as metas eram mais importantes, e ele achou uma desculpa para o medo bobo que ele teve, achando que um amor atrapalharia sua meta. Coisa de gente que foi contaminada pela inversão de valores.

Juan, como boa parte das pessoas, não consegue ficar sozinho, e logo tratou de arranjar outra companheira. Companheira e não amor, porque amor a gente não inventa, a gente encontra.
Encontrou alguém que se encaixava em seus pré-requisitos, tudo muito bem planejado (como ele é).

Alguém contou pra Liz que ele já estava com outra pessoa.
Vc já passou pela sensação de NÃO CONHECER alguém que vc jurava que conhecia?
Como isso é ruim, ne?! A gente não sabe se a pessoa que mudou demais (pra pior), se ela nunca foi quem realmente era....ou se vc enxergava virtude onde não existia.
Aí vc volta a fita, tenta rever tudo em câmera lenta, pra não perder nenhum detalhe...Mas mesmo assim não entende.
Vc perdeu alguma parte em algum momento, certeza! Ouuu ele se perdeu de si e virou um cara como os outros...Será? Mil hipóteses passam pela sua cabeça...

Mas Liz sabia que não tinha se enganado.
Sim, ele fazia surpresas pra a outra, agradava-a...Claro, isso faz parte dele.
Quem é criativo só precisa de um pretexto para se expressar. Quem gosta de fazer surpresas faz mesmo não sendo por puramente amor. Faz porque é sua essência, faz por si, porque gosta de agradar o outro, porque quer marcar a vida do outro, porque quer imprimir o que passa no coração de artista, porque quer romantismo mesmo que não tenha o amor.
Surpresas feitas por criatividade são diferentes das feitas por amor.
Por amor, um "rasgar de guardanapo" vira uma surpresa, e algo feito genuinamente.
Por criatividade, pensa-se, cria-se, articula-se...

Mas mesmo que Liz não tivesse se enganado, mesmo que ela soubesse que não foi mentira o que viveram e o que sentem... a realidade era cruel, e ele estava forçando uma outra peça para encaixar o seu quebra-cabeça. Claro, com jeitinho e tempo algumas peças se encaixam, mas NUNCA serão PERFEITAMENTE encaixadas. Podemos colocar duas peças juntas mas só a que tem o amor tem o encaixe perfeito.

A maioria pode estar pensando que isso é história, que não existe isso, mas eu ouso te desafiar e te contrariar. SIM, existe e não é só quando somos adolescentes.
Aquele amor incrível existe para todas as idades. Só precisamos acreditar e não preencher o espaço com o que não é.
E quando o encontrar, quando o coração bater mais forte, quando você se sentir meio bobo...pare de bobeira e se jogue, vá atrás, volte atrás. Só temos UMA vida e não vale desperdiçarmos com pessoas incríveis mas que não nos balancem.