Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

terça-feira, 12 de março de 2013

Você me entende? Solte os dados.


Sabe, eu nunca ouvi um conselho amoroso (ouvir- no sentido de guardar, usar) . Não por arrogância ou prepotência. Não! Mas talvez por orgulho, admito.
Orgulho de ser quem eu realmente sou. Mas também não falo do orgulho no sentido pejorativo.
Talvez a palavra certa seja CORAGEM.
Nunca ouvi conselhos por ter coragem. Coragem de me encarar, de ser.

Explico. Quase sempre (pra não dizer sempre) os conselhos são do tipo: "você não devia ter feito isso", "você não pode agir assim", "homem não pode sentir-se seguro", "não se abra assim", "você precisa aprender a jogar".
Confesso que acredito que esses conselhos sejam válidos, surtem efeito. Mas é muita meninice! E eu não quero isso pra mim!
É por isso que a gente ouve muitas reclamações do tipo: "ela não era assim antes de casar", "ele falava o contrário", "ela mudou tanto...". Não, ela não mudou! Ele não mudou! Esses são os reais! Os outros eram personagens. E relacionar com personagens é loucura!

Às vezes acredito que se eu tivesse seguido esses e outros conselhos eu estaria com o amado. E falo isso com dor. Literalmente com lágrimas nos olhos, porque eu podia ter escolhido esse caminho (tão comum), mas pra mim não é o caminho normal. Eu estaria sob uma condição que não caibo. Ele estaria comigo por jogo (mesmo sem saber), estaria comigo porque agi de 'tal forma', mas 'tal forma' não sou eu! Eu não suportaria mentir pra alguém (muito menos pra mim) ! Rapidinho esse personagem maluco que inventam estaria exposto.
Sim, eu poderia estar vivendo lindas histórias de amor. Mas um amor baseado em pessoas que mentem? Não, obrigada! 
Pessoas que mentem, sim. Se você ama a pessoa e não o expressa na plenitude que pode por simples jogo, você está mentindo. Se você tem vontade de fazer algo por ela e não o faz, e faz o contrário....está mentindo!
Amor tem que ter uma base genuína, pura. Se não for assim, é como colocar uma água pura num odre sujo. Contamina.
Estou sendo radical? Talvez. Mas nós temos que aprender a lidar com a verdade, com a verdade das pessoas.

Um amigo disse que minha transparência assusta. Não estou dizendo que a pessoa não tem que usar filtros ou sair falando o que der na cabeça. Entenda. Estou lutando pelo direito de amar, lutando pra que você também possa amar. Sem jogos (mesmo que inconscientes).
Estou alertando para observarmos nossas ações, reações diante de pessoas que se expressam sem medo. Deveríamos aplaudir, acolher ao invés de fugir.
Esse amigo continuou dizendo que homens até se relacionam mas "tem medo de mergulhar fundo e não conseguirem voltar à superfície."
E sabe, é aí que cabem os joguinhos...no raso.

Entendo também que pessoas que são transparentes exigem maturidade de nós e crescer dói. Mas acredite em mim, crescer é maravilhoso também! Não sou a pessoa mais madura do mundo, mas ao menos ouso tentar.
Mesmo que essas tentativas diante de um mundo camuflado me faça usar uma única máscara: do rímel borrado pelo choro. É, porque ser real num mundo irreal também dói às vezes. Se encarar não é tão fácil, eu ME encarar é desafiador.

Você me entende? Tudo bem, às vezes é realmente difícil enxergar quando está muito claro.

2 comentários:

  1. Entendi. Você é autêntica! 8)
    W

    ResponderExcluir
  2. Crescer dói mesmo pin... infelizmente!!!!! E como estamos sempre evoluindo, garanto que o sofrimento será uma constante na vida de quem se permite crescer conscientemente.... Outros tantos, anestesiam seletivamente suas dores por assim acreditarem que já atingiram um patamar ok de aprendizado... coitados, nunca aprenderão!!!! Rasos...

    ResponderExcluir