Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

terça-feira, 8 de julho de 2014

Deixe nosso amor ser a direção.


O que as pessoas não entendem é que quando se ama sem porquê  também não há motivos para o sentimento morrer.
E eu até vejo motivos reais, invento mais outros banais, mas o amor continua ali em paz.
E como se nada tivesse acontecido, como se nunca tivesse sido ferido, meu coração ama o cara desaparecido.
Procuro o enxergar como um cara mal, covarde ou qualquer outra coisa que destrua minha afeição, mas por mais que a razão grite minhas tolices, meu coração se ofende por eu acusá-lo de cegueira e ainda defende o amado. Como se houvesse alguma defesa lógica...

Sim, minha vida segue sem você, assim como a sua sem mim.
Mas segue pra onde?!
Pra onde segue uma vida onde o amor inventado é companhia e o amor natural é sonho guardado? Pra onde vamos se o amor brotado do nada, do encontro de duas almas semelhantes, de dois mundos iguais é abandonado no meio do caminho por pura conveniência?
Pra onde você vai sem meu amor? Pra onde vou eu sem vc, meu amor?

Se eu te pedir pra voltar, você volta?
Se te der vontade de parar nessa estrada que você tem andado, vc para?
Se seu coração gritar, você ouve?
Se seu peito apertar, você vem pra eu afrouxar? Ou segue a vida com o coração não cabendo no peito?

Se você me disser SIM paro agora onde eu estiver para que siga comigo.
Orgulho nunca foi uma característica que me guiasse.
Sim, haverá alguém triste quando eu disser não pra ele. Mas mais insano é dizer não ao coração.
Talvez pra você pareça loucura viver assim sem ter controle no coração, viver assim como quem VIVE.
Mas como diz a música :
"Minha tática é cruel por ser crua, sem didática.
 Minha tática não tem pudor, tem amor na prática."

Pegue na minha mão. Deixe o amor ser nossa direção.





Nenhum comentário:

Postar um comentário