Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

domingo, 29 de novembro de 2009

Mania de explicar...

Por que essa mania de explicar o que não tem explicação,
de entender o que não existe razão?

Há motivos que simplesmente não existem.
Há sentimentos que simplesmente aparecem.
Há coisas que simplesmente acontecem. E outras (coisas) que apenas são.

?

Como é que a gente sente saudades daquilo que ainda não viveu?
Pois é, eu sinto.


O que sinto saudade já existe dentro de mim, já aconteceu em sonhos.
E por viver de sonhos...Não vivi, mas existe.

sexta-feira, 27 de novembro de 2009

DICIONÁRIO PEQUENO MEU.

Hoje eu queria inventar uma palavra nova.
Não consigo traduzir o que se passa aqui dentro e nem entender o que se passa lá fora.
Não existe nenhuma palavra que signifique isso, essa divisão de mundos e ao mesmo tempo essa união de sentimentos de mundos distintos que resulte numa bomba relógio que está prestes a explodir.
Já não sei se dentro e fora são diferentes, se o sentimento é um só.
Vou achar um nome pra essa confusão toda.
Quem é que determina quem pode ou não inventar palavras?!

Dessa vez MEU PEQUENO DICIONÁRIO inverteu. O significado veio antes da palavra...que até agora não sei qual será.



(O nome da "sessão" está invertido de propósito.)

quinta-feira, 26 de novembro de 2009

"Eu não. Eu quero é uma realidade inventada."

Quer saber?!
O segredo está em dormir cedo mesmo.
Essa noite demorei a dormir.
Fiquei imaginando demais e quando o sono me carregou eu estava pesada de tanta imaginação em mim.
Resultado: nada de encontros, nada de Sol, nada de mar... nada de cores.
Estava tudo meio borrado, o sonho meio apagado.
Aí a desilusão me acordou.

Mas vou deitar pra ver se durmo de novo e acordo mais segura, mais tranquila, mais otimista...mais inventada.

Inté.

quarta-feira, 25 de novembro de 2009

Meia-noite o sino toca.

Não sei sei isso acontece com todo mundo mas...
Quando dá meia-noite...minha razão vai dar uma volta por aí,o domínio próprio decide descansar, o medo vai atormentar outros pela rua...E eu sigo me sentindo super corajosa.
A partir da meia-noite somos só eu e minha liberdade, que a essa altura do campeonato já se empolgou e tá achando que pode tudo!
Aí já era, quero ligar..eu ligo. Quero falar, eu falo. Não quero fazer, não faço. Tudo muito simples.
Os desejos crescem, as emoções gritam e eu, ...Eu sigo o instinto, o impulso, o coração. Sou guiada pelo meu senso de justiça(aquele de meu mundo irreal e que é visto como loucura no mundo real).

Putz, mas sempre me esqueço que a justiça aqui(no mundo hipócrita) é cega. Ser guiado por quem não enxerga é complicado!

=/

Sobre o segredo de ontem.


Eu sabia que hoje iria funcionar.
Foi só fechar os olhos para que alguém apertasse o "play" e o sonho (sonho?) continuasse.

Essa noite senti até o cheiro, o toque, a pele...
Ouvi até os sussurros...

Mas aí, ele voltou à praia, e prosseguiu caminhando sendo banhado por aquele Luz dourada, aquela luz Divina que geralmente a gente só vê em sonhos.
Mas era real. Ahhh..era.

terça-feira, 24 de novembro de 2009

O segredo de quem dorme cedo.


Sabe, desconfio de pessoas que dormem cedo.
Desconfio que elas descobriram um segredo e não nos contaram.
Mas como eu não sou egoísta, vou compartilhar esse encanto com vocês.

Elas dormem cedo para se encontrarem com a realidade invisível dentro delas o mais rápido possível.
Quando adormecem todos os abstratos se concretizam. É incrível!
A escuridão se dissipa e elas enxergam que o Amor está ali, ao seu alcance.
Quando elas adormecem os sonhos acordam.(diríamos que são inversamente proporcionais)
Aí, quando os sonhos despertam é ...é....Nem tenho palavras pra descrever. Mas é bom, muitooooo BOM.

Sei que devem estar se perguntando como descobri um segredo milenar, algo tão...tão....sublime!

Tá. Vou contar um pouco.Um pouco, Ok?!

Noite passada, eu estava sentada na areia, à beira-mar ouvindo aquele silêncio ensurdecedor. E enquanto a Lua beijava o mar explicitamente, o cara mais doce que conheci me abraçava, me tocava, me acolhia.
Deitamos pra olhar o Céu e...de repente, não estávamos mais lá. Estávamos aqui.
Ele, que antes de eu me deitar, estava tão longe....Agora está aqui.

Aí meu sonho dormiu e eu acordei.


...Bom, acho que já vou dormir.
Hoje vou me deitar cedo(23:30h)pois meu sonho de ontem está no "pause".

E ó...Eu contei um segredo mas...não é pra sair espalhando por aí também , né...
Sei que devem estar na dúvida quanto ao segredo, se é real ou não, ou "por quê" esconderiam por tanto tempo algo tão mágico...Mas acredite.
Se contassem...ninguém ficaria no mundo real.

domingo, 22 de novembro de 2009

Meu Pequeno Dicionário-Taquicardia

Taquicardia é o que me dá quando o coração tenta correr carregando um peso enorme nos braços, e cada vez que pulsa é como se viesse até a razão pra entender o que está acontecendo (em vão) e voltasse numa velocidade absurda, sem nenhuma coordenação e explicação lógica do acontecimento.
É o sinal amarelo tentando me avisar do perigo de se apaixonar.

quinta-feira, 19 de novembro de 2009

E que o pára-quedas funcione! AMÉM.




O Amor pra mim é como saltar de pára-quedas.
Sempre tive vontade de me jogar ali de cima, voar. Mas dá um medoooooo!!!

Quando percebemos...Já estamos dentro do avião lá em cima, é difícil voltar atrás e o próximo passo é "em falso", 'no escuro'.
O próximo passo é se jogar!
Aí...se antes já era difícil voltar atrás, de agora pra frente é impossível! Não temos mais controle de nada...só em puxar a cordinha.
E como diria Drummond: "E agora, José?"

Agora é se deslumbrar com a visão incrível daqui de cima, deixar o vento bater forte no rosto, gritar(pra desabafar) e... esperar o pára-quedas abrir.(Tomara!)
Dá um frio 'lascadooo' na barriga, um medo quase insuportável.

É...é preciso coragem para amar.

Se ele abrir será ótimo!
Será o melhor "passo em falso" que já dei. Será a melhor iniciativa que tomei. Será meu maior ato de coragem.
Estarei nas nuvens!


Mas...e se o pára-quedas falhar? E se ele não abrir?
Se não abrir...já era. A queda pode ser fatal.
Se não abrir...vai doer (e muito).
Vou despencar das nuvens(literalmente).
Mas, quer saber?! Pelo menos...experimentei a sensação de voar por alguns instantes.

Tomara que meu 'salto' termine melhor que a poesia de Drummond:


"E agora José?

A festa acabou,
a luz apagou,
o povo sumiu,
a noite esfriou,
e agora, José ?
[...]
Sozinho no escuro
qual bicho-do-mato,
sem teogonia,
sem parede nua
para se encostar,
sem cavalo preto
que fuja a galope,
você marcha, José !
José, pra onde ?"

quarta-feira, 18 de novembro de 2009

Escrever pra que?


Eu costumava escrever para pôr as idéias em ordem, pra enxergar lógica nos meus pensamentos.
Hoje, ao escrever, percebi que pensamentos com lógica são sem graça e que minhas idéias viraram ideais. Ideais que são lindos, floridos...mas, distantes do real.
Talvez escrever seja minha forma de viver o que não tenho coragem ou não me foi agraciado, talvez seja uma fuga, talvez seja um dom ou uma necessidade.
Talvez eu deva parar de mostrar minhas percepções.
Rasurá-las? Elas continuariam ali debaixo, escondidas.
Parar de acreditar? Mas...arrancar as páginas de sonhos seria um crime!
Parar de escrever, parar de viver no irreal. Ou quem sabe, escrever uma nova história.



Escrito por Rê Marra no dia 11/09/2009 às 18h29

Coisas do Tempo...


O tempo passa e a gente nem percebe. E com o tempo....a vida prossegue.
Muitas vezes nos confronta, nos fere... Às vezes nos pega desprevenidos e o golpe parece ser fatal.
Outras vezes, outras tantas vezes nos presenteia com pessoas queridas, com flores, com surpresas indescritíveis. Mas, cabe a nós decidirmos que marcas o tempo nos deixará.

Quando vemos... Os brinquedos que brincamos já não são os mesmos, isso é natural. Ou... ainda são! (dependendo... isso não é tão natural). Ou pior... as vezes, nem brincamos mais.(e isso é triste).

Os canais de TV mudaram. Antes era só desenho animado, cheios de carinho. Depois os desenhos passaram a ser de guerra. Depois a guerra passou a ser real. De repente, quando percebemos... só estamos assistindo aos telejornais, cheios de sangue, injustiça...

Ou então, assistíamos aos canais de receitas para fazermos delícias para nossos queridos. O tempo passa e se não vigiarmos não fazemos nem delícias e muito menos temos queridos. Pois o tempo nos rouba até as prioridades (ou ao menos, o que deveria ser).

Os filmes que vemos (se vemos) parecem não encantar tanto, não nos disponibilizamos àquele momento e passamos a analisar friamente a luz, os atores, as ações... Como se ficção tivesse que ter algum sentido, ou... como se sonhar fosse proibido. Com coisa que a vida tem lógica sempre, né?!

Às vezes percebemos que o tempo passou e pensamos que se fizermos inúmeras cirurgias conseguiremos voltar atrás. (Nada contra cirurgias plásticas. Claro que temos que nos cuidar e estarmos bem com nós mesmos. Mas, a beleza que tem que estar a meu serviço e não eu à serviço da beleza).

Para muitos de nós, o tempo passou e a primavera acabou, e o outono parece não ter fim. Já não vemos a beleza das flores, já não sabemos o valor de um pôr-do-sol. E a vida segue para o cinza do inverno.

Para alguns (espero que poucos)... o tempo passa e...já não acreditam no amor. E o abandonam em troca de umas horas extras no trabalho para ter mais luxo no final do mês. Mas... mais luxo no final do mês pra quê? Pra viver sozinho? Que graça tem a vida sem ser compartilhada?

A Esperança se foi junto com a última tempestade.

Mas sabe,...tudo depende de o que decidimos levar do mestre Tempo. Mesmo quando os golpes da vida parecem arrancar todas as flores...saiba que na próxima primavera haverão ainda mais e mais flores. É que às vezes precisamos cortar os galhos que já não servem para que outros melhores e mais fortes nasçam.

Se você viu aquela chuva que levou sua esperança como uma tempestade...Pode não ter sido bem assim. A chuva só veio pra lavar a alma e regar seu coração para que volte a acreditar no Amor.

Não permita que o brilho de seu olhar se apague, que a Fé morra ou que o mundo dite seu próximo passo. Creia!
O tempo passa sim. Não há como impedir. Mas, podemos decidir como ele vai passar e como vai nos atingir! Se vamos deixar a vida nos levar ou se vamos ter coragem o suficiente para tomar as rédeas em nossas mãos e guiá-la pelo caminho melhor.



Escrito por Rê Marra no dia 04/09/2009 às 18h00.

sábado, 14 de novembro de 2009

Talvez eu seja a 'última romântica'...


Certa vez ouvi alguém dizer “sexo sem intimidade”.
Como assim? Isso é possível? Sexo é uma das coisas mais íntimas que pode acontecer entre duas pessoas!
Aí, me explicaram: “Sim, é intimo. Na verdade estou querendo dizer 'intimidade sem complicações'.”
'Ahh tá'...eu fingi que entendi.
E a explicação continuou: “Num mundo moderno seria ideial. (hã?) Pois relações que dão certo exigem tempo, dedicação, compromisso, entrega...E as pessoas não têm mais tempo.”
Aí, pra mim chega! Esse é um pensamento claro, objetivo do que a maioria pensa mas não admite. Isso é que é pior.
As pessoas não querem se entregar, conhecer o outro, se conhecer, investir tempo (sim, investir e não gastar!). É mais simples fazer sexo apenas do que fazer amor. Como dizem...sexo sem compromisso. Assim, satisfazem seus desejos carnais (como meros animais sem alma) e pronto, a vida continua.
Vida...que vida??? Isso é vida? Que sentido tem a vida se isolarmos os sentimentos por medo de sofrer, ou para não ter que enfrentar novas emoções, crescer...? Que sentido tem a vida sem o Amor?

Não estou querendo ser a última romântica do século 21, mas isso é inadmissível!
Vida, pelo menos pra mim, não é sinônimo de trabalhar e ganhar dinheiro.
O Príncipe Encantado atual é o dinheiro. Argh! Que nojo! Se antes fazíamos tudo para viver um grande amor, hoje abdicamos do grande amor em busca do dinheiro, do 'sucesso profissional'.
Sim, colocando em pratos limpos, é isso. Não queira camuflar as coisas. Somos adultos, vamos enxergar os fatos e ‘dar nomes aos bois’.

Sabe o que é pior? Às vezes estamos com os valores invertidos e nem percebemos.
Confesso que eu mesma, por um tempo, fugi do amor em busca de minha realização profissional, como se não fosse possível ter os dois!
Quando percebi que estava caminhando junto com a multidão no paradigma do mundo moderno, dei um jeito de acabar com esse feitiço maldito. E pela primeira vez, pensei em adaptar meus trabalhos para caminhar junto do Amor.
Sim, é possível. É mais trabalhoso, claro, mas é possível. É mais humano (ou seria divino?).

Quero o Príncipe de antigamente, aquele humano, que ama, cuida, ...e que mesmo enfrentando todos os tipos de monstros arranja tempo para amar e lutar pela princesa.
Tô pedindo muito?



Escrito por Rê Marra no dia 1º/09/09 às 09h32

quarta-feira, 11 de novembro de 2009

Loucura?!

As pessoas estão tão acostumadas com jogos e mentiras que quando alguém decide ser claro e sincero, a verdade é encarada como comédia.
Os honestos e verdadeiros (consigo mesmo e com os outros)são vistos como loucos, sendo que na verdade enxergam e falam do óbvio.
Loucos são aqueles que negam a realidade, maquiam a simplicidade mágica da verdade e a tornam estúpida.

Enquanto a mentira que deveria ser ficção, a verdade virou piada.

Vai entender, né...

terça-feira, 10 de novembro de 2009

Ah..o Vento!



O som dele me envolve. É uma melodia flexível, depende do momento.

Ele leva pra longe tudo aquilo que me agride, que me atormenta.

Ele assopra a ferida que ainda está aberta e por alguns instantes, ela pára de arder.

Ele seca as lágrimas sem fim que escorrem descontroladamente.

Ele acalma minha mente quando, em meio a um turbilhão de pensamentos, parece que vai explodir.

Ele me traz alegria e liberdade!

Ele me leva à uma viagem sem tirar os pés do chão.

Ele traz uma nova canção quando tudo parece mudo demais.

Ele traz a chuva quando o deserto parece não ter fim.

Ah! Mas quem dera se o vento levasse embora o amor que sinto por você, sem razão ou “por quê”, e eu parasse de sofrer e de te querer.

Onde eu mais preciso dele...ele não consegue chegar.

Meu coração tem paredes de vidro que não querem quebrar.

Ah...o Vento!



Escrito por Rê Marra no dia 30/07/2009 às 17h20

Meu Pequeno Dicionário.-Frio

Frio - é o que sinto quando sou ignorada.

Meu Pequeno Dicionário.-Inspiração

Inspiração - é ver em tudo um motivo de ser, é ver arte e beleza onde no óbvio só há trevas, é enxergar além, É SENTIR A VIDA QUE TUDO TEM.

Silêncio ensurdecedor


Como diz meu amigo Tevim..."mulher só olha para o cara UMA vez....nas outras vezes, ela só escuta."...e observa suas ações.E o que fazer quando o cara não diz nada?


Ou eu sou muito humana ou as pessoas estão muito frias. Gente, é tão bom falar algumas coisas sem ‘maquinar’ uma reação, sem amarrar a espontaneidade!

Não sei você, mas eu amo quando me ligam apenas para desejar um BOM DIA, para falar que estão com saudades... É bom saber que há pessoas que fazem questão de nós. Não sei que mal há em demonstrar afeto, ...

Outro dia eu liguei para um amigo (era aniversário dele. Isso tem um mês!) que mora em Sampa. Ele ficou tão feliz que até ontem veio me agradecer pela ligação e dizer que havia ficado muitooooooooo feliz! Tá vendo como coisas simples deixam PESSOAS, (digo pessoas, ainda de carne, osso e emoções) alegres.

O cara é inteligente pois consegue acompanhar o raciocínio de quem ligou.

Bom, se alguém me liga, é porque se lembrou de mim. Se lembrou de mim é porque EXISTO pra ele. Se me convida para algo então!!! É porque gosta de minha companhia...então...nada mais HUMANO do que me sentir especial e fazê-lo se sentir assim também.

É horrível, lamentável, deprimente quando você demonstra todo seu afeto por alguém e a pessoa reage como se fosse algo comum, ou então..nem reage, né. Não estou falando de relacionamento homem/mulher, não. Estou falando de todo tipo.

Mas...voltando no que meu amigo filósofo Tevim disse...OLHEI uma vez. E desde então vivo no silêncio. A única coisa que ESCUTO é meu coração, que não se cansa de gritar de dor. Que ações observo? As minhas. Meus passos querendo voltar atrás e não conseguindo.

Meu olhar está parado numa tela branca, que de tão branca ...me agride.



Escrito por Rê Marra no dia 16/02/2009 às 10h12

Quando a gente gosta (?/ !)


...A gente deseja de uma forma arrebatadora;

...A gente quer DAR prazer e não só sentir.

...Tempo nunca é demais quando estamos esperando por ele;

...A gente compreende o que ninguém entende;

...A gente dá mais uma chance, e mais uma, e mais uma....

...Tolera o intolerável: a dúvida.

...Suporta o insuportável: a dor de ele não ser seu AINDA.

...A gente finge que não vê os erros grotescos

...Entregamos o que nos é mais valioso, sem esperar uma resposta.

A gente fecha os olhos diante das falhas, tapamos os ouvidos diante de comentários de pessoas que dizem algo contra ele, vamos contra tudo e todos e declaramos aos quatro cantos que confiamos SIM(mesmo que nos chamem de tolas).

Pensando bem...A gente não faz isso quando gosta.

Quando a gente gosta um erro leva ao fim, uma dúvida leva à desistência, o que falam é motivo de desconfiança, as falhas são mais um motivo para percebermos que não vale à pena, vê o que todos vêem, não enxergamos além.

Na verdade, a gente faz tudo aquilo quando a gente ama.

Não um “amor” de carnaval, não um “amor” banal. Mas um amor que foi construído dia após dia, um amor de adulto, um amor maduro, um amor que ESCOLHEMOS amar e decidimos apostar.

Um amor PURO, assim como o Senhor nos ensinou.



Escrito por Rê Marra no dia 20/02/2009 às 14h13

Será que não volta?!




Obs: Não sei a autoria desse texto.

Só HOJE...


...Vou parar de imaginar nossas vidas juntas

...Vou fingir que não te quero mais

...Vou perder a paciência por esperar

...Vou deixar de tentar te entender

...Vou me cansar de sua indecisão

...Vou parar de compreender o mundo (inclusive o seu mundo!)

...Vou gritar quando não agüentar mais essa dor

...Vou falar tudo que está me sufocando

...Vou chorar de desespero

...Vou desesperar por amor

...Vou me entregar de forma irresponsável a essa paixão

...Vou fazer amor com você sem pensar que amanhã você pode me deixar

...Vou acreditar que me ama

...Vou pensar em mim...só em mim.

Só por HOJE.



Escrito por Rê Marra no dia 24/02/2009 às 15h50

Meu Pequeno Dicionário

Deu crise no meu Pequeno Dicionário.

Será que o Amor é isso? Não conseguir tirar alguém do pensamento mesmo sem querer pensar?!

Eu acredito.

Estranhamente pode-se deitar com vários, mas não se pode amar.

Valores estão sendo deixados de lado por um simples momento, ou frase “Carpe Diem”. Não vemos mais ninguém de mãos dadas, pois poucos estendem as mãos sem querer qualquer outra coisa em troca. Os olhares não se cruzam mais, pois ninguém olha pra frente, só se olha pra si. São cegos perambulando mundo afora. Guiados por desejos...e desejos são insaciáveis. Quanto mais se tem, mais se quer. Cuidado. Aprenda a amar aquilo que deseja e isso vai lhe bastar.

Ninguém ouve a música do coração, o barulho da caça-níqueis é muito alto.E se o coração insiste e aumenta o volume...sufocam-no com afazeres sem fim, ...qualquer coisa pra não encarar a Verdade que existe lá dentro, ...trabalho, bebidas, festas, prazeres...Não estou dizendo que essas coisas são ruins, mas a ordem está invertida. Precisamos ouvir o som do coração: íntimo, verdadeiro, e encará-lo sem máscaras...e sem medos.

Pare um pouco. Ouça. Ouça que sons lindos vêm de seu coração. Que sinfonia harmônica seria a vida se ouvíssemos mais. Se abandonarmos os dados do jogo, aliás, se deixarmos de fazer da vida um jogo, iremos compor músicas cheias de magia, encanto, amor.

Por mais que tentem, ninguém nunca vai conseguir roubar as melodias que saem aqui de dentro. Ninguém pode me fazer desacreditar no amor.

Sim, acredito no Amor, assim como muitos acreditam na ciência ou filosofia. E por mais que tentem negar, matá-lo ou fazer com que perca o significado...o Amor existe. Isso é fato.



Escrito por Rê Marra no dia 02/07/2009 às 20h03

Ah...o Amor!


Como escolhemos o amor?!

Não é pela cor dos olhos .É porque quando ele olha, me desarma.

Não é pelo tamanho da boca. É porque a boca....ah! a boca...simplesmente porque é dele e isso me faz desejá-lo.

Não é por ser alto. É por ser grande no coração.

Nem por ter as mãos grandes. É por suas mãos serem firmes quando têm q ser.

Não é por ser sério ou porque ri demais. É porque se é sério, me instiga e me dá chão, e quando ri me acolhe.

Não é por ter o corpo assim ou assado. É porque o corpo dele tem o encaixe perfeito com o meu.

Muito menos por ter dinheiro ou ocupar alguma posição na sociedade. É por ser rico em simplicidade, carinho e respeito. É por ocupar uma posição na minha mente e possuir meu coração.

Não é pela profissão, porque trabalho mesmo é o que ele me dá para tentar esquecê-lo.

Não é pelo físico, é química.

Não é porque fez alguma coisa incrível. É porque mesmo sem fazer nada, ele desperta o ‘tesão’ mais absurdo, os pensamentos mais doces e ousados...e ISSO é incrível.

Não....a gente não escolhe alguém para amar. O coração escolhe e depois vem avisar.

A gente não escolhe o amor. O Amor escolhe a gente.

Muitas vezes não tem razão. Não tem “por quê”, não tem interrogação ou exclamação. É especial e PONTO FINAL.




Escrito por Rê Marra no dia 09/06/2009 às 11h48

A Lua....


Era uma noite como outra qualquer,... de Lua minguante, coração sem esperança, mente desatenta.

Foram necessárias várias noites assim. Até que...a Lua mudou de fase e ele percebeu, meio que por acaso, que seu olhar (antes desatento) agora tinha um rumo. Seu coração havia escutado os sussurros da Lua Crescente, mas jamais imaginou que aquilo duraria tanto tempo, ou que enfrentaria os medos e a racionalidade da Lua Nova, sempre tão certinha...naquela circunferência exata.

... Mas não teve jeito. Quando o Amor chega, sob o Céu inspirado e aos gritos da Lua Cheia...revela-se. E aquele sentimento que outrora se escondia, chega ao ápice e perde a vergonha. É hora de assumi-lo (o amor).

É,...a Lua Cheia fala alto e seu tiro é certeiro no coração.




Escrito por Rê Marra no dia 15/05/2009

quinta-feira, 5 de novembro de 2009

Fernando Pessoa:


“O Poeta é um fingidor, finge tão completamente que chega a fingir que é dor a dor que deveras sente.”

terça-feira, 3 de novembro de 2009

*&%#@

Affffffff...Burrice deveria doer. Pelo menos as que eu cometo. Quanto aos outros...deixa pra lá.
Pelo menos assim, erraria menos, pensaria mais, acreditaria menos, fingiria mais.