Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

domingo, 29 de setembro de 2013

Divórcio de sentimentos.

Uau!
Estranho é quando você percebe que o sentimento de paixão está amarrado com sua última paixão (com aquele que te fez descobrir o amor)!
E se alguém começa a despertar algo real em você, a dor que sentiu ao ser abandonada pela paixão vem junto.
E a gente não sabe se fica feliz ou se chora.
É assustador se enfrentar, às vezes.
Vem uma alegria e um medo. Que desespero!
É preciso desvincular tais sentimentos.
Então, dentro de meu quarto eu choro, desabo.E quando saio, tento abrir o coração e sentir apenas a boa emoção, aquela inquietação quando ele pega na minha mão.

sábado, 28 de setembro de 2013

Você vale bem mais...


Mundo estranho esses que estão construindo dentro de si.
Sim, dentro de si. Porque aqui fora o mundo continua quase o mesmo.
Mundo estranho...onde precisam de "seguidores" ou "amigos" em redes sociais para provar seu valor.
Mundo onde criam personagens virtuais tão tão distantes da realidade.
Na ficção, são inteligentes, corajosos, bondosos...Na realidade, egoístas, egocêntricos.
Confesso que gosto muito de redes sociais, mas assim como aqui, minha luta é e sempre será pela verdade.
Fotos são postadas do jeito que foram tiradas. Nada de efeitos, ou"consertos". (Tem gente que coloca tanto efeito que a gente mal sabe o que é a imagem.)
A verdade liberta! Liberta você e os outros dessa cadeia de perfeição e futilidade.
Você não tem que provar que sua vida é interessante. Sua vida não tem que ser interessante. VOCÊ tem que ser interessante (pra você mesmo. E aqui não falo de egocentrismo mesquinho). 
Você não precisa provar que é feliz. Seja simplesmente!
E o "instagram" é aberto para todos que quiserem ver e participar de sua vida pra quem sabe vc ser famoso. Oh Céus! Santo engano, Batman!
Não queira ser "famoso" em redes sociais. Não queira ser falado. 
Queira ser imitado, lembrado pela boa conduta. Queira fazer a diferença na vida das pessoas.
E não se engane, você não engana ninguém (ou quase ninguém). "Os de verdade" sabem quem são de verdade.
A mesma frase pode ser dita por duas pessoas distintas, sendo que vindo de uma que de fato vive o que diz haverá respeito, admiração; vindo da outra...não passará de uma projeção.
Ser famoso pra quê? É sério mesmo que o seu valor está ligado a quantas visualizações tem num vídeo que postou? Sério mesmo que a quantidade de "curtidas" te ilude?
Não se preocupe em postar, mostrar tudo o que faz para sentir-se amado, pra mostrar que é especial. DEUS está vendo. Não te basta?! Ou em alguns casos, não te assusta?!
Compartilhar é muito diferente de expor. O que muda? O coração. 
Eu sei, você deve estar se debatendo aí dizendo: "quem é você pra julgar?"
Mas só o fato de você se debater já diz algo. Ou não?!
Realmente, EU não posso julgar. Mas você mesmo pode SE julgar. Faça isso. Não tenha medo. Enfrente-se. Busque suas motivações. Conheça-te.
Sabe, ninguém precisa saber o que você faz todos os dias.
Não dependa de "likes", "followers" para sentir-se aceito.
A vida real é muito mais que isso.
Na vida real, quem curte o que você diz, o que você fala ou como se comporta?
As pessoas ficam admiradas por quem você é?!
É isso que vale, é essa vida que vale...a real.
O que vale é ser de verdade.
E claro, é bom que seja uma BOA PESSOA para os outros se espelharem...UMA BOA pessoa de VERDADE.

Falo isso com amor. Um amor de quem entendeu que Grande só tem UM: Deus. E diante de toda a grandeza, bondade e amor Dele não há como se deslumbrar com qualquer outra coisa.
;)

quinta-feira, 26 de setembro de 2013

Raiz de gente.


Tem gente que cresce na gente (solo).
O que era semente vira uma árvore frondosa cheia de frutos.
A árvore parece estar longe, e está, mas quando a raiz é profunda, por mais alta que esteja, seus frutos ainda podem ser sentidos no solo de nosso coração. É carinho gerado e regado com verdade, respeito, amor.
E por mais que, no processo de crescimento dessa árvore, ela tenha agredido o solo, o que fica na memória da gente não são as dores, são os frutos.
Tem gente que é assim. A gente olha pro passado e não entende muito bem. Causou tantas lágrimas!
Mas não dá pra ter raiva! Era tão humano, tão perdido, tão medroso com todo aquele sentimento, tão menino....não posso culpá-lo.
Apesar da dor da dúvida, das ausências...a presença dele me bastava naquela época.
Era tão bom lermos juntos, dormirmos juntos, que os momentos separados ficavam pequenos, embora fossem grandes.
Assim encaro meu passado carioca. 
Erro?! Não, ele não!
Pois, ainda depois de tudo, quando se tem raiz em alguém e a gente sabe que agiu errado, a gente volta e pede perdão. E assim ele fez, desesperadamente. Anos depois.
E acho que por isso, por esse reconhecimento de minha importância na vida dele também (mesmo que passado), é que hoje o guardo com carinho.

quarta-feira, 25 de setembro de 2013

Quem?


Quem, de repente, invade sua mente naquelas horinhas antes de dormir?
Quem rouba seus pensamentos, sua imaginação e te coloca dúvidas, hipóteses?
Olhe-se bem. Observe-se.
Essa pode ser a pessoa que tanto espera ou deseja.
A pessoa que te tira o sono, pode ser exatamente a que te faria dormir melhor.

segunda-feira, 23 de setembro de 2013

Pela humanização.

Vamos parar com essa mania de "categorizar" pessoas?!
Isso se faz com COISAS.
Pessoas estão em constante mutação.
Agora, se você pensa que "nasceu assim, vai ser sempre assim" (síndrome de Gabriela)...Aí, meu querido...COISIFIQUE-SE.

Cansei de escrever cartas. Quero ser uma!


É verdade, eu escrevo com facilidade. 
Mas se você não tem essa fluência, não se acanhe.
Não é necessário que saiba escrever. Apenas que leia.
As palavras não precisam estar organizadas, sincronizadas para que fale.
Claro, há pessoas com esse dom. Dom de espelhar a beleza do mundo através de palavras.
Dom de espelhar a liberdade das borboletas, a transparência das águas, a perfeição das flores...
Mas, muito mais que ser um poeta, é preciso ser poesia para que haja encanto.
É preciso que você seja uma carta de amor ao mundo!
E pra essa necessidade urgente não é preciso ser letrado, endinheirado, poderoso, atarefado.
Só é preciso que abra os olhos do coração e pare. RE-pare. 

Amar é orar. Orar é amar.


E aí me perguntaram pra quê uso "AMÉM" no final de uma declaração de amor. Tipo, "eu te amo pra sempre, amém".
A resposta é simples. Porque amar é uma oração.
Porque assim como a oração toca o coração de Deus, o amor toca o coração das pessoas e de Deus.
Entende?! O amor ora.
Porque o amor deseja as melhores coisas, faz o possível pra ver o outro feliz, intercede onde for preciso, une cidades, mistura mundos, transforma pessoas....É, o amor é milagreiro!
E ele é tudo isso porque o amor, na sua forma plena, é aprendida com o Pai.
O Pai é Amor. Deus é amor.
Por isso, o amor ora, e o amor responde.

sábado, 21 de setembro de 2013

Vida que corre.


Já vivi outras vidas na vida (coisas do ofício de atriz).
Já morei em duas outras cidades além da minha.
Já fui palhaça em cena, já fui palhaça na vida.
Já cantei em casamento e foi lindo, e em outro...um desastre.
Já dei aula pra crianças, já dei conselho pra pessoas maduras. Já fui psicóloga e paciente.
Já dei meu coração pra pessoa errada, e depois tive medo de dar pra pessoa certa.
Já viajei por aí, já peguei carona com desconhecidos.
Já dei muitos foras tendo jogo de cintura. Já levei foras que me doeram a alma!
Já fiz balé, jazz, street dance, dança do ventre, dança de salão...de tudo um pouco pra aprender a dançar em cada escorregão da vida! 
Já tive músicas feitas pra mim e já escrevi contos e mais contos sobre outros.
Já recebi serenatas, cartas de amor...
Já chorei de saudade.
Já falhei demais.
Já dividi meu sanduíche (minha refeição do dia) com um morador de rua.
Já neguei ajudar alguém achando que a pessoa estava mentindo ao pedir dinheiro, e até hoje não sei a verdade.
Já errei por acreditar nas pessoas.
Já tive meus momentos de burrice e idiotices.
Já recebi propostas absurdas! Já neguei coisas, que muitos não negariam, simplesmente por não sentir paz.
Já cantei pra acalmar uma amiga. E tive amigos capazes de tudo por mim também.
Já chorei até perder as forças...
Já neguei 6 pedidos de casamento. Já desejei por UM pedido que não chegou.
Já beijei um príncipe que virou sapo!
Até miss eu já fui!
Já quis mudar o mundo... Hoje eu procuro apenas mudar o MEU mundo e fazer com que ele seja inspiração pra cada um mudar o seu particular... Aí no coletivo seremos melhores!
Já passei por vários fenômenos da natureza dentro de mim, várias tempestades que pareciam maiores que eu, e algumas até seriam se eu estivesse só. MAS eu nunca passei por elas sozinha. Por isso, as águas me molharam, claro, mas não me afogaram. O vento forte me tirou o chão, mas meu Pai me sustentava. E isso me bastava, me basta: sempre tive a certeza e segurança de que meu Deus está comigo.

Busco fazer de cada experiência um aprendizado. Se errei, volto lá e conserto. Orgulho pra quê?!
Se meu coração pede mais uma chance, dou. E dou todas as chances possíveis pra alguém, pra depois não ter que conviver com o "E SE...".  "E se eu tivesse aceitado, se eu tivesse amado, se eu não tivesse sido tão estúpida..."
E tento colocar amor em tudo que faço e sou. Porque "se não tiver amor, proveito algum terá".

sexta-feira, 20 de setembro de 2013

"Serás"

Será que aquele amor 'NASCIDO sem ver', um dia morre sem a gente perceber também?
Será que um amor APRENDIDO (construído pode decisão) chega ao ponto do amor natural?
Será que a gente aprende a ser pleno com amor medido (decidido) ?
Será que o coração pula e a gente chora com a presença do que foi amado racionalmente?
Será que a gente só AMA (desses ilógicos) uma vez na vida?
Será que essa uma vez que se amou deixa-se de amar?
Será que amor tem fim?
Será que esse é o fim?
Será que acaba assim, eu sem você e você em mim?
Será?
Será que o novo vai me arrebatar uma hora?
Será que vou ter uma "amnésia" pra sempre e nem lembrar que um dia te amei?
Será que você era o príncipe ou o dragão da minha história?

Sem ar.


Às vezes parece que o futuro te pressiona, me pressiona.
Parece que ele sai de seu devido lugar e tenta invadir o presente.
Nessas horas, muito mais que uma vontade, vem uma NECESSIDADE de acertar.
Não posso errar de novo.
Agir pela razão parece até uma sensata decisão. Mas, por mais que a razão veja, ela não sente.
E, muitas vezes, o que nos livra, o que nos ilumina é o instinto (quase extinto pelo pensamento lógico).
Muitas vezes, pra quem tem Fé e vive guiado por ELE, a razão é traiçoeira, medíocre e manipuladora.
E eu continuo me questionando: "como as pessoas conseguem viver assim? Será que eu sou esquisita? Ou eles que são covardes?"

E mesmo que o Futuro me cerque, me pressione, não dá.
Parece até legal. Na verdade, é até legal. Prático. Parece calmo, tudo sob controle. Eu no controle.
Se ele for embora...tudo bem. Se ele ficar...tudo bem também.
A razão nos deixa indiferentes, anestesiados. Não sentimos dor, nem euforia potente.
A dor, a angústia, o 'querer voltar onde errou' fica ali escondido. Isso é latente de quem decidiu abrir mão do coração inteiro.
Não é que não tenha coração, é que apenas uma parte está ali. .
Essa mornidão e insensibilidade me sufocam. Fico sem ar.
E eu, muito mais do que ar pra respirar, eu preciso de ar pra voar, preciso do vento pra me sustentar.

terça-feira, 17 de setembro de 2013

Sem querer.




"Foi sem querer", uma frase tão usada por nós.
Acredito que é a frase do inconsciente. Do escondido.
E "sem querer" sonhamos com alguém.
Sem querer imaginamos como seria se tivéssemos dito SIM.
Sem querer nos lembramos de alguém.
Sem querer uma lágrima escapole e o coração parece desmaiar.
Sem querer somos maltratados por outro alguém.
Sem querer damos uma resposta que denuncia.
O "sem querer" nos trai.
O inconsciente sempre dá um jeitinho de gritar, de se expor, de NOS expor.
O SEM QUERER nos entrega, ele não tem medo de amar, de decidir, de lutar...Não tem medo da verdade, afinal ele se "auto justifica"...foi sem querer.

Fiquemos atentos com o que sonhamos, com o pensamento que voa sem percebermos,
com as palavras doloridas que escapolem. Observemo-nos para que haja LIBERTAÇÃO. Pois só a Verdade liberta.
Os sonhos noturnos, muitas vezes, podem ser os desejos reprimidos pela razão medrosa e traumatizada.
Uma situação rejeitada pode ter uma raiz de insegurança no inconsciente.
A lágrima fujona pode ser o sentimento real se mostrando apesar de tentarmos passar uma outra impressão com o que dizemos, apesar de falarmos 'outros sentimentos'.
A imaginação pode ser uma vontade acorrentada.
Uma reação grotesca pode ser sua verdadeira identidade, que ainda não foi tratada.
Porque onde não controlamos é a verdade que se exibe.

sábado, 14 de setembro de 2013

Sofia em xeque.



-Eu quero você, quero viver com você...
-Por que eu?_ela indagava tentando entender pra saber se aquilo era fogo de palha ou era coisa séria.
-Porque você é a mulher que todo cara em sã consciência desejaria, você é quase completa.
-Não, nem todos desejariam. Há pessoas de bom gosto.
Ele riu. Ela também. De tanto ouvir isso na vida, ela quase acreditava, mas sem nenhuma pretensão ou arrogância. Encarava esses elogios exagerados de forma engraçada.
-Me fale, eu quero saber por que você não desistiu de mim até hoje? Já que pode ter tantas outras mulheres...Menos complicadas até! Mais disponíveis...
-Por você vale à pena pagar um preço, é sincera, me diverte, seria uma ótima mãe para nossos filhos e eu adoraria envelhecer com você.

Sim, isso era uma coisa linda de se ouvir. Uma declaração e tanto! Rara!
Mas Sofia se questionava: "Aceitar esse pedido sem que eu sinta a plenitude no coração (apenas na razão) e tomar esse momento como se fosse meu.... Até onde isso é maturidade e até onde é comodismo?...Será que isso é um presente que eu AINDA não estou enxergando ou é desesperança no amor (aquele que explode dentro da gente)? "

terça-feira, 10 de setembro de 2013

No cinema.


Lá estavam no cinema, Nina e Bruno. Parecia o primeiro encontro.
Bruno, homem maduro, todo seguro, mostrava-se tenso, respiração alterada, mãos inquietas.
Nina estava tranquila, olhando firmemente a tela do cinema, fingia não perceber o nervosismo dele. Achava engraçada essa reação, achava uma reação genuína, de gente pura que estava completamente ali presente. Tão ali que não sabia pra onde fugir. As mãos que não paravam, a perna balançando, nem a respiração funda conseguia ser caminho de fuga.
O filme bom ajudou Bruno a se desligar um pouco. Um pouco.
O ar condicionado gelado aproximou-os um pouco mais.

É...Cinema sempre foi e sempre será a estratégia dos românticos.
Aquele clima fictício inspira e dá coragem.
O escuro esconde a insegurança. As poltronas aproximam.
Tudo colabora para que o beijo final quase faça parte dos créditos que encerram a sessão.

The End.

Pensamento de homem...Pra descontrair.

Tem homem que é engraçado demais. O que acontece na mente deles?
Eles acham que mulher é tipo mesa de restaurante: só porque fizeram a reserva podem chegar na hora que quiserem.
Não é assim não, meu querido! A não ser que você tenha firmado compromisso. Mas mesmo assim, presença e assistência fazem toda diferença!

=p

HOJE SÓ ESTOU REPASSANDO UM BOM TEXTO DE XICO SÁ.

Educação sentimental: o homem frouxo (XIII)


Graças aos amigos Fred Jordão e Beto Azoubel, farejo aqui, ainda de longe, o cardápio do Bar do Homens Fortes, ambiente familiar de macho-jurubeba (rua Mangabeira, 487, Bomba do Hemetério, Recife), uma das atrações do festival Delícias da Comunidade.
O nome do estabelecimento me remete ao moderníssimo sintoma da época, a nossa fruta da estação dos costumes: o homem frouxo e/ou deveras metrossexualizado, com medo da comida de sustança e das mulheres dispostas.
Coragem, meu filho, coragem, a vida é luta renhida, viver é lutar, como nos dizia o Gonçalves Dias. Eternamente epistolar, ou seja, tomado pelo gosto estranho de escrever cartas aos semelhantes em apuros, remendo aqui a missiva que destinei aos homens mofinos.
***
Amigas, peço a devida licença para me dirigir exclusivamente aos meus semelhantes de sexo, esses moços, pobre moços, neste panfleto testosteronizado.
Sim, amigas, esses seres que andam tão assustados, fracos e medrosos, beirando a covardia amorosa de fato e de direito.
Destemidas fêmeas, caso observem que eles não leram, não estão nem ai para a nossa carta aberta, mostrem aos seus homens, namorados ou pretendentes,  esfreguem uma cópia impressa nos narizes insensíveis para os bons cheiros da vida.
Uma cópia colada na tv antes do clássico do futebol não funciona. Ele vai esquecer de ler depois.
Agora falando sério, e só para estes moços, pobres moços:
Amigos, chega dessa pasmaceira, chega dessa eterna covardia amorosa. Amigos, se vocês soubessem o que elas andam falando por ai. Horrores ao nosso respeito.
O pior é que elas estão cobertas de razão como umas Marias Antonietas cobertas de longos e impenetráveis vestidos.
Caros, estamos sendo tachados simplesmente de frouxos, medrosos, ensaios de macho, rascunhos de homens.
Rapazes, prestem atenção, faz sentido o que elas dizem. A maioria de nós anda correndo delas diante do menor sinal de vínculo, diante da menor intimidade, logo após a primeira ou segunda manhã de sexo. O que é isso companheiros? Fugir à melhor das lutas?
Nem vou falar na clássica falta de educação sentimental do dia seguinte. Aí já é nosso paleolítico, história datada. Como assim, cabra fulero, nem um lacônico SMS – “noite linda,gracias!”
Francamente, hombres.
Delicadeza, macho,  não custa nada, não terá nem mesmo que roubar ou quebrar teu infantil porquinho de economias.
Amigos, estamos errados quando pensamos que elas querem urgentemente nos levar ao altar ou juntar os trapos urgentemente. Ledo (ivo) engano. Erramos feio. Em muitas vezes, elas querem apenas o que nós também queremos: uma bela noitada.
Por que praticamente exigimos uma segunda chance apenas quando falhamos, quando brochamos, algo demasiadamente humano? Ah, eis o ego do macho, o macho ferido por não ter sido o garanhão que se imagina na cama.
Sim, muitas querem um bom relacionamento, uma história com firmes laços afetivos. Que mal também há nisso. Desejo legítimo, lindo, está longe de ser um crime, e além do mais pode ser ótimo para todos nós.
Enquanto permanecermos com esse medinho de homem, nesse eterno e repetido “estou confuso” –“eu tô CAFUSO”, como dizia Didi Mocó!-, a vida passa e perdemos mil oportunidades de viver, no mínimo, bons momentos do gozo e da felicidade de varejo possível. Afinal de contas para que estamos sobre a terra, apenas para morrer de trabalhar e enfartar com a final do campeonato?
Amigos, mulher não é pra medo, é para nos dar o melhor da existência. Nada melhor do que a lição franciscana do “é dando que se recebe”, como cai bem nessa hora.
Amigos, até sexo pra valer, aquele de arrepiar, só vem com a intimidade, os segredos da alcova, as pornodevoções.
Caros, esqueçamos até mesmo o temor de decepcioná-las, no caso dos exemplares mais generosos do nosso clube.
Não há decepção maior no mundo do que a nossa covardia imediata em fugir do que poderia representar os bons momentos da felicidade possível, repito, não a felicidade utópica, que é bem polêmica, mas a felicidade que escapa covardemente entre nossos dedos adolescentes a toda hora.
Rapazes, o amor acaba, o amor acaba em qualquer esquina, de qualquer estação, depois do teatro, a qualquer momento, como dizia Paulo Mendes Campos, mas ter medo de enfrentá-lo é ir desta para a outra mascando o jiló do desprazer e da falta de apetite na vida.
Acordemos, hombres! E paz na terra aos homens de boa vontade!

segunda-feira, 9 de setembro de 2013

Meu desejo é...


Minha luta é para que jamais perca a doçura.
Mas se perder, não tenha vergonha ou orgulho, simplifique.
Volte onde se perdeu.
Eu torço para que jamais perca a essência amável no cotidiano sem perceber e vire um alguém, como a maioria, automatizado. Mesmo que em alguns momentos você volte à essência, não é disso que falo. Falo de voltar no dia-a-dia, e não em alguns momentos.
Quer uma dica?  Reveja fotos antigas, reveja seus gestos, seus sonhos...se coloque na poltrona e "assista-se". Você se reconhece? O olhar tem a mesma ternura e cuidado? Os gestos ainda são leves? Seus sonhos...ainda existem ou foram "adaptados"?
Eu espero muito que siga o caminho oposto da maioria, que não se julgue melhor que os demais por ter tido alguém que te amava mais, que não se torne arrogante porque alguém pediu para que agisse assim, que não se reinvente numa versão piorada...
Mas se você perder o caminho e for guiado por pensamentos baixos e pequenos, PARE. Corrija o percurso e ouse pedir perdão e perdoar.
Eu sei, por trás dessa armadura forte e dura, há um coração que ainda pulsa, há uma pessoa aí dentro que ainda acredita, que ainda sonha, que ainda VIVE. Ela não morreu. Esse outro alguém aí dentro está apenas escondido, mas ele existe, esse é você. Essa é sua melhor versão!
Eu, realmente, oro para que você SE encontre na candura, simplicidade. Assim como oro por mim.
Eu oro para que a gente não se perca nesse mundo aqui fora, ou mesmo, dentro de um mundo particular afoito e inseguro.

Obs:
No link abaixo vc pode ouvir esse texto narrado. =)
https://soundcloud.com/r-marra/meu-desejo-my-desire

sábado, 7 de setembro de 2013

Todo dia é novo.


Clara gostava de olhar pra trás. Não porque vivia de passado, mas pra ver por quais caminhos andavam a construção de sua vida.
Ela não temia se virar, até porque ela caminhava rodando, girando, brincando, mas com muita seriedade.
Há muito tempo descobriu que ela se boicotava. Isso mesmo "auto conspiração".
Claro, isso não é consciente. Na verdade, por medo do novo, do extraordinário, por insegurança temos algumas reações que foram automatizadas com uma intenção de "proteção". Mas esse proteção não é verdadeira, pelo contrário, é uma ilusão. Enfim,...
Foi numa época, início de juventude, em que Clara era apaixonada por um cara.
O cara mexia de tal forma com ela, mexia tanto com o coração, corpo, mente que ela não sabia o que fazer, como reagir. Tinha medo, porque não tinha "domínio". O cara era apaixonado por ela também, mas mesmo assim, por meninice de alma, ela tinha medo. E começou a se boicotar. Começou a duvidar de tudo aquilo, a questionar, a querer prever o futuro...Quis ser deus da situação, e por não conseguir, óbvio, foi ficando insegura. E a insegurança alimentada por ela mesma, por sua imaginação de que era algo grande demais pra caber no peito...a insegurança ficou maior que a paixão. E ela fugiu. Disse não.
Nem ela sabia o porquê da fuga. Ele muito menos. Eles se gostavam, se davam super bem, nunca brigavam.
Não havia motivo real. Mas dentro dela, em algum lugar secreto, havia.
Havia uma mania de SE BOICOTAR. Sabe-se lá porquê. Talvez porque por algum motivo a gente não se ache digno ou merecedor. Sei lá.
Hoje ela enxerga isso. Aliás, enxergou antes. Antes da descoberta do amor.
E por ter enxergado esse defeito em si, passou a se vigiar. Ficava alerta quanto às suas próprias reações. E percebeu que o mundo é assim, a maioria SE boicota. Por isso, optam pelo razoável, pelo BOM.
E como poucos, pouquíssimos, SE enxergam, ou decidem SE enfrentar...o mundo vive em guerra e mal sabem que ela não acontece do lado de fora, e sim de dentro.
Vendo que não estava só, Clara não se condenava por ter tido essas reações absurdas! Mas agora ela queria fazer diferente!
Talvez por isso ela tenha lutado tanto por um cara que amou. Aliás, lutado não, apenas esperado.
Porque queria fazer diferente, queria amá-lo assim como era no seu íntimo, sem restrições. Mas não pôde.
Chegou ao fim.
Hoje, ela não temia o passado porque tinha consciência que tinha vivido com intensidade os 100%, tudo que podia. É, porque tem gente que vive com intensidade, mas apenas 20%. Clara já tinha sido assim com uma pessoa. Ela deu seu máximo, mas seu máximo disponível era pouco, já que seu coração estava DE VERDADE em outro lugar. E ela sentia-se até honesta por ser intensa na porcentagem disponível.
Mas logo percebeu, que honestidade seria dispor todo o resto, era falar a verdade pra si, sentir a verdade, não escondê-la, não maquiá-la.
Clara amadureceu, mas não endureceu.
Afinal, a gente endurece apenas quando não SE enfrenta, quando não enfrenta o outro, a vida, quando foge de pessoas ou situações apenas por possibilidades( "e se ele for embora, e se ele me trocar, e se eu não o fizer feliz, e se ele merecer alguém melhor..."), quando a insegurança vira guia.

Uma vida nova a aguarda todos os dias. Uma vida sem "auto boicote", uma vida em que ela tem optar TODOS OS DIAS por ser plena e se olhar no espelho mesmo nos dias em que se acha "feia" e seria mais fácil dormir pra esperar um próximo dia.
Às vezes não é fácil, não é o mais comum (já que todos se escondem), mas todos os dias ela escolhe viver.


quinta-feira, 5 de setembro de 2013

Porque rir é o melhor remédio.

Postando algo que postei no "Face" e deu o que falar! Porque rir é sempre melhor que chorar... 

Um amigo de SP perguntando sobre Goiânia: -Aí tem muita mulher bonita?
-Simmm. Aliás, aqui tem muita mulher. Só tem mulher! A gente só vê homem de relance...Tipo passando, e nem dá pra ter certeza, pode ser miragem.

Aceita-se imigrantes HOMENS (machos) pra Goiânia. É, porque existe uma grande diferença entre homens, e HOMENS( no caráter, postura).

Grata.

Livre de mim!


Eu sei, a verdade choca. Principalmente se você é uma daquelas pessoas que disfarçam a realidade a todo instante. Emenda namoros, atividades, ...até é "verdadeiro" na medida do possível. Ou seja, é verdadeiro com os outros, mas apenas na superfície.
Não estou te condenando! De maneira alguma! Quem nunca fantasiou algo ou fugiu da realidade de dentro, criando uma outra tão bem construída aqui fora?
A questão é que a fantasia pode ser interessante por alguns instantes, mas é mentira. E mentiras não resultam em boas coisas.
Quando se vive uma mentira, vez ou outra, sentimos uma agonia no peito e não sabemos o porquê. Claro, escondemos de nós mesmos. Mas essa agonia é o grito de socorro da verdade que está sendo sufocada.

Vocês sabem , afinal vocês me dizem isso, a maior função desse Blog não é entreter, contar histórias de amor (embora conte e seja também um entretenimento/arte).
O que mais ouço a respeito do Blog é que funciona como um espelho. E é essa a função: que vocês se enxerguem em cada texto, cada vírgula, assim como eu que escrevi me enxergo.
Eu sempre leio mensagens de pessoas dizendo que os textos parecem ter sido escritos pra elas. E isso me causa uma alegria sem tamanho, porque como diz Quintana: "Um bom poema é aquele que nos dá a impressão de que está lendo a gente....e não a gente a ele!". Sendo assim, sinto-me lisonjeada!
Ouvi ainda ontem : "você expõe umas coisas que a maioria tem medo até de ouvir".
Sim, é isso! É essa a proposta do Dupla Delícia pra nós!
Tem gente que desperta lendo. Tem gente que desperta tanto que se incomoda.
É...um certo incômodo, às vezes, é necessário para que haja mudança de mentalidade, de visão...DIVISÃO. O incômodo pode ser o divisor entre a mentira e a verdade.
Acredite em mim, a Verdade Liberta! Dói, mas liberta. Dói porque às vezes fazemos das 'correntes da mentira' quase parte da gente, nos acostumamos tanto à elas (às fortalezas mentais, ou às justificativas que nos prendem) que livrar-nos delas é como arrancar um pedaço de nós.
Expor verdades (artimanhas emocionais que construímos) num mundo que parece viver num eterno baile de máscaras é algo visto como diferente. Não deveria, mas é.
E por que eu me proponho a esse papel? Por que me expor tanto? Porque alguém tem que se expor.
Não adiantaria nada eu vir falar sem antes dar o exemplo da transparência. Eu vivo uma liberdade mágica!
"Mas por que fazer isso pelas pessoas?", você pode se perguntar.
Simplesmente porque Deus tem me libertado, tem me levado à esse caminho de liberdade, de assumir o que sinto, o que vejo, de tratar, resolver...ao invés de deixar pra lá ou deixar "a vida me levar".
E quando a gente vê que tem um mundo muito melhor nos esperando, queremos salvar o mundo! Claro, não tenho a pretensão de salvar o mundo, mas o que me motiva é que posso, ao menos, indicar O Caminho. Essa é a verdadeira LIBERDADE. Essa é a liberdade que tantos almejam. A liberdade e ousadia de SE ENXERGAR sem véu, sem justificativas, sem "MAS".
Me dói, de verdade, ver pessoas passando pelo que eu já passei.
O que eu fiz? Simplesmente, decidi não passar mais por isso, não viver mais nesse mundo cheio de fugas, onde não se admite falta de ninguém, onde não se admite voltar onde deseja voltar, onde o orgulho guia...Esse mundo não me cabe mais! E eu, realmente, queria mais gente comigo aqui no mundo LIVRE. Livre de nós mesmos.

segunda-feira, 2 de setembro de 2013

Quando a decepção vem...te deixa leve!


Acho que apenas 30% da dor que sentimos quando nos decepcionamos é referente a pessoa que "a causou".
70% da decepção é com a gente mesmo. É com nossa crença na pessoa, é na construção de um sonho em cima da areia, é decepção com nossa imaginação, com nossa mania de acreditar em tudo e todos.
Nãooo, não estou dizendo que não temos que acreditar! Jamais! Sempre serei defensora de acreditar em pessoas! Mas não construir sonhos em cima delas.
A decepção é por você ter defendido tantas vezes algo indefensável, é por você, com mania de querer ver o lado bom, ter inventado outros lados bons inexistentes!
Aí a decepção vem. Uau! Uau! Uau!!!!!
O que fazer?
Ué, continuar vendo o lado bom. E sim, existe um lado bom até nela!
Você estava lá sonhando e a decepção te joga da cama! Você acorda assustado, às vezes se machuca, mas pelo menos ACORDOU.
E pior é que tem gente que nos fere na classe! Acham que por colocarem um "por favor, obrigado, ..." no meio da frase vai torná-lo gentil! What?!Oh God!
"Por favor, vá pra P....", com coisa que uma palavra torna as coisas gentis ou leves. Aliás, eu já até falei sobre isso anos atrás.
Gentileza e doçura não estão nas palavras, estão nos gestos, no olhar, nas atitudes.
Tem gente que fala "Por favor" com tanta sequidão que a palavra poderia ser substituída por um palavrão que não faria a mínima diferença!
Mas como já sabem, eu posso até expôr as dores, gritá-las, mas meu foco sempre será na reação, no que fazer diante de coisas ruins.,
É preciso SE perdoar, já que 70% da crise é "culpa" sua (minha). E perdoar o outro que despertou a crise com os 30%.
E depois de perdoar-se e perdoá-lo, ter mais cautela, e isso não significa se fechar pro mundo (isso serve pra mim!). Ele é falho assim como você, assim como eu.
Fazer o quê?! Mas não justifica, claro!
É levantar do chão, depois do tombo de cair da cama, vestir sua melhor roupa e sair livre por aí. Porque é isso que a decepção faz. Ela te passa uma rasteira, mas te liberta da ilusão!
(às vezes, esse processo de cair da cama e levantar do chão demora um pouco, mas acontece! E é melhor que você levante rápido!)
E aí, você pode voar de novo, de verdade, sem ser num sonho inventado. É só pular a poça d'água e prosseguir. Porque é isso que as coisas ruins são: poças d'água no meio do caminho.
No fundo, no fundo, há beleza e grandeza em todas as coisas.
Porque... "Deus faz com que todas as coisas cooperam para o bem daqueles que O amam".



domingo, 1 de setembro de 2013

Porque a vida tem que ser leve!


Tem gente de todo tipo nesse mundo.
E tem gente que nem gente é, mas se acham o mundo.
Tem gente que é capaz de inverter tudo o que você diz. Sabe-se lá como isso é feito na cabeça delas!
Nunca me senti "a tal" nem mal por ter alguém que me amava e não era recíproco.
Pelo contrário, com muita verdade e carinho eu procuro me expor, converso, mas não os condeno por me amar. Os torno amigos!
Isso faz parte da vida. E como é bom ser amada assim!
Mas tem gente que transforma benção em maldição, amor em ódio, alegria em desgosto...
Tem gente que transforma uma expressão de amor em vergonha. E acusa o portador de tal sentimento e o condena como se esse estivesse cometendo o pior crime do mundo: amar sem "porquês.
Talvez porque não entendam como Deus nos ama. Porque ELE nos ama sem porquê, sem merecermos.
Somos tão imperfeitos, tão falhos, o negamos tantas vezes....mas Ele nos ama!!!

Muitas vezes você faz coisas com a melhor das intenções mas na cabeça confusa do outro, que pensa diferente de você, ele a transforma em agressão. E por reagir à uma agressão (na cabeça dele), fica uma reação descabida e você desconhece aquela pessoa. Parece outra! Parece alguém que nunca viu!
Sabe, na vida teremos que lidar com tudo e todos. Visões tão diferentes das nossas, criações, doenças emocionais, fraquezas e forças tão distintas.
O que temos que ter é sabedoria pra lidar com cada um conforme o Pai nos ensina: com graça, sabedoria e amor. Respeitar, sim, a fraqueza alheia, mas JAMAIS ser refém dela. Jamais ser refém de doenças dos outros ou de nossas próprias, ou de inseguranças ilógicas.

E o que fazer com essas pessoas que enxergam a vida de forma tão dramática?!
Simples, não aceitemos esse peso.
E se transformaram amor em ódio, faça a transformação de volta. Às vezes, você pode não conseguir amá-lo como antes, mas ame-o mesmo assim. Não porque deseja estar com ele, ficar com ele, mas porque deseja o melhor pra ele, e o melhor sempre tem um pouco de carinho.
E não deixemos que nossas vidas sejam pautadas por essas pessoas ou acontecimentos que tentam nos pesar.
Porque a vida tem que ser leve!