Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

quinta-feira, 18 de outubro de 2012

Deu branco.

Às vezes a gente até vira a página, mas como é pesada a próxima página!
O vento sopra e parece que aquela nova página cai sobre a gente pesando toneladas!

E a gente prossegue, fingindo que nada aconteceu. É fácil fazer isso! Basta não lembrar, ou SE lembrar...colocar na cabeça todas as coisas duras que foram ouvidas ("eu nunca te amei"). E aí a gente prossegue com  raiva até que se torne indiferença e a indiferença se torne ausência de memória. E nesse lapso da memória a gente constrói qualquer coisa em cima. 
E sabe que isso até dá certo até que... Até que você esbarra no "tal", ou recebe uma notícia dele sem buscá-la, ou vê uma foto que te faz lembrar do sonho. Sonho que você sonhava sozinha, mas sonhava.
E quando alguma dessas coisas acontece, toda construção em cima do lapso forçado de sua memória vai por água abaixo. Literalmente. Água, lágrimas abaixo.

E não tem mais o que fazer.Te falaram pra prosseguir, você o fez.
Te falaram para ignorar, você o fez.
Te falaram que com o tempo ia passar...E a única coisa que realmente passou foi o tempo e a vergonha na cara. A vergonha na cara por gostar de alguém assim passou longe!
E LONGE é o único lugar que você queria estar. Longe de tudo isso, de todo esse sentimento.
Mas não adianta, porque por mais longe que você esteja, por mais rápido que você fuja, o amor de graça por aquele "tal" está dentro de você.

Aí você torce para que sua memória dê um branco, e seu coração também levante uma bandeira branca gritando 'PAZ'!!!

Nenhum comentário:

Postar um comentário