Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

sexta-feira, 1 de junho de 2012

Abrindo o jogo!


As conversas eram praticamente terapêuticas. Uma mistura de filosofia, realidade, ironia...
-Você é especial em essência. O conteúdo que você expõe, essa complexidade toda te torna interessante além  do óbvio, do visível.
-Entendo o que você me diz e muito me agrada. E pode ficar tranquilo que não suponho paixão para dizer coisas belas. Sabe, algumas pessoas até conseguem ver que tem algo além da beleza, mas não captam a essência. Entende?
-Essas pessoas são insetos que vivem ao redor da Luz. Insetos que são atraídos pela luz e pensam que o verdadeiro sentido da luz existir é atraí-los, quando na verdade não é.  A luz existe para desvanecer as sombras e pra servir de guia.
Ela sorria, achando interessante toda aquela leitura. E ele continuou: - Eu te admiro tanto porque sempre carreguei um amor pela leitura, e se te leio, te encontro. Não importa o tamanho de seus textos, sempre acabo percorrendo suas palavras porque tem tudo lá.
-Eu só escrevo EU mesma. Só exponho o que quase ninguém expõe. Só questiono o que todo mundo deveria questionar, SE questionar. Tento incentivar um 'olhar-se no espelho'. Nem sei me categorizar.
-E não tem como categorizar mesmo. Você é subjetiva, fala nas entrelinhas mais do que nas próprias linhas. Não é exata. É humana.Seu pensamento flui...

E a conversa também fluía, sem meios dedos, meias palavras ou meio termos. Simples e direto ele a "entrevistava".
-Como você se sente sentimentalmente? Sente-se incompreendida?
-Incompreendida?Talvez não, porque sou clara.
-Vou melhorar minha colocação: você é que não compreende o que acontece, né?! Sabe o que é?! Você amedronta o homem. Porque uma coisa é o cara estar ao lado de uma bela mulher, mas se ela tem toda essa complexidade como você tem, o cara assusta e não sabe se vai conseguir atingir seu patamar!
-ahahahahahahahahahaha....que patamar?! Isso é imaginário! Sou tão simples! Mas infelizmente acontece mesmo, já ouvi isso. Surreal.[...] Me diga então você, que é homem, o que fazer para o cara não pensar assim?
-Ué, tem que ser um cara resolvido com relação a isso. A partir do momento que o cara enxergar mais seu interior do que a superfície daí ele não terá medo. Porque homem tem medo mesmo, se o córrego é raso e ele pode ficar na superfície ele vai em frente, mas a partir do momento que ele precisa ir mais fundo, ele fica com medo de não conseguir voltar à tona. E com você não tem passeio superficial, só mergulhando mesmo! De fato, você é apaixonante, mas é como um rio cheio de curvas e profundo daí as pessoas se assustam com os riscos, e pelo medo de enfrentar correntezas e cachoeiras acabam desistindo.
-Bom, depois disso tudo não sei se me sinto bem ou mal. Achei ótima sua leitura, mas sinto-me como se estivesse num quarto fechado numa torre alta. Continuarei esperando alguém que tenha coragem então. Mas já esclareço, não precisa dessa coragem toda. Só precisa entender o valor das coisas, pois sabendo...lutará, conquistará facilmente, sem muito esforço comigo. Talvez o esforço seja apenas de reconhecer que preferem algo mais fácil, algo que esteja na prateleira debaixo...O esforço é com ele mesmo e não comigo.

Um comentário: