Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

sexta-feira, 14 de fevereiro de 2014

Vem comigo, pula esse muro!

Na intimidade de uma conversa sem máscaras...
O papo entre esses dois amigos fluía com muita liberdade:

-Eu não queria me envolver agora, acabei de sair de um relacionamento.

-É, acho saudável. É bom ficar sozinho pra pensar, repensar...

-Então, por isso emendo sempre. Quero pensar nãoooo!ahahahaha

-(risos) Dói, mas faz crescer, liberta! Lembra?! "A Verdade liberta".

-É.. Mas não consigo ficar sozinho não, eu gosto de carinho, gosto de dormir junto, de ter alguém...

-BINGO! Você matou a charada da maioria! Você gosta do carinho e não de carinho, gosta de dormir junto...Você gosta do aconchego não importa de quem venha. Mesmo que você não ame...Você não gosta da pessoa, gosta do que recebe dela. Por isso sai e entra tão rápido de relacionamentos.

- Ahhh! Mas já me apaixonei algumas vezes, e amei uma pessoa. Na verdade ainda amo.

-Eu acredito nisso. Mas dentre todas que você se relacionou foram poucas que te tocaram de verdade. E se você já se apaixonou fica ainda mais fácil, porque você tem o sentimento aí dentro e simplesmente transfere para a outra que acabou de chegar. Então acaba vivendo mais uma paixãozinha até que...

-Até que...?!

-Até o momento que você queira e decida pensar, olhar pro seu coração, ver por quem ele pulsa involuntariamente,...Mas é preciso parar. [...] Mas fique tranquilo, não te condeno, te aceito assim como amigo. Nada vai mudar entre nós apesar dessa "mutação emocional"...ahahahahaha....Apenas lamento por se achar tão esperto, tão intenso, mas ser tão frágil na intensidade.

-Você bate doído, né?!

-É por amor...(risos)

-E o pior é que sei disso. Nossos papos são bons! A gente viaja pra caramba, sempre tem uma descoberta!

-Então, não sou a pessoa que sabe de tudo, não! Aliás, preciso aprender demais! E aprendo muito com você também! Mas ao menos busco a verdade sempre, a verdade dos acontecimentos, a verdade dos sentimentos, a verdade por trás de ações (ou falta delas),...sempre procuro me olhar e observar outros. Nem tudo "Freud" explica, mas se simplesmente observarmos, sem julgamentos, sem condenar as pessoas (ou a nós mesmos), apenas buscando conhecimento já é lucro. Porque observando o outro, nos enxergamos também! E nessa jornada, nessa busca o Pai da Verdade e de Amor (Deus) nos revela os mistérios. Afinal, pra quase tudo nessa vida há mil  motivos por trás.
Vem comigo, pule esse muro!

Um comentário: