Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

segunda-feira, 27 de janeiro de 2014

Dê uma chance ao amor.


Naquele momento 'divã com um amigo':
-Eu já me apaixonei de verdade...
-Eu sei, meu bem, por aquela que te traiu, né?!
-Isso...Depois eu tive namoros, gostei de algumas pessoas, mas paixão, amor...não.
-Entendo.
-Vou confessar que tenho medo, não sei, minha cabeça não para, não consigo....Mas você mexe comigo. Mexe muito.
-Hummm...e isso é ruim?!
-Eu tenho medo. Sou ciumento. Sei que poderia viver a coisa mais fantástica do mundo com você, a gente dá certo em tudo, amo conversar com você, amo fazer amor com você... mas quando penso que às vezes você pode viajar pra fazer um trabalho, e tem muitos amigos (homens)...
-Não tenho tantos amigos assim, e meus amigos são AMIGOS MESMO. Graças a Deus, sou querida pelas pessoas, e você tinha que achar bom isso!
-Eu acho bom mas...tenho medo...
-Medo de quê? Você não confia em mim? 
-Não é isso. Claro que confio.
-Mas você namorou a Julia. Não tinha ciúmes dela?
-Não...
-Então, é um ciúmes 'pessoal'?rs....Sabe o que eu acho?! Você não tinha ciúmes dela, não porque você confiava nela. É simplesmente porque ela não mexia com você. Se ela fizesse ou não alguma coisa não faria diferença, ela não te alterava.
-É...pode ser.
-Sabe, independente de mim, pode ser qualquer pessoa que você vá se envolver no futuro, você precisa resolver isso. Não dá pra você viver refém de um fantasma do passado. Não dá pra você deixar que seus medos ou qualquer pessoa defina como vai agir. Isso não é bom. [...] Enquanto você poderia viver algo pleno, você prefere não se arriscar e viver algo morno que não está te satisfazendo.
-É, não está....Se estivesse eu não estaria aqui falando com você.
-Pois é! Mas você precisa mudar. Vai ser pra sempre assim?! Só você pode escolher os rumos de sua vida. Se você estivesse feliz eu não falaria nada, mas sei que não está. Você acabou de falar que não está. Não perca mais tempo, quando você perceber já se passaram anos.... Cuide de você. Não é porque alguém foi "sacana" com você que agora você tem que desconfiar de tudo ou agir assim com outros. Não dê essa autoridade para as pessoas! Eu me lembro de como foi difícil pra vc terminar com ela! E não era por gostar, mas porque ela gostava muito de você e chorava toda vez. Você permitia que o choro dela te prendesse, você permitia que um drama dela te direcionasse...

Esse diálogo acima é muito mais comum do que pensamos. Aliás, o diálogo não, porque as pessoas não se enxergam nem assumem nada, mas o sentimento, o dilema vivido acima é comum. 
Mas sabe, eu já fui "trouxa" aos olhos dos outros várias vezes, e daí?! Claro, aprendi uma coisa aqui outra ali, mas deixar de acreditar no amor e no bem que existe em cada um...não vou deixar de acreditar. Assim como fulano tem os defeitos dele, eu tenho os meus, não posso julgá-lo só porque minhas falhas são diferentes. É preciso perdoar, o outro e a nós mesmos.
Vou continuar tentando fazer diferente, e fazer a diferença na vida das pessoas.
Como eu queria que todos nós vivêssemos 'além' ao invés de 'aquém'. Conheço pessoas incríveis que optam por um relacionamento 'confortável'  porque não sabem mais como agir no amor. Perderam a simplicidade do amor, da vida,...perderam a espontaneidade de viver e calculam cada passo como se fosse um negócio.
Também não estou dizendo que temos que sair feito loucos sem pensar, entenda. Mas dê uma chance ao amor.

Nenhum comentário:

Postar um comentário