Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

sábado, 5 de janeiro de 2013

Era pra perceber?


Quase tudo é perceptível (pra não dizer tudo).
Apenas não falo, não exponho, não mostro que sei, que vi.
Sim, eu percebo quando você me procura, quando você me acha.
Percebo quando escolhe as palavas pra falar comigo, quando amarra a naturalidade.
..quando nem manda 'beijo' com medo que essa simples palavra o traia.

Às vezes preferia não perceber, não notar, não anotar.
Queria não perceber um "des-amor", uma despedida, um descaso.
Mas percebo. Percebo.

Por isso prefiro não falar. Porque se falo que noto cada detalhe bom,  isso me obrigaria a falar sobre cada detalhe mau. E não gosto de falar de coisas que machucam, que me doem. Parece que dói duas vezes, quando noto e quando falo.
"Ahh você tem que encarar a realidade"_ dizem.
Mas é o que faço. Encaro-a percebendo. Mas nunca fui de gritar com o que me afronta. Apenas encaro, e com o olhar rejeito o desagradável.
Sim, eu já fui de falar mais, de mostrar que sei, que vi. Mas mostrar que sabe diante de uma platéia mentirosa, diante de gente que SE engana não é a coisa mais sábia a se fazer.
Porque não tem como! A verdade grita no olhar, no jeito de falar. De alguma forma a verdade quer se mostrar! E diante de alguém com verdade nos olhos mas mentira nos lábios não há como contestar.
Então, entenda. Não é que eu não me importe, que eu não note. É que percebi que falar, mostrar a cara (minha e dos outros), deixar que vejam que eu sei só me faz parecer idiota, crédula demais.

Pode apostar, eu vejo, eu me importo. Apenas não toco.

Nenhum comentário:

Postar um comentário