Dupla Delícia.

Dupla Delícia.

quarta-feira, 18 de outubro de 2017

A liberdade é incompreensível para muitos.

Eu estava lendo Mateus 23 e...UAU! Como é forte! Como nos confronta, nos desperta. 
Sim, falo de nós (você e eu). 
Vou colocar um trechinho do que está escrito para ter uma ideia, mas depois leia todo o capítulo se lhe interessar. 
"Ai de vocês, mestres da lei e fariseus, hipócritas, porque percorrem terra e mar para fazer um convertido e, quando conseguem, vocês o tornam duas vezes mais filho do inferno do que vocês."_Mateus 23:15 

Os fariseus, naquela época, eram conhecedores da Palavra de Deus, sabiam manuseá-la, eram religiosos admiráveis (aos olhos de muitos) mas Jesus os confrontou. 
Todos nós temos resquícios desse farisaísmo em nós, mas alguns não percebem em si, somente nos outros. E ficam como aquela parábola do Fariseu e Publicano : "Ainda bem que não sou como esse pecador, publicano...."_dizia o fariseu. 

Sabe, é preciso Graça pra lidar com isso. Combater o farisaísmo sem agredir o fariseu. Embora, o fariseu (em nós) sinta-se ofendido de qualquer maneira por se achar muito apto para tudo. 
Sim, precisamos de graça, mas JAMAIS devemos entrar novamente sob jugo de escravidão, porque foi pra liberdade que Cristo nos libertou. 
[Por favor, entenda liberdade. Liberdade é não ser escravo de nada, nem de si, nem de desejos, ....enfim, isso é outro assunto]. 

Eles não entendiam Jesus, que era santo e livre. Pois a concepção deles de santidade ou devoção estava ligada à prisão. Viviam engaiolados dentro de regras, sob leis. Até a graça lhes parecia "comprável". 

É...que Deus nos revele a nós mesmos. 
Que possamos NOS enxergar e sermos realmente livres. 
E caso você já esteja voando, saiba, quem não sabe voar não consegue admirar seu voo. Quem vive preso, por não entender sua liberdade, transforma em defeito a sua virtude em saber voar. 
Mas não nos deixemos intimidar, oremos para que as correntes que prendem os que criticam sejam arrebentadas para que eles experimentem a leveza de uma vida guiada pelo Vento. 

Beijos 
Com Amor...

Desarme-se.

É muito interessante como lemos ou enxergamos as coisas de acordo com nosso pré-julgamento. Muitas vezes, interpretamos de acordo com o que somos ou como estamos (no inconsciente) e não de acordo com o outro que escreveu. 
E a maioria de nós faz isso sem perceber. 
Você fala A, a pessoa entende Z. 

O que me deixa mais triste é perceber que as pessoas sempre estão buscando o "algo a mais" que acham que está escondido na frase. Acham que profundidade de visão é deduzir o que não foi dito. 
A maioria de nós quer achar a falha no que foi dito ou escrito, ao invés de achar o acerto; quer deturpar ao invés de facilitar a comunicação e simplesmente entender o que foi escrito. 
Se alguém escreve "FOLHA", leia FOLHA, não deduza floresta (coisa boa) nem queimada (coisa ruim). 
Às vezes vejo algumas coisas nas páginas de notícias, por exemplo. A matéria diz que a água é importante, aí vem uma criatura e diz que ele não falou do SOL, pq o Sol também é importante. E começa-se uma discussão baseada em NADA. 

Cada dia mais eu entendo pq Jesus falava por parábolas com a multidão. Porque a clareza assusta e/ou torna-se ineficiente pra quem simplesmente não quer entender. 
É cansativo, desgastante demais ter que explicar tudo simplesmente porque nossa alma doente/ferida enxerga as coisas de forma distorcida, desconfiada. 
É desanimador ter que viver, conversar, escrever pisando em ovos só porque cada um entende o que quer. 
Vamos facilitar a vida (dos outros e a nossa)! 
E uma das formas de facilitar é apenas LER, OUVIR sem nenhuma pré-disposição para o ruim. Tentemos ver pelo ângulo bom. 
Eu busco fazer isso. Sempre que alguém faz alguma coisa que eu discordo, eu paro e penso "não, não deve ser isso. Fulano não pode ser tão ruim"
E quando não conseguirmos isso, se formos alvos de leituras equivocadas, a gente tem que entender que cada um entende as coisas do lugar em que vive (emocionalmente e espiritualmente)
Não tem como exigirmos uma visão ampla de alguém que está no pé do morro. Só quem escalou a montanha é que conseguirá enxergar além. 

Paciência é a palavra de sobrevivência pra nós, seja para sermos lidos ou para lermos. 
Vamos nos desarmar.

sábado, 7 de outubro de 2017

Sobre a "Arte" nos dias de hoje.

Diante do que que estamos vivendo e como perdura a discussão sobre a "Arte" apresentada no MAM (Museu de Artes Modernas de São Paulo) em sequência daquela lástima do Santander....vamos lá! 

[Antes de mais nada, não tenho objetivo de criar polêmicas ou criar discussões aqui, portanto, segure os dedos aí. Desde já, OBRIGADA. ]

Sou atriz por profissão e sou artista em suas mais variadas formas de expressão, e não me acho melhor que ninguém por isso. E como tal, me dou o direito de discordar completamente de alguns da classe artística, onde dizem que uma criança tocar um homem nu é arte. 
E não venha me falar que depende dos olhos de quem vê. Não, nesse caso não! Porque isso não é arte! Isso é ultraje, afronta! 

Vamos estudar um pouco?! 
Vocês já ouviram falar de DADAÍSMO? Pois é, foi um movimento que ocorreu em 1916. Eles faziam qualquer "merda" (com o perdão da palavra) e diziam que era arte. Aproveitavam a subjetividade da Arte pra tentar semear suas revoltas, apresentavam suas podridões internas e queriam "vendê-las" como belas. A intenção deles era afrontar as ideias consideradas "burguesas" ou tradicionais, não se importando com o que o público entendia. Eles queriam implantar a anarquia, e diziam isso ser "liberdade de expressão". 
Se fosse liberdade de expressão, não ficariam tão revoltados com as respostas negativas às suas supostas artes. 

Sim, a arte é pra comunicar, pra expressar o ser humano. Mas pera lá! Nem toda expressão ou comunicação é arte. Ou é? 
Se pensarmos assim, um psicopata que mata mulheres é artista. Afinal, ele está expressando sua alma. Um pedófilo que usa seus desejos obscuros pra tentar "embelezar" ou tornar aceitável sua doença é artista?! Já ouviram a frase "nem tudo que reluz é ouro". Então, não desmereça a arte. 

Não é porque faço parte da classe artística que sou obrigada a defender o indefensável. Mesma coisa de um político defender a roubalheira porque ele também é político. 
Acima das classes, das profissões, do que fazemos, está o SER, o que SOMOS. Antes de ser artista, sou GENTE, feita à imagem e semelhança do Criador e, sinceramente, dentro de mim não há nenhuma identificação com essa podridão disseminada. E espero que dentro de você também não! 

Ao que parece, estamos vivendo novamente a "Idade das Trevas" (me refiro a História). Mas enquanto ainda há algumas luzes entre nós...Que brilhem! 

Quem pode dizer o que é ou não arte? Bom, isso ninguém. Mas podemos, sim, dizer o que viola o básico das relações humanas. Não dá pra relativizar princípios vitais. 
E se sua "Arte" não é pra acrescentar, se é pra promover o caos, as trevas...desculpe, você não é artista, é um fanfarrão. 

Obrigada. De nada. 

Com todo amor do mundo...

segunda-feira, 2 de outubro de 2017

Não siga a procissão!

Não é porque algo se torna comum que deixa de ser um "desvio". 
Não é porque se tornou comum que passou a ser normal. As consequências são as mesmas. 
Não é porque 90% está doente que a doença se torna um padrão de normalidade. 
Não! Foquemos nos sãos! 
Nossa opinião por achar algo normal ou aceitável não retira a gravidade das coisas e nem anula as consequências. 
Tapar o Sol com a peneira não elimina os raios solares. 
Acordemos enquanto é tempo. 
Não usemos de nossas doenças emocionais como padrões.

Meu mundo ideal é uma dança a dois!

Depois de ver um vídeo de uma galera dançando, eu achei massa mas fiquei pensando : "poxa, é tão mais legal dançar a dois". 
E não estou falando de danças românticas nesse contexto de festa, amigos e tal. 
[Claro que se for com o namorado ou marido é mil vezes melhor!] 

Aí continuei minha divagação, eu e eu mesma...rs... 
Sempre fiz dança, de tudo um pouco. Aí quando cheguei na dança de salão me identifiquei ainda mais. 
Por quê? Porque a dança de salão não é simplesmente uma dança, tem todo um universo que a envolve e deve ser respeitado. 
Por exemplo: 

1-O homem é quem deve convidar a moça, e ao retira-la pra dançar, deve leva-la pelas mãos até o salão onde irão dançar. E ao término da dança leva-la de volta onde a buscou. 

*OBRIGADA, DEUS! COISA LINDA! 

[Isso mostra todo o cuidado do homem com a mulher, como DEVE SER! ] 

2- A condução dos passos é toda do homem. 
É claro que podem combinar previamente o que um mais gosta e tal. Mas se o cara não for um bom condutor, mesmo que seja um excelente dançarino, a dança não sai, ou se sai, não fica tão bonita nem agradável para a mulher, que fica perdida. 
E confesso que aqui, no início, eu tinha dificuldade quando eu sabia mais que o cara, tentava "ajudá-lo" (conduzindo). Mas depois aprendi a dançar conforme o "saber" do outro. Foi bom pra mim isso! 
E também, há caras que não sabem tanto, mas sabem conduzir, tem a mão firme pra direcionar e isso bastava (na dança!). Melhor "dois-pra-lá e dois-pra-cá" bem conduzido do que mil passos soltos, sem a mínima condução. 

[Isso remete a como tem que ser numa relação interpessoal para que haja harmonia: estando os dois de acordo, UM conduz. Imagine se um quer girar e o outro quer fazer cambré, não sai nem um passo nem o outro]. 

3-Você dança COM o outro, extremamente sincronizado e ligado. Se um erra, o outro erra junto. 
Não é uma dança PARA os outros, não é uma apresentação (mesmo que se trate de uma, no caso de dançarinos profissionais)


É isso, PRA MIM, a dança de salão representa MEU MUNDO ideal: homens e mulheres com seus direitos iguais, essências preservadas e cada qual em seu papel.


sábado, 30 de setembro de 2017

Uma BOA "loucura"!

Eu sempre tive essa mania de ter a cabeça no chão e os pés nas nuvens. 

Porque pra escolher andar por Fé tem que saber que a mente fica firmada (em Deus) e os pés seguem caminhos nunca feitos. 
Andar por fé é uma proposta baseada num relacionamento de CONFIANÇA, mesmo que a gente não entenda ou pareça loucura. 
"Porque a sabedoria de Deus é loucura para os homens". 

Mas é a melhor loucura que podemos escolher fazer!

quarta-feira, 27 de setembro de 2017

Não banalize a intimidade.

Ter intimidade com alguém não significa que podemos "colocar palavras na boca da pessoa". 
É a mesma coisa com Deus. 
Ter intimidade com ELE não nos dá o direito de dizer que "ELE falou algo" que contradiz Sua própria Palavra. 
Não usemos da "intimidade", ou do termo "revelação" para justificar nossas falhas de caráter ou doenças da alma. 
Muitos desentendimentos no mundo acontecem porque pessoas usam o nome de Deus sem conhecê-LO. Nem estou falando só das guerras, estou falando do nascimento de sofismas, mentiras "justificadas como santas". 
Deus continua sendo Deus, continua sendo Amor, continua sendo o Justo, continua soberano, continua sendo a Verdade. Ele JAMAIS fala algo que vai contra Seu próprio caráter. 
Fiquemos atentos com o que ouvimos. 
Como diz o apóstolo Paulo : "Examinai tudo. Retende o bem." _1 Tessalonicenses 5:21 

A HISTÓRIA JÁ FOI ESCRITA. LEIA. 
Vamos ler mais a Bíblia. 

Beijos 
Com e em Amor...