Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

quinta-feira, 31 de dezembro de 2009

Ano novo.

Nunca tive superstições para passar a virada do Ano.
Aliás, não as tenho pra nada.
Então, hoje dia 31 de dezembro de 2009, não vou pular sete ondinhas(até porque aqui onde moro não tem Mar, e mesmo que tivesse...Pular ondas? Só se for as de tristeza, desgraça...Eu quero é uma tsunami de alegria e amor!)

...não vou comer 'doze uvas pra ter dinheiro o ano todo'. Não gosto de uvas! E se é pra ter dinheiro...Bora trabalhar, minha gente!

...não vou acender vela amarela pra manter um amor. Prefiro coisas que deveriam ser comum, como: amar, cuidar, compreender, aceitar, e...se brigar, conversar como duas Pessoas que vivem ao invés de jogar.

...Não vou usar lingerie branca pra ter PAZ. Se quer ter paz, encontre Aquele que é A PAZ. Comece por vc a fazê-la perceptível.

...Nem vou usar lingerie vermelha pra ter um grande amor! Quando encontramos o Amor...usamos todas as lingeries possíveis, mas elas passam boa parte do tempo no chão.

..."Derramar pipoca ao longo do corpo, com a água do mar na altura dos tornozelos" pra tirar maus fluidos?!!!! Ah! Vai dar pipoca para as crianças de rua que passam fome. Isso seria uma CEIA pra elas.
E pra tirar 'maus fluidos', use a Fé Naquele que nos criou com tanto Amor, e acredite na lei da semeadura: o que planta, colhe. E se tiver gente ruim que vc sabe que não te quer bem...Abençoe-a, mas não conviva com ela. Use a sabedoria.

...Não, nem vou beber demais até perder a noção.Não. Gosto de enxergar a VIDA.

É só um novo raiar do SOL, mas que nos desperta para talvez um novo ciclo. Depende muitas vezes apenas de nós.
Nesse novo ano, quero me desprender de meus "achismos" inúteis.
...que eu tenha menos momentos de "burrice emocional".
...que eu saiba em quem acreditar, ou ao menos, quando eu acreditar em alguém...que ele acredite também, responda e reaja dentro da confiança que lhe foi creditada.
...quando eu acreditar num mundo descomplicado e mais doce, que ele ao menos por respeito, aja como tal.

...que eu seja moldada e mudada no que for preciso, se for pra melhorar.

Que meu 2010 seja ainda mais vivido, menos jogado e jamais assistido.

E à vocês, desejo tudo de melhor que desejo pra mim e a gente caminhe e cresça juntos.

Até ano que vem.

=/

Burrice tem limite?
As vezes dá um medo de não ter...

Sobre os outros.

Pior que ouvir mentiras dos outros
e ver fantasias nos outros...
É viver iludida por si e teimar acreditar que o outro pode ser real,
o brotar dos bons sentimentos natural e que ele não leva uma vida tão banal.


Pior...muito pior.

segunda-feira, 28 de dezembro de 2009

Dúvida ou equilíbrio.




Ter equilíbrio é estar em harmonia, em paz com duas forças opostas(como diz o dicionário).
Estar no meio do caminho é falta de coragem de optar, é duvidar de sua própria escolha, é medo de sua preferência ser ruim ou estar errada (mas ...errada?).

Uma coisa é ficar no meio do caminho
Outra é ter equilíbrio.

Se bem que pra ficar em cima do muro é
preciso muito equilíbrio.

Mas a palavra que está em jogo passa longe do equilíbrio,
aliás...se me resta um pouco dele, basta a dúvida bater na porta pra
que eu quase caia. A bendita palavra? DÚVIDA.

Dizem que a dúvida é algo bom (pra quem?).
Ela pode ser boa quando age no intelecto, quando nos faz raciocinar,
questionar, avançar até que quase cheguemos a raíz, a origem.
Mas quando ela aparece na alma...É algo desgastante!
Pra mim, se não for A pior, é uma das piores formas de tortura.
Faz com que a insegurança ganhe forma e o NÃO seja concreto...Quase dá para ouvir
as risadas macabras da Ilusão.
E por um instante me acho burra, estúpida por acreditar demais nas pessoas, por crer
no que dizem, no que dizem sentir..por crer que sentem.

A indecisão me inquieta ( a minha, a dos outros...)
Esse meio do caminho me desequilibra. E tento raciocinar onde não cabem matérias EXATAS, tento explicações objetivas numa prova que só há espaço pra desenhos. Não há linhas, letras ou números...
Isso me atormenta: não saber. Não saber o que se passa do outro lado.
Não saber se serei a tola da história de novo por querer acreditar na existência das cores...


Posso entender mais quando ouço a tão conhecida frase "Seja quente ou frio. O morno Deus vomita"

Quem fica no meio do caminho terá sempre duas opções.
Quem fica em cima do muro terá sempre dois lados pra escolher...Mas tem que escolher. Tem que ir, andar!
Caso contrário...ficará parado no meio da estrada olhando pra as opções...estacionado na vida, "vendo a banda passar"...

"que suas palavras sejam sim sim, não não...O que passar disso é mentira".

No quesito coração, emoção...o equilíbrio é escolher e seguir em frente.

sexta-feira, 25 de dezembro de 2009

Sonhos...da visão de Shakespeare

“Há quem diga que todas as noites são de sonhos .
Mas há também quem garanta que nem todas , só as de verão .
Mas no fundo isso não tem importância .
O que interessa mesmo não são as noites em si, são os sonhos .
Sonhos que o homem sonha sempre .
Em todos os lugares .
Em todos as épocas do ano .
Dormindo ou acordado .”

Shakespeare

quinta-feira, 24 de dezembro de 2009

Homenagem.

My Friend, Minha Amiga-Amô e Meu Vício.




É uma questão de identificação, de mesmo mundo, de querer bem....de ver além, de amar alguém.

Do livro de Sonhos.




Rabiscando meu livro, tive um sonho incrível!
Incrível porque eu dormia sonhando, acordava e o sonho continuava.
10 dias de um sonho ininterrupto.
Mas de repente, o personagem principal foi perdendo a cor e desapareceu sem dó nem piedade, sem dizer "até amanhã" ou "te espero em breve". Sumiu assim, com um "Adeus" silencioso nos lábios.

Hoje o dia amanheceu estranho, parecendo aqueles filmes antigos, sem som, sem música e sem cor.

...Já deu meia-noite e dá um 'medinho' da próxima página, dá um medinho de rasgarem a folha, ...
Será que posso inventar uma nova realidade?!
Vou continuar fazendo meus rabiscos, aqueles que só eu entendo. Pode ser que eu tenha sorte.
Pode ser.

segunda-feira, 7 de dezembro de 2009

'Se eu puder dar o primeiro passo, então darei todos.'

Ela olhou no espelho e disse:"vamos lá!".
Procurou aquela roupa especial pra essas ocasiões, mas parecia não encontrar.
Na verdade, era coisa simples, apenas algo confortável e que a protegesse do frio que talvez pudesse sentir (tomara que não!). Mas mesmo assim nada servia.
Afinal, não é todo dia que a gente salta de pára-quedas!
Não é todo dia que a gente olha para o Céu e se sente em casa.
Mesmo não se sentindo 'super' segura, ela foi.
Foi com a roupa do corpo e completamente nua na alma. Mas foi.
Não dava mais pra adiar.
A espera já tinha feito sua trajeto. Agora era sua vez de dar o passo ( e que passo!).

O avião decolou e ela pensou "é...me lasquei! Se correr o bicho pega, se ficar o bicho come".
Ela olhava à sua volta e não achava o instrutor.
(é que pra 'esse' tipo de salto não tem instrutor, se faz sozinha. É vc e Deus.)
E quanto mais o avião subia mais medo ela sentia, sua visão já estava ficando embaçada, o estômago enjoado, ...e ela não sabia se ria ou se chorava.
Mas tentando se acalmar pensou: "Ah! Deve ser bom, inspirador, libertador, mágico, afinal por que os pássaros cantam tanto?"
É...ela não costumava usar a lógica em seus raciocínios.

Até onde sei, ela só se lembra da última frase que ouviu: "Valeu! Bons saltos e pousos tranquilos..."

domingo, 6 de dezembro de 2009

Apenas uma declaração de Amor, porque ELE merece.




Não tenho muito o que dizer pois não sei como expressar isso tudo que sinto por Ti, Pai.
Mas quero registrar aqui no meu espaço (ou melhor, NOSSO...porque tudo que é meu é Seu e vice-versa, né?!)...Então quero deixar aqui Sua marca.

Teu Amor é o meu respirar
Tua Graça é o meu pulsar
Tua Força é meu sustento
Tua misericórdia, minha esperança.
Tua Mão é meu aconchego.
Tua Voz é minha bússula.
Tua Fidelidade é minha calma.
Tua obra, meu descanso.

sábado, 5 de dezembro de 2009

Um Soneto sem sentido.

Eu gostei desse negócio rimado
A gente fica logo pensando qual será a palavra do combinado.
E mesmo que o poema fique mal explicado
A gente segue escrevendo um verso quase forçado.

Aí as palavras que antes vinham sem sentido
Agora fazem parte de um discurso esquecido.
Eu vou fazer um soneto
Eu prometo.

O difícil é que o soneto é uma 'composição poética
Formada por 2 quartetos e 2 tercetos' de brincadeira
Por isso temo que ele não se complete e fique apenas na beira.

Falta apenas uma estrofe com três versos
E como regra é regra
Deixarei aqui meus pensamentos ainda imersos.

sexta-feira, 4 de dezembro de 2009

Eu já escrevi poemas...

Ao ler um texto de um amigo
Logo pensei comigo
'Eu também já escrevi poema rimado.'
Mas hoje acho isso meio ultrapassado.


Sonhar, pra mim, era algo nato
Agora percebo que sonhos não nascem no mato.
Não que eu seja mato ou algo parecido
Mas o sonho para nascer precisa ser merecido.


Eu falava no amor e interagia
Hoje quando falo parece que tudo não passa de magia.

Não quero mais apenas falar de sentimento
Isso soa como tormento,
Pois preciso encarar a idéia de que para amar e viver
É preciso antes ousar e não temer.

Não quero mais escrever como alguém que assiste
e avalia as cenas
Quero experimentar as emoções,
mesmo as mais pequenas.

Não agüento mais discorrer sobre coisas tão lindas,
Como se fosse um jornalista descrevendo os fatos.
Não! Quero dizer às belas palavras que são bem-vindas,
Mas que sejam conseqüências de meus atos.

Parque da Vida.




Quando criança, a gente 'quer porque quer' ir naquele Melhor Parque de Diversões que tem na cidade.
Ficamos fantasiando brincar naqueles brinquedos 'perigosos',... na montanha-russa, naquele outro que te vira de pernas para o ar, deixa sua cabeça maluca...O ingresso para o Parque é caro e devido ao valor, você tem que fazer valer à pena. Não é?!

A gente pode, e provavelmente vai, até brincar naqueles brinquedos mais tranquilinhos, e
les são legais mas se a gente não vai nos de 'gente grande' parece que nem foi ao Parque, parece que nem se divertiu.

A gente cresce e as coisas continuam do mesmo jeito.

A gente fica doida pra ir 'Naquele Parque' e brincar no brinquedo mais bonito, mais alto, mais difícil... Mas, aí vem as mesmas indagações.

Quando a gente quer muito alguém...o preço que se paga é alto. Não porque a pessoa é difícil, mas perder o controle da situação é um desafio. E quando amamos perdemos um pouco esse "controle".
Aí a gente pode fazer como no Parque de Diversões e ir brincar nos mais tranquilos (mas que não exigem tanto de nós e nem nos faz tão felizes), e viver na mediocridade.
Ou podemos passar o tempo nesses sem muito envolvimento enquanto nos preparamos para encarar AQUELE.
Ou ainda, ir direto naquele tão desejado e temido brinquedo.
Bom...aí é encarar os fatos: você pagou caro na entrada pra ir num brinquedo que envolve riscos, dá medo, dá enjôo (às vezes de tanto nervosismo), mas...calma porque no final você se sentirá extasiada!

Assim é quando queremos muito alguém. Você vai lá, entra no 'brinquedo', ele te deixa de pernas para o ar, com a cabeça virada sim, mas você se sente VIVA.
E por mais que você não brinque todos os dias com ele (o que pode acontecer, infelizmente), você se sentirá orgulhosa da coragem que teve e vai lembrar daquele momento pra sempre.

No Parque da Vida é assim: se você simplesmente passeia pelo Parque admirando a coragem dos outros e brincando nos mais fáceis(o que não deixa de ser bom), parece que você nem foi à um Parque de Diversões. Parece que o preço da entrada não compensou.
Então...vamos lá naquele que desejamos mas temos medo. Se não o tivermos, pelo menos derrotamos o medo.





Carambaaa...tá tudo meio bagunçado aqui na minha cabeça. Mas acho que dá pra entender. E também, se não entender como diz Mario Quintana "Não faço força pra ser entendido. Quem faz SENTIDO é soldado."

quarta-feira, 2 de dezembro de 2009

Escrever é coletivo.

Tem gente que acha que para escrever precisamos de inspiração (pessoa).
Engano.
Tá. A inspiração ajuda, mas acredito que pra escrever bastar usarmos nossos sentidos (fazê-los úteis).

Enxergar...
Enxergar o outro.
Enxergar o mundo.
Enxergar o tempo, o motivo, o vento.
Enxergar o óbvio que não é palpável...
Enxergar o invisível.

Ouvir...
Ouvir a melodia que cada um tem.
...a sinfonia de cada mundo.
...a trilha sonora de cada momento.
...o som daqui de dentro, o de fora e o da outra pessoa ao mesmo tempo!

Degustar...
Degustar as palavras que saem de nossa boca e da boca do outro.
(assim seria até mais fácil diferenciar o mel do fel, que devido à troca de uma letrinha o sabor é alterado).
Sentir o gosto do beijo, do desejo.
Saborear as cores.

Cheirar...
Cheirar a vida e perceber que cada momento tem um aroma.

Sentir...
Sentir a vibração da música.
Sentir o abraço com toda a intensidade que ele merece.
Tocar o abstrato.
Pegar a emoção que está ao lado, que vem com o outro.

E usar também aquele sexto sentido que de tão enigmático merecia um texto só pra ele.

Se usarmos nossos sentidos cada minuto vira uma história.

Acho que escrever é coletivo pois sempre tem o outro com a gente ou nossa visão de outros (sejam eles mundos, pessoas, lugares...)

Brincadeiras do Pai.

Noite passada Deus me fez cócegas.

Acordei cheia de vida, transbordando amor, distribuindo alegria.
E eu sei, isso vem Dele.
ELE ama me fazer agrados e surpresas. Até mesmo(ou principalmente) quando estou no meio da tempestade. Aí esqueço de tudo e fico maravilhada assim...do nada.
E pra fechar o dia, vocês não têm idéia do Pôr-de-Sol espetacular que ELE me deu!!!
Estava tudo tão lindo!!! Quando vi pelo retrovisor do carro aquele tanto de cor se encontrando quis me juntar a elas no mesmo instante!!!
À noite, quando fui dormir...eu estava toda colorida.

Ooo Pai que amo, viu!