Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

quarta-feira, 30 de março de 2011

Penso assim.

A conquista não é uma compra, é um processo,
é aprender e ensinar.
É arriscar ganhar, mas encarar o fato de que GANHAR nem sempre é despertar o amor (eros), pois isso pode não acontecer.
Mas você pode ganhar (e muito) conquistando o respeito e confiança de alguém ( o que, aliás, é bem mais difícil).

Pode ser.




Eu quase não sei de muitaaaaaaaaaaa coisa e das outras desconfio que sejam.
O meio sorriso pode ser apenas um disfarce.
O choro pode ser chuva.
O pesadelo pode ser sonho.
O sonho pode ser real.
A falta, às vezes, é tão companheira que sua (sim SUA) ausência passa a ser presença constante.
O desejo pode ser tão forte que parece medo.
O seu medo é tanto que penso que é preciso muita coragem para carregá-lo.
A fuga é tão constante que nem se distingue mais de uma rotina.
O abraço de despedida pode ser o abraço da chegada!
O final foi tão lindo que pode ser um começo.

terça-feira, 29 de março de 2011

Dança de realeza!



Hoje o vento me tirou pra dançar ao som das ondas do mar. Foi tão bom, tão leve...tão lúdico e tão real!

sábado, 19 de março de 2011

Não se preocupe.


Se me encontrares sentada, cabisbaixa, olhos pro chão...não se preocupe, não!
Sento-me porque pulei o mais alto que pude.
Não estou cabisbaixa, apenas descanso minha cabeça que sempre esteve firme pra enfrentar o mundo.
Não olho pro chão, olho pra dentro porque explorei e fui além de tudo que eu conhecia lá fora (fora de mim, do meu controle).

E ainda, se me vir chorando, saiba que foi porque lutei muito, porque tentei, não desisti,...foi porque fiz por merecer o EXISTIR.
Quando a gente decide viver o MAIS da vida (sem reservas) temos que estar cientes dos riscos. Arriscar-se faz parte do Mais. É sempre assim, perder para ganhar. A gente perde numa coisa mas ganha em milhares outras. ( o importante é saber escolher onde perder ou onde queremos ganhar!)

Por isso digo: não se preocupe! Se me vir num vale muito fundo, é porque fui ao mais alto monte!

terça-feira, 15 de março de 2011

Viva "EU"! Meu aniversário.



Não estou ficando mais velha, nem terei menos vida daqui pra frente! Acabo de ganhar mais forças para arrebentar o casulo e voar! Chegou a hora de me confundir com flores, de visitar amores, chegou a hora de viver a vida e, se preciso, enfrentar dores!

domingo, 13 de março de 2011

Às vezes.

Às vezes as pessoas dizem que se importam, que te amam, que nunca irão te machucar, às vezes elas dizem que a culpa não é sua e sim delas, às vezes realmente é.
Às vezes elas dizem que você tem tudo que elas queriam em alguém, mas ainda assim não te querem.
Às vezes as pessoas parecem honestas e parecem ter coração.
Às vezes elas parecem sonho, e dizem mil coisas lindas...Mas fique esperto, às vezes. Há algumas pessoas que às vezes mentem.

Ou vc acha que é bom sentir saudade do que ainda não se foi?



Sinto falta de quem foi e se deixou em mim.
Não dá pra negar que quem se foi não foi inteiro, não se foi de mim.
É irritante perceber que me lembro o tempo todo que me esqueci de você.
É ridículo ver que meu primeiro Bom dia é pra você aqui no pensamento.
Lamentável que minha razão não tenha controle o suficiente pra simplesmente ignorar ou ser indiferente ao que foi (ou era pra ser).
É absurdo notar que eu nem existo mais pra você, e que você cresceu em mim.
Não gosto nada nada disso.
Ou vc acha que é bom sentir saudade do que ainda não se foi?

sábado, 12 de março de 2011

Duplas. Ou não.1

Se tem uma coisa que realmente me deixa triste é gente indiferente.
Estão aí, duas coisas que não combinam: GENTE e indiferença.
Frieza é coisa pra robôs, máquinas...

sexta-feira, 11 de março de 2011

Duplas. Ou não.

Como tem gente estúpida, né?!Essas duas coisas não deveriam andar juntas: gente e estupidez.

obs: a partir de hoje uma nova seção: "DUPLAS. OU NÃO."

terça-feira, 8 de março de 2011

Carta a você



Você que finge ousar
...que pensa ser intenso, mas não percebe que sua intensidade chega apenas na porta, não entra. ...que trabalha dia após dia, emenda acontecimentos...só pra evitar pensar.
Você que não pensa pra não se arrepender, ou que se arrepende não assume pois acha que isso é fraqueza.
... que pensa que fraqueza é exatamente o contrário do que é.
... que, sem querer, caiu na armadilha do "fazer", e já não sabe o que fazer quando "sente".
Você que, no fundo no fundo, sente mais que tudo, mas se esconde atrás de mil palavras NÃO, e se diz resolvido.
Você que perdeu uma grande chance de viver um grande amor, e pior, tem orgulho demais pra voltar atrás.
Hoje, quero escrever uma carta à você.
...que banalizou tudo, fingindo ser isso natural, e agora prega o DESAPEGO (a pessoas).
...que se acha especial demais e por isso, nunca se contenta com a mulher (ou homem) que está diante de você.
Você que, na verdade, tem medo de se envolver, por isso, até tem relacionamentos mas nada que exija um envolvimento profundo.
Você que ama viagem, música, arte e não consegue respirar sem isso. Mas é capaz de ter essa respiração alterada por amor. Não que vá viver sem essas coisas, mas mudar a ordem.
Você que, neste momento, está sem chão, sem rumo simplesmente porque resolveu dizer não aos paradigmas do mundo.
Você que, algumas vezes, se sente deslocada no meio desse mundão de gente que nem GENTE é, e pensa que seu príncipe está vindo de jegue manco....pra demorar desse tanto! E outras vezes, pensa que bom mesmo é o lobo mau, que te ouve melhor, te enxerga melhor e no final ainda te come.
Você que fica revoltada por 2 minutos e isso basta. Depois corre para os braços do Pai (Deus).

ENFIM, UMA CARTA À VOCÊ que, em algumas dessas situações, reconheço no espelho. E GRAÇAS A DEUS, em muitas outras não.

sábado, 5 de março de 2011

Esbarre!



Se for pra esbarrar, esbarre direito!
Não esbarre para só encostar, pra sujar,...Não tropece simplesmente! Tropeços causam dor.
Não quero esbarrões dolorosos, não quero que esbarre em mim para que eu tropece e caia, nem que você siga em frente sem antes pegar minha mão.
Esbarre pra cair em cima de mim.
Esbarre pra entrar em contato, pra sentir o cheiro, pra trocar informações, pra trocar de roupa,...Esbarre pra mudar o jeito de ver, pra mudar o rumo, mudar de casa, pra mudar a vida!
Esbarre pra passar dias e noites, e mais noites e dias, pra passar você pra mim.

Vazio.



Hoje acordei com uma falta que encheu tudo.
Encheu minha cabeça de perguntas
Encheu minha mente de lembranças
Encheu meu coração de saudade
Encheu meu corpo de vontade
Encheu minha mão de vazio.

Tentei fingir que a falta não existia
Mas sua ausência persistia.
Gritei, chorei, me esvaziei.
Nada adiantou, mesmo eu vazia, sua falta ficou.

sexta-feira, 4 de março de 2011

Carnaval



A ideia de fazer do carnaval um período onde posso ser eu mesma não me atrai. Sou sempre livre! Não preciso dessa desculpa. Sorry.

Aliás, acho que é um ótimo período para realmente se CONHECER alguém.

Sem mais palavras.

quinta-feira, 3 de março de 2011

Coragem, meu filho, coragem!



Lá estava Liz na casa da família (não a dela).
Ele já não morava lá.
Tinha tempo que não se viam.

-Querida, você pode colher as flores pra mim?_ disse a mãe (não a dela)
-Claro. Faremos uns arranjos bem bonitos!

Liz já nem pensava, nem insistia, apenas vivia e mantinha contato com a família porque gostava deles, assim, de graça.
O Céu estava lindo, as nuvens estavam baixas, e se Liz ficasse na ponta dos pés alcançava aquele algodão todo. Mas, seu foco não estava no alto, e sim na terra, nas flores.
As flores,....Ahhhh as flores! Estavam vibrantes!
Enquanto Liz estava pra lá...

-Surpresaaaa Mãeeee!
-Ohhh meu filho!!! Que visita boa e inesperada! O que te deu pra vir assim... do nada?
-Não sei, meu coração pedia pra vir e eu vim.
-Hummm...

Ele foi saindo da cozinha e indo em direção ao jardim.
-Espere!!!! Você não quer tomar um suco? Sente-se, vamos conversar um pouco.
Ele estranhou, voltou com o sorriso de sempre e sentou-se.

-Meu filho, você sabe que eu nunca interferi em sua vida, em suas relações, mas....até quando vai isso?
-Isso o que?
-Essa mentira!
-Como assim, mãe?
-Ah, eu te conheço bem! Desde que vocês terminaram você não é o mesmo. Você tenta, finge, mascara, engana muita gente, engana até você, mas...
-Mãe, já faz um tempo que não estamos juntos.
-E por que? Você sabe me explicar o motivo??? Pare e pense.
-Por que você está me dizendo essas coisas?
-Eu não me conformo, não me conformo de você rasurar uma página perfeita. E sei que está feliz, você É uma pessoa feliz, mas...aquele encanto que tinha quando falava dela, aquela meninice diante dela...Você não tem com essa moça que tem te feito companhia.
-Mãe, eu realmente não estou entendendo por que você quer ressuscitar isso?
-Não quero ressuscitar, a gente só ressuscita o que morreu. E eu sei que ela não morreu pra você.
-Não sei mãe, não sei. Eu tive medo de não ter o controle, medo do próximo passo, pelo jeito que as coisas caminhavam...
-E você acha que COVARDIA é motivo para não ser MAIS feliz??? Você não acha que está na hora de dar mais um passo, de enfrentar...? Está na hora de dizer 'não' para esse medo, esse desencorajamento!
-Mas eu nem tenho notícias dela!
-Hum...eu tenho.
-Ela tem....?

Liz chega chamando-a lá de fora:
-As flores estão chegando pra Mãe-Flor!!!!!!
Ele reconhece a voz e se levanta querendo sair pra pensar antes de falar com ela, mas não dá tempo. Liz entra e fica tão surpresa quanto ele.

-Oh, oi...eu, eu estava pegando umas flores.
-É, eu resolvi fazer uma visita surpresa.
-Bom, seja bem vindo a sua casa, então!

A mãe se levanta e diz:- Acho que vocês precisam conversar.
-Ohhh, não. Imagina, não precisa sair.
-Não, minha querida, eu tenho que ir ali.

Fica um clima meio sem graça, silencioso até que ele cria coragem.
-Que bom que está aqui! Precisamos conversar.
-Não, por favor, não se preocupe, não queira justificar nada.
-Eu preciso. Posso?![...]Eu fui covarde, eu tive medo, ninguém nunca havia feito tanta coisa por mim...
-É meu jeito, gosto de expressar carinho de várias formas.
-Pois é, eu não estava acostumado e...Bom, chega de rodeios! Eu preciso de você, eu quero viver com você!
Liz fica surpresa, olhando pra ele, pensando em mil coisas.
-Não me diga essas coisas se não pretende eternizar!
-Vamos voltar!?!
-Agora quem está com medo sou eu. Quem me garante que amanhã ou daqui uma semana você não mudará de ideia???? Não posso mais me permitir essas loucuras!
-Não, você não está entendendo. Quero viver com você pra sempre! Poxa, eu achei que ia demorar pra eu dizer isso mas...QUERO ME CASAR COM VOCÊ! Você quer se casar comigo?
-Provavelmente.

quarta-feira, 2 de março de 2011

Ame.



Ame.
Ame muito.
Ame sempre.
Ame o máximo de pessoas que puder. E as que não puder também.
Ame com o máximo de você.
Quando doa amor, o máximo que pode acontecer é você amar ainda mais!
Porque no amor é assim: quanto mais se dá, mais se tem pra dar.

E se um dia você se cansar de amar, ame mais um pouco, sua última gota, com um último fôlego.
AME Aquele que é o Amor. Lembre-se ELE te amou primeiro!
Não pense que seu amor está indo pro lixo. Não!
Lixo é o último lugar pra onde ele iria. Ele vai pra pessoa amada com certeza! Você pode não perceber, mas a pessoa percebe, sente.
Mas não confunda, JAMAIS, amor com posse. Amor não possui, abraça.
Não tranca, liberta.
Não obriga, dá opções.
Não agride, acolhe.
Vez ou outra fica inquieto, o amor. Mas é uma inquietação de querer bem.
Fica um pouco bravo caso sinta-se desrespeitado, e nessas horas ele não se cala, ele corrige.

Quando for amar, não se esqueça de que o amor não é seu, é um dom supremo, DIVINO.
E se é divino, é sagrado.
Por isso, cuide bem do amor que você tem dentro de você, cuide bem do amor que você doa (ouviu bem, DOA. Doar é diferente de emprestar). E trate de se derramar na Presença de Deus, pois ELE é a fonte de todo amor.



"Fica sempre um pouco de perfume nas mãos de quem oferece rosas."

terça-feira, 1 de março de 2011

Deixe-me ser.



Quando ele foi falar com ela, o coração dela derramava. Ela chorava, contida, mas chorava.
Ele se aproximou e, envergonhada, ela abaixou a cabeça e desaguou.
-Olha pra mim.
-Não _ respondeu meio sem fôlego.
-Não faz assim com a gente, as coisas ficarão mais difíceis.

(Mais difíceis? Você que não sabe dos gigantes que eu tive que enfrentar pra viver com você! Não sabe dos conflitos que tive que resolver (não, não dava pra deixar pra lá)!E diante da primeira dificuldade, aliás, diante do 'conforto' que você teria que abrir mão, você me diz NÃO?! Diante do único preço (baixo até) que teria que pagar para permanecermos, você simplesmente joga a toalha?![...] Não estou te culpando, jamais! Isso foi bom pois você me motivou a crescer, a vencer o medo de me envolver...Por isso, não me peça pra não chorar._ ela pensou.)
-Difícil pra quem? Não, não...Não me peça pra não chorar. Não estou chorando por ser fraca, pelo contrário, choro porque tenho sido muito forte por muito tempo, e agora eu não caibo em mim. Deixe-me ser.