Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Sem querer.




"Foi sem querer", uma frase tão usada por nós.
Acredito que é a frase do inconsciente. Do escondido.
E "sem querer" sonhamos com alguém.
Sem querer imaginamos como seria se tivéssemos dito SIM.
Sem querer nos lembramos de alguém.
Sem querer uma lágrima escapole e o coração parece desmaiar.
Sem querer somos maltratados por outro alguém.
Sem querer damos uma resposta que denuncia.
O "sem querer" nos trai.
O inconsciente sempre dá um jeitinho de gritar, de se expor, de NOS expor.
O SEM QUERER nos entrega, ele não tem medo de amar, de decidir, de lutar...Não tem medo da verdade, afinal ele se "auto justifica"...foi sem querer.

Fiquemos atentos com o que sonhamos, com o pensamento que voa sem percebermos,
com as palavras doloridas que escapolem. Observemo-nos para que haja LIBERTAÇÃO. Pois só a Verdade liberta.
Os sonhos noturnos, muitas vezes, podem ser os desejos reprimidos pela razão medrosa e traumatizada.
Uma situação rejeitada pode ter uma raiz de insegurança no inconsciente.
A lágrima fujona pode ser o sentimento real se mostrando apesar de tentarmos passar uma outra impressão com o que dizemos, apesar de falarmos 'outros sentimentos'.
A imaginação pode ser uma vontade acorrentada.
Uma reação grotesca pode ser sua verdadeira identidade, que ainda não foi tratada.
Porque onde não controlamos é a verdade que se exibe.

Nenhum comentário:

Postar um comentário