terça-feira, 20 de fevereiro de 2018

O Último dia.

Talvez você nunca a entenda, e está tudo bem. Algumas pessoas ultrapassam o entendimento mesmo. Agem e pensam muito fora da caixa.
Luna era assim, muito querida por todos, mas pouco compreendida.
A verdade, é que mesmo com essa claridade toda que ela tinha, também tinha seus pontos de "mistério", de sombra.
Pra ela era estranha essa falta de compreensão, ela era tão clara! E quanto aos pontos de sombra, era completamente natural. Nem tudo tem que ser visto e entendido por todos. Ela guardava esses pontos para os ousados, para os íntimos, para os verdadeiros.
Enfim, ...
Mas não estou aqui pra só falar dela, afinal, toda história de amor precisa do outro lado, da outra pessoa. É aí que entra Antônio, como o próprio nome diz "homem de valor inestimável".

Uau, como Luna tentou racionalizar as emoções que afloraram por ele no meio da caminhada. Mas no último dia, o dia de despedida, ele resolveu ser gentil.
Não que não tenha sido nos outros dias, mas esse dia ele foi menos armado, mais amável, mais livre.
"Último dia?", você deve estar se perguntando.
É, assim ele escolheu, aquele seria o último dia. Ela já havia o esperado demais, eles já tinham tido outras conversas como aquela, e ele sabia que MAIS UMA conversa dessa "bateria o martelo" sobre a decisão tomada.
Luna, foi ao encontro dele sem saber o teor da conversa. Foi livre, desarmada, sem expectativa. Contou os últimos acontecimentos (sem riqueza de detalhes). Ela evitava se aprofundar muito quando falava de si para ele, pois Antônio desaparecia de tempos em tempos. 
[E, convenhamos, não dá pra falar da vida, aprofundar na entrega se a pessoa não é constante, né?! É como entregar um pedaço de si para um passante na rua. Somos muito preciosos para abrirmos nossa alma pra quem não permanece ou não pretende permanecer.]

Naquele dia, ele a ouviu até ela exaurir o assunto e mudou o rumo da conversa. Luna o ouvia atentamente. Simplesmente ouvia. Não estava pensando em o quê responder nem qualquer outra coisa. Ela estava completamente presente OUVINDO-O.
E cada palavra que ele falava, por mais gentil e doce que ele estivesse sendo naquele dia, Luna se distanciava. E ele falou : "vou namorar uma pessoa..."
Luna não tinha mais reação, não havia mais nada a ser dito por ela, ou feito. Ela simplesmente se despediu. 
Mas apesar de tudo, do desfecho desconfortável pra ela, ela sentia-se bem. Sentia-se livre! Fez o que pode, foi até o fim, obedeceu a Deus até onde lhe cabia. E mais, naquele dia, no último dia, ele foi mais gentil, bom ouvinte (sem julga-la) como ela imaginava que ele era. Das outras vezes, talvez ele apenas estivesse mais armado, e armaduras costumam confundir quem vê.
Ela ficou feliz em saber que não tinha errado sobre o coração dele. Sim, ele tem um bom coração.
E Luna seguiu com o coração leve, mente tranquila. Não o aguardava mais, MAS o guardava com carinho no coração.

domingo, 18 de fevereiro de 2018

Dentre tantas opções, eu só tenho UMA.

Às vezes parece que temos inúmeras possibilidades e, ao invés de ser bom, nos confunde. Sim, até temos opções sem fim dentro de um contexto de jardim. 
Mas, como DESDE O PRINCÍPIO, dentro desse complexo e completo jardim, existe UMA Árvore da Vida e uma árvore do "conhecimento do bem e do mal". 
Ou seja, existem as opções neutras. Mas existem as duas árvores principais. 
Eu escolhi ir pra árvore da Vida em todos quesitos da minha vida. E quando a escolhemos não temos outra opção a não ser esperar. Porque essa árvore é regida por Deus, e ELE tem o Seu Tempo, Seu caminho. À mim cabe me submeter. 
Escolhi porque sei que é o melhor, porque confio no Pai (Deus). 
Aí você pensa: "então tá tudo certo, Renata". É...tá. Mas toda árvore tem seu tempo de dar frutos, e essa espera não é nada agradável. Mesmo que a gente esteja sentada à sombra dessa árvore, com toda a convicção do mundo, é desagradável ver as pessoas olhando e duvidando da aparição dos frutos. 
E pra mim, não é uma questão de duvidar de mim apenas; vai além, duvidam de Deus, do que Ele me disse. E isso me dói, me ofende. 
Eu tento entender mas minha compreensão não anula completamente o desconforto que sinto com os olhares incrédulos. 
Eu sei que a maioria escolhe as demais árvores, e tá tudo bem. O problema é que elas não entendem o caminho de Fé e tudo que sai da nossa compreensão, assusta. Enfim... 
Mas que bom que o outro dia chega, o fruto vem, os questionamentos internos e externos cessam. E saberão que "há Deus em Israel". Porque "Deus não é homem para que minta ", e "Sua palavra não volta vazia". 

terça-feira, 13 de fevereiro de 2018

Em que você acredita?!

"O que eu acredito sobre Deus é a coisa mais importante sobre mim." _AW Tozer. 
E o que acredito diz tudo sobre quem sou ou pretendo me tornar. 
Não banalizemos o que Deus diz, nem tentemos O acomodar aos nossos padrões limitados (ou até mesmo deturpados). 
Cresçamos até chegarmos à estatura do varão perfeito ao invés de rebaixá-lo para justificar nossas escolhas erradas, nossas falhas. 
Falhou? Conserte. 
Errou? Arrependa-se e mude. Orgulho pra quê?! 
Continuar no erro? Não, não...obrigada. 
 "Falhou, tá falhado e não se falha mais nisso". 
Nosso Deus é um Deus REAL que transforma vidas. É o Deus que transformou Saulo em Paulo. 
Onde Jesus chegava ELE transformava o ambiente ou pessoa. 
Se não temos sido transformados no decorrer da caminhada com ELE, a responsabilidade não é Dele. Provavelmente, não permitimos que ELE entrasse em algumas áreas de nossas vidas. Porque quando O TOCAMOS, sai poder Dele. 
Vidas transformadas, restauradas...esse é o resultado de ouvi-lo e OBEDECÊ-LO. 

Beijos 
Com Amor...

segunda-feira, 12 de fevereiro de 2018

Natural ou Sobrenatural?!

Podemos ser espirituais ou naturais. 
Podemos viver no impossível ou no possível. 
Se escolhermos seguir a mente de Cristo, andar em obediência ao que Deus diz, provaremos o impossível. 
Podemos chegar onde pessoas disciplinadas e talentosas naturalmente chegam; ou podemos chegar onde os que se preparam e obedecem a voz de Deus chegam. 
Podemos ser Pedro (pescador) ou Pedro (a pedra onde foi edificada a igreja). 
A diferença? Antes ele vivia com uma ótica natural, com olhos naturais e colhia os frutos de formam natural. Depois passou a viver com uma ótica de Fé, e com essa ótica mudada, com a visão, o coração mudado, ele experimentou os milagres. 

Uma mudança de mentalidade é necessária. Mas pra isso, precisamos estar com a Fé edificada. 
Viver de forma natural (e não sobrenatural) nos tira do propósito, nos coloca na caixa. Sim, teremos êxito se vivermos de forma natural, se tivermos boas escolhas naturais. Mas avançamos na jornada de Fé, quando agimos em Fé. (óbvio, não?!). 

Porque (Im)possível é só uma questão de prefixo. E tudo isso depende apenas de nós, de nossa escolha. Ficar na zona de conforto do natural, ou saltarmos corajosamente para vivermos o sobrenatural. 

Beijos 
Com Amor...

sexta-feira, 9 de fevereiro de 2018

Mesmo na transição, temos um norte. Não estamos soltos.

É tão óbvio, mas a gente ainda se surpreende... 
Sabemos da Bondade de Deus mas ainda assim não nos acostumamos. 
Sabemos do Amor Dele, mas ainda assim queremos justificá-lo. 
Aí alguém diz "Ah, você diz isso porque não sabe o que estou passando". 
É, posso não saber nada sobre você. Mas sei sobre Deus. 
"Eu sei em quem tenho crido". E também sei sobre o que eu passo.
Sim, às vezes é difícil, outras vezes parece até insuportável, mas se pararmos para observar, a fornalha é apenas uma oportunidade de conhecermos o "quarto homem" (referência a Daniel 3).

Os caminhos de Deus são muito mais altos mesmo. 
Ele sempre faz de dentro pra fora, do invisível pro visível. 
Ele não trabalha com máscaras. Ele trabalha com VERDADE. 
Em nossos períodos de transição, Ele não nos deixa "soltas(os), desligada (os)".  
Se ficamos (soltos, sem rumo) assim é porque não respeitamos o tempo Dele e fizemos no nosso tempo. 
Mas tá tudo bem, é só nos alinharmos novamente. Acaba havendo alguns desgastes desnecessários, mas não vamos criar uma tempestade por isso, não é mesmo?! 
Entenda. Deus não é irresponsável. 
Na verdade, o período de transição é simplesmente da alma (emoções, vontade e tal), porque o espírito (onde temos conexão direta com Deus) já sabe pra onde vai. E como nosso espírito sabe, não há tanto conflito na alma, pois é uma transição muito consciente. 
Por isso, é importante estarmos atentos ao que Deus diz. Porque se nossa alma se agita, nosso espírito- guiado por ELE- acalma. 

Beijos 
Com Amor...

domingo, 4 de fevereiro de 2018

Olhe para a jornada.

"Os testemunhos do Senhor são dignos de confiança, e tornam sábios os inexperientes." _Salmos 19:7  

Vamos nos atentar à jornada. 
O maná é diário, não tem jeito.
E o maná é testemunho para que a gente prossiga caminhando rumo ao propósito designado a cada um de nós. 
O alvo é o mesmo (Cristo), mas propósito (como manifestá-Lo) é individual. 
Além de o testemunho nos fortalecer, nos fazer voltar os olhos para o Deus que faz maravilhas; o testemunho também nos torna sábios, se aprendermos com ele. Ou seja, se alguém te conta um testemunho (algo que aconteceu, que Deus fez), aprenda e usufrua daquele mesmo Deus que fez na vida da pessoa. 
Não espere ter que passar por tudo. O testemunho, se soubermos usá-lo, atalha o caminho. 


Obs: aos meus amigos que não sabem, "maná" foi o alimento que Deus enviou para sustentar o seu povo no deserto. Era um milagre todos os dias. O maná de um dia não poderia ser usado no outro dia. 

Beijos 
Com Amor...

sexta-feira, 2 de fevereiro de 2018

O que dizem sobre você?

Desculpe, mas eu não quero saber o que as pessoas de longe dizem a seu respeito. 
Quero saber o que aqueles que são próximos, que realmente te conhecem, enxergam. 
Pensemos nisso. 

Um ótimo passo para mudança é ouvir os que estão perto. 
Não estou falando pra você se pautar, se guiar pelo que dizem. É apenas para perceber se o que você pensa que é está alinhado com o que os outros percebem. 

Quando as pessoas falavam de Jesus, parafraseando, ele disse :"não quero saber o que dizem. Quero saber de vocês! Quem pensam que sou?" 

"e perguntou-lhes, dizendo: Quem diz a multidão que eu sou? E, respondendo eles, disseram: João o Batista; outros, Elias, e outros que um dos antigos profetas ressuscitou. E disse-lhes: E vós, quem dizeis que eu sou? E, respondendo Pedro, disse: O Cristo de Deus." _Lucas 9:18-20 

A multidão aplaude e crucifica; é pautada nos feitos externos, nas máscaras. 
Existem pessoas incríveis que não são compreendidas pela multidão, assim como existem pessoas terríveis que são amadas por ela. 
"Pelos FRUTOS se conhecem a árvore". 

Beijos 
Com Amor...