Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

quarta-feira, 30 de junho de 2010

Compartilhando o giro do mundo...

Lá está ela, conversando com uma pessoa que tem muita consideração e tem todo seu afeto.

Ele- Saudades.
Ela- Eu também!!! Vem me ver!!!?
Ele- Você vai fazer falta na festa aqui.
Ela- Êee....pois é...eu queria ir...
Ele- Meus pais sempre perguntam por você! Fãs de carteirinha...
Ela-...rs...gosto muito deles também! Mande beijos!
Ele- Da próxima vez que eu te ver vai ser diferente...
Ela- hein...? Então... Me conte as novidades!
Ele- Deixa eu te perguntar...
Ela- Deixo
Ele- Você ficou com aquele cara, né? Assim...vocês fizeram amor...?
Ela- Hã? Que pergunta é essa? Tá certo que você foi meu primeiro homem e isso não tem muito tempo (1 ano..sei lá), mas...querer saber o que aconteceu depois...rsrsrs
Ele- Ué...normal...
Ela- Mas respondendo sua pergunta. Claro que sim! Eu gosto dele, ué...Nisso eu não mudei. Temmmm que gostar (pelo menos eu...rs)!
Ele- E...vocês....
Ela- E...nada, né?! É o cúmulo eu ficar falando essas coisas com você!
Ele- Por quê?
Ela- Porque eu já quis me casar com você!!!
Ele- E...não quer mais?
Ela- Mo bem, não quero enrolação pra minha vida mais não! Chega! Já deu! E também...estou gostando de outra pessoa, né...Você sabe.


O mundo gira tanto que me deixa tonta!

Estreiando...uma música.

Acho que nunca coloquei música aqui nesse novo Blog...
Mas essa tem que estar aqui. Acho ela muito a minha cara.
Por favor, sem perguntas.

Evidências- Chitãozinho e Xororó
(ass: eu)

http://www.youtube.com/watch?v=u30NhRm88_8&feature=related

Endereço.



Pra chegar no lugar onde mora o amor, passo por uma estrada cheia de aventura!
Atravesso ruas, passeio entre carros. Ouço o barulho de um freio e o 'pneu cantando'. Ufa...Quase! Essa foi por pouco!
Cruzo sinais que insistem ficar vermelho. Paro. Dependendo do horário, enfrento-os.
Atropelo o medo. Ignoro a faixa de "cuidado".
Engulo "nãos". Diante das dúvidas...Fujo pelo túnel.
E já suada, transpirando esperança...toco o interfone...em vão. Está quebrado.
Ok. Mais um obstáculo.
Subo as escadas sem ser anunciada. A essa altura o porteiro já foi embora.
Bato na porta, giro a maçaneta.
Entro.
Parece não ter ninguém. Mas tem. Guardado ali no quarto, encolhido diante de tantos acontecimentos...lá está ele...o amor.
No fundo, ele sempre está ali, como uma criança...esperando ser resgatada.
O difícil é ter coragem para puxá-lo do canto, esticá-lo...libertá-lo.
O caminho não é fácil. Tem flores, bela paisagem? Tem. Mas tem também espinhos e pedras.

terça-feira, 29 de junho de 2010

"Brincadeira de criança...como é bom!"



Será que vou ter que DIZER que não estou mais brincando? Não precisa me tirar da roda...Já parei. Não gosto de brincadeira de adultos.
Eles levam a brincadeira muito a sério e são mal intencionados. Brincam pra machucar!Ou machucam pra brincar?!
Não quero brincar de 'pantomima', nem de 'cinema mudo'!
Não sabem brincar e mesmo assim descem pro "play". Acham divertido brincar de "a mulher invisível", "homem surdo"..."cego"... Não se lembram que heróis têm a "visão além do alcance", FALAM...e ouvem o que dizem a eles. Heróis REAGEM. Super-heróis estúpidos que eles construíram!
Colocaram 'armas' e trabalho no lugar do coração ao invés de fazer o trabalho COM o coração. Substituíram-no ao invés de somar!
E se você acha que o texto é pra você...CUIDADO! Porque nem era...mas se te tocou...QUE SEJA! Cansei de ter que explicar tudo...FAZ-DE-CONTA NÃO TEM EXPLICAÇÃO! É ASSIM QUE CRIANÇA BRINCA! COM O CORAÇÃO!
Estou avisando, cansei. Não vou mais brincar! Assim não!
E não adianta me chamar...Prefiro meu mundo particular!

E tenho dito.

Minha justificativa.

"Eu escrevo sem esperança de que o que eu escrevo altere qualquer coisa. Não altera em nada... Porque no fundo a gente não está querendo alterar as coisas. A gente está querendo desabrochar de um modo ou de outro..." - Clarice Lispector

"Eu não escrevo o que quero, escrevo o que sou." - Clarice Lispector

segunda-feira, 28 de junho de 2010

=)



Genteeeeee..eu já disse que estou muitooo feliz???Pois éé...estou!
Não nãoo..antes que me perguntem, não tem nenhum motivo especial.

Tá bom, tá bom...É o simples fato de eu ter o mar na minha frente, o Sol me banhando, a Lua na minha janela e uma hidromassagem no final da noite...Deus ao meu lado, o Espírito Santo dentro do meu coração e a certeza de que tudo vai dar certo! Aliás, já deu!
;)

Só uma conversa de professor,,,

Sabe, eu tenho medo de mim quando não quero mais querer.
Sempre tem a fase do "talvez", "e se...", "só mais uma vez, mais uma chance...". Mas quando essa fase passa, a cortina fecha e ergue-se um muro de concreto na minha frente.
Não que eu vá tratar mal...JAMAIS! Apenas cansei de brincar. Parei. Não tem mais graça!

Eu tenho alguns amigos que são professores e aprendi muito mais com eles do que se pode imaginar. Por exemplo:
quando tem prova e o aluno erra algumas questões e deixa outras em branco, ele tira nota baixa.
Aí na prova seguinte, ele repete o feito ou piora. Deixa as perguntas em branco, não tem a mínima consideração de responder ou tentar responder...A nota continua baixa e dependendo do professor ele tira um ZERO bem redondo.
Mas, aí o professor se dispõe a dar aulas particulares, a saber o que está acontecendo, entender as dificuldades...Mas ainda assim o aluno não comparece às aulas e pela terceira vez deixa a prova em branco. Nenhuma tentativa! Nem uma justificativa...NADA!
É inevitável, por mais vontade que tenha o professor, não dá. O aluno será reprovado.

Assim é a vida e suas relações. Quem quer, estuda, procura, explica pelo menos...Quem não quer...repete de ano e perde a oportunidade de mudar de série, de fase...
Mas não condeno, não. Acontece, e muito! Tem gente que só evolui depois de muita porrada ou quando todo mundo já se formou! Ou então, não almeja mudar de série. Normal, ué...Cada um faz o que quer.

Não sou uma aluna exemplar (nunca fui), sempre prestava atenção na aula e até me saía bem nas provas, mas nunca fui de estudar em casa todos os dias. E acho que isso tem lá suas consequências...
E quando sou professora...tenho paciência demais. Dou chances demais! Um pouco menos de compreensão talvez me faria bem. Mas não sei fazer diferente! Faço o que estiver ao meu alcance e depois...Depois de todas as tentativas, entrego pra Deus e o tal muro de concreto se ergue em meu coração.
Acho que é esse o problema...eu devia entregar pra Deus logo no início. ELE é incomparavelmente mais capaz que eu!



Obs:Tá vendo?! Por isso que gosto de escrever...no final concluo o problema. Tem que ter mais de Deus e menos de mim.

sábado, 26 de junho de 2010

Melhor ficarmos mais atentos!




Entre tantos prédios, tantos compromissos, tantas preocupações, tanto 'tanta coisa'...alguém fez-se notar. Atraiu pra si o olhar.
Ela apareceu toda exibida, ou melhor, consciente de sua beleza desenhada a Mão e foi logo gritando, cantando e encantando.
Mas achei engraçado que...Todo mundo falou da Lua Cheia, que a viram e estava lindaaaa!Ficaram encantados! Mas....alguém parou para ouvi-la?! Ela sempre tem coisas belíssimas pra contar.


Contemplar às vezes é fácil, difícil é aquietar a alma e ouvir.

sexta-feira, 25 de junho de 2010

Pode parecer...



Pode parecer falta de amor próprio
Mas não é. É que aprendi a amar com Aquele que é Amor, e ELE me ensinou Amar sempre "apesar de".

Pode parecer exigência excessiva
Mas eu sempre espero um mínimo de educação. Um 'obrigado', 'um beijo de bom dia'...

Pode parecer carência
Mas é apenas um desejo de ser coletivo.

Pode parecer cobrança
Mas é simplesmente uma vontade de participar.

Pode parecer exagero
Mas é que eu sinto tudo grande demais!

Pode parecer teimosia
Mas eu acredito que as pessoas não são tão vazias.

Pode parecer burrice
Mas sei que no fundo há emoção, há coração.

Pode parecer romantismo
Mas eu vejo o Amor do Pai em todos os lugares, e passa ser impossível olhar o mundo com olhos de desamor.

Pode parecer insistência
Mas eu creio, e a Fé funciona!

Pode parecer loucura
Mas Deus fala comigo e é meu melhor amigo.

Pode parecer religião
Mas é justamente o contrário. É vida! É a vida do Pai, é a companhia do Espírito Santo...é experiência. É a Verdade.

Pode parecer qualquer coisa que você queira imaginar...Por isso, imagine sempre O MELHOR.


Obs:

A exemplo de Josué e Calebe....Quando Moisés chegou a Canaã (Terra Prometida), doze homens foram enviados para espiar a terra...Apenas DOIS (Josué e Calebe) entraram porque estes viram que a terra manava leite e mel; enquanto a maioria viu gigantes. (Números 13)

Sobre as árvores...



Ao invés de reclamar que o vento bagunçou o cabelo ou levantou poeira. Quando vier o vento observe as árvores que abanam as mãos e festejam até mesmo aquele simples sopro.

É a falta de explicação...é amor.



Eu fico me perguntando o que é amor.
E penso que amor é exatamente a falta de resposta.
É aquele sentimento que não tem porquê,
é o querer involuntário
é o medo de perder o controle
é, às vezes, até aquele egoísmo não pensado
é o desejo de ter o outro ali guardado
E a segurança de que o outro vai ficar ali esperando

Mas também é a insegurança de que não seja bom o suficiente
o medo de ser abandonado e quase decidir abandonar antes
É querer ser surpreendido e surpreender
É dormir a noite inteira abraçado
Se esquentar no outro
E esquentar tanto que...

É a vontade que não passa
O dia de vê-lo que não chega
E quando estão juntos....A noite que, apesar de querer parar o tempo, passa rápido.
É o ciúmes não assumido
Ou às vezes, assumido mas que finge indiferença.
É quando as palavras fogem, o pensamento não para e o silêncio se encarrega de falar.

É quando não te entendem, quando VOCÊ não SE entende
É...o amor tem dessas coisas, confunde tudo, bagunça a ordem das coisas, e acaba com o planejado.

Aí quando ele aparece (mesmo sem ser convidado porque não existe hora certa pra ele) é melhor assumí-lo com todas as suas consequências, inclusive sua principal: ser amado.

quarta-feira, 23 de junho de 2010

Um último suspiro (?)



Ela tinha um segredo pra contar.
Mas sabia que ele podia não se importar.
Mas agora também pra ela "tanto faz".
Mentir ela não ia mais.
Não que estivesse fingindo, mas esquecendo-se.
Esquecendo que o que ela sentia não era crime,
que o que ela desejava não era absurdo.
Ela estava se esquecendo.
E tanto esquecimento estava a sufocando.
Foi quando ela decidiu falar.
Pensou que seria fácil. Mas falar é difícil quando o sentimento sobressai.
É fácil falar de coisas rotineiras e até mesmo de problemas superficiais, mas
quando falar significa expôr-se ao nível mais íntimo, expôr-se ao não, ao silêncio, a ausência...Nesses casos, falar é muito muito difícil.
Mas ao mesmo tempo, ela não tinha mais nada a perder. A 'vergonha na cara' ela já não tinha, orgulho muito menos...seu senso de ridículo já estava neutro, a paciência estava quase no fim.
Aliás, a única coisa que ela não podia perder era o resto de coragem que sobrara desde a última vez.
Seria um último suspiro?
E assim como eu estou aqui enrolando para contar o que ela queria falar, ela enrolou. Enrolou durante alguns meses, portanto, segure a curiosidade aí, pois se eu a conheço vai demorar mais um pouco pra dizer ou vai tentar achar explicação ou justificativas, ou até mesmo negar.
"E se ele pegar o que eu disser e simplesmente jogar no lixo?"_
ela se perguntava e me perguntava. "Ué, aí é porque o que você quer dizer não cabe no livro de histórias dele. Mas sinta-se bem! Deixe de pessimismo! Logo você?! Tem muita gente precisando do que você quer oferecer a ele! Limite-se a sentir e falar (expressar)...o resto não depende de você."

Ela já havia decidido dizer e não iria voltar atrás. Não mais.
Mas queria dizer de todas as formas possíveis, com todos os gestos e detalhes.
Se arrumou, maquiou, colocou uma lingerie especial, salto alto. Vestiu-se.
Preparou a comida e sentou-se para o esperar. (é...coisa de mulher besta!)

O tempo passou. Assistiu a um filme. Anoiteceu.
O coração já estava na boca e as lágrimas quase chegando aos olhos.
Tinha medo dele não ir.
Quando ela já estava criando suas justificativas para o "não ir" dele...ele chegou.
Nesse momento, o coração, que já estava na boca, saltou e caiu no chão. Ficou ali parado. E ela friamente agia, inspirando e expirando profunda e discretamente.

Era tão secreto que ela demorou para assumí-lo, para contar à ela mesma.
E lá se foram mais umas horas até que ela abriu a boca pra lhe contar.
Abriu a boca mas a voz sumiu.
Tentou justificar o segredo antes de contar para amenizar a situação.
Finalmente ela contou.
Mas como é segredo, minha gente, apenas entre eles ficou.

Repassando...



Primeira comparação:

Pessoa: Você é igual aquela televisão de cachorro, sabe?! Fica ali exposta,toda gostosinha, no ponto pra ser comida... todo mundo vê, mas ninguém pode tocar! Tá quente, se alguém encostar se queima.

Resposta: Só o dono da televisão pode pegar, ué...senão seria roubo!Por que as pessoas não entendem isso?



Segunda comparação:


Pessoa: O dia tá ensolarado, a praia tá cheia, o cara sai e vai se divertir.
Aí quando o tempo fecha, não tem ninguém, bate a fome e ele vai lá na casa da 'mãe' comer. E ela está sempre ali disponível para alimentá-lo, com a comida na mesa, quentinha.
E às vezes, até nos dias de sol o cara passa na casa da 'mãe' pra comer um pouco (apesar de ter comido fora de casa já) para agradar um pouco a 'mãe'.

Resposta: é...de repente, acho que sou assim mesmo.
=/


Terceira comparação:

Pessoa: Eu tenho um cachorro, o Bob. Quando estou com raiva grito com ele, bato nele, machuco-o ignoro-o....E quando estou sem fazer nada, eu o chamo e ele vem todo feliz e coloca a cabeça no meu colo.

Resposta:________________________


E...SÓ EXISTEM ESSAS TRÊS DRÁSTICAS OPÇÕES?????

Obs: Deixo claro que não penso assim. São só palavras de uma criatura hilária e cheia de fazer comparações e achar que me conhece.
Sinceramente, espero que ele não esteja certo.

segunda-feira, 21 de junho de 2010

Felicidade é o caminho!

Felicidade é o caminho natural da vida, já que a vida é um presente. E um presente que não é de grego.
Grego, na verdade, é a linguagem da alma, que às vezes confunde tudo.
Quando escrevo sentindo dor ou tristeza, isso não significa que saí do percurso da vida (a FELICIDADE). São apenas vendaváis que tiram tudo do lugar. Onde o coração vai para a mão (muitas vezes, do outro), o cérebro e sua razão habitual vão para o espaço. Entra poeira nos olhos e a gente não enxerga direito, e começa a tropeçar até mesmo em pedras pequenas.
O fato de eu chorar 5 dias seguidos não é porque sou triste, é só porque fui atingida por algumas coisas. Não saí do caminho! Só dei crédito demais ao que não devia, ou às vezes, são coisas realmente importantes.
Andar, prosseguir dá nisso. Se eu estivesse parada dentro de uma caverna poderia até estar protegida, mas protegida inclusive de viver.
Essas pedradas deixam hematomas, é claro, mas engrossam a pele, deixam a gente mais firme, mais forte.
Eu poderia também ter uma outra opção: FOCAR em coisas, planos, projetos.
Focar em qualquer coisa que me tirasse o coração, mas não consigo, eu sou movida por ele.
Eu foco na paisagem, foco nas flores na beira do caminho, no SOL, na Lua, aí...me perco, não vejo onde piso e acabo pisando num espinho ou não vendo quando vai cair uma tempestade.
E não me importa se você me acha tola, iludida, otimista...blablablá...
Confesso que até tentei agir diferente, ir contra tudo que sempre fiz e sou, pensar mais...Mas cansei. Chega! O ministério da verdade adverte: ir contra a gente mesma faz mal.
O que posso fazer agora é convidá-lo para andar comigo por esse caminho.
É FELICIDADE garantida.

sexta-feira, 18 de junho de 2010

Amanhã recomeço.




Engraçado que quando a força acaba, dentro de mim inunda.
É involuntário. Não é porque sou vítima do mundo, nãooo! Jamais! É só porque sou humana. Só isso.
Hoje eu só queria alguém em que eu pudesse me encostar e chorar.
Chorar, chorar até minha água, aqui dentro, acabar. Pra depois, encher tudo de novo. Mas encher de força, de coragem, de brilhantismo...
Nãoo, não queria ninguém pra me escutar (sei que quase ninguém suporta isso), era só um apoio que, no momento, eu não posso me dar.
Mas como não existe...
Eu caio,eu mesma me inundo, me derramo, me encosto e me seco.
E amanhã recomeço.

Solução.



O que fazer quando o coração está apertado?
Afrouxe o nó. Ou melhor, desfaça-o. Coração tem que estar livre para bater direito.

Meu Pequeno Dicionário. Sobre o elevador...



É um pequeno mundo que carrega as pessoas aos poucos, mas com uma grande diferença: quando você quer descer dele, ele para. Ou ele para sozinho, não abre as portas e você tem que ficar naquele pequeno mundo, que não gira.

Sobre a Troca (ser trocada).

Dói. Despreza. Humilha.
Destrói.

Meu Pequeno Dicionário. Sobre a dúvida.

É quando o Sim diz não, o Não diz talvez e o Talvez tem a absoluta certeza de nada.

Sobre o espelho.



Ao olhar para o espelho, inspire-se. Poque mesmo possuindo várias faces ele não entra em crise, nem chora. Pelo contrário, ele enxerga com nitidez o que está em sua frente.

quinta-feira, 17 de junho de 2010

Procura-se



Procura-se
...Alguém de coração grande, de mente confusa, atitudes contraditórias
...Alguém que ame tanto que não sabe mais se isso tudo é amor
...Alguém que me chame pra fazer companhia mesmo quando não se tem nada a fazer, nem a dizer.
Procura-se
...Alguém que duvide de meus sentimentos ou do que digo sentir (?)
...Alguém que, na verdade sabe, mas a dúvida lhe deixa numa zona de conforto (ou desconforto?! Sei que estaciona. Porque quando decidimos acreditar, temos que agir de acordo).
...Alguém que sonha mas que teme voar!
...Alguém cheio de vida, um sorriso constante e uma certa aflição no olhar.
...Alguém que tire meu chão mas me conduza entre as nuvens.
Procura-se
...Alguém que desconfia quando é amado
...Que não saiba reagir quando precisa lidar com sentimentos (?)
...Que tenha manias (e respeite as minhas)!
...Que não me negue companhia, nem beijo.
...Que me desperte desejo e não me negue seu corpo.
Procura-se
...Alguém que me chame de SUA, que me permita ser SUA. E que seja meu, é claro!
...Alguém que não me deixe sozinha quando eu me cansar da solidão.
...Alguém imperfeito, que me deixa ter defeito...(até porque defeito a gente conserta!).
...Alguém que erre, mas admita o erro.


Alguém assim...tipo eu. Tipo VOCÊ.

domingo, 13 de junho de 2010

"Des encontros"




Recebeu flores lindíssimas
Um cartão escrito "eu te amo"
Chorou
Se desesperou

Mais tarde foi abraçada
Beijada
mas não se contentou
Na verdade, estranhou.

Não, não era pra ser assim.
O enredo estava perfeito
Mas os personagens é que eram o defeito.

O autor do cartão a sufocou por não entender um NÃO.
O que a beijou não entendeu quando ela não se rendeu.
E aquele que nem nessa história apareceu,
dos pensamentos dela ele não desapareceu.
E o pior, ele a tinha e nem percebeu.

domingo, 6 de junho de 2010

É a falta.



Não sei.
Não sei.
Saberia?

É vazio
É sem graça
É silêncio.

Não é soma
Nem multiplicação.
É divisão
Subtração.

Nenhuma palavra
Nenhuma leitura
Nenhuma escrita
Apenas uma página em branco.
[Uma página em branco]

É cortante.
É estranho.
É absurdo.
É...é a falta.

quarta-feira, 2 de junho de 2010

Depoimento



Minha irmã sempre foi uma metade e eu, outra.
Eu era sentimento, ela pensamento.
Eu, emoção; ela, razão.
Eu, social; ela, individual.
Onde eu era fraca, ela era forte.
Nos completávamos até na memória! Eu ficava com os números(datas, tels, placas), ela ficava com a fisionomia.
Quando saíamos e alguém vinha conversar comigo, eu conversava mesmo que não me lembrasse quem era (afinal, eu era a parte social).Mas ela quase sempre tinha que me dizer depois se eu conhecia ou não tal pessoa e de onde.
Aí depois de 'grande', de "adulta"(19 anos) fui seguir meu caminho e me mudei de cidade. E a parte mais estranha de tudo foi andar por aí pela metade.
Mas...como sobreviver é preciso...tratei de desenvolver meu outro lado.
Sabe que até hoje eu me embanano toda com essas coisas novas...com esse negócio de ser racional e ao mesmo tempo emocional...É bem difícil isso! Não cheguei ao equilíbrio ainda.
Ser individual com amizades e ao mesmo tempo social, eu já consigo!
Mas essa coisa de ter que pontuar, ...me perco toda! Quando tenho que decidir algo importante, algo emocional então...vez ou outra me espalho no chão.

Fico aqui pensando no filho único, coitado, que é obrigado a ser inteiro desde cedo.
Não deve ser fácil...

terça-feira, 1 de junho de 2010

Não me avisaram.



Tem algo desmoronando e ninguém me explica o quê
Me roubaram particularidades e não me dizem 'por quê'
Borraram o Céu sem eu ter o que fazer
Me esmurraram sem eu merecer.

Mas diante de tempestades a gente pode ter duas posturas
Uma é se desesperar, e a outra é descansar.
Opto pela segunda porque no Senhor sei que posso esperar
e nenhuma água irá me afogar.
E se tiver que passar pelo fogo, ele também não irá me queimar.
O fogo queima palha, mas quando é ouro...ele faz é purificar.

Está escrito que "Não há nada oculto que não venha ser descoberto".
E quando isso acontecer, eu quero estar perto.

Não acho que seja culpa de Primeiro ou Segundo. Pelo contrário,
acho que foi a Terceira pessoa que fez papel de otário.
Se quis semear desconfiança, insegurança...se ferrou porque até a mentira se cansa.
Se um dia disse que não sou "boazinha assim", me faça um favor, se afaste de mim.
Se quis inventar motivos pra ele se afastar
Lamento dizer que...mesmo assim, o que eu faço é amar.


"O amor é paciente, é benigno;...não se conduz inconvenientemente,...não se ressente do mal; não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade;
tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta..."