Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

quarta-feira, 15 de setembro de 2010

DE REPENTE




Lembro da primeira vez que te vi
Do sorriso aberto, dos braços abertos.
Do abraço que encaixou, da mão que me tocou me guiando até a mesa.
Lembro das risadas que trocamos, da conversa ansiosa por mais
Do tempo que parecia estar atrasado
e eu, claro, tentando disfarçar e segurar qualquer impulso.
Pois é, não segurei.
Aí veio o primeiro beijo que eu te dei.
Lembro que achamos que estávamos sozinhos, que o mundo tinha parado até que...seu amigo nos lembrou que eles estavam lá.

No dia seguinte o sonho prosseguiu.
O 'cinema particular', a champagne, as risadas mais uma vez, a conversa...o calor.

Os dias longe de você pareciam ser carregados nas mãos, eram cuidados, mas eram lentos.
Você se atrasou, chegou. Entrou na minha vida.
Entrei na sua vida.
Pegamos a estrada para o conhecimento do outro. (se bem que eu já estava nesse lugar há um tempo).
O encaixe exato. Seu corpo, meu corpo.
Meu pescoço, seu cheiro.
Seu peito, meu travesseiro.
Minha língua, seu gosto.

A piscina nunca mais será a mesma. Os sorvetes ou picolés não terão a mesma graça.
A Paz me invadiu. E estar com você passou a ser necessário.

A melhor serenata que recebi, seja por telefone, pessoalmente ou 'webcam'...


DE REPENTE...Quando eu achei que o tempo estava certo, você decidiu que ele havia chegado cedo.


Minhas pernas tremeram, mas tentei permanecer firme.
Meu coração não sabia se parava, se corria....Mas nada fez, ele apenas sangrava.
Minha mente indagava, mas não adiantava, não tinha resposta.
Meus olhos, meu corpo, minha alma chorava.

E eu orava.

Nenhum comentário:

Postar um comentário