Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

sábado, 30 de novembro de 2013

Aprendendo a confiar e amar.



Às vezes nossa alma entra numa crise tão incrível! Nossas emoções parecem colidir umas contra as outras, não seguem um caminho apenas. Se contradizem. E a razão, coitada, já não sabe o que pensar. Afinal, fica difícil dar nome à tanta emoção, categorizar momentos ou dividi-los como se fossem arquivos num departamento lógico.
Claro, nosso coração tem lógica, mas é uma lógica divina. Talvez por isso a falta de entendimento de nossa parte, e a dificuldade ao explicarmos pra alguém. Porque temos certa dificuldade com o DIVINO, com o Celestial...porque é tudo muito simples, e a simplicidade é luz forte que poucos querem se expor.
Na maioria das vezes fugimos. Eu sei, é desagradável enxergar nosso egoísmo (alguns em níveis menores que os outros), é desafiador retirar a capa de FORTE-DECIDIDO-SEGURO e ver quanta insegurança ainda há.
E o tal do AMOR PRÓPRIO que dizem tanto, que pregam, pregam, ficam cheios de discursos mas que no fundo é totalmente vulnerável. Tão vulnerável que são incapazes de abandonar um orgulho idiota por medo de serem taxados de "mal amado", fraco.... Confundem ORGULHO com amor próprio! E são coisas tão distintas...
Claro, há uma parte das pessoas que realmente se ama. Não estou falando dos egocêntricos, cheios de si (essa raça é terrível!). Mas sabe, até quando a gente se ama, há dias que o mundo parece estranho demais, tudo pesado demais e até o amor próprio dá uma 'baqueada'. Por isso, o amor precisa estar firmado em Deus.
Para muitos, DEUS é algo místico, quase um amigo imaginário, e quando falo que Deus me acolhe, e que conversamos parece história de maluco. Mas ELE fala! Nós é que não ouvimos às vezes. Estamos tão preocupados com nossos desejos, compromissos, disciplina que a voz Dele fica quase inaudível. E em nossa prepotência confiamos mais em nós do que Nele.
Eu tenho um bom relacionamento com Cristo (Deus), mas há dias que discutimos. Na verdade, EU discuto por não entender uma porção de coisas! E algumas dessas coisas me doem tanto, são tão inexplicáveis pra mim... Mas são esses momentos que nossa aliança se renova, que eu vejo o quanto minha confiança ainda é frágil e preciso melhorar.
Nós falamos que queremos aprender a confiar em Deus mas quando vem a situação do aprendizado a dor parece insuportável, as dúvidas se multiplicam, o coração entra em crise e a razão questiona a Fé (como descrevi no primeiro parágrafo). MAS é nessa hora que temos que DECIDIR confiar. Uau, como é difícil!
É nessa crise de confiança, ou melhor, é na escola da Fé que me encontro nesse momento. O coração ama, a razão te chama de burra, você se justifica, mesmo sem ter nenhuma explicação, pra ficar com todo mundo (emoções conflitantes, razão...) em paz. Parece que nada funciona, mas aí DEUS FALA. E quando Deus fala, meu querido, o melhor a fazer é ouvir e descansar.
Se ELE disse pra fazer algo (há várias maneiras Dele falar), ou se ELE te deu alguma certeza, CONFIE.
E tem horas que as circunstâncias estão exatamente o contrário, parece que o mundo está curtindo com sua cara...e é difícil crer nesses momentos, e a gente se pergunta "COMO?".
Sabe algo que tenho aprendido, o "COMO" não me pertence. DEUS É DEUS (quer mais?!).
O AMOR Dele não falha, e mesmo que a gente não entenda os caminhos, a verdade Dele é INCONTESTÁVEL.
E finalizo hoje com duas grandes verdades para nos apegarmos: DEUS É BOM e ELE NOS AMA INCONDICIONALMENTE (independente do que fazemos, se acertamos ou erramos).
Essas são características Dele e ELE é imutável, porque é PERFEITO.

Um comentário: