Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Apenas vim.


Hoje não vim de salto alto com passos largos
Vim descalça e sem pressa.

Não vim com sono ou vontade de dormir
Vim com olheiras, com insônia

Não vim com a voz tranquila
Vim com um nó na garganta
Vim com lágrimas nos olhos
Com a boca lambuzada de querer
Com o coração acelerado, tão acelerado que quase para.

Não vim falar.
Vim ouvir.

Não, hoje não vim com pedras nas mãos
Nem com promessas.
Vim com as mãos vazias, prontas para segurá-lo.

Vim com minha bolsa cheia de fotos, com a mente cheia de fatos
Vim com a memória cheia de você.
Uma memória doce, como tem que ser.

Estou aqui para te pedir
te impedir.
Pra dizer que, independente da relação, sempre deve haver superação. Juntos.

Hoje só vim lembrá-lo da horas
...dos dias
...das eternidades.



[Eu vim.
E se quiser, volto.
Só não sei pra onde...]




"Quando o Amor chegar, prepare-se para observar sua alma. No começo, é puro prazer, alegria e excitação. Passado algum tempo, ele começa a trazer os medos que estão no sótão da alma. "

Tem coisas que só acontecem comigo...



Deitada tomando sol, chega um indivíduo perturbando meu momento.

-Tem alguém nessas duas cadeiras ao seu lado?
(Ele este está vendo alguém? Tem...tem...você não está o vendo)
Apenas levantei a cabeça e disse: - NÃO.
Alguns segundos depois...
-Trouxe umas revistas...se quiser ler.
(primeiro...olhei pra ver qual revista...Era Revista Caras!!! O que se lê na revista Caras???Eu só a vejo quando estou em salão de beleza!)
-Ah tá, obrigada.
-Você mora aqui há pouco tempo, né?
-Aham...Duas semanas.
-Ah...porque eu nunca te vi aqui.
(sorte minha!)
-Pois é...não desço muito. Gosto de ficar mais quieta, até porque não conheço muita gente aqui no Rio.
-Então vou te apresentar um monte de lugar bacana!
-hum...
-Tem umas baladas legais aqui.
-É????!
-É!!!
-Que tipo de música?
-House, eletrônica...
-Odeio baladas! Com música eletrônica então...Deus me livre!
(primeiro momento que ele riu. Depois vocês vão entender onde tanta risada vai dar)
-O que você gosta de comer? Carpaccio?
-Leite e pão.
-Sério?
-Seríssimo.
-Quer beber alguma coisa? O que você costuma beber quando sai? Champagne?
-Suco. Sem açúcar.
-Você não bebe?
-O sol tá forte. Vou entrar na piscina.
-Ah tá...vamos lá!
Hein?
Contei até 100.
Conversa vai conversa vem. Ou melhor, conversa vem..quase não vai....(E ele conversa pegando demais. Não dei liberdade pra isso! Quer conversar conversa mas não encosta!)Depois de ver minha cara de insatisfação ao olhar pra ele quando veio na maior folga do mundo e colocou o braço por cima de meu ombro, ele disse:
-Eu pego muito, né?
-É. E eu nem te conheço, portanto...
-Ah! É porque eu sou de Câncer, e gosto de toque...
(Foda-se que você é de Câncer! Não encosta!_pensei em dizer isso, mas dessa vez contei até mil, fiquei olhando para o Céu e pedindo graça à Deus, afinal ele podia ser boa pessoa, coitado!)
-Tá...mas eu não gosto disso, não te dei intimidade pra isso.
O cara fica rindo...Ele ria de tudo que eu falava.
-Você tem namorado?
-Não necessariamente. Gosto de uma pessoa, o que passa a ser a mesma coisa pra mim. Até quando eu gostar dela...sempre vai existir ela entre eu e qualquer pessoa. Não tem jeito...sou assim.
-Você é uma pessoa diferente, especial
-Ah! Tá. ( o cara me chama de esquisita assim na 'cara dura')
-Mas é verdade. Além de ser gostosa...
-Ah...e você vai ficar falando de mim assim....na minha frente?!
Mais uma vez ele ria e vinha me abraçar.
Que coisa irritante! Será que estou sendo simpática sem ver? Já era pra ele ter entendido!
-É sério...não fica me pegando...!
Ele riu tanto que, vocês não vão acretitar....Riu tanto(não sei de quê até agora) que ele deixou
escapar um flato!


Sem mais comentários. É o FIM.




OBS:Eu sei que esse não é o tipo de texto que vocês estão acostumados quando escrevo mas....Tem coisas que só acontecem comigo!
Eu tinha que contar! Meus amigos dizem pra eu escrever coisas engraçadas também...(eles morrem de rir de mim...sem eu saber o porquê também.)
Geralmente eu escrevo coisas mais pensantes porque gosto de pensar...porque minha vida já basta como comédia.

sexta-feira, 28 de maio de 2010

Agora...nós.



Pois não?!
Deseja alguma coisa?
Lamento, senhor, não posso ajudá-lo.
Mais alguma coisa?

Olá...
Nada..., só vim apreciar o mar.
Mas não preciso que me ajudes.
Quer me fazer companhia?



Eu não sei fazer isso assim.
Tem que ter um porquê.

Porque é belo, é vasto...é infinito.
Não te bastam essas coisas?
O que mais espera?



Espero que me alcance, que me molhe.

Eu?

Não mais você.
AGORA NÓS.

O Céu tá azul.

Bora mudar de assunto porque isso aqui é mais pra entreter
E se continuar assim, um diário pode parecer.

Alguém me perguntou "Vc tem se encontrado com vc?"
Esse é o problema! Tenho me encontrado demais, tô cansada já...Não quero mais me ver!
Deu até vontade de apagar tudo o que já escrevi na minha vida, entre tantos encontros comigo.

No final das contas, deve ser mais 'fácil' não se conhecer tanto. Pois tudo vira justificativa...tudo vira explicação, mesmo que a explicação não tenha lógica, ou que a lógica não tenha razão...E seja apenas resposta do coração.
Deve ser...


obs: Sim, eu mudo de assunto do nada...afinal, flores são flores e o Céu está azul!!!

quinta-feira, 27 de maio de 2010

Conversa de amigo.



Sentada na cama ela começou a conversar com Deus, seu amigo.

“Agora, me diz...Por que é que eu gosto tanto dele??? Eu não queria, eu não queriaaaa! Eu te pedi pra não deixar eu me apaixonar!
Mas eu não sei porquê aconteceu, já que ele não gosta de mim! É desumano isso, insano! Eu sei que o Senhor está no controle, mas não dava para dar uma forcinha e fazê-lo me enxergar ?!

Tá bommm, eu já entendi. Aliás, aceito mas não entendo. O Senhor sabe o que faz.
Ahhh, mas...só me diz por que eu gosto tanto dele? Só porque ele é lindo de corpo e alma, educado, gentil, gostoso, carinhoso, talentoso....???? Só por isso? Só...?
Tá certo...Era inevitável, né!
Custava então me desviar do caminho dele?!

Ahhh! Agora a culpa é minha? O que eu fiz ou deixei de fazer ? O Senhor acha mesmo que eu gosto de sentir medo ou receio de me entregar? Mas como eu o faria sem ter certeza do que se passa do outro lado? É...eu sei, é uma questão de crer.
Meu o quê? Orgulho? Não é questão de orgulho, é uma questão de aguardar a reciprocidade, de não querer vê-lo trocar olhares, mensagens com outras...Não! Eu não tinha o direito de reclamar, ele nunca foi nada meu, além de meu.
Eu o acusei de quê? Não é acusação, é o que sinto....Não significa que ele seja! Caramba, mas nem escrever eu posso mais?!
Tá bom, desculpe...fui eu quem quis conversar, né?! Ok. Pode falar. Fale tudo logo pra ver se eu aprendo! ”

Vi duas...



Uma que sabe o que quer, outra cheia de dúvidas.
Uma que se emociona em qualquer filme, e outra que diante daquele que a tem (sem saber) é fria.
Uma que se preocupa, outra que não liga (ou se preocupa calada).
Uma corajosa, aventureira, outra que tem medo até de esperar.
Uma que ama alguém, outra que não quer mais amar!
Uma que entende, outra que se cansou de entender.
Uma que tem ciúmes, outra que se distrai pra não ter,
Uma que sofre calada, outra que fala sem perceber.


Não sei como mas vi duas!
Uma menina, outra mulher.
Uma segura do que é, outra que se sente instável.
Uma que escreve, outra que lê.
Uma desligada, outra que observa até o que não vê!
Uma que acredita no amor, outra que não sabe o ter.

Diferente de quando vi os dois dele(como disse no texto: http://dupladelicia.blogspot.com/2010/03/eu-juro-que-nao-estava-embriagada-mas.html )...Ao ver-me duas, me assustei e estar errada sobre tudo foi o que julguei.

Gente.Tem ?

Tem gente que não tem idéia das virtudes que possui
...do abraço envolvente que tem
Tem gente que não tem idéia do amor que desperta
...da satisfação que causa
Tem gente que não tem idéia do valor que tem
...da falta que faz
Tem gente que não tem idéia de tempo
...nem do que sua distância provoca
tem gente que não tem idéia
tem gente que não tem
tem gente...
Tem?

Conversa moderna demais 'pro' meu gosto!



Ela o queria e ponto. Ele não sabia, vírgula.
Eles se encontravam vez ou outra e quando estavam juntos agiam como se estivesse JUNTOS...(reticências)
Ao falar ao telefone com alguém, ela disse "estou com um amigo, depois te ligo".
Frase normal, mas que entrou no coração feito punhal.
Não, não foi proposital!

Prosseguiram juntos para um show.
Estava até tudo bem quando apareceu uma 'terceira' pessoa (sempre aparece uma terceira pessoa que surge do nadaaa para acabar com tudo, né?!)

"- É esposa?"
"- Não"
"-É noiva?"
"-Não"
"-É namorada?"
"-Não"
"-Então...é comida!"


Um silêncio se instalou, parece que a verdade se revelou.

É...Tem gente que não acha ruim ser 'comida', mas esse não era o caso. Ser SÓ comida pra ela era um atraso.
Ser comida pode ser bom quando se é alimento, sustento...Mas quando é instável, ser 'arroz-de-festa' é deplorável.

quarta-feira, 26 de maio de 2010

Nunca pensei....nem imaginei.



Nunca pensei que ser racional fosse tão difícil
Sequer imaginei que pra falar às vezes é preciso 'não ouvir'.(não ouvir os sussurros desesperados do querer)Nunca pensei que o 'calar' de alguém gritasse tão alto!
Nem imaginei que o choro fosse seco pra engolir e cortante pra pegar.
Jamais passou pela minha cabeça que negar um sentimento me deixaria ausente de mim.
Mas é assim que a vida prossegue...qualquer dia eu 'me' apareço!

Nada mais.



Depois de muito tempo te encontrando aqui dentro, depois de uma sofrida decisão, hoje não te encontrei.
E uma sensação de vazio me encheu.
Fiquei abarrotada com o nada, com Adeus,...O ponto final foi a gota d'água para que o vazio transbordasse e eu me derramasse inteira.
'Me derramei', respinguei-me no chão...fiquei dividida, espalhada...Hoje não te encontrei, não me encontrei mais!

sexta-feira, 21 de maio de 2010

RESPOSTA.



Muitos me perguntam se o que escrevo é verdade ou ficção.
Respondo.
É um pouco do real e da imaginação.
Assumo que boa parte do que escrevo, uso o que vivo ou QUEM vivo como inspiração.
E da mesma forma que o uso para descrever decepção, venho me retratar e descrever SATISFAÇÃO.
Não a satisfação que tem como sinônimo justificativa, mas a satisfação que carrego quando alguém me cativa.

Falando em justificativa, não querendo justificar mas já o fazendo. Talvez o tanto que escrevo sobre coisas frustrantes ou histórias desiludidas seja uma mania de querer finalizar ou explicar algo, antes que eu já não me encontre em mim e possa ter PT (perda total).
(Meu pai diria que é uma auto-sabotagem)
Mas minha Inspiração o fez melhor que eu. Certo dia ele disse "Você preza muito as pessoas que ama, e isso , óbvio, todo mundo preza...mas você ama em progressão geométrica ao que te desaponta. Daí vira um porto, toda e qualquer pessoa que voce mantem a sua volta..."Vc tem uma mente cinematográfica. O que rola é uma "versão do diretor" na sua cabecinha...se a pessoa é maneira, e você acha isso...você junta a ela o maneiro que ela já é com todo o peso de coisas maneiras que voce acha...então todo mundo na sua cabeça é o dobro do que é na vida...Sua mente voa longe! Talvez por isso voce tem pavor das decepções porque ela tambem vem em dobro! Você consegue imaginar coisas que nunca aconteceram e gosta delas, e soma essas coisas as pessoas".

Taí uma BOA explicação por eu escrever tanto sobre alguém que 'supostamente' me desaponta! Eu amo em P.G (progressão geométrica).
Mas agora usando a lógica (coisa pouco usada aqui), se falo tanto de alguém, se esse alguém me serve tanto de inspiração...não pode ser coisa ruim. (na verdade ruim foi a onça que não comeu...ahahahahaha...brincadeira, só pra descontrair esse texto cheio de verdades!)
Mas, não coloco foto porque me causaria ciúmes o tanto de "mulé" o desejando. Então vou dizer um pouco (POUCO).
Ele me conquistou com coisas mínimas, mas são os detalhes que diferenciam as pessoas.
Verdade ou não, ele me fez pensar que sou 'especial' me tratando com naturalidade.
Me fez aprender a contar os segundos.
Me ensinou a compartilhar o dia-a-dia (coisa que, por ser reservada demais, nunca contei).
Me mostrou que medo todo mundo tem (até ele!). (isso ele não sabe que me ensinou...)
Me mostrou que amar podia dar certo.
É sensível, se faz de forte...foge de "nãos", fala rindo. Aliás, sorriso que destrói qualquer raiva.
É uma delícia de pessoa! Como eu já o disse, causa as mesmas reações que o CHOCOLATE. Vicia.
Mas...ele me permitiu entrar na vida dele (e não no mundo!).
Aí, em minhas crises de abstinência escrevo o tanto de coisas que ele me causa.
Coisa de gente viciada mesmo....dependente.

Por favor, me entendam...não consigo falar de mim sem falar dele.

Sorry.

Venho vos confessar...



Ok. Ok.
Vamos lá.
Confesso que tenho defeitos incontáveis e cometo erros grotescos. Alguns até propositais..isso é que é o pior!
Confesso que finjo não querer enquanto na verdade há tanto querer em mim que quase escapole.
Confesso conter minhas emoções. Mas é claro! Tantas vezes mostrei-a e riram?!
Também sou manhosa absurdamente, mas a culpa não é só minha, é dos que me cercam também! Fazer o quê, né...fui bemmm acostumada! (não sei bem se isso é defeito)
Até me acho inteligente para algumas coisas, mas pra outras...sou tola!
Podem ficar tranquilos que a mocinha aqui que vos fala tropeça também em erros, deduções equivocadas, conclusões precipitadas, burrices conscientes, imaturidade desenfreada, entre outras 'coisitas' não muito legais. Ou seja, não é só você que se decepciona comigo...eu também.

Mas também não sou nenhum ser abominável! Não, acho que não...
Os mais próximos me chamam de anjo...É, aprenderam a ignorar meus defeitos e se concentram nas virtudes! Talvez, anjos mesmo sejam eles que sabem fazer essas coisas, que sabem amar, aceitar, cuidar...se preocupam....
Eu poderia até citar aqui alguns nomes mas não gosto de criar intrigas...ahahahahahha..
Eu tenho também lá minhas virtudes, mas hoje não vim falar delas. Aliás, virtudes não devem ser faladas e sim notadas, né...
Hoje vim me confessar.

"[...] mas se você não sabe lidar com o meu pior, então com certeza, você não merece o meu melhor..."(Marilyn Monroe)
Pra concluir, como diria Tati Bernadi: "Se forem falar MAL de mim me chame, sei coisas TERRÍVEIS a meu respeito".

quinta-feira, 20 de maio de 2010

Nem tão difícil assim...

Eu sempre escuto que sou uma pessoa muito difícil de ser conquistada, que eu não permito e tal. Mas vejam só que coisa incrível, as pessoas que já me conquistaram nessa vida, o fizeram sem querer e sem saber.

obs: e é claro, eu me lasquei sem perceber.

Quando alguém chega atacando, é claro que vou logo me defendendo. Mas se não atacam fico desprotegida, não ergo nenhum muro. Quando se vê, já conquistaram um território, o que me deixa insegura. Afinal, roubam um pedaço de mim...
Aí o processo passa a ser inverso. Quando tomam posse do território, ao invés de eu ficar mais e mais à vontade, fico mais tímida, mais temerosa. A menos que a pessoa seja clara, específica e me passe certeza...

Confuso?
Era pra ser.

quarta-feira, 19 de maio de 2010

Meu Pequeno Dicionário- DECEPÇÃO

Decepção é quando você está com medo de atravessar a rua e pega na mão de alguém. De forma displicente esse alguém solta sua mão e te deixa ali no meio do caminho e a expectativa te atropela.

obs: E todo atropelamento deixa feridos.

segunda-feira, 17 de maio de 2010

Eu não te encontraria...

Hoje quando acordei pensei que não te encontraria.
Mas ontem quando fui me deitar, fechei as cortinas e não pude ver o aviso da noite.
Tranquei a porta e não ouvi quando a fechadura negou meu pedido secreto.

Hoje quando me levantei pensei que não te encontraria. Na verdade, nem pensei.
E até seria fácil não te encontrar, mas o fácil às vezes é o mais difícil.
E quando tirei o cobertor de cima de mim, vi que minha nudez estava descoberta, faltava alguma coisa. Mas não quis pensar, não quis concluir que faltava você. Mas o 'querer' passou longe e quase me precipitei.

Fingi naturalidade ao espelho, me arrumei e saí.
O elevador demorou um pouco, resolvi descer pelas escadas. Assim, quem sabe, os pensamentos não me alcançavam!
Distribuí "bom dia" e sorrisos timídos.
Saí sem rumo pela praia. Parei num lugar onde não tinha ninguém, muito menos você.

Fiquei ali deitada, sozinha. Sem lembranças, sem memória, sem pensamentos!
Mas toda lágrima que eu havia derramado dias atrás subiu. As nuvens ficaram carregadas e ameaçavam lançá-las(as lágrimas) contra mim. Mas hoje eu não estava triste e não adiantava as nuvens chorarem por mim. Eu estava decidida. (estava? Decisão é uma palavra que não deve existir no passado.Quando se decide..é)

Mas toda decisão voôu pra longe quando o vento passou.
Fixei meus olhos nas coisas belas, no mar, na quietude e aos poucos assisti meu pensamento me trair.
Encontrei você!
Encontrei você nas minhas mãos vazias segurando o nada caminhando de volta pra casa.
Encontrei você quando vi tantas palavras no lixo.
Encontrei você quando sua ausência gritou tanto que me deixou surda pra qualquer outra coisa.
Encontrei você nas cartas que não te mandei, nos beijos que você não me deu, e na alma que você me roubou.
Eu não queria, mas te encontrei encostado na decepção, me sorrindo com um sorriso sarcástico contando figurinhas.

sexta-feira, 7 de maio de 2010

Invisível é melhor.

Não questione
Não duvide
Apenas acredite e aceite.

Não posso provar, mas também não há como negar.
Desfrute do que te ofereço sem entender.
É amor sem merecer.

Pode parecer uma opção absurda
Mas agora prefiro ficar muda.
Dizem que devemos nos calar quando não há o que dizer
Mas quando as palavras se atropelam, se calar também é o melhor a fazer.

Se um dia eu quis ser presente, hoje isso já não é o suficiente.
Mas eu te amo, disso esteja ciente.
E de agora pra frente se quiser me ver fique sensível.
Pois farei o máximo para me tornar invisível.

Não é uma fuga ou covardia
É para que a admiração que sinto não se acabe no final do dia.
Nem é drama
É apenas um dos ofícios de quem ama.

quinta-feira, 6 de maio de 2010

Mais uma escrita.



Letra maiúscula, início de frase. O abstrato se tornando concreto. Idéias em formas. Sentimentos em palavras.
Reticências, e o tempo se prolongou.
Abre aspas. Algo ele falou. Fecha aspas. Não durou muito tempo.

Palavra após palavra. Vírgulas. Parágrafo. Nova frase...e assim prosseguia o texto.
Uma palavra diferente apareceu, a frase se alegrou mas estremeceu. Sem saber o que fazer, como reagir ...o ponto de exclamação se soltou, o pauzinho quis fugir e o ponto final ficou.

Só um toque.




Um punhado de parênteses na resposta. Mil perguntas na mente. Uma certeza no coração. E um ponto final que insistia em dizer não.
Bastaram para que começasse a confusão.
Eram lágrimas que já não sabiam o caminho, desciam desgovernadamente. Soluços que vinham do peito, apertavam a alma.
E se a perguntavam o que estava acontecendo, a explicação custava fazer sentido. Custava tanto que não podia pagar, nem com sorrisos, nem com lágrimas, nem com sedução.
O jeito era se contentarem com o meio sorriso, com a meia resposta, aliás, com a falta dela.
A verdade era que ela não queria que a entendessem, o de que ela carecia palavra não ajudaria. Por isso, mesmo que ela soubesse o que se passava, resposta ela não daria.
No íntimo, ela mesma não sabia. Sabia que havia se cansado, e tudo que queria era um abraço apertado. Sem motivos, sem explicações, sem intenções. Apenas o amor... cru.

Dividir é uma operação matemática que deve saber ser usada.

Dividir uma pessoa? Fazer o que, se não tem mais opção.

Dividir um amor? Dói o coração.

Mas dividir a Minha história, a história que era pra ser minha? Não, não.

É possível isso?

Como pode uma pessoa ser duas ou duas habitarem uma só?
Como pode ser tão doce e tão seco?
Tão cuidadoso e tão “nem aí” ?
Tão inteligente e tão deslumbrado com tolices?
Tão verdadeiro e com sentimentos tão falsos?
Tão crente no amor e na eternidade dele e depois faz da eternidade... fugaz.