Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

segunda-feira, 28 de fevereiro de 2011

Oscar



Eu tinha que ganhar o Oscar por ser eu. É a personagem mais estranha, difícil de entender (pra os outros, né) e complicada que conheço!

... (reticências)



Já usei todas as palavras que conheço para tentar descrever o que sinto.
Já senti um tanto de coisas que tem nomes. E mais um monte que, se não tem nome, ao menos dá pra descrever.
E já há alguns dias que tento entender o que se passa aqui dentro, tento nomear sentimentos, busco palavras numa ânsia por uma resposta e o máximo que consigo é ouvir meus pensamentos caírem no chão, pois não tiveram suporte pra ficarem de pé.
As emoções estão num devaneio só.
Agora descobri o motivo disso tudo. Você está em todas as idéias, está entre cada sentimento, está abraçado a cada plano... e como pra explicar VOCÊ não há sinônimos, tudo ficou sem nome. Sobraram apenas as reticências, que sempre conseguem explicar o inexplicável.

quinta-feira, 24 de fevereiro de 2011

Meu Pequeno Dicionário- Lágrima



Lágrima é um grito silencioso
É a vontade que a alma tem de se derramar, de fugir pra algum lugar onde possa simplesmente evaporar.

sábado, 19 de fevereiro de 2011

O justo vive por fé.

Tem momentos na vida que não podem ou não devem ser compartilhados.
Simples assim.
Ninguém pode fazer nada.
Você não pode fazer mais nada.
Há de se esperar e confiar.
Mas saiba que você não está só. Não! Isso não, se tem um relacionamento com o Criador.
Ele mesmo, o Pai de Amor.
E nesses momentos peculiares, em que é você e ELE, fique tranquilo e confie, pois ELE te basta.
E mesmo que sua razão questione, mesmo que sua mente não consiga ir além...Vá. Se Deus te deu paz em alguma coisa, mantenha-se firme.
E seja sábio, não divulgue. O que Deus falou pra você pode parecer loucura para os que assistem.
Porque se pra você mesmo é estranho, se sua mente não acompanha...imagine pra o outro que não ouviu nada e não está sentindo a PAZ que você sente! O que te segura e guia é a Palavra que ELE te deu, e se não deu para o outro, podem zombar de sua fé, e com isso a sua própria fé enfraquecer.
Foi assim com Abraão, quando teve a promessa de um filho com quase 100 anos. E "ele creu contra a esperança."
Foi assim com Noé, quando Deus mandou construir uma arca pois cairia água do Céu, sendo que nunca havia chovido antes. (você pode imaginar comigo....as pessoas, certamente pensavam que ele era louco!)
Foi assim com Moisés, que sua única saída era atravessar o Mar Vermelho.
Foi assim com Davi, que derrotou Golias (o gigante armado) com apenas uma pedrinha (e UMA palavra: SOU CONTIGO).
E é assim, muitas vezes, pra nós. Não temos saída, não temos mais forças, não sabemos o que fazer...Mas se temos UMA palavra, se temos o Espírito Santo dentro de nós, isso basta!
Dentro do barco no meio da tempestade, Jesus dormia. ELE descansava no Pai.

Ter amigos é algo bom, é recomendável. Mas há momentos em que precisamos passar "sozinhos".
Não estou dizendo que seja fácil, não! Não é mesmo! Nossa mente tenta entender, nossa alma tem sede de respostas...Mas se você tem PAZ (aquela "paz que excede todo entendimento"), permaneça firme pois na hora certa o mar vai se abrir, o gigante será derrotado, a tempestade vai passar e o Sol voltará a brilhar.
É assim. Tem que ser assim para que haja crescimento!
"de fé em Fé, e de glória em Glória"

sexta-feira, 18 de fevereiro de 2011

Uma conversa franca.

O cara cheio de "pompa" chegou na mulher e se apresentou.
Ele achava que era um cara irresistível. Ela não achava nada disso dele.
-Podíamos marcar um jantar pra conversarmos melhor.
Ela não sabia dizer "não" assim 'na lata', mas estava treinando.
-Hum
-O que acha? Posso te ligar? Aí vamos naquele restaurante francês....
-Você não tem meu telefone.
-Exato, então...
-Então, continuemos assim. Não quero ser grosseira, mas deixa eu te explicar uma coisa. Apesar de eu ser muito social e conversar com todo mundo, não sou muito de ficar "conhecendo pessoas". Poucas pessoas se tornam íntimas.
-Então eu posso me tornar....
-Continuando....Quando estou conhecendo alguém prefiro ser convidada pra fazer NADA ou qualquer coisa sem pretensão do que um jantar "chique"!
-(risos)
- É sério, seríssimo!Não gosto de ser impressionada! Gosto de ficar impressionada com A PESSOA e não com o que ela faz. Jantares formais, "chiques" não me estimulam. Esse negócio de 'ter que falar de mim', tentar explicar quem sou é complicado pra mim. Prefiro não falar, e simplesmente SER.
Pois se percebo (e óbvio que é perceptível) que a pessoa está querendo me conhecer, arrancar informações, saber a meu respeito...eu travo.[...]E outra coisa, eu não sei ficar perguntando pra saber o que a pessoa faz, com que trabalha...até porque quando eu pergunto logo me esqueço. Eu sempre foco no SER. (não me pergunte porquê). E o SER não se descobre perguntando, desvenda-se com o tempo, habilidade, intimidade e sem pretensão.[...] Eu acho que jantares "românticos" ou lugares impressionantes devem ser compartilhados depois de uma certa intimidade, senão fica vazio, oco, sem lógica. Melhor do que eu falar de mim é "eu SER eu", e a pessoa ser ela. Então, só pra te ajudar, caso você encontre uma mulher tão estranha quanto eu...convide-a pra ir numa praça comer pipoca, jogar video game, brincar de alguma coisa...fazer alguma coisa que a deixe livre pra ser ela mesma, aí você descobre quem é ela (e vice-versa) sem ter que falar nada. Porque uma coisa é o que a gente acha que é ou diz que é, outra coisa é o que a gente realmente é.

quinta-feira, 17 de fevereiro de 2011

Pelo bem de todos!



Falar mal de alguém não te faz melhor, ajudar e amar esse alguém sim.


"A ninguém torneis mal por mal; procurai as coisas honestas, perante todos os homens.[...]Portanto, se o teu inimigo tiver fome, dá-lhe de comer; se tiver sede, dá-lhe de beber; ...Não te deixes vencer do mal, mas vence o mal com o bem."

PALAVRA DE DEUS, BÍBLIA SAGRADA Romanos 12:18-21

segunda-feira, 14 de fevereiro de 2011

Desamarro.



Era pra ser só um amor de verão? Não me avisaram, não.
Ele pegou na minha mão, sim na minha mão!
Eu firmei o corpo pra não parecer boba demais.
Ficar trêmula diante dele? Jamais!
Parecer apaixonada não podia mais!

Agora era uma questão de desamarrar o coração
Mas sabe como é, né, o peito da gente se acostuma e logo disse NÃO.
Fingi que não ouvi.
Puxei a cordinha, desfiz o laço. Agora não pode nem mais um AMASSO!
Essa que é a parte chata, negar ao corpo a única coisa que o basta.

Pegamos na mão, fizemos uma oração.
É assim que tem que ser: começar e/ou terminar com a benção de Deus.
Mesmo que não sejam esses os desejos meus.
Deus sabe. ELE sempre sabe!
"O futuro a Deus pertence" já diz o ditado.
O que não posso mais é ficar com o coração atado.
Por isso, não tem mais laço, não tem mais nó, não tem mais corda!
E antes que não sobrasse coração também, despejei PAZ até a borda.
Agora, de coração solto, paz transbordando, continuo caminhando.

sexta-feira, 11 de fevereiro de 2011

Cansada.



Cansada.
Eu estava cansada.
Queria sair. Partir.
Ir.
Ir pra um outro lugar, outro mundo, outro "eu".
Me perder.
Me achar.

Fui (sim, eu fui!). Fui ao meu encontro, mas não me achei, não te achei.
Fui ao encontro do meu 'eu' que vive perdido e sozinho dentro de você (ou vivia?).
Olhei ao redor e...nada!
Caminhei um pouco. E mais um pouco.
E no meio de um lugar qualquer me vi! Te vi!
Mas não VOCÊ que carrega um "eu" meu.
Encontrei o seu 'eu' dentro de mim, sentado.
Talvez esteja cansado de não me achar em você. Talvez.

sábado, 5 de fevereiro de 2011

Perigos da decepção.

É perigoso quando a decepção vem.
É perigoso.
É duvidoso o sentimento de liberdade.
É duvidoso.
Confundimos o "querer estar livre" de alguém com a liberdade falsa que com a decepção vem.
É um momento de querer chutar o balde, agir por impulso mas, pra mim, essa decepção não permanece, é passageira. E se eu fizer isso, se chutar o balde, sei que vou me machucar e posso até escorregar.
Mas e se eu não chutar?

sexta-feira, 4 de fevereiro de 2011

Minhas últimas palavras.




Tem dias que eu quero enfiar todas as palavras num balde d'água e vê-las afogar.
Só pra serem desnecessárias! E tudo seria dito (e muito bem dito!) sem elas.
Se assim fosse, eu sentiria saudade de minhas companheiras (que ora ajudam ora atrapalham), claro! Mas diria ADEUS com gosto, com vontade! E suas últimas bolhinhas de ar seriam suas últimas palavras, minhas últimas palavras.

quinta-feira, 3 de fevereiro de 2011

Escrevo por nós.

Não tenho pretensão nenhuma ao juntar essas palavras num mesmo espaço.
Apenas gosto de misturá-las e ver o resultado borbulhar.
Acho interessante a capacidade que as letras têm de se unirem e darem significado às coisas.

Eu não escrevo pra te dar lição! Não!
Escrevo pra que ME sirva de lição.
Não escrevo pra ensinar, escrevo pra aprender.
Escrevo observando as coisas que saem daqui de dentro, e ao lê-las passo a ME conhecer melhor. Aí, posso te conhecer melhor, pois seria impossível te enxergar sem antes saber que possuo olhos.
Talvez por isso eu não me classifique como 'jornalista', pois jornalistas escrevem sobre o tema que lhe dão, escrevem sobre o mundo.
Já eu, não consigo. Eu escrevo a explosão de palavras que acontece em mim.
Esrevo o mundo também, mas o mundo íntimo.
Não sei falar sem 'expressar', e pra expressar é preciso ter alma, coração, sentimento. (que aliás são as coisas que me motivam).

No final das contas, escrevo por mim e por você. Escrevo pra que haja plural.

Nunca quis ser entendida. Apenas aceita.

Quando puder me entender, me entenda.
Quando não conseguir, me aceite.
Quando não aceitar o que digo ou faço, não ligue! Me ame (na essência).

quarta-feira, 2 de fevereiro de 2011

Eduque seu íntimo!



Pra mim, qualquer palavra que é dita sem carinho soa como grosseria.
Não é que eu seja mimada, mas palavras sem ternura é melhor que fiquem guardadas pra si!
Até um "obrigado" sem carinho soa como agressão!
Não é que eu não goste (ninguém gosta), é que eu não consigo ouvi-las. Me dói.
Ninguém tem o direito de falar com sequidão com ninguém. Ninguém tem o direito de ser uma fonte de morte na vida do outro.
E eu não tenho a mínima obrigação de ouvi-las e ter que ficar calada, sem reagir.
EU choro mesmo, eu fico indignada, e vou sempre lutar pelo direito da ternura existir!
Eu, definitivamente, não tenho paciência com estupidez!

Palavras por palavras...melhor o silêncio.
Se não sabe usá-las, não use! Contente-se em ouvir.
Ouuuuuu aprenda que as palavras são acompanhadas de sua(do sujeito que diz) linguagem interior, portanto, mudemos nosso íntimo! Encha-se de amor, de doçura, porque não é nada agradável ouvir palavras secas, do mesmo modo, imagino que não deve ser agradável sentir gosto de fel ao falar.
Se estiver passando por um momento que você não consegue produzir mel ao falar, que fique calado! Ou eduque seu íntimo!

Eu já disse: cuidado com o que você me diz, tenho um forte apego às palavras.