Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

Relativizando.

Não gosto tantoooooooooo assim de relativizar tudo. Senão algumas coisas acabam ficando expostas ao nada e perdem o valor.
MAS, não há como negar que...

Adrenalina pra alguém pode ser saltar de pára-quedas e pra outro, molhar a ponta dos pés no mar.

Medo pra um pode ser do escuro e pra o outro, de ouvir um 'não'.

'Fazer uma loucura de amor' pra um pode ser viajar quilômetros pra encontrar alguém e pra outro, simplesmente olhar nos olhos de quem se ama.

'Ser alguém na vida' pra um pode ser ter um trabalho que lhe dê muito dinheiro, e pra outro, fazer algo que lhe dê prazer.

'Ter sucesso' pra um pode ser ter fama, e pra outro ter felicidade.

Sexo pra um pode ser necessidade e pra outro, amor.

Estar apaixonado pra um é gritar aos quatro cantos e pra outro, assumir pra si o que sente.

Ser decidido pra um é saber o que quer e pra outro, saber o que NÃO quer.

Ser realista pra um é usar a razão e pra outro, nada mais real que ouvir o coração.

Coragem pra um é mudar de país pra uma vida nova e pra outro, enfrentar o próprio país para uma vida nova (mesmo que demore mais).

Ousadia pra um é falar o que lhe vem à mente (e xingar se for preciso) e pra outro, é falar o que pensa sem ofender ninguém.

Força pra um é esmurrar o que lhe desagrada e pra outro, é carregar o mundo.

Espontaneidade pra um é tagarelar de tudo, rir alto e pra outro, é saber falar também, mas se não quiser falar nada, não falar.

Ser livre pra um é poder beber o quanto quiser, transar o quanto quiser...e pra outro, é não depender disso pra se sentir livre.

Cuidar pra um é carregar o outro no colo e para o outro, é ensinar a andar.

Segurança pra um é estar numa casa 'blindada' e pra outro, ter a certeza de que é amado e respeitado.

Aproveitar a vida pra um é sair de domingo a domingo, beijar o máximo de pessoas e beber até cair. Pra outro, é sair sim, mas é saber ficar em casa com a própria companhia (e com outros), assistir um filme e ler um bom livro.

Falo isso porque às vezes um dá o seu máximo, mas para o outro é pouco.

Não estou questionando o que é certo ou errado.
Mas expondo que diante da particularidade de cada um, as reações ou os conceitos de determinados sentimentos podem ter uma grande diferença.

Mas também há coisas que são indubitáveis, como por exemplo...

Infidelidade é falta de caráter.

Talento é algo nato. Não está à venda.

E ... Amar é uma das coisas mais ousadas que fazemos na vida!

Um comentário:

  1. Rê,

    Você é, ao mesmo tempo, relativamente e absolutamente, uma grande escritora, pois, escreve com o coração!!!

    Bjonio'sss
    Tony

    ResponderExcluir