Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

quinta-feira, 30 de junho de 2011

Ouvir "eu te amo"





Todo mundo diz que quer ouvir "eu te amo" e que é muito bom e tal...
Tirando a parte óbvia, tipo, ouvir isso de família e amigos que realmente o sentem...Pode soar estranho.

Eu, pelo menos, nunca tive essa coragem toda de dizer para o cara que o amo. Posso até amar, demonstrar, mas dizer assim...do nada...são três palavras muito pesadas de se carregar sozinha.
Aliás, disse uma vez, depois do cara dizer primeiro! (pois é, não sou tão corajosa quanto parece), e hoje somos amigos, quero ele muito bem, o amor existe mas mudou.

Mas prosseguindo...
Eu estava despreocupada, pensamento sabe-se lá onde, quando encontro uma pessoa. Conversa vai, conversa vem...ele diz "EU TE AMO".
Fiquei tão assustada que perguntei: "Oi?! O que você disse?"
E ele repetiu com todas as letras.
Eu ri. Não por maldade, mas por perplexidade, pela surpresa. Ri porque não me restava outra coisa. Ri por fuga, por ausência de resposta.
Fiquei pensando nos motivos que o levaram a dizer isso. Ok. Você pode pensar que seja óbvio: ele me ama. MAS...assim?! Sem porquê?!
É aí que me pego respondendo por ele o que eu sempre escrevi mas temia dizer: amo, amo sim. Eu te amo, sem 'porquê'. Porque amor não se explica como matemática, não é lógica. Tem paixão, carinho, tesão mas tem razão, escolha, decisão, coragem...

Sabe, a gente até quer, aliás quer muito ouvir EU TE AMO. Mas é de UMA pessoa, DAQUELA! Quando ouvimos assim de alguém que é um doce, corajoso pra caramba, admirável e mais um monte de coisas mas não é O CARA em questão...Parece que essas palavras ditas da boca de outra pessoa não se encaixam no espaço aqui dentro. É estranho.

"Não sei, só sei que foi assim."

Um comentário: